quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

UM ROTEIRO PRÁTICO PARA INVESTIMENTO NO EXTERIOR

 Olá, colegas. Espero que este artigo possa ajudar alguém que esteja pensando em investir no exterior. Primeiramente, mais uma vez recomendo o amigo blogueiro Investidor Internacional. Quando o tema é investimentos no exterior, ele é imbatível. Espero sinceramente que ele possa estar de alguma maneira sendo remunerado pelo seu trabalho, pois o material que ele disponibiliza de forma gratuita é fantástico.

 Você está pensando em ter investimentos no exterior? No artigo Sete Dicas para o Investidor Amador, uma das dicas era justamente abrir os horizontes enquanto investidor. Eu resolvi abrir o meu, e pretendo enviar boa parte do meu patrimônio para fora. No começo, há uns 2-3 anos, pensava em ter uns 10-15%, hoje em dia penso em ter algo como uns 40-45% investidos lá fora. Nos próximos tópicos irei abortar o itinerário mental sobre investir no exterior.

BANCO E CORRETORA

  Quer saber um monte de informação sobre como abrir uma conta no exterior? Leia a fantástica série do Investidor Internacional de 10 artigos Como Abrir uma Conta no Exterior. Sério, ele fuçou dezenas de possibilidades em vários cantos do mundo. 

  Se você quer comprar ativos financeiros, muito provavelmente terá que ter conta numa corretora. Sendo assim, como aqui no Brasil, é necessário ter uma conta num banco e numa corretora. Há bancos com serviços de corretora, mas geralmente, como no Brasil, os custos não são atrativos.

 Quer ter apenas uma conta bancária? Então, você só terá acesso a serviços bancários e a produtos financeiros oferecidos pelo próprio banco como fundos de investimento  oferecidos pela instituição ou alguma forma de título de renda fixa do próprio banco. Nesse quesito é parecido com ter uma conta bancária no Brasil.

 Quer apenas ter uma conta numa corretora? Então, você não poderá ter cartão de crédito ou débito, e terá que de alguma forma transferir o dinheiro do Brasil direto para a corretora via uma operação de câmbio sem passar por uma instituição bancária no exterior. Como você não terá cartão, você não conseguirá usar esse dinheiro no exterior. Se alguma corretora fornece alguma espécie de cartão que você pode utilizar não é do meu conhecimento.

  Sendo assim, é interessante que se tenha conta num banco e numa corretora.


QUAL BANCO E QUAL CORRETORA?

  Na série supracitada do colega blogueiro, ele dá um monte de indicação. Porém, particularmente, mesmo que ele justifique o preço de algumas instituições dizendo "que você recebe o que paga", a maioria das opções retratadas são muito caras. Entrei para ver as taxas de uma corretora de Hong Kong, por exemplo, e me assustei que havia cobrança por uma simples compra de um ativo da ordem de dezenas de dólares americanos. A média de corretoras suíças ou européias é na faixa de uns 15 euros por ordem. Isso é muito dinheiro, R$ 60,00 para comprar um ETF?

 Nesse sentido, uma bela opção parece ser a Interactive Brokers. Nosso querido colega da blogosfera Frugal está se aventurando nos investimentos estrangeiros, e vem contando suas experiência em alguns artigos, destaco este  Como Abrir uma Conta na Interactive Brokers

 A vantagem da I.B. é que ela proporciona acesso a vários mercados, e não apenas ao mercado Americano (ela é sediada nos EUA) e isso faz uma diferença enorme que será tratada num outro tópico. 

 Logo, você será cliente de uma corretora nos EUA, mas poderá comprar produtos financeiros de outros lugares do mundo, não necessariamente só nos EUA. Além do mais, ela possui uma taxa de manutenção de U$10,00. Qualquer ordem é descontada deste valor. Sendo assim, se gastar até U$10,00 por mês em comissão, o valor será apenas o custo de manutenção. 

As taxas de corretagem são bem pequenas na I.B. desde que se compre instrumentos nas bolsas americanas (ver o valor aqui). Entretanto, para acessar outras bolsas de valores, o que será importante na minha estratégia, as taxas de comissão são bem mais salgadas, sendo o mínimo de uns U$5,00 por ordem. Entretanto, de corretora de alcance global, ela parece ser ainda a com melhores custos.

  E o Banco? Se você pode ir pessoalmente aos EUA, por exemplo, talvez existam opções melhores da que irei comentar. Porém, pela comodidade, abrir uma conta no BB Américas parece ser bem conveniente. Segundo relato do próprio Frugal, o processo é simples e pode ser feito tudo pelo Brasil. Além do mais, parece que a taxa de envio de dólar daqui para a conta no exterior feita pelo BB possui uma taxa bem competitiva de um spread de apenas dois centavos de real na cotação do dólar comercial (isso pode mudar, mas por enquanto é uma taxa bem interessante). Mais detalhes neste artigo aqui do Frugal (Como Abrir uma Conta no BB America a distância). O único porém é que são cobrados U$15,00 mensal de manutenção da conta.

 Sendo assim, o combo BB Americas mais I.B. tem um custo de U$ 25,00 mensais ou U$300,00 anuais. É mais do que gastamos aqui no Brasil com esse tipo de serviço, mas é a opção com melhor custo - benefício que achei até o momento, se alguém quer de alguma maneira ter acesso ao seu dinheiro no exterior por meio de cartões.

QUANTO PRECISO E QUANDO É UMA BOA HORA

 Colegas, eu acredito que há um fundamento lógico para taxa de câmbio no médio-longo prazo: o poder de compra entre ambas. Logo, o câmbio reflete a desvalorização entre duas moedas. Assim como no médio-longo prazo ações tendem a refletir os seus fundamentos, no câmbio as moedas tendem a refletir o seu poder de compra relativo.

  Este tema foi abordado com mais vagar nestes dois artigos escritos por mim: Câmbio: O Princípio Fundamental. Empiria e Estratégia para o Investidor Amador e Dólar, Ouro e Considerações Sobre Alocação de Ativos.

  Logo, eu creio que há momentos melhores e piores de se investir em dólar, ou qualquer outra moeda, levando em conta apenas este fundamento. Isso agrava ainda mais, pois nosso país é muito volátil, o que faz com que o nosso câmbio flutue uma enormidade. Imagine enviar U$ 150.000,00 de uma só vez com Câmbio a R$4,20, como muitos devem ter feito no pânico, do que enviar esse dinheiro para fora agora com um Câmbio muito mais competitivo.

 Um colega chamado Investidor AM na aba de comentários do artigo Câmbio: O Princípio Fundamental, gentilmente mostrou como se faz para ter acesso a uma série temporal do Banco Central que mostra a taxa de câmbio real, ou seja, levando em conta o poder de compra entre as moedas. Ela pode ser acessada fazendo os seguintes passos:

"A série temporal do Banco central é "11753 - Índice da taxa de câmbio real (IPCA) - Jun/1994=100 - dólar americano"

O passo a passo para acessar esta série é:

1) Acessar a área de série temporais do BACEN (http://www.bcb.gov.br/?serietemp)
2) Clicar em "Acesso ao Sistema de Séries temporais"
3) Na página "Início -> Consultar séries -> Localizar séries" clique no tema "Setor externo"
4) Selecione o subtema "Taxas de Câmbio - > Taxas de câmbio reais e efetivas"
5) Selecione "11753 - Índice da taxa de câmbio real (IPCA) - Jun/1994=100 - dólar americano" e clique em "Consultar séries"
6) Indique o periodo desejado e clique em "Visualizar Valores" "


Quando a série está em 100 significa que a taxa está neutra. Quando está abaixo de 100 que o Real está mais valorizado e acima de 100 que está subavaliado. Em períodos de pânico, ou euforia, esse valor vai a 80-75 ou a 120-125 (teve discrepâncias ainda maiores, principalmente antes da eleição do Lula1 e na primeira gestão Dilma).

  Logo, evite comprar quando esse número estiver se afastando de forma acentuada de 100. Compre quando ele estiver perto de 100. Compre com mais intensidade quando ele estiver baixando de 90. Atualmente, como há defasagem na série, creio que este número deve estar chegando em 90, ou seja está abrindo-se uma porta para aportes maiores no exterior.

 Quanto você precisa para investir no exterior? A Rigor pouco. Porém, como uma das perguntas que mais ouço sobre leilão é de quanto se precisa para investir, eu recomendo se alguém quer investir no exterior que tenha um valor razoável acumulado no Brasil.
  
 Por qual motivo? Ora, se o gasto com manter uma conta bancária e numa corretora será de algo em torno de U$300,00, se a pessoa tiver apenas U$10.000,00 investidos ela pagará 3% apenas de taxas de manutenção. Isso é muito. Se só possui isso para enviar, é melhor então abrir conta apenas num banco, evitar as taxas de manutenção, e deixar o dinheiro em algum produto financeiro do banco. 

 Ou, abrir a conta apenas numa corretora e não ter acesso a cartões de crédito ou débito. O ideal é que essas taxas de manutenção não represente mais de 0.5% do seu dinheiro investido lá. Logo, começa a ficar melhor a partir de uns U$ 50.000,00-60.000,00 investidos. Como pretendo ter de 20 a 25 vezes isso investido no exterior, as taxas não serão uma grande preocupação. Porém, se você pretende enviar quantias bem menores, reflita sobre se vale a pena e se não é melhor acumular um pouco mais no Brasil primeiro. 
  

TRIBUTAÇÃO, UMA GRANDE PREOCUPAÇÃO


 Colegas, como se paga pouco tributo sobre investimentos financeiros no Brasil, a tributação não é uma grande preocupação para os investidores brasileiros. Entretanto, a tributação tem que ser uma das principais preocupações de quem investe no exterior.

 Nesse ponto, o Insight mais uma vez do valoroso Frugal foi incrível: invista em produtos que paguem pouco dividendo e de preferência compre produtos financeiros com sede na Irlanda. Obrigado mesmo por essa dica, amigo!

 Por qual motivo a Irlanda? A Irlanda possui um regime de tributação bom para quem é um investidor não-residente. Ela não cobra nenhum tributo. Já os EUA, por exemplo, morde 30% de quem é não-residente. Além do mais, a Irlanda possui um tratado de reciprocidade tributária com os EUA, o que faz com que a tributação seja de 15%.

 “Mas o que tem para se investir na Irlanda, Soul?” Fundos de Investimento é a resposta. A Irlanda é um pólo para fundos de investimentos, milhares de fundos são sediados neste país. 

 Assim, vamos supor que você queira comprar um fundo de investimento, um ETF por exemplo, que represente o índice S&P500 do mercado acionário americano. Você pode por meio da corretora na qual você tem conta comprar um fundo que replica este índice e que seja sediado no EUA.  Se este fundo distribuir dividendos, você será taxado em 30%. A mordida lá é grande. 

 Por outro lado, se você comprar um fundo que tenta replicar o mesmo índice e faz distribuições, você será taxado em 15%, se este fundo for sediado na Irlanda.  Isso ao longo dos anos faz muita diferença, é simplesmente queimar dinheiro comprar um fundo sediado nos EUA, se existe a possibilidade de comprar um fundo semelhante na Irlanda.

 Por este motivo, é importante abrir conta numa corretora que tenha alcance global como a I.B. Quanto menos distribuição tiver melhor, pois menos impostos serão pagos. O ideal é não distribuir nada. 

 Como contraponto, é importante dizer que uma corretora como a I.B. cobra valores distintos para compra de ativos na bolsa americana comparado com a compra de ativos na bolsa de Londres. Sendo assim, é preciso levar isso em consideração também. Eu creio que a economia no longo prazo com impostos mais do que compense pagar um pouco mais em taxas de corretagem para comprar ativos sediados na Irlanda.

 E quando você precisar de dinheiro? Fácil, o governo brasileiro te dá uma mão, e isenta do pagamento de qualquer ganho de capital as vendas de até 35 mil reais por mês. Para venda de ações no Brasil o limite é de R$20 mil por mês, para produtos financeiros no exterior é de R$ 35 mil. Isso dá mais de U$100 mil dólares (na cotação atual), quantia mais do que suficiente para se viver de maneira quase que nababesca em qualquer lugar do mundo. 

 Portanto, o correto planejamento tributário é essencial para se ter maiores retornos em investimentos no exterior.

NO QUE INVESTIR?


 Colegas, eu creio que no exterior a escolha deve ser na aplicação de ETFs. Há fundos desse tipo para tudo que você imagina. Hoje fiquei olhando e há centenas de ETFs, todos sediados na Irlanda, abrangendo estratégias, índices, regiões geográficas, ativos, dos mais variados matizes.

 "Ah, mas eu quero escolher apenas as empresas boas", pode alguém estar pensando.  Fácil. Procure ETFs pela categoria SMART BETA. Há um, por exemplo, que chama-se iShares Edge MSCI USA Quality Factor UCITS ETF. Ou seja, a estratégia do ETF é investir em empresas de qualidade.  

 E o que seria qualidade? É explicada  no objetivo número um desse fundo que é "Exposure to a sub-set of MSCI stocks that have historically experienced strong and stable earnings”, ou seja investir em ações que tenham tido um histórico de lucros fortes e consistentes. Se olhar as companhias que integram esse ETFs são as queridinhas do que gostam desse tipo de investimento (como o colega blogueiro Viver de Dividendos): Apple, BERKSHIRE HATHAWAY INC CLASS B, JOHNSON & JOHNSON, AT&T INC,etc, num total de 125 empresas.


  Sim, você pode ter acesso a uma estratégia que filtra empresas que tiveram lucros fortes e consistentes, diversificado em 125 empresas, comprando um ETF com taxa de administração de 0,2% aa, sediado na Irlanda e que não paga dividendos. Muito bom (informações do fundo aqui).

 Tem de tudo, colegas. Se quiser investir em empresas que se beneficiam com o envelhecimento da população, há ETF para isso. Se quiser investir apenas no mercado chinês, há diversos ETFs. Se quiser investir em títulos de dívida de mercados emergentes asiáticos, há um ETF específico. É um mundo de opções a um clique.

 Com tudo isso à disposição, eu não irei escolher empresas individuais. Comprarei ETFs dos mais variados ativos. Eu acho a estratégia mais prudente, mais sensata, mais simples e que provavelmente dará um retorno razoável no médio-longo prazo sem eu precisar dedicar muito tempo.

 Eu pretendo investir em:

-Mercado Acionário Americano Geral
-Mercado Acionário Americano com foco nas estratégias de valor e tamanho ou valor e momentum
-Mercado Acionário Asiático
-Mercado Acionário de Países Emergentes
-Mercado de Dívida Corporativa países desenvolvidos
-Mercado de Dívida de Governos Emergentes
-Mercado Imobiliário Americano
-Mercado Imobiliário Europeu e Asiático
-Ouro e-ou Prata
- Dinheiro em várias moedas

 Sendo assim, acho que uns 11-12 ETFs vão dar conta do recado, terei um portfólio praticamente abrangendo quase todo o mundo e as principais classes de ativo. Estarei extremamente diversificado e protegido contra qualquer cenário mais sombrio.


 É isso colegas, espero que possa ser útil a alguém esse meu roteiro mental inicial para investir no exterior. Agradeço publicamente aos colegas blogueiros citados por estarem contribuindo para que um assunto que há alguns anos quase não havia nenhuma informação fácil disponível seja mais palatável para quem pensa em investir no exterior.


 Um grande Abraço a todos!

81 comentários:

  1. Sensacional o post. Parabens!

    Recentemente tentei abrir conta no bb americas, mas segundo a funcionaria que me atendeu, há uma nova cobrança de 10 doletas por recebimento de transferencias. Segundo ela, seria para novas contas...


    Nesta caso, depois de ponderar bastante, achei melhor usar o serviço da remessa online, que cobra spread de 1,60% da taxa de cambio comercial. Ainda segundo as minhas contas, o spread do bb para bb americas gira em torno de 1%. Mas, com o custo de manutençao e recebimento, acho q o bb americas serve apenas para quem quer usar cartao fora e tal...

    Essa dica da irlanda tbm é mto boa, mas é sempre bom fazer contas de quanto vc economizaria de imposto vs o maior custo de investir em bolsas da europa. Via de regra, a corretagem da IB é mais cara 4/6 eur/libras e o custo de administraçao dos fundos é maior.
    Para o meu caso, investimentos mensais de 4k de doletas, achei o melhor custo beneficio:
    Remessaonline, conta na ameritrade (sem taxa mensal), etfs da vanguard com custo de adm baixos e que nao tem custo de corretagem.

    Sucesso e obrigado por compartilhar seus estudos!!!

    HJMG

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, HJMG!
      Grato pela informação! Eles começaram a cobrar além dos U$15,00, mais U$10,00 por cada remessa que se faz? Se for isso, começa a ficar não muito competitivo, principalmente se alguém quer fazer remessas parciais como você.

      Muito obrigado pelas informações, baseado no seu comentário dei uma pequena reformulada no artigo, acrescentando mais um tópico e fazendo algumas outras observações.

      Um abraço!

      Excluir
    2. Eu não estou com tanto tempo livre para ler os blogs financeiros como gostaria, mas tive um tempinho aqui e resolver dar uma espiada.

      Que bela surpresa! Obrigado novamente pela citação.

      Um resumo muito bom.

      Vou dar meu pitaco.

      Acho um excesso de economia ficar se preocupando com taxas de 10 dólares. São bancos em geral e corretoras transacionais, ou seja, que ganham nas taxas aplicadas sobre as transações e não no spread de financiamentos.

      Outra é o nível de atendimento. Um gerente de Wells Fargo não vai lhe dar a mesma atenção que o private banker de Luxemburgo. Nem perto.

      Claro, como bem falado, se está se preocupando com taxa de 10 dólares é melhor acumular mais para isso não fazer diferença.

      Acredite, é um preço muito pequeno pela tranquilidade de se ter moeda forte em país de primeiro mundo.

      Abçs!

      Excluir
    3. Olá, I.I. Lembrança mais do que merecida.
      Eu não tenho a menor dúvida, mas será que nós precisamos realmente ser atendido por um gerente de Luxemburgo? Penso por mim, mesmo que eu vou ter uma quantia bem razoável no estrangeiro, assim espero, depois que traçar minha estratégia, não sei se necessitarei uma assistência dessas.
      Isso não quer dizer que eu saiba a mesma coisa que um gerente desses, mas apenas que talvez não seja necessário.

      Agora, realmente, talvez você vai pagar taxas mais salgadas, mas terá outro nível de atendimento, se isso for importante, pode ser uma boa pedida. Há mercado para tudo numa economia aberta e desenvolvida, não é mesmo?

      Abs!

      Excluir
    4. Olá Soul,

      Uma coisa precisa ser dita.

      Tem certas coisas que só se aprende na prática e a experiência de cada um vai direcionar a opinião sobre certas coisas.

      Abçs!

      Excluir
  2. Isso mesmo, Soul.

    Abs,

    HJMG

    ResponderExcluir
  3. Vejo todos falando desse limite de R$35 mil de isenção para vendas no exterior como algo certo. Recentemente tentei achar a norma respectiva no site do Planalto mas não encontrei. Achei a lei dos R$20mi para vendas no Brasil, achei nesta mesma norma uma referência ao número 35 mil para outro tipo de operação, mas nada que se parecesse com esta isenção. Também busquei no site da receita e nada. Você, ou alguém que souber e ler este comentário, poderia indicar a norma que estabelece este limite?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      "2.1 – Para as alienações efetuadas a partir de 16 de junho de 2005, os bens e direitos de pequeno valor passaram a ter os seguintes limites:

      I - R$ 20.000,00, no caso de alienação de ações negociadas no mercado de balcão;

      II - R$ 35.000,00, nos demais casos.

      e) O limite de R$ 35.000,00 aplica-se à de alienação de ações em bolsa no exterior, por residente no Brasil sujeita a apuração de Ganho de Capital em Moeda Estrangeira."

      http://www.receita.fazenda.gov.br/PessoaFisica/IRPF/2014/perguntao/perguntas/pergunta-619.html

      Abs!

      Excluir
    2. Fala Soul!
      Que artigo excelente! Gostei muito!
      Tenho uma dúvida apenas referente à isenção de impostos. No exterior ETFs são isentos tal como ações? Eu lembro que uma vez eu fiquei com vontade de comprar PIBB11, e acabei desistindo justamente por não ter a isenção como ações, contudo trata-se de um etf nacional e não estrangeiro.
      Será que a isenção se aplica? Ou você estava se referindo apenas a ações no exterior?

      Excluir
    3. Boa pergunta, B.Inglório.
      No link disponibilizado, fala expressamente em ações estrangeiras, não em fundos de investimento.
      Entretanto, eu creio que entraria tudo, mas vou tentar ver se consigo achar a resposta.
      Estava me referindo a ETFs também, até porque vou investir em ETFs, mas realmente o site da Receita não deixa claro se poderia se aplicar a fundos ou não.
      Abs!

      Excluir
    4. Acredito que o ETF é considerado uma stock e não um fundo.
      Pelo item e postado pelo Soul acima, não vejo pq não considerar o ETF ali incluso.

      Excluir
    5. Olá, frugal.
      Na verdade, o ETF é um fundo de investimento. Entretanto, ele possui características diversas de um mutual fund, pois ele é negociado como se fosse uma "ação". Perguntei para um amigo meu que investe no exterior e é auditor fiscal da receita federal do Brasil, e ele me disse que a regulamentação não desceu nesse grau de minúcia, mas ele crê que os ETFs estariam abrangidos no limite dos 35 mil, que na verdade é um limite para que a legislação considere a isenção de qualquer ganho de capital (definição de pequeno valor, na Lei há uma definição específica para pequeno valor no mercado acionário nacional, e por isso é um limite diferente).
      Abs!

      Excluir
  4. Só para complementar:
    A lei 11.033 trata do limite de 20 mil no mercado local e a lei 9250 é a lei que fala em 35.000, mas não me parece tratar de vendas de ações no exterior.

    ResponderExcluir
  5. Olá Soul, eu resolvi iniciar os investimentos no exterior seguindo o viverdedividendos com a dupla drivewealth e remessaonline. Infelizmente a Drivewealth não abrange o mercado global, mas no meu caso que queria iniciar mesmo com os eua, serviu. Quem sabe quando meu patrimonio estiver maior eu mude para atingir outros mercados.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, I.I.
      Realmente, se a quantia não vai ser elevada, procure fundos com baixa taxa de administração, corretoras com baixo custo, e siga em frente.
      Abs

      Excluir
  6. No Wells Fargo contas com mais de 3K parados não pagam nada. Só as transferencias é que são caras. Uns 15 dólares se não me engano.
    As melhores ações dos EUA tipo KO, MCD, ABM, BCR e etc tbm pagam pouco dividendo. Eu sou meio pé atrás com fundos pq nunca dá pra ter certeza da estratégia e volta e meia eles se empolgam com derivativos. Acho ações na mão mais seguras.

    Mas o meu foco tbm é diferente. Eu compro mais pra Position Trade tentando fisgar uns 10% ao ano. Pra comprar e guardar talvez o ETF seja melhor mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, STN.
      Fundos como ETFs , principalmente os mais passivos, não tem segredo. Basta olhar o prospecto e qual índice eles tentam seguir. O ETF, dependendo do tracking error, vai se comportar como o setor ou o mercado escolhido.

      Eu quero fazer algo parecido, levando em consideração o CAPE dos mercados que estou investindo. Acho uma boa forma de se ter retornos razoáveis e evitar pagar muito caro.

      Abs!

      obs: 10% aa líquido de imposto em Dólar? Se eu conseguisse isso, poderia viver até em Mônaco:)

      Abraço!

      Excluir
  7. Rapaz, este post entrou para História, junto com aquela série sobre fiis. Fantástico.

    Muitos brasileiros reclamam daaqui, mas se esquecem de falar que os dividendos são garfados pelo maravilhoso governo americano.

    Outra coisa lega, é o fato de o camarada vender 35 e não precisar pagar nada.

    Infelizmente, muitos representantes da nossa classe média têm complexo de vira-lata, acham que o mundo todo é ótimo e aqui somos o atraso total.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      Sim, a tributação de investimentos que geram muita renda e de ganhos de capital no curto prazo é pesada por lá.
      A Vantagem é se você tem um social security você pode ter contas em instrumentos que postergam o pagamento de tributos. Dependendo da sua faixa de renda, a mordida nos dividendos também é menor. Agora, dependendo da sua renda, os dividendos podem ser taxados a mais de 40%. Receber dividendos tendo dezenas de milhões investidos sem pagar qualquer tributação é uma vantagem tributária difícil de encontrar em qualquer outro lugar do mundo.

      Essa isenção de 420 mil anuais é bem razoável mesmo.

      Abs

      Excluir
    2. Os americanos tributam os dividendos, mas antes desse dinheiro virar dividendo ele é menos tributado que no Brasil.

      Isenção de imposto nos dividendos brasileiros é uma "ilusão", já que a tributação acontece antes.

      Outra é que tem uma porção de empresas americanas que aumenta os dividendos todo ano. Aqui acho que só os bancos fazem isso. Então o "yield on cost" acaba sendo maior.

      Lembrando também que os 30% são para não-residentes de países sem acordo de bitributação com os EUA. Nosso acordo é de compensação. Canadenses e britânicos com contas lá pagam menos por exemplo.

      Abçs!

      Excluir
    3. Olá, I.I.
      Eu acho isso indiferente para o investidor. Se para economia tem impacto, para o investidor não.
      O Fato de haver mais tributação antes da distribuição é algo equacionado pelo Yield, não concorda?
      Mesmo que você estivesse certo (e tenho minhas dúvidas, pois a tributação direta no Brasil sobre o lucro empresarial ainda possuem um redutor que é o Juros sobre capital próprio e a tributação indireta é passada para o consumidor), não concorda que isso se ajusta no preço do ativo?

      O yield de uma boa ação no Brasil deveria ser menor do que o yield de uma boa ação nos EUA (partindo do pressuposto que os payouts são idênticos). Como investidor o que importa é quanto vou receber em retorno, e o simples fato é que os dividendos sendo tributados diminui o seu retorno.

      É verdade, nós temos acordo de compensação com os EUA, o que é alguma coisa, mas é pouco. Por isso, é uma boa ideia comprar fundos sediados na Irlanda e aproveitar o acordo que a Irlanda tem com os EUA.

      Abraço e obrigado pelas suas contribuições para a blogosfera nesse tema!

      Excluir
  8. Soul, esse post foi nota dez, informativo, prático, bem escrito.


    Por favor, evite contato com esse pessoal da Escola Austríaca, não dá para levar a sério esse povo. No fundo são uns sonegadores que querem enganar todo mundo.

    Se o indivíduo quer pagar pouco imposto, então que vá morar num paraíso fiscal. Ilhas Cayman e outros estão aí.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      Muitas ideias boas da Escola Austríaca e do IMB. Aprendi bastante por lá e me fez questionar algumas ideias outrora arraigadas.
      Tributos é um assunto polêmico:)
      Abs

      Excluir
    2. Seguindo sua sugestão, aceito uma passagem só de ida pra Suíça.

      Excluir
    3. Colega, a Suíça é um país lindíssimo, mas o país caro.
      Talvez morar alguns meses, mas morar vários anos não sei se eu gostaria de morar lá não.
      E a Tributação na Suíça é pesada também, não tem moleza.

      Abs

      Excluir
    4. Se você avaliar todos os grandes países há 100 anos atrás verá que todos se enquadrariam hoje na categoria "paraíso fiscal".

      Não sei dizer exatamente em que momento a "chave mental" virou e muitas pessoas começaram a achar que ser roubado insistentemente pelo governo é bom.

      Abçs!

      Excluir
    5. Olá, I.I.
      Essa é simples, amigo. Olhe qual era a expectativa de vida em 1900, algo em torno de 30 anos.
      Olhe o tamanho das população humana, acho que atingiu 1Bi por essa época.
      O Fato é que hoje vivemos muito mais, temos agrupamentos humanos maiores e mais complexo, e fica difícil comparar aquela época com hoje nesse aspecto.
      Isso não quer dizer que o Estado deve prover necessariamente Educação e Saúde ( o que eleva consideravelmente a tributação), por exemplo, mas é apenas um aspecto para ser levado em conta.

      Abs

      Excluir
  9. Boa postagem Soul, certamente será um fonte de consultas caso eu venha a iniciar investimentos no exterior. Por enquanto mantenho apenas uma conta no Wells Fargo como proteção cambial de parte do patrimônio, sem investimentos.

    Eu fiz uma postagem relatando minha experiência na abertura de conta no Wells Fargo nos EUA. Caso tenha $ 1500 de saldo médio por mês fica isento de taxa de manutenção.

    Acredito que possa ajudar seus leitores tb. Segue o link:

    http://economicamenteincorreto.blogspot.com.br/2014/12/abertura-de-conta-corrente-nos-estados.html

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, EI.
      Com certeza ajudará. Eu mesmo li ontem esse artigo seu.
      É uma boa opção se a pessoa não tiver muito dinheiro investido fora.
      O único porém é que a abertura de conta tem que ser presencial não?
      Abs

      Excluir
  10. Soul,

    Boa! Eu estou estudando o mercado americano ... IB pra mim é demais ... começar com uma mais barata, com aporte menor ... mas realmente ...a ideia de ter investimentos fora ... e ficar imune a esse governo doido .. é excelente ...

    Abs,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imune nós nunca iremos ficar. Mesmo que todo nosso dinheiro esteja fora, mesmo que não sejamos mais residentes, sempre, nós que já somos adultos e vividos, teremos familiares, amigos, lembranças, sendo assim sempre estaremos conectados com essa terra.
      Porém, um pouco de proteção é bem salutar mesmo.
      Abs

      Excluir
  11. Soul, faça logo a série sobre os leilões de imóveis

    ResponderExcluir
  12. Soul,

    Abri uma conta da Alemanha e conta na corretora DeGiro. Sem custos, veja no blog:

    http://cabecadebogle.blogspot.com.br/2017/02/nova-jornada-no-exterior.html

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Massa hein!
      Legal mesmo, vou dar uma olhada com mais calma nessa corretora De Giro, e se certificou que esse banco é de confiança?
      Abs

      Excluir
    2. A conta do banco N26 tem proteção regulatória na Alemanha para depósitos de até €100.000,00. Já estão operando em 17 países.

      Excluir
    3. E a corretora De Giro, você chegou a ver se ela tem todas as certificações, principalmente no que tange a custódia de títulos? Aliás, já viu como funciona a custódia de títulos na Holanda?

      Excluir
    4. A Holanda é um sólido centro financeiro a séculos. A DeGiro tem proteção regulatória de €20.000,00. A custódia é mantida em separado, veja os detalhes:

      https://www.degiro.co.uk/about-degiro/safe-and-reliable.html

      Excluir
    5. Olá, colega. Sim, o conceito de ações surgiu lá, tenho conhecimento como a Holanda foi sempre um centro respeitado financeiro. Porém, nenhuma informação desse tipo é demais, não é mesmo?
      Vou dar uma olhada, e mais uma vez obrigado pela muito boa contribuição!
      Abs

      Excluir
    6. Sem dúvida, toda troca de informações sobre os prós e os contras da DeGiro são importantes. Como a curto prazo não passarei do limite de proteção regulatório, estou tranquilo.

      No fórum do Blogheads alguns estão comprando ativos na DeGiro e depois transferindo a custódia para a corretora Lynx - também na Holanda - que é mais antiga e estabelecida, e não cobra nada de custódia.

      Excluir
  13. Muito bom post, Soul. Parabéns!

    Estou operando pela BiG, banco de investimentos de Portugal. Serve tanto como banco quanto como corretora:

    https://www.big.pt/AbrirConta/AberturaDeContas/Aderir/NaoResidente?expired=False

    Estou comprando PMSW na bolsa de Lisboa (Euronext). Pago 6 euro por trimestre de custódia, 7 euro por operação e 7,5 euro de anuidade pelo cartão de débito. Por enquanto é a opção mais em conta.

    Estou pensando em mitigar o risco Portugal com uma conta em Luxemburgo. Mas isso vai ficar um pouco mais pra frente.

    Abraços,

    IOTR

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      7 euros por ordem não é tão caro, ainda mais que a custódia é de 2 euros por mês. Uma anuidade de 7,5 euros por um cartão de débito está ok também.
      O problema é que esse cartão deles não é global né? E como faço se estiver na Mongólia novamente:) ?

      Esse ETF listado por você é interessante. Sediado em Luxemburgo (a estrutura fiscal para NRA é parecido com a Irlanda?) né?
      Um bom ETF para se ter exposição global ao mercado acionário. Boa taxa de 0,2%, sem distribuição.

      O P-E está um pouco alto em 22, mas deve ser por causa dos EUA que tem um peso de 60%.

      Uma boa alternativa, obrigado por compartilhar!

      Abraço!

      Excluir
    2. O cartão é Mastercard, nunca usei fora da UE mas imagino que funcione normalmente. Vou investigar e te aviso.

      Isso mesmo, a estrutura fiscal é bem similar à irlandesa. O PMSW está na máxima histórica das últimas 52 semanas e na semana que vem devo fazer um aporte grande em EUR. Grandes decisões à frente. :)

      Aproveito para agradecer também pela dica de série histórica do BACEN, vai me ajudar muito!

      Abraços,

      IOTR

      Excluir
  14. caro soulsurfer, parabéns pelo excelente artigo.
    se puder, gostaria de esclarecer umas dúvidas sobre a IB:
    - é possível, como ocorre no Brasil, abrir a conta sem depositar dinheiro?
    - caso seja possível, há alguma taxa que incida somente por manter a conta aberta?
    obrigado e um forte abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rodrigo!
      Rapaz, eu ainda não abri conta no exterior, se você perguntar no site do frugal ele terá respostas mais concretas:)

      - A primeira, eu acho que não, há a necessidade de um depósito mínimo de U$10.000,00

      - Eles cobram uma taxa mínima de U$10,00 de manutenção.

      Abs!

      Excluir
    2. Opa Rodrigo, eu abri assim:

      Depositei 12k dolares na minha conta BB americas pra abrir ela.
      Tirei 10k dessa conta e mandei pra IB.

      Ficou 2k no cartão de crédito do BBA (é como se fosse pré pago).
      E os 10k da IB já viraram quase 11k com a valorização dos ativos que comprei.

      A taxa de 10 dolares mensais, se vc fizer alguma compra de ativos eles são cobrados de dentro dessa taxa e não a mais.

      A IB tem 28 anos no mercado e tem até capital aberto. Procurei uma corretora sólida para abrir conta.

      Abraço!

      Excluir
    3. Frugal, você que comprou ativos sediados na Irlanda, confirma que a taxa de ordem foi superior aos U$1,00?

      Excluir
    4. opa Soul, eu acho que foi sim, mas nao me lembro quanto foi, da próxima vez que fizer vou olhar. A bolsa mais cara se não me engano é a da Suiça, a de Londres não é tão cara assim.

      Excluir
    5. Com relacao à IB, tem um waiver da custodia para contas acima de 100k dolares:

      The first three full calendar months 10

      or

      Accounts whose Net Liquidation Value >= USD 100,000 (or non-USD equivalent)

      Excluir
  15. Excelente Soul! Quanto mais informação, melhor.

    Minha conta é no BB Miami e abri por conta do trabalho, so far, não estão me cobrando pois estou movimentando a conta então meus custos estão sendo somente com o IB.

    Quanto ao câmbio, você tem duas opções: enviar fazendo a conversão no momento ou enviar fazendo a conversão quando o dinheiro "chegar" lá. Quando você faz a conversão na hora você pega um dólar muito mais caro na compra é muito mais barato na venda, ou seja, é ruim nas duas pontas mas não paga taxa nem iof então está estratégia é boa para enviar ou receber pequenas quantias, já a segunda opção você quase não tem spread, fica entre 2 a 3 centavos a diferença no entanto você paga 40 Trumps de taxa mais iof, está estratégia é boa para grandes quantias pois às vezes você pode ter 10 centavos de diferença entre uma e outra é para cada 10k Trumps, 10 centavos é 1k Temers.

    Quanto à quantia a ser mantida no exterior, estou considerando deixar 30 a 35% mas já vi que vou me empolgar é deixar talvez mais. O cálculo que fiz foi ver quanto precisaria de dinheiro no Brasil acrescido de 30% e deixo aplicado para render este valor é o restante mando pra fora.

    Vou escrever sobre uns ETF de boas ações que pagam dividendos.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega!
      Grato pela informação sobre o envio! Não sabia que havia essa diferença, e é uma grande diferença.
      Escreva sim, quanto mais material a respeito melhor, como você mesmo disse.
      Abs!

      Excluir
    2. Soul esqueci de comentar, eu fazia esse cálculo do dólar na ponta do lápis kkkkk. Não sabia que dava pra ver no site do Banco Central. vou dar um pulo lá pra conferir!

      Excluir
  16. Soul, há bastante tempo reconheci a importância de ter investimentos no exterior e desde então tenho tentado fechar um racional sobre minimizar custos e IR. Seu guia prático definitivamente me ajudou, obrigado :-)

    Falando em custos, também há bastante tempo tenho tentado fechar um esquema em que não seja necessária uma conta corrente no exterior. A Transferwise é uma empresa que permite remessas entre diferentes países e parece uma boa alternativa para funding, sem custos mensais. Para sacar e utilizar a grana, Neteller é um cartão de crédito pré-pago. Aparentemente, o I.B. permite saques para Third Party e acho que se encaixa nesse esquema. Vc acha que isso funciona?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      Eu não sei, como disse, esse meu roteiro mental é o que acho que vou seguir nas minhas aplicações internacionais (que ainda não tenho).

      Eu não saberia dizer, você poderia explicar melhor como poderia funcionar esses cartão de crédito pré-pago e esse saque para uma terceira parte sem você ter uma conta bancária no exterior?

      Abs!

      Excluir
  17. Soul, investir em ivvb11 não seria uma boa opção para quem tem poucos recursos e quer investir internacionalmente? Quanto à tributação, aqui se paga 15% sobre o ganho de capital. E lá fora?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Julato!
      Esse é o que segue o S&P500 não?
      Sem dúvidas que é um começo. O único porém é estar apenas restrito a este índice do mercado acionário americano, e também o fato de que no atual momento ele demonstra um grau de precificação razoavelmente elevado.

      Lá fora, os dividendos são tributados em 30%. O ganho de capital eu sei que nos EUA eles diferenciam entre de curto prazo (menos de doze meses) ou não.

      No Brasil, você será tributado em 15%, nos EUA eu não tenho certeza como funciona os ganhos de capital para NRA.

      Abraço!

      Excluir
  18. Prezado Soul, excelente post! Objetivo e muito claro. Mas fico com a seguinte dúvida: num momento de crise no Brasil, com inflação disparando, esse limite de 35k de isenção não vai significar nada. E, na crise, a atualização monetária desse limite não estará entre as prioridades públicas. Isso fura a estratégia de diversificação internacional, ao menos para os que pretendem continuar a viver no Brasil, com crise e tudo? Ou haveria outras possibilidades? Obrigado e parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você tem investimentos no exterior muito provavelmente tem bastante no Brasil também, deste modo você tem 20k de isenção no Brasil e 35k de isenção no exterior. 55k dá pra pagar umas contas por mês né?! kkkkk

      Abraço!

      Excluir
    2. Colega,
      É verdade, num surto inflacionário, esse limite seria corroído. Não precisa nem de surto inflacionário, com uma inflação de 4.5% aa em 25 anos esse limite não seria grande em termos reais. Porém, vai saber o que pode acontecer com a inflação, esse limite, ou qualquer outra coisa no nosso país. Talvez o limite seja aumentado, talvez essa isenção deixe de existir, isso não é possível saber.
      Recomendo que não se preocupe com isso, não vale a pena.

      Abs!

      Excluir
  19. Olá Soul,

    gosto bastante do teu blog, porém acho q ainda nao tinha feito comentarios

    mais um ótimo post!

    Tenho conta no BB Americas e o spread de envio é pequeno em relaçao a outras opçoes. Algum colega acima disse q p/ novas contas estao taxando o envio, acho.
    Em relaçao à custodia, com US 10k investidos, vc fica isento... ou seja, de certa forma vc tem um retorno de 3,4% ao ano em dolar rsrsr (1,6% aa da aplicaçao e 1,8% da economia da custodia mensal)

    Abri conta no BB p/ fazer remessas p/ a IB, mas só agora acho q vou mandar sistematicamente, baseado na paridade do poder de compra... aquele artigo do mises e vc msm ja tinha feito um post tb
    hj a paridade encontra-se perto de 3,35 real/dolar

    mas queria comentar uma coisa Tb... do mesmo jeito q temos nossa paridade, uma coisa q penso ser interessante seria estudar a paridade das demais moedas com o dolar

    veja este link

    http://empiricusimagens.s3.amazonaws.com/2017/02/m5m-010217-1.png

    por este gráfico, creio, no momento, ser interessante um investimento em GBP (e talvez euro, mas será q o euro vai continuar a existir??)

    Além disso, penso q o investimento em açoes/etf de mercado americano podem nao ser tao bons no momento, face ao valuation deles

    sendo assim, penso eu começar as remessas p/ a IB e comprar ETFs baseados na Irlanda, mas de GBP (stocks) e, talvez, ETF de europa
    tipo este:
    https://www.blackrock.com/uk/individual/products/253716/ishares-ftse-100-ucits-etf-acc-fund

    outra coisa q estive lendo, parece q o baixo nível de impostos da Irlanda poderia estar contribuindo p/ bons resultados empresariais... ai achei um ETF EIRL, no entanto, ele é concentrado em poucas empresas e tem taxa alta (0.49% aa), mas tem um P/L de 18 e uma distribuiçao de 1% (nao acumula aparentemente)
    https://www.ishares.com/us/products/239662/ishares-msci-ireland-capped-etf
    outro ponto a se pensar é sobre a possibilidade de investimentos visando um golden VISA...
    na Irlanda requerem 500k de euros investidos em ativos de lá, se nao me falha a memoria.... não sei se esse ETF e outros ETFs de empresas irlandesas serviriam p/ uma eventual tentativa de adquirir um visa...
    ou pensar assim p/ algum outro país
    exemplo... 500k euros em portugal, mas ai a concentraçao em 1 pais só é q é o problema
    ETF: PGAL... https://www.globalxfunds.com/funds/pgal/

    Enfim, várias coisas a se pensar em investimentos no exterior
    Abraços,
    JP

    ResponderExcluir
  20. Olá Soul. Sempre acompanho seu blog. Mais um belo post!

    A propósito, apoio a diversificação além das fronteiras nacionais. Acredito que já seja pacificada a discussão sobre a importância da internacionalização do portfólio.

    Em relação a este assunto, em agosto de 2015 traduzi um paper do Aswath Damodaran chamado ‘Country Risk: Determinants, Measures and Implications’. Ele abordou, explicou, mensurou e mapeou as três formas de riscos encontradas pelos investidores na hora de diversificar internacionalmente a carteira: Risco Econômico, Político e Legal.

    a) Econômico: Histórico de Nível de Desenvolvimento e Concentração Econômica;

    b) Político: Mudanças Contínuas e Descontínuas, Corrupção e Custos Secundários, Violência Física, Risco de Nacionalização/Expropriação;

    c) Legal: Proteção a Propriedade Privada e Sistemas Jurídicos Confiáveis

    Vou disponibilizar o link abaixo caso você tenha interesse em dar uma lida. Abs!

    https://termosreais.wordpress.com/2015/08/17/riscos-economico-politico-e-legal/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega!
      Grato pelo link! A disponibilização de material do professor Damodaran para o público brasileiro é algo de extrema valia.
      Vou olhar sim,
      Um grande abraço!

      Excluir
    2. É bem isso mesmo.

      O Damodaran conseguiu separar as classes de risco. Eu falo delas, mas não tão separado.

      Vou dar uma lida.

      Valeu!

      Excluir
  21. Grande Soul, valeu pela referência.
    Me sinto bem mais em paz com essas duas contas no exterior.
    Os eternos problemas brasileiros me doem menos cada vez mais.
    Ter ativos em outros lugares do mundo dá paz.

    Para o pessoal que quer também buscar essa estratégia de investir na Irlanda eu recomendo irem na página da iShares UK e também na página da Vanguard UK. Lá vocês podem ver as listas de ETF, renda fixa e reits que tem por lá.

    Esses custos de U$25 mensais, basicamente é o preço de uma pizza aqui no Brasil, ou de uma ida a um barzinho com os amigos.

    Tem que ver que a gente não paga um custo, a gente paga um serviço de investimento extremamente seguro, simples e que serve para nossa proteção patrimonial e cambial.

    Outra coisa importante Soul, os ativos custodiados na Irlanda não serão mordidos em 40% de IR no caso de nossa morte (os dos EUA são) e a gente também pode doar nossos ativos em vida sem pagar o IR caso sejam sediados na Irlanda.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Frugal!
      Informação de qualidade deve ser compartida e referenciada:)

      Sim, esqueci de dizer, mas olhar as listas da Ishares e da Vanguard uma boa. Eu, inclusive, fiquei algumas horas fazendo apenas isso na Ishares, quer ver se passo o olho nos 254 ETFs que eles oferecem lá, fazer uma pré-seleção do que me interessa (talvez uns 20-30) e estudar com mais vagar.

      É verdade, Frugal, mas se podemos diminuir os custos, desde que em instituições sólidas, por que não tentar? Essa corretora de De Giro parece interessante também. Mas, para certos valores alocados, U$ 25,00 ao mês também não é nenhuma grande taxa.

      Eu li rapidamente que não tributação de herança para NRA na Irlanda, o que é algo bem interessante também.

      Abs!

      Excluir
    2. Soul, li em vários posts diferentes sobre a De Giro no bogleheads.org e ainda tem muita gente que ainda não considera ela tão confiável no mercado assim. Se tiver tempo passa por lá e procure postagens por De Giro que você encontra alguém falando sobre ela.

      Talvez seja prudente aguardar ela se consolidar um pouco mais no mercado.

      Excluir
    3. Opa Amigo, aqui vai:

      https://www.bogleheads.org/wiki/Nonresident_alien_with_no_US_tax_treaty_%26_Irish_ETFs

      Excluir
    4. Olha só esse link aqui tb Soul, e destaco ainda:
      https://www.bogleheads.org/wiki/Nonresident_alien_with_no_US_tax_treaty_%26_Irish_ETFs

      "A few reasons for preferring Ireland-domiciled ETFs over US-domiciled ETFs:

      Ireland-domiciled ETFs can benefit from the US-Ireland tax treaty rate of 15% on dividends and 0% on interest paid to Irish corporations, [1] instead of 30% for non-treaty NRAs.
      Double tax withholding for US-domiciled ETFs holding foreign securities.

      The US-domiciled ETF pays withholding to international governments, then the US levies 30% off of the remaining distributed dividends.

      Complex and Constantly changing US tax laws Affecting NRAs . Leave it to iShares and Vanguard Dublin to deal with those.

      Non-residents are not liable to Irish gift tax or inheritance tax. [2] [3] Availability of accumulating funds .

      We, NRA DO NOT PAY SUCCESSION TAX if we invest in ETFs based in Ireland. Excellent positive point.

      Investing in the US gets 40% tax. Source 2 and 3 is this reference to inheritance tax or even donation (I imagine you can give these actions to a child) are here:

      Excluir
    5. Sobre taxação e herança na Irlanda:

      http://www.algoodbody.ie/media/InFocus-Taxation-Irish-regulated-funds1.pdf

      Excluir
  22. Olá soul,

    Acompanho seu blog faz um tempo. Vou mostrar o meu caso: uso o BBAmericas e IB. Deixo 10 mil dólares lá, no money market e no CD local. Isto me isenta da tarifa mensal e diversifica meus investimentos (acho que se esquecem disto quando analisam, apesar de pagar pouco). Em breve viajarei para os EUA e ela também funcionará como conta para pagamentos locais. Quando transfiro dinheiro do Brasil para lá (minha conta é no BB), pago apenas o IOF de 0,38% e considero a taxa de câmbio boa.
    Para enviar dinheiro do BBAmericas para a IB, faço um ACH iniciado pela IB para a conta do BBAmericas. Não paga transferência. No site do IB, há esta opção. Lá no IB é exatamente como falou. São 10 dólares mensais, mas caso haja corretagem, é descontado desta taxa.
    Para compra de ETF na Irlanda em dólar, a taxa de corretagem é de 5 dólares.
    Das corretoras que analisei, foi a que mais me interessou, pois havia a abrangência territorial grande, facilitando a diversificação geográfica. Apesar do ETF facilitar (tenho vários), gosto também de ter algumas empresas, em alguns locais do mundo. Exemplo: vou no supermercado e grande parte dos produtos vendidos podem ser resumidos em poucas empresas (Unilever, P&G, Coca-cola, Nestlé, etc.). Gosto de tê-las em carteira, na bolsa de seu país de origem.
    Também há na minha carteira, ETFs de Commodities e de títulos públicos, com prazos variados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, An.
      Grato pelo comentário, colega. Muito bom mesmo.
      Sim, é verdade, se pode deixar na conta do BB em títulos de curtíssima duração, isenta a taxa de 15,00 (ou 180 dólares ano, o que equivale a 1.8%aa de economia sobre os U$10.000,00) mais algo em torno de 1%aa (o que vai incidir tributação), não deixa de ser uma possibilidade também. Como foi falou serve como diversificação e caixa.

      Obrigado mais uma vez pelo relato.

      Abs

      Excluir
  23. É o tipo de artigo pra você dar uma parada, marcar no favorito e ler com calma depois. Informações valiosas! Obrigado soulsurfer!

    ResponderExcluir
  24. Olá Soul, tinha postado um comentário no sábado, mas nao sei se errei alguma coisa ao enviar e nao apareceu... entao vou postar de novo

    ..........

    Olá Soul, gosto bastante do teu blog, porém acho q ainda nao tinha feito comentarios mais um ótimo post!
    Tenho conta no BB Americas e o spread de envio é pequeno em relaçao a outras opçoes. Algum colega acima disse q p/ novas contas estao taxando o envio, acho. Em relaçao à custodia no BBA, com US 10k investidos, vc fica isento… ou seja, de certa forma vc tem um retorno de 3,4% ao ano em dolar rsrsr (1,6% aa da aplicaçao e 1,8% da economia da custodia mensal) Abri conta no BB p/ fazer remessas p/ a IB, mas só agora acho q vou mandar sistematicamente, baseado na paridade do poder de compra… aquele artigo do mises e vc msm ja tinha feito um post tb...hj a paridade encontra-se perto de 3,35 real/dolar

    queria comentar uma coisa Tb… do mesmo jeito q temos nossa paridade, uma coisa q penso ser interessante seria estudar a paridade das demais moedas com o dolar
    veja este link http://empiricusimagens.s3.amazonaws.com/2017/02/m5m-010217-1.png
    por este gráfico, creio, no momento, ser interessante um investimento em GBP (e talvez euro, mas será q o euro vai continuar a existir??)
    Além disso, penso q o investimento em açoes/etf de mercado americano podem nao ser tao bons no momento, face ao valuation deles, sendo assim, penso em começar as remessas p/ a IB e comprar ETFs baseados na Irlanda, mas de GBP (stocks) e, talvez, ETF de europa tipo este: https://www.blackrock.com/uk/individual/products/253716/ishares-ftse-100-ucits-etf-acc-fund
    outra coisa q estive lendo, parece q o baixo nível de impostos da Irlanda poderia estar contribuindo p/ bons resultados empresariais…
    ai achei um ETF EIRL, no entanto, ele é concentrado em poucas empresas e tem taxa alta (0.49% aa), mas tem um P/L de 18 e uma distribuiçao de 1% (nao acumula aparentemente) https://www.ishares.com/us/products/239662/ishares-msci-ireland-capped-etf

    outro ponto a se pensar é sobre a possibilidade de investimentos visando um golden VISA…
    na Irlanda requerem 1M de euros investidos em ativos de lá (2017)…. não sei se esse ETF e outros ETFs de empresas irlandesas serviriam p/ uma eventual tentativa de adquirir um visa…
    ou pensar assim p/ algum outro país
    exemplo,.. 500k euros em portugal, mas ai a concentraçao em 1 pais só é q é o problema
    PGAL… https://www.globalxfunds.com/funds/pgal/

    Enfim, várias coisas a se pensar em investimentos no exterior Abraços, JP

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega! Grato pelo comentário:)
      Claro, você pode fazer essa análise entre todas as moedas, um universo se abre. Para mim é um universo muito grande:)
      Eu creio que o valuation dos EUA está esticado mesmo, isso implica em retornos potenciais menores para o futuro, por isso também quero evitar montar minhas posições em ativos americanos, aguardarei um tempo.

      Um baixo nível de tributos não tenho a menor dúvida que estimula a economia, a tributação deve ser inteligente e eficaz. Não creio que podemos ter tributações zero ou 5-8% do PIB (essa é apenas a minha opinião apenas), mas podemos ter sistemas muito mais funcionais sem dúvida alguma.

      Eu quero comprar vários ETFs que possuem taxas altas como 0,6-0,7%, se quiser investir na Ásia e em países emergentes é difícil achar ETFs com taxas baixíssimas.

      Nos EUA, dinheiro investido não dá direito a visto de investidor, se fosse isso, tiraria esse ano. Agora, ter em mente um bom dinheiro investido no exterior para ter a possibilidade de tirar um visto de investidor um objetivo bom, é o que quero fazer.

      Abs!

      Excluir
    2. Soul, sou o an de 13/02 09:20. Tenho em meu portfólio um ETF do mercado asiático (Pacífico, para ser preciso), ex-Japão, com taxa de administração de 0,2% é baseado na Irlanda, cotado em dólar.
      https://www.ishares.com/uk/individual/en/products/253735/ishares-msci-pacific-ex-japan-ucits-etf-acc-fund


      Excluir
    3. Sim, colega. Eu provavelmente irei investir no CPXJ. Porém, ele não abrange os mercados emergentes da região. O ETF tem um peso de 60% Austrália, 30% H.Kong (que é uma região administrativa autônoma da China) e 10% em Cingapura (que é uma "cidade-estado"). Não tenho dúvidas que é um bom ETF, porém se quiser exposição a Tailândia, Indonésia, Filipinas, Malásia, etc, os ETFs possuem uma taxa de adm maior.

      Um abraço!

      Excluir
  25. a questao do isenção de impostos para nao residentes eh complexa nos estados unidos.

    ah alguns anos por exemplo invisto em bond ETFs da Pimco (BOND; CORP, ambos Nysearca) e eles depositam seus dividendos mensais na minha conta da IB sem a mordida dos 30% do tio sam. Até hoje nao entendo o pq disso. ja mandei email pra pimco diversas vezes e eles nunca respondem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Clerton. Curioso, pois os BONDs são os instrumentos mais ineficientes do ponto de vista tributário para NRA como nós investir nos EUA.
      Não saberia o motivo, mas de qualquer forma, você tem que pagar o IR de renda sobre esses dividendos aqui no Brasil.
      Um abraço

      Excluir
  26. Excelente Soul, daqui uns 10 anos começo nesse mercado! rsrs

    abs

    ResponderExcluir
  27. Estive nos EUA recentemente e abri uma conta no Wells Fargo. Se mantiver 1.500 dólares na checking account, não há cobrança de tarifas. É tudo muito rápido e fácil. Basta levar o passaporte. Saí de lá depois de 30 minutos com cartão de débito provisório e em seguida já consegui fazer compras. Todo mês tem que haver movimentação da conta, então, caso vc não tenha feito, fazem uma transferência de 25 dólares para a savings account. Depois vc pode fazer a transferência de volta para a checking. Já tenho conta na drive wealth e agora abrirei na interactive brokers. Vou fazer transferência de dinheiro pelo Remessa Online. Valeu pelas dicas, Soul! Quando puder, nos atualize sobre o andamento dos seus investimentos offshore. Abraço!

    ResponderExcluir