domingo, 4 de outubro de 2015

INDONÉSIA - PRIMEIRAS IMPRESSÕES E HOMENAGEM À MINHA PARCEIRA

    Olá, colegas. Como forma de fazer com que o último artigo saia de foco, escrevo um artigo em homenagem à minha parceira. Antes de tudo, ao contrário do que alguns colegas falaram, não houve um desentendimento ou uma desavença, o que houve foi uma agressão pura e simples. É como se o sujeito A chega e dá um murro na cara de um sujeito B que estava esperando um ônibus pensando na vida, e falar que A e B estavam brigando. Não, isso não é uma briga, é uma agressão pura e simples. Em nenhuma esfera na minha vida, aturei agressões injustificadas à minha pessoa, e é assim que continuarei sendo.  Porém, paro por aqui.


    Minhas primeiras impressões na volta da Indonésia:

  - Muito bom voltar para um país onde um quarto de hotel razoável é dez dólares, o aluguel da scooter é três dólares e um almoço saboroso para duas pessoas é 4 dólares.

  - Como a Àsia ( e há diversas "Àsias") é diferente. Vielas, trânsito caótico, templos para tudo que é lado e sorrisos, muitos sorrisos.

  - Gosto muito de me relacionar com locais. Hoje, ao comer um peixe à beira da praia, falei com a garçonete. Ela trabalha todo o dia e ganha 50.000,00 rúpias. Isso equivale a um pouco mais de três dólares americanos. Uma simpatia só. Faz eu colocar muitas coisas em perspectiva sobre dinheiro.

- Entrar em Padang-Padang (uma das ondas mais pesadas da Indonésia) com 8 pés plus, não é algo muito sábio. Meu coração quase saiu pela boca quando uma série gigante entrou, nunca tinha visto uma onda tão poderosa.

  Por fim, dedico esse artigo à minha companheira e parceira que escreveu esse belo texto no facebook dela. Sinto um grande orgulho de poder compartilhar esses momentos especiais da minha vida com uma pessoa assim. Obrigado por tudo!

'Nosso tempo de Austrália vai chegando ao fim. Foram 3 meses e quase 20 mil quilômetros percorridos no nosso carro-lar. Percorremos toda a costa leste, adentramos em diversos parques nacionais belíssimos, passamos por algumas ilhas cheias de vida selvagem e mares de um azul cristalino, passamos duas semanas na Tasmânia (sim, eu encontrei o demônio da tasmânia lá! E a Tasmânia não é um país, é mais um estado da Austrália!), rodamos 4 mil quilômetros no magnífico Outback em poucos dias, um deserto que guarda consigo os mais coloridos cenários, um céu brilhante que não estamos mais acostumados a contemplar e muitas moscas, que te ensinam a ter mais paciência e reclamar menos, afinal, são inevitáveis . No decorrer da viagem realizei muitas coisas que já pensava, como o que realmente importa na vida. Já completamos quase 6 meses de viagem, dos quais 5 foram dentro de um carro. Não comprei absolutamente nada de novo, apenas investi em comida, transporte e higiene. Não sinto falta de nada, apenas penso com mais intensidade que uma roupa limpa é mais gostosa e confortável que uma roupa nova. Uma das coisas que tornam a vida mais colorida são as pessoas. Fizemos alguns amigos durante a viagem. Não são como nossos velhos amigos, pois o tempo que passamos juntos não é suficiente para conhecer mais intimamente alguém, porém, não deixam de ser muito especiais. Sabe, conviver com pessoas que não reparam se você está com a roupa apropriada para a ocasião, se vc está com a unha pintada, ou qualquer forma de reprimir ou julgar só me faz perceber que o que realmente importa é o que está dentro. Seja gentil, educado, cuide com suas palavras, e muito mais do que isso, se importe com o próximo. Se importar não é dizer "Nossa, como você está bonita! linda!" Se importar é perguntar "Você está bem?" "Você está feliz? Você precisa de alguma coisa?" Fizemos muitos free campings aqui na Austrália, isso quer dizer que não tomei banho todos os dias. Mas eu não preciso de banho todos os dias, eu preciso de um céu estrelado acampando sozinha com meu companheiro na luz do luar, comendo uma deliciosa janta preparada na "cozinha" do carro acompanhada de um bom vinho. O banho fica para o dia seguinte! Todo dia foi apenas um dia, um diferente do outro, mas todos na mesma intensidade. Vimos golfinhos surfando ondas cristalinas, foi incrível! Mergulhamos na grande barreira de corais com tubarões, moreias, tartarugas. Fizemos muitas trilhas no meio a natureza, vimos toda a vida selvagem possível por aqui, aliás, por aqui a vida selvagem convive junto. No seu caminho você pode cruzar com cangurus, wallabies, coalas, cobras, lagartos, aranhas, porco espinhos, cracatuas, periquitos, águias, wombats, crocodilos, águas-vivas, formigueiros imensos, possuns caindo no seu carro de madrugada ou tentando roubar sua janta, periquitos vermelhos roubando seu café da manhã etc... É maravilhoso conviver com a vida selvagem. Penso que enquanto aqui vejo revoadas de cracatuas, papagaios, periquitos, as aves das mais coloridas, no Brasil nunca vi se não na jaula. Sobre dirigir por aqui... A regra aqui é a educação no trânsito. O respeito pela sinalização, principalmente a velocidade máxima permitida é regra. respeitar a regra que é para todos torna a vida mais tranquila e segura. Alguns falam que a Austrália é perigosa pelas suas cobras e aranhas venenosas, o que não deixa de ser uma realidade muito distante, mas viajar 20 mil km pode ser mais perigoso que qualquer animal peçonhento. Por isso respeito é importante. Sobre a convivência, a vida compartilhada é mais feliz. Sou feliz e grata por ter um companheiro e parceiro pra seguir essa jornada comigo. Diferenças existem, a proximidade é muito grande numa viagem como esta, mas é maravilhoso. É o amor! São muitas memórias, muitos momentos, muita vida vivida em tão pouco tempo. São muitas as reflexões, não dá pra colocar tudo aqui. Mas o que eu desejo mesmo é que você que leu o meu texto esteja feliz. A vida é cheia de oportunidades, mas é você quem cria, é você quem faz suas escolhas. É sempre tempo de mudar, estando bem ou não. Viva! Celebre a vida! Saia da zona de conforto! Conheça pessoas completamente diferentes de você. Por enquanto é isso. Em breve coloco algumas fotos. Daqui alguns dias estaremos na Indonésia. E que seja lindo! wink emoticon


36 comentários:

  1. Uma parábola muita vezes convém, nobre surfista.

    Buda estava sentado embaixo de uma árvore falando aos seus discípulos. Um homem se aproximou e deu-lhe um tapa no rosto.Buda esfregou o local e perguntou ao homem:

    - E agora? O que vai querer dizer?

    O homem ficou um tanto confuso, porque ele próprio não esperava que, depois de dar um tapa no rosto de alguém, essa pessoa perguntasse: “E agora?” Ele não passara por essa experiência antes. Ele insultava as pessoas e elas ficavam com raiva e reagiam. Ou, se fossem covardes, sorriam, tentando suborná-lo. Mas Buda não era num uma coisa nem outra; ele não ficara com raiva nem ofendido, nem tampouco fora covarde. Apenas fora sincero e perguntara: “E agora?” Não houve reação da sua parte.

    Os discípulos de Buda ficaram com raiva, reagiram. O discípulo mais próximo, Ananda, disse:

    - Isso foi demais: não podemos tolerar. Buda guarde os seus ensinamentos para o senhor e nós vamos mostrar a este homem que ele não pode fazer o que fez. Ele tem de ser punido por isso. Ou então todo mundo vai começar a fazer dessas coisas.

    - Fique quieto – interveio Buda – Ele não me ofendeu, mas você está me ofendendo. Ele é novo, um estranho. E pode ter ouvido alguma coisa sobre mim de alguém, pode ter formado uma idéia, uma noção a meu respeito. Ele não bateu em mim; ele bateu nessa noção, nessa idéia a meu respeito; porque ele não me conhece, como ele pode me ofender? As pessoas devem ter falado alguma coisa a meu respeito, que “aquele homem é um ateu, um homem perigoso, que tira as pessoas do bom caminho, um revolucionário, um corruptor”. Ele deve ter ouvido algo sobre mim e formou um conceito, ele bateu nessa idéia.


    Se vocês refletirem profundamente, continuou Buda, ele bateu na própria mente. Eu não faço parte dela, e vejo que este pobre homem tem alguma coisa a dizer, porque essa é uma maneira de dizer alguma coisa: ofender é uma maneira de dizer alguma coisa. Há momentos em que você sente que a linguagem é insuficiente: no amor profundo, na raiva extrema, no ódio, na oração.


    Há momentos de grande intensidade em que a linguagem é impotente; então você precisa fazer alguma coisa. Quando vocês estão apaixonados e beijam ou abraçam a pessoa amada, o que estão fazendo? Estão dizendo algo. Quando vocês estão com raiva, uma raiva intensa, vocês batem na pessoa, cospem nela, estão dizendo algo. Eu entendo esse homem. Ele deve ter mais alguma coisa a dizer; por isso pergunto: “E agora?”

    O homem ficou ainda mais confuso! E Buda disse aos seus discípulos:

    - Estou mais ofendido com vocês porque vocês me conhecem, viveram anos comigo e ainda reagem.

    Atordoado, confuso, o homem voltou para casa. Naquela noite não conseguiu dormir.

    Na manhã seguinte, o homem voltou lá e atirou-se aos pés de Buda. De novo, Buda lhe perguntou:

    - E agora? Esse seu gesto também é uma maneira de dizer alguma coisa que não pode ser dita com a linguagem. Voltando-se para os discípulos, Buda falou:

    - Olhe, Ananda, este homem aqui de novo. Ele está dizendo alguma coisa. Este homem é uma pessoa de emoções profundas.

    O homem olhou para Buda e disse:

    - Perdoe-me pelo que fiz ontem.

    - Perdoar? – exclamou Buda. – Mas eu não sou o mesmo homem a quem você fez aquilo. O Ganges continua correndo, nunca é o mesmo Ganges de novo. Todo homem é um rio. O homem em quem você bateu não está mais aqui: eu apenas me pareço com ele, mas não sou mais o mesmo; aconteceu muita coisa nestas vinte e quatro horas! O rio correu bastante. Portanto, não posso perdoar você porque não tenho rancor contra você.

    E você também é outro, continuou Buda. Posso ver que você não é o mesmo homem que veio aqui ontem, porque aquele homem estava com raiva; ele estava indignado. Ele me bateu e você está inclinado aos meus pés, tocando os meus pés; como pode ser o mesmo homem? Você não é o mesmo homem; portanto, vamos esquecer tudo. Essas duas pessoas: o homem que bateu e o homem em quem ele bateu não estão mais aqui. Venha cá. Vamos conversar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, são poucas vezes que você se manifesta, o que é uma pena, mas também pode ser algo especial.
      Obrigado, essa mensagem foi muito bonita. Muito mesmo.
      Grato por compartilhar e me fazer refletir a respeito. Na verdade, por mais que achemos que evoluímos enquanto humanos, a verdade é que sempre somos confrontados com situações que colocam em perspectiva a nossa própria evolução e quem nós realmente somos.

      Um grande abraço.

      Excluir
    2. Idiota

      Este texto é perfeito para a ocasião.

      Parabéns !!

      Excluir
  2. Soul,

    Pq tirar o post anterior de foco ?
    Você se acovardou foi ?
    Passa a impressão que se envergonha de tê-lo feito, quando na verdade deveria era deixá-lo no ar o mais tempo possível para que mais gente o encontrasse, lesse e refletisse sobre o ocorrido.

    Te dou razão ao seu post anterior e não há este.

    Homem tem que ter palavra, sua palavra tem que ter valor e se sustentar.
    Ao tirar seu post de evidencia com este outro, perde valor sua palavra por falta de sustentação.Deveria o post anterior ter ficado mais tempo como sendo o post mais recente deste blog.
    Bem, já que é para tirar de evidência, escreva mais uns 3 posts esta semana e beleza.
    Não tá aqui mais o chatão que irá ficar chateado contigo.

    Poney

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, o foco dos meus escritos não é polemizar com coisas que não sejam ideias. A mensagem foi dita, e nunca tive tantos acessos. Não tenho nenhuma pretensão de ser um blog popular e muito menos por brigas.
      Se eu quisesse "acovardar" (não sei o que você entende por isso), ou qualquer outra coisa eu apenas deletaria o artigo. Até mesmo um colega blogueiro já escreveu sobre isso, já teve a sua evidência.

      Quem quiser refletir, reflita, quem não quiser, não reflita.

      Excluir
  3. Afinal de contas, a viagem foi pra Indonésia ou Austrália? rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entremos num avião (Austrália) e aterrissamos em Bali (Indonésia):)

      Excluir
  4. Que beleza, quem sabe um dia chego lá... trabalhar menos e viajar mais... achei seu blog interessante por falar sobre viagens e uma discussão sobre finanças mais genérica, menos sobre qual ações, qual investimento etc..

    Também mantenho um blog, se quiser dar uma olhada, http://analiseinvestimento.blogspot.com.br/

    Estou linkando o seu blog para poder visitar com frequência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rodolfo. Grato pela sua visita, já tinha visitado o seu blog. Vou dar uma nova olhada, pois creio que já um tempinho que olhei.

      Abraço!

      Excluir
  5. Na frente de todo grande homem existe uma grande mulher. O ditado original é um pouco machista "atrás de todo grande homem..."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ao lado de todo homem existe uma grande mulher, não adianta retirar o machismo e por o feminismo no lugar :)

      Excluir
    2. É verdade, meu caro UB.
      Abraço

      Excluir
    3. O anon 21:39 está correto. O melhor para que uma relação homem x mulher seja saudável é respeito, compreensão e igualdade respeitando as diferenças. Raciocínios que favoreçam o desfavoreçam alguém não agregam nada.
      Não sou casado mas encontrar uma companheira para a vida, compartilhar alegrias e tristezas, ter uma relação harmoniosa é algo que o dinheiro não compra e que tem valor incalculável.
      Ao invés de as pessoas invejarem casas, carros, fama etc. Deveriam reconhecer a importância desse tipo de relacionamento.

      Excluir
  6. Vc é um cara super bacana.Seus escritos sobre fiis foram fantásticos.

    Infelizmente, a revista Veja e a Rede Globo estimulam esses neodireitistas fãs do Rodrigo Constatino. É de se lamentar pois ele escreve muito mal, comete erros gramaticais frequentes, uma vergonha para os formados na PUC-RIO.

    Algumas pessoas ficam limitadas pela grande imprensa e passam a odiar quem não ama Aécio Neves e o PSDB. É triste ver como está o Brasil.Essa maluquice partidária sempre foi coisa de americanos, mas agora está entre nós.


    Infelizmente, o Márcio escreve muito sobre investimento, mas há 3 longos anos está perdendo para a poupança. Logo é meio difícil levar a sério o que ele fala.


    Você é exemplo de conduta, mantenha-se firme, continue viajando para incentivar as pessoas que querem sair dessa correria maluca.

    Quem quiser apostar com você deve mostrar a cara e pagar para ver. Será que terão coragem?


    Força e parabéns pelo seu estilo de vida.

    ResponderExcluir
  7. Infelizmente algumas pessoas não sabem reconhecer que o mundo não gira em torno das ideias delas. Se alguém vive ou age diferente, vira alvo de ódio total.

    Isso é bem triste, podemos melhorar como seres humanos com estudo, esporte, boas atitudes etc.

    Estamos todos ao seu lado,seus posts são muito bacanas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, grato pela mensagem.
      A mensagem do colega "Idiota" foi muito bacana. Talvez todo o ódio possa ser alguma coisa que a pessoa queira falar, transmitir, e não consegue se não for pelo rancor.
      Todos nós podemos nos sentir com rancor, mas mesmo assim, em que pese a linda mensagem, eu creio que alguns limites mínimos devem ser respeitados para termos uma vida melhor em sociedade.

      Excluir
  8. Enquanto uns vivem alucinados querendo impressionar os vizinhos com status, apartamentos caros.Outros aproveitam a vida bem, como vc. Força, seus posts são muito bacanas.

    Processe o engraçadinho que o acusa de ser maconheiro, se ele pode afirmar então pode responder judicialmente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As pessoas procuram aquilo que as satisfaça mais, aquilo que as traga mais valor (lição básica dos fundamentos da escola austríaca de economia). Apenas acho que muito do que as pessoas vão atrás ultimamente é muito influenciado por propaganda, do que um desejo genuíno.

      Estou em processo de reflexão colega, espero que o episódio sirva para que possamos ter uma blogosfera mais saudável, com debates "quentes" às vezes sim, mas com um mínimo de respeito.

      Excluir
  9. Que belo texto de sua noiva.

    Encontrastes uma pessoa à altura de sua eloquência.

    Parabéns, que possam constituir uma bela família e gerar filhos saudáveis, amados e cultos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom mesmo, mas recomendo tirar ele do ar.

      Infelizmente as pessoas são maldosas e podem começar a vasculhar a identidade de vocês.

      Excluir
    2. Olá, Guardião. Grato!
      Quem sabe quando e se tivermos filhos. Não precisam ser cultos, apenas bons humanos.
      Obrigado pelas palavras.

      Anônimo, você tem razão que precisamos nos precaver. Porém, é horrível quando temos medo até de colocar um texto na internet por causa da segurança, não é mesmo?

      Abs!

      Excluir
  10. Processe o malandrinho. acusar pessoas sem provas é horrível.
    Muitos se acham donos da verdade, falam asneiras, agridem.Então, se estiverem de má-fé, devem pagar as consequências perante a Justiça.

    ResponderExcluir
  11. Acho que a melhor coisa da Indonésia,Tailândia é a oportunidade de ter sexo fácil com gatinhas de olho puxado...

    ResponderExcluir
  12. Suas viagens são inspiradoras. A vida na natureza e a liberdade valem mais que carros de luxo, apartamentos em bairros caros e outra futilidades.

    Algumas pessoas são limitadas intelectualmente e ainda por cima consomem lixo semanal em forma de revista... Somado a isso temos um telejornal dominante que é uma piada.. O resultado é o ódio total a quem pensar diferente.


    ResponderExcluir
  13. Indonésia é onde executaram um traficante e a Dilma pediu clemência pro bandido?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, mas a Indonésia não é apenas isso.
      A Indonésia é 17 mil ilhas, o maior país de população muçulmana do mundo (vital para a estabilidade do mundo, portanto), 250 milhões de pessoas, uma das economias que mais cresce, mais de 700 línguas e dialetos, uma cultura e história fenomenal, paraíso para o surf (nomes como Desert Point, G-land, Padang Padang ou a disnelândia do surf que pretendo visitar: Mentawai Islands), um dos locais com maior diversidade biológica do mundo (seja marinha - Raja Ampat - pretendo conhecer, considerado o Jardim do Eden, seja terrestre - Kalimatran - também conhecida como Borneo na parte Malaia), movimentos extremistas, culinária exuberante, etc, etc.
      A Indonésia é um universo.

      Sim, o presidente da Austrália também pediu clemência para australianos condenados a morte. Isso faz parte do papel de qualquer governo ocidental deve fazer. O que não faz parte é a Dilma recusar-se a entregar as credenciais para o Embaixador da Indonésia no Brasil. Isso foi extremamente rude, e às vezes dá a impressão que só há inaptos assessorando a presidente.

      Excluir
  14. Rapaz, seus posts me inspiram a sair mais rápido do serviço público. Com um pouco mais que o suficiente nós podemos viver experiências fantásticas de vida.


    Pobre de quem acha que carro e apartamento de luxo são tudo de importante.

    Continue com seus posts, vc é o cara que inspira muitos.


    Abs

    ResponderExcluir
  15. PF, na Indonésia tem muita shemale feminina mesmo igual vemos nos vídeos pornôs? Putz eu ficaria louco nesse país!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pornografia é considerado crime na Indonésia desde 2008. A esmagadora maioria do país é muçulmana.
      Talvez esteja confundindo com a Tailândia, local muito bacana mesmo, mas também conhecido por ser pródigo em turismo sexual.

      Excluir
    2. Shemale?? kkkkk exótico o gosto do rapaz hein...

      Esses anons vindos do blog do pobreta são uma piada mesmo!!

      Excluir
  16. Os últimos meses da sua vida são de causar inveja, leio seus posts com frequência, mas não é uma inveja da sua viagem, de você ter conseguido acumular patrimônio para ter esse momento ou pelas ondas experimentadas, o ponto que mais me chamou atenção foi a possibilidade de se colocar na condição de um ser reflexivo de maneira ainda mais intensiva, você passa com primorosa propriedade que escolheu o seu caminho e não permitiu que o fizessem por você, e que se responsabiliza pelos erros e pelos acertos e demonstra nos seus posts que de maneira recorrente se questiona e busca novos conhecimentos para reafirmar ou até mesmo ajustar suas escolhas e o texto da sua digníssima companheira demonstra que ela segue o mesmo processo reflexivo para fazer escolhas e que ela está também colhendo excelentes resultados.
    Neste feriado decidi fazer uma reflexão em relação as minhas escolhas e descobri que algumas delas não haviam sido feitas por mim, nossa civilização é tão barulhenta que as vezes acabamos abdicando dessa liberdade e seguimos o caminho mais fácil, por preguiça ou mesmo por medo de ser julgado, assim nós perdemos a capacidade reflexiva e temos um comportamento primitivo que pode ser facilmente observado nos outros animais, tentamos a qualquer custo potencializar o nosso prazer e diminuir a nossa dor de maneira extremamente individualista e sem ter um objetivos legítimos, objetivos estes que só podem ser fruto de um pensamento/reflexão mais profunda que nesse contexto não existe.
    Quando comento da inveja do seu momento, por favor não interprete essa inveja de maneira pejorativa, posso tomar como base os minutos dedicados para escrever esse comentário, mesmo não tendo a formação adequada para ter pensamentos profundos, precisei pensar para interpretar o texto do post, depois refletir sobre as situações diversas da minha vida que tem alguma relação e fiz tudo isso sendo interrompido diversas vezes, filhos pedindo alguma coisa, chorando, esposa reclamando, minha mãe ligando para reclamar que meu irmão só chega de madrugada em casa e meu irmão mandando mensagens no What's app para se justificar, sei que essa descrição é um exemplo natural da vida de diversas pessoas e isso me faz acreditar que as pessoas acabam perdendo esse poder de reflexão, pois está cada vez mais difícil ter um momento para ter essa conversa interna, fortalecer a fé, fortalecer nossos objetivos, nossas crenças.
    Quase chegando ao final do comentário, investi 45 minutos para tentar produzir algo com qualidade, gastei uma energia descomunal para tentar me concentrar devido as constantes interrupções, e já tenho uma pré-avaliação que o resultado não pode ser uma maravilha. Fazendo essa análise será que vou estar disposto a gastar essa energia novamente no futuro?
    Enfim, espero ter conseguido estruturar meu pensamento de maneira minimamente interpretável, mas o que eu gostaria de saber é se você conseguia tempo, ‘silêncio’, paz e investia energia em quantidade relevante antes de fazer a viagem para pensar e refletir sobre os caminhos. Se já fez algum post sobre esse assunto, peço desculpas antecipadas e aguardo o link para eu fazer a leitura.

    ResponderExcluir
  17. Muito bom o texto e felicidades para vocês dois!

    ResponderExcluir