sexta-feira, 9 de março de 2018

480 HORAS: O SEU "ATIVO" MAIS VALIOSO


            Como anda o seu dia, prezado leitor? Com bastante tempo para realizar as atividades que deseja? Ou está faltando horas no seu dia?  Creio que uma parcela significativa das pessoas diria que está faltando tempo, e por causa disso muitas atividades que seriam desejáveis não podem ser feitas. Está encurtado e precisa alongar? “Seria ótimo, mas não tenho tempo.” Alimenta-se de forma inapropriada, que tal aprender a cozinhar comida de verdade? “Seria incrível, mas sem chance, não tenho tempo”. E aprender mais sobre outra área do conhecimento, não seria excelente? “Sem chance, não tenho tempo nem para fazer o meu trabalho direito, quanto mais aprender algo que não tem qualquer relação com a minha vida do dia a dia!”.

           Tempo. De quanto tempo nós dispomos? Essa é uma questão que pode ser respondida por um ângulo biológico ou sobre uma perspectiva filosófica. Porém, façamos algo mais simples. Quanto tempo um indivíduo possui no mês? Para responder a essa pergunta, precisa-se definir uma unidade de tempo. Creio que segundos e minutos são unidades de tempo não compatíveis para um melhor entendimento num prazo como mês, por outro lado dias e semanas talvez sejam unidades alargadas demais. Horas. Essa parece ser uma boa unidade.

          Sendo assim, você, eu, Obama, Trump, Neymar, temos 720 horas em média a nosso disposição todos os meses em que estamos vivos (mais quando o mês tem 31 dias, menos quando tem menos de 30 dias). Ótimo. O sono é talvez, junto com dieta e exercícios, um dos componentes mais importantes para a saúde física e mental de uma pessoa. Durma de maneira incorreta, diminua a sua melatonina, e você provavelmente não terá um sono reparador que é importante para inúmeros processos fisiológicos. Por outro lado, durma bem, e você provavelmente estará muito bem disposto nas horas acordado.  A quantidade dormida não é necessariamente determinante para uma boa noite de sono, muitas pessoas não sabem disso. Dormir oito horas de forma errônea provavelmente não será tão reparador como dormir sete horas de forma apropriada. Assim, a qualidade importa e muito. Porém, a média que uma pessoa necessita para ter efeitos reparadores de descanso é algo em torno de oito horas por dia. Algumas pessoas conseguem com menos, como sete horas, e outros ainda com bem menos como seis horas. Porém, a média, é algo em torno de oito horas.

        Por qual motivo essa discussão sobre sono e horas é importante para o texto? Pois das 720 horas que qualquer ser humano possui  num mês, a maioria de nós precisa dedicar algo em torno de 240 horas mensais de sono para que nosso corpo faça processos fisiológicos que são essenciais para a nossa saúde. Portanto, um ser humano na verdade possui 480 horas por mês de forma diríamos “ativa”.  Nessas 480 horas, você terá que fazer escolhas como melhor utilizar o seu tempo. Nessas 480 horas, você precisa tomar banho, fazer necessidades fisiológicas, comer, fazer sexo, brincar com seus filhos, trabalhar, estudar, ver filmes, viajar, brigar com estranhos, conversar com amigos, ter romance com seu parceiro, ler livros, e qualquer outra atividade que você possa imaginar.

              Essas 480 horas são o seu bem mais precioso. Se você está com uma saúde ótima, você pode fazer inúmeras atividades com essas 480 horas. Toda diversão, tristeza, alegria, decepção, excitação, contentamento, estão nessas 480 horas. Se você não está tão bem de saúde, essas 480 horas não podem ser traduzidas em tantas experiências, pois infelizmente o seu corpo não está apto a vivenciar de forma tão intensa essas 480 horas.  Não é à toa que pessoas de mais idade, ou com sérios problemas de saúde, com grande quantidade dinheiro acumulado falam que trocariam num piscar de olhos suas fortunas pela possibilidade de vivenciar essas 480 horas com plena intensidade.

         As 480 horas são o seu bem mais precioso, prezado leitor.  Cada pessoa é diferente uma da outra. Eu, por exemplo, gosto de surfar e ler livros. Outro pode gostar de pescar e desenvolver games. A variedade de experiências que podemos ter é ampla. Porém, por mais diferentes que possamos ser, nossas experiências devem estar nessas 480 horas, não importa se você é um leitor de blogs de finanças pessoas que se interessa por Fundos Imobiliários ou se você nasceu numa pequena província no interior de Uganda.

          Sendo assim, uma das questões mais prementes e importantes em nossas vidas deveria ser “como podemos maximizar e otimizar essas 480 horas que temos?”  ou “como extrair a maior quantidade de satisfação e contentamento com essas 480 horas?”. Imaginem, prezados leitores, programas de televisão sobre isso, matérias de jornal sobre isso no Jornal Nacional, nossos professores em colégios públicos e particulares refletindo com crianças e jovens sobre isso. Seria extraordinário, e com certeza nossas vidas seriam radicalmente diferentes.

           Em poucos anos, entretanto, a atenção e o tempo das pessoas estão sendo sequestrados de forma sutil, e em certa medida de uma forma que parece ser cativante. Está em todo lugar, e para mim é um distúrbio tão sério, e com uma capacidade devastadora de nos tornar mais infelizes, improdutivos e sem saúde. Se fosse uma doença causada por um agente exógeno bacteriano, por exemplo, seria considerada talvez a maior epidemia dos últimos 100 anos, talvez a maior epidemia de todas.

   A tecnologia na forma de aplicativos e redes de compartilhamento vem simplesmente tomando a atenção das pessoas, e fazendo com que as mesmas desperdicem o seu bem mais precioso, suas 480 horas mensais, de uma maneira assustadora.  Não irei aqui falar mais aprofundadamente sobre algumas razões biológicas disso estar acontecendo, e pelo pouco que li e assisti, as explicações são interessantíssimas. Porém, permitam-me falar algumas linhas sobre dopamina, um neurotramissor essencial para a saúde de nosso organismo, e que é muitas vezes associado como a substância do "bem-estar".  

         Basicamente, redes sociais, e a novidade que cada passar de dedo ou clique numa foto diferente proporciona, é uma forma muito eficaz de liberação de dopamina. Nosso cérebro evoluiu para querer novas informações. Com novas informações sobre a realidade, nossos antepassados poderiam descobrir novas comidas, novas fontes de água potável, informações novas sobre perigos, e isso com certeza teve um grande impacto na sobrevivência e evolução de nossa espécie.

      Nosso cérebro, portanto, aprecia novidades, e a dopamina é uma forma inteligente que nosso organismo construiu de fazer com que fôssemos atrás de novas informações. A novidade é tão fundamental para nosso cérebro, bem como para liberação de dopamina, que em estudos com ratos os níveis de dopamina que ratos apresentavam com uma “parceira sexual” nova eram muito altos e foram decrescendo a medida que mais atos sexuais eram repetidos com a mesma parceira. Com a introdução de uma nova “parceira sexual” os níveis de dopamina dos ratos voltaram a crescer, e isso foi um padrão que se repetiu várias e várias vezes.  A liberação de dopamina pela novidade, principalmente quando associado ao sexo,  pode ser um dos motivos que explica um novo tipo de distúrbio que são aquelas pessoas viciadas em pornografia na internet. As pessoas perdem a atração pelo sexo em si com uma parceira real, mas se tornam consumidores obsessivos de pornografia instantânea e rápida.  Porém, deixemos esse interessante assunto para outra oportunidade.

      Portanto, a novidade é algo que atrai o nosso cérebro, e há mecanismos químicos e biológicos para tanto. É por isso que as pessoas passam o dedo e ou o mouse e ficam descendo e descendo informações em redes sociais. Cada movimento do dedo é interpretado pelo cérebro como “opa, está vindo novidade, libere dopamina, pois eu quero novidade”, e é por isso que hoje em dia é tão normal ver pessoas ensandecidas mexendo em seus celulares procurando mais e mais novas informações, fotos, etc.  Seus cérebros estão sendo bombardeados com dopamina sem parar. 

       Acontece que nosso organismo além de complexo é muito inteligente. Quando nosso corpo é inundado com algo que não deveria existir em quantidades muito grandes, uma das soluções encontradas é fazer com que os receptores dessas substâncias se tornem cada vez mais inativos.  A dopamina para fazer efeito precisa de um receptor em nossas células neurais. Quanto mais dopamina existe, mais insensível os receptores vão se tornando, o que faz com que seja necessário cada vez mais dopamina para obter os mesmos efeitos. Se você pensou em drogas, sim, é exatamente assim que drogas atuam em nosso cérebro, e é por isso que usuários viciados precisam cada vez mais e mais para obter cada vez menos prazer (apenas como curiosidade, açúcar em grandes quantidades apresenta um padrão químico muito semelhante com drogas como cocaína).

          Portanto, o abuso do uso de redes sociais e aplicativos, está fazendo com que pessoas inundem os seus cérebros com dopamina, fazendo com que cada vez mais e mais as pessoas se tornem dependentes de mais e mais informações novas. Se a novidade era essencial há 20 mil anos, o tipo de "novidade" que estamos submetendo o nosso cérebro nos dias de hoje está longe de ser essencial, sendo muito mais tóxica do que qualquer outra coisa.

      Assim, e isso é algo que está acontecendo de forma perceptível, muitos seres humanos estão usando as suas preciosas 480 horas em mecanismos que não trazem objetivamente satisfação, felicidade e nem mesmo conhecimento. Conhecimento é fruto de trabalho concentrado, foco profundo ou “Deep Work”, a cascata de informações que as pessoas recebem por noticiários ou feeds de notícias estão muito longe de ser o alicerce para a construção de conhecimento sólido e prático.

    Nem as tornam mais produtivas, pelo contrário. A nossa capacidade de produzir algo de valor que seja apreciado por outras pessoas, ou se assim preferir pelo mercado, é diretamente relacionada com a nossa capacidade de colocar esforço concentrado em algo. Se eu quero escrever esse texto, preciso me concentrar. Se pretendo escrever um livro sobre leilão, preciso me concentrar por muito tempo. Se quero produzir um novo produto preciso me esforçar ao máximo em solucionar eventuais problemas.  Quase nada de extremo valor é produzido sem trabalho concentrado, ou “hard work”.  Isso tudo é incompatível com uma atenção fragmentada, que pula de informação para informação em poucos segundos.

       Eu, o escritor desse texto, estou em processo de desintoxicação nos últimos meses. Foi aqueles momentos de mudança. Há anos, senti que precisava mudar minha vida. Lá fui eu numa jornada de autoconhecimento sobre finanças. Esse caminho me levou a criar um blog, conhecer outros, ler dezenas e dezenas de livros e artigos científicos, atingir minha independência financeira.  Uma jornada e tanto. Hoje me sinto preparado para administrar seja um milhão ou cinqüenta milhões. Sinto-me preparado para conversar com qualquer um sobre finanças e estratégias de manejo de patrimônio, no contexto de uma pessoa física, não de um fundo de bilhões de reais ou dólares, pois nunca tive pretensões de ser profissional disso. 

      Aliás, hoje para mim finanças pessoais é um assunto que mistura investimentos e o seu manejo (FII, ações, ETF, opções, alocação de ativos, estratégias de Trade, etc, etc), mas principalmente uma reflexão mais profunda sobre dinheiro, tempo e felicidade.  É por isso que acredito que alguém como Mister Money Mustache é muito mais importante para a esmagadora maioria dos investidores pessoas físicas de como se ter uma relação inteligente com dinheiro e a vida, do que alguém como Warren Buffett e suas "formas de analisar balanço de forma vencedora".

          Há alguns meses, senti que precisava otimizar a minha vida e saúde. E lá estou em no começo de uma jornada de aprendizado. Segunda-feira devem chegar 10 livros na minha casa, dois apenas sobre microbiota intestinal. Eu tenho pelo menos mais uns 20-25 para comprar. Todos os dias, enquanto lavo a louça ou ando de bicicleta ou estou descansando, estou ouvindo a palestra de algum expoente de alguma área relacionada à saúde. Atualmente, são algumas horas diárias devotadas ao assunto.  É assim que funciono, quando vejo que algo é  importante para a minha vida, mergulho com intensidade, e fico feliz na forma como gasto o meu tempo, aliás, muito feliz. O que não me deixa feliz é entrar no computador, e depois de duas horas não saber como o meu tempo foi gasto e porque foi gasto daquela maneira. Isso, atualmente, me deixa muito mal, pois  me faz sentir que desperdicei o que tenho de mais preciso em algo que não me agregou nada.

        Hoje em dia, me sinto muito mais no comando das minhas 480 horas. É evidente que o fato de não ter um trabalho formal que não me agradava, é um grande alívio e uma excelente oportunidade. Porém, longe de estar menos ocupado, na verdade estou mais ocupado, mas de uma forma consciente e muito mais prazerosa.

       
         No último mês, resolvi fazer um experimento. Há um grupo de whatsapp que nos últimos meses, eu ocasionalmente via uma mensagem ou outra. Mais raramente ainda escrevia algo. É um grupo sobre finanças, e possui muitas pessoas inteligentes e com bom conhecimento na área. Porém, não era algo que me chamava mais tanto a atenção, principalmente porque um meio de comunicação como whatsapp não é uma ferramenta adequada para uma discussão mais aprofundada sobre assuntos, seja lá eles quais forem. Eu resolvi então não clicar em nenhuma mensagem desse grupo durante um mês para saber quantas mensagens existiriam acumuladas. O experimento terminou ontem, e foi um choque.



            Uau. Uau. Só posso estimar, mas como as mensagens podem ser curtas, longas, com link, áudio de um minuto, escrever uma mensagem demora mais do que ler, etc, eu creio uma média de 10 segundos por mensagem, nesse contexto, não é tão fora de propósito. Logo, se alguém leu todas as 12.571 mensagens desse grupo, gastou aproximadamente 35 horas de sua vida num grupo de whatsapp.  Isso é um pouco mais de 7% das suas preciosas 480 horas. Uau.  Com 35 horas é possível ler, num ritmo confortável e com atenção, três livros de 250-300 folhas. Em um ano, isso é aproximadamente 35 livros.  Qualquer um que leia 35 livros sobre um mesmo tema não se tornará talvez um expert ou profissional, mas com certeza terá crescido o seu entendimento sobre a área de uma maneira quase que inacreditável em relação à estaca zero. 


           Trinta e cinco horas num mês para um único grupo e pessoas que gostam dessa plataforma estão em diversos outros. E pessoas utilizam outras plataformas. E pessoas olham a Globo News para  se "manter informado". E as pessoas leem sobre o que Trump está fazendo ou não. Uau. Talvez as pessoas estejam dedicando 20-25% de suas preciosas 480 horas para isso.  Se levarmos em conta que a maioria precisa trabalhar formalmente, precisam tomar banho, dirigir até o trabalho, comer, não é de se surpreender que ninguém mais tenha tempo, e paciência já que os cérebros estão sedentos por novas rodadas de liberação de dopamina,  para sentar num parque, fazer a sua própria comida ou ter uma conversa mais profunda cara a cara com alguém.  E assim, a saúde, produtividade e felicidade das pessoas declinam cada vez mais, num ciclo vicioso sem fim, até porque há um componente fisiológico nisso tudo como abordado parágrafos acima.

        Você é o responsável de como utiliza as suas 480 horas. Tome as rédeas de sua vida e controle sobre o seu tempo. Sua saúde, felicidade e produtividade agradecem.


E não é que os livros chegaram 10 minutos depois de ter acabado de escrever esse texto? O que me surpreende são as traduções que dão para os livros no Brasil. O "Always Hungry" do professor de Harvard David Ludwig se transforma em "Emagreça Sem fome" (WTF?). O famoso "The Big Fat Surprise" da Nina Theicholz (ela que foi expressamente citada na apresentação dos resultados do Estudo PURE que foi um grande estudo epidemológico feito em diversos países e liberado os resultados final do ano passado) foi traduzido como "Gordura Sem Medo", ai ai...

          Abraço a todos.


74 comentários:

  1. Parabéns. Ótimo post.

    ResponderExcluir
  2. Excelente, Soul! Penso exatamente como você! A futilidade está destruindo, aos poucos, nossa sociedade...

    Em tempo: fuçando o Disqus, vi um comentário antigo seu perdido, junto com outros, no spam. Não recebia aviso disso, e só vi naquele momento. Aprovei-o ev respondi, mesmo tardiamente, desculpando-me do ocorrido.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, André! Beleza amigo??
      Hum, será que foi um sobre dieta paleo? Acho que foi a última vez que comentei no seu espaço.
      Não precisa se desculpar, André, que isso. Obrigado por ter respondido, vou dar uma olhada depois.
      Grato pelo seu comentário.
      Um abraço!

      Excluir
  3. Olá Soul,

    Uau mesmo. Este é um post que dá para se gastar ai horas e horas debatendo rs

    Sobre os ladrões de tempo, vejo que muitos se rendem a ele. TV, facebook, whatsapp, netflix... São tantos não? E a tendência é aumentar os robbers já que cada vez mais precisamos de dopamina rs

    Quanto a esses ladrões ai, o único que dou espaço é o netflix. Porém, é consciente e vejo como bem empregado. Gosto de assistir séries, mas coloco regras para que não leve todo meu tempo embora.

    O blog é outro "ladrão", mas está me ajudando a crescer, seja financeiro, pessoal. Em seus posts e de outros, pude notar isso. Alguns filmes também me ajudam!

    Whatsapp o meu não chega a ter tantas mensagens não lidas pois diariamente eu as marco como lidas. O ruim é em encontros ter que se esquivar do porquê não viu tal vídeo, tal imagem...

    O que acho triste disso tudo é ver pessoas não se desenvolvendo. Se entregam de cabeça nesses passatempos e não buscam aprender algo. E infelizmente, não são poucas que vejo assim...

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Investidor Inglês. O seu blog é interessante, principalmente a sua aplicação da "fórmula mágica". É algo que com certeza o fará desenvolver como investidor, escritor, e também outras habilidades de como se relacionar com as pessoas. Esse meu blog me ensinou muitas coisas. Em 2014, eu era muito mais propenso a entrar em discussões mais estéreis. É algo que evolui, assim espero.
      Eu via algumas séries do Netflix, mas ultimamente, minha atenção está em palestras mesmo. Como ontem e hoje, onde ouvi por algumas horas o escrito do livro "Sapiens" e "Homo Deus" falar. Muito interessante mesmo. Tem até audiobook do livro no you tube (Homo Deus, o Sapiens eu li e gostei muito). Comecei a ouvir enquanto varria a casa e lavava a louça. Minha mulher que gosta, pois se estou escutando algo assim, eu lavo a louça e arrumo a cama e as bagunças de maneira muito mais fácil e relaxada:)
      Um abraço!

      Excluir
    2. Estou com Homo Deus na minha mesa, assim como tantos outros livros... "O jogo das Contas de Vidro", "Crime e Castigo", Bíblia Sagrada... Arma X (Wolverine) hhahahaa... Tenho que me organizar melhor..

      Sobre palestras, uns anos atrás eu assisti muitas do TED. No NetFlix tem (tinha?) muitas, mas todas são gratuitas pelo site do próprio TED, YouTube...

      Quero dar um foco nos documentários também.

      Excluir
  4. Ótimo texto, Soul! Tem uns dias que sempre que penso em abrir o "G1" lembro que posso encontrar bobeiras como "Trump falou mal de alguém" ou algo semelhante que nada me acresce ou evolui como pessoa. Não deixe de ver esse vídeo https://www.youtube.com/watch?v=JKvZ8t6bqfs, diz muito parecido com o seu pensamento, mas de forma cômica. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, I. Invisível.
      Rapaz, "G1"? Poxa, se você realmente quer ler sobre notícias, tente se concentrar ao menos em fontes um pouco melhores:) O ideal é aos poucos, ou de forma abrupta (o que for melhor para você), eliminar essas navegadas por sites de notícias. A internet é maravilhosa se usada com propósito. Sem esse propósito, como é utilizada hj em dia por muitas pessoas, é muito fácil desperdiçarmos horas e horas indo de "novidade" em "novidade".
      Um abraço!

      Excluir
  5. Soulsurfer,

    Tudo bom?

    Irei tentar fazer um contraponto ao seu artigo.

    Na verdade é complicado falar sobre tudo isto que vc falou, pois cada pessoa possui um contexto específico. Até axo que vc acertou sim: a maioria das pessoas está neste mar de redes sociais morrendo afogado nisto tudo e desperdiçando uma vida.

    Vc falou em excesso de informações, dopamina, dependência do celular e tudo o mais. Porém, depois vc citou 10 livros vindo, outros tantos para ler... ficou parecendo para mim a mesma coisa que as redes sociais, só que com muito mais qualidade e mais focado.

    Pensando mais além: tempo não é produtividade. Foda-se os livros, foda-se a rede social, foda-se o mar de informações, foda-se tudo. Por que esta necessidade constante de aprimoramento?

    O caminho não pode ser simplesmente o do silêncio, o da meditação, o do relaxamento, da contemplação?

    Abraços, Renato C

    OBS: Concordo que há tempo para tudo, para conhecimento e para o vazio. Apenas senti falta no seu artigo o vazio, fica parecendo que é tudo produtividade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Renato. Tudo ótimo comigo e contigo? É sempre um prazer ler os seus comentários.
      Eu acho que o seu contraponto muito válido.

      Vamos começar pelo que você chama "vazio". Não sei o que você entende por "nada", mas na verdade o "nada" é um dos conceitos mais complexos que existe. O que é o "nada". O meu pai me disse quando eu tinha uns 4-5 anos, quando eu perguntei porque existia o Universo, ele me respondeu algo mais ou menos assim "quando o Nada percebeu que era alguma coisa tudo começou", por mais enigmático que possa parecer, e agora com 37 anos eu vejo que é mesmo, a questão do nada é intrigante. Até do ponto de vista da física, e a reflexão sobre se realmente existe o nada.

      Porém, voltando mais para terra, o seu ponto é porque se preocupar em ser produtivo ou aumentar o conhecimento? Porque trocar um grupo de whatsapp por uma pilha de 10 livros é melhor? Porque não apenas "o do silêncio, o da meditação, o do relaxamento, da contemplação?"

      Primeiramente, eu acho que tudo o que você disse é essencial. Além de procurar entender melhor a fisiologia do sono, eu cada vez mais percebo que durmo muito melhor, como uma bebê, quando fico mais em silêncio antes de dormir, e quando medito por alguns minutos. A meditação por alguns minutos depois de acordar (e estou acordando às 5 e meia, algo impensável há uns tempos atrás) já está se tornando rotina. Fora as contemplações. Grandes memórias das minhas viagens são exatamente isso: contemplações.
      Mesmo que talvez a pessoa não esteja interessada, a meditação e o relamento são ferramentas poderosas para a diminuição de inflamações pelo nosso corpo, e se há alguma coisa que cientistas de várias áreas da saúde concordam é que processos inflamatórios estão por trás de boa parte das doenças crônicas de hoje em dia (síndrome metabólica, diabetes, câncer, doenças autoimunes, etc).
      Portanto, seja por um benefício para você mesmo, seja pela perspectiva filosófica de apenas contemplar, estou contigo.

      Por outro lado, não vejo como excludente a postura de se tornar mais produtivo em algo, com a postura da contemplação. Creio que há espaço para ambas em nossa vida, e a mistura delas talvez faça que o nosso bem-estar aumente significantemente.

      Eu sinto prazer em conhecer mais do mundo. Compartilho com a ideia de alguns pensadores que o objetivo humano é a evolução, precisamos estar sempre evoluindo, e o conhecimento é uma dessas formas, mas não a única. A leitura de 10 livros sobre um novo tema não é o único caminho, eu não poderia dizer isso, mas para mim é um caminho que me leva a um maior bem-estar e um senso de propósito. A diferença entre ficar navegando quase de maneira inconsciente pela internet por horas a fio, é o que você disse, não é uma atitude focada e consciente, na verdade é quase que uma reação automática do seu cérebro. Além do mais, o resultado prático não é bom: depressão, pessoas irritadiças, sem paciência, etc, etc.
      Portanto, não creio que sejam experiências que possam ser comparáveis.

      Um abraço!

      Excluir
    2. Perfeito! Quando escrevi meu comentário, lembrei das suas imagens de viagens e do quão contemplativo e "viajante do vazio" vc também consegue ser rs

      Compartilho de tudo o que vc escreveu, só axo que as vezes esta lógica de produtividade enche o saco, é algo do nosso mundo atual isto. Até o ócio precisa ser criativo?! Deixa o ócio ser ócio rs....

      Abraços!

      Excluir
    3. "as vezes esta lógica de produtividade enche o saco, é algo do nosso mundo atual isto. Até o ócio precisa ser criativo?! Deixa o ócio ser ócio rs...."

      perfeito, Renato. Com certeza absoluta, o ócio pode ser criativo, mas em certos momentos deixa o ócio ser apenas ócio, e não se importar com mais nada a não ser o momento de satisfação e contato mais profundo com a realidade que o "ócio" pode proporcionar.

      Um abraço!

      Excluir
    4. Um tempo atrás li esta frase, que me chamou a atenção.
      "O tempo que você gosta de perder não é tempo perdido."

      Excluir
  6. Excelente post! Acompanho seu blog desde 2014, quando comecei a investir em FIIs, e arrisco dizer que esta foi uma das melhores postagens. Preciso fazer uma auto-reflexão profunda sobre minha produtividade... sinto q tenho perdido bastante tempo com atividades "supérfluas" (pra não dizer "inúteis") que nada me agregam, além de um mero prazer imediato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Muito obrigado mesmo. Se depois de tantos textos, esse chamou a sua atenção, isso significa que talvez eu esteja evoluindo enquanto escritor, e isso me deixa feliz.
      Não há problemas em coisas que "não agregam" ou sejam "supérfulas". Como o colega Renato colocou acima, temos que ter cuidado com a paranoia da produtividade. Nem tudo se resume a ser produtivo, e muitos bons momentos da nossa vida talvez sejam oriundos de atividades que não tenham qualquer objetivo em específico, ou seja poderiam ser consideradas sobre uma determina perspectiva "supérfluas". O que precisamos ter é mais controle sobre alguns atos e evitar que dispositivos eletrônicos suguem a nossa atenção sem nos fornecer nada em troca.
      Duas horas conversando bobagens com seus amigos, provavelmente te valem boas lembranças, risadas, etc. Duas horas passando o dedo no facebook ou em canais de notícias te rendem alguma coisa positiva?
      Na maioria dos casos, não.
      Um abraço!

      Excluir
  7. Fala soul! Nao li o post mas estou querendo comentar sobre esse assunto faz tempo, vi rapidamente que fala +- no que quero falar e que esta sabendo muito dr bioquimica.

    Estamos na mesma pegada, vi seu comentário no blog do Corey sobre o canal do What ive learned, algum anônimo comentou la e você também acabou conhecendo o canal do cara.

    Nesse último mês que venho mudando hábitos e conhecendo um pouco mais meu corpo, a minha mudança foi radical comparada a meses atras.
    - Exercicios todas as manhas(sabado e domingo também é dia)
    - Dormindo 22:00 acordando as 06:00(sabado e domingo também)
    - Estudando todos os dias ao acordar e depois de dormir( coloquei meta de 15 minutos mas estou estudando 2-3h)
    Também comecei a fazer jejum na terça feira, apesar dos motivos serem religiosos é incrível como ajuda no controle do corpo, inclusive deicuma emagrecida.
    Também percebi que quando tenho doses grandes de dopamina( como jogar um videogame) fica mais difícil me concentrar e focar nos estudos.
    Meu intuito além de compartilhar o que estou fazendo era saber o que além disso vc vem testando e tendo bons resultados( como a meditação que preciso fazer), outra coisa que horas achou melhor horario pra ir dormir?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Marco.
      O canal é muito bom mesmo, ainda mais como um ponto de partida. Muitos dos conceitos já tinha lido, mas ele constrói vídeos muito bem-feitos.
      Por meio de um deles que fiquei sabendo do Dr. Alessio Fasano. Já vi várias palestras dele, além de ser um italiano super engraçado, o cara é fera de mais. Ele descobriu em 2000 uma proteína chamada Zonulin que de alguma maneira faz com que os espaços entre as células do tecido estomacal (chamada Tight Juctions) se abram em momentos inapropriados. Isso pode estar relacionado com uma enormidade de doenças autoimunes. É interessante como o consumo de Glúten parece influenciar a produção dessa proteína Zonolin.
      Foi por meio dos vídeos dele também que fui ver as palestras de Robert Lustig sobre o metabolismo da frutose, e é extremamente interessante. Hoje de manhã mesmo, eu estava vendo os trabalhos no PUBMED (uma plataforma com estudos científicos sobre sáude, nutrição e medicina) sobre o consumo de frutose e aumento da quantidade de ácido úrico no sangue. Há dezenas de estudos nessa direção, e o ácido úrico está diretamente associado a gotas (e não a proteínas como erroneamente um monte de nutricionista fala), mas também a síndrome metabólica, diabetes, aumento de pressão arterial, etc.
      Foi por meio de um vídeo lá que fiquei sabendo sobre um livro chamado "The Good Gut" e isso trouxe minha atenção para microbiota. Minha companheira já estava mais avançada nisso, já que consumimos probióticos na forma de Kefir (que aliás eu gosto muito) e prébioticos na forma de mais fibra alimentar. Porém, é incrível saber que a microbiota talvez seja o campo da medicina mais inexplorado e promissor. É incrível o assunto, tão incrível que encomendei dois livros e já estou lendo um a respeito.


      Sua rotina está ótima. Para a maioria dos humanos, o período para se dormir é entre as 22:00 e as 6:00, onde o seu nível de melatonina começa a atingir um pico e quando ela está diminuída. É isso aí. Eu estou indo dormir, principalmente quando sei que vai ter ondas, entre 9:15-9:30 para acordar 5:15-5:30 e pegar o sol nascendo no mar.

      Sobre Jejum, recomendo você ler os livros do Dr. Jason Fung, um dos especialistas sobre Jejum no mundo. Eu não faço bem jejum, mas nos últimos tempos, alterno 12 horas de comida, 12 horas de descanso. As vezes fico 14-15 horas sem comida, e me sinto bem. Gostaria de explorar mais a questão dos corpos cetônicos, e como não faço dieta cetogênica, a forma é pelo jejum mesmo. Mas estou feliz com a rotina, acho que 12 horas é um tempo bom para o organismo se recuperar, sem a necessidade de sempre estar metabolizando comida.

      É isso amigo, um abraço!

      Excluir
  8. Excelente post.

    Uma das melhores dicas que vi num blog da finansfera não foi sobre finanças, mas num artigo do Corey sobre fazer jejum de informação. E foi bem naquela época do impeachment, que tantos nos portais de notícias quanto no whatsapp não se falava de outra coisa e surgia uma novidade a cada minuto.
    Depois de ler o artigo do Corey simplesmente parei de acompanhar as discussões nos grupos e de entrar nos portais de notícias. É incrível a quantidade de tempo que ganhei. Facebook eu já tinha abandonado muito tempo. Ano passado tive informações sobre uma ex colega de trabalho que tava internada, entrei pra contactar alguns colegas, vi que 3 anos se passaram e nada havia mudado, mesmas pessoas reclamando das mesmas coisas, mesmas discussões sobre política, etc. Nem instalo esses app's em meu celular. Tenho whatsapp mas saí dos grupos, fiquei em um só dos colegas de setores.
    Nada muda nem no mundo nem na minha vida se eu nao o que está ocorrendo no mundo, qual a polêmica do momento com qual celebridade.
    Agora Soul, uma coisa que tenho dificuldade é fixar o hábito de meditar pela manhã. Eu tento criar esse hábito mas medito 2, 3 dias, depois falho 1, 2, aí medito por uma semana, passo outra sem meditar. O pior é que nos dias que medito me sinto tão bem, consigo ficar mais concentrado, menos disperso, com a sobre controle. Vc medita só pela manhã ou pela noite também?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Eu nem ao mesmo conheço técnicas de meditação. É algo que quero melhor.
      O que faço é apenas prestar atenção na minha respiração e focar na inspiração e expiração de forma consciente. Isso ainda ajuda-me muito como preparo para melhor cantar.
      Faça isso por pouco tempo. Comece com 3 minutos. Coloque um despertador. No próximo dia faça 4 minutos. Vá aumentando assim que se sentir confortável.
      Isso nada mais é do que o método kaizen de melhoras pequenas mas constantes. Na verdade, esse método é imbatível para quase tudo. Melhore um pouquinho a cada dia, e em meses você estará em outro nível.

      Com certeza, a meditação é incrível para o bem-estar humano, e cada vez mais e mais estudos científicos mostram isso. Eu às vezes faço de noite e dia. Adoro meditar depois de sair do mar, principalmente se fui surfar as 5:45, fico na praia e fecho os meus olhos por uns 5-6 minutos apenas prestando atenção na minha respiração e no som das ondas.

      Abs!

      Excluir
  9. Como de hábito, um ótimo texto. Muito pertinente e, até mesmo óbvio, mas que, devido à nossa rotina intensa, não damos muita atenção ao que fazemos com nosso precioso tempo. Pois, ao chegar em casa, queremos apenas descansar.

    Abs

    Rodrigo Crivi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rodrigo. Sim, é verdade. Porém, isso é bem conhecido há muito tempo em estudos de psicologia com neurologia. Quanto mais cansados nós estamos, mais o nosso cortex pré-frontal (a área do cérebro que tenta contrabalancear nossos institutos, como impedir que comemos brigadeiro todos os dias) simplesmente se entrega. Nós temos um limite de energia mental para fazer decisões. É por isso que pessoas como Steve Jobs usavam a mesma roupa, ele estava ciente que a sua capacidade mental diária era limitada, então ele não queria gastar nem mesmo uma fração pequena dela para fazer escolhas sobre o que vestir. Quando chegamos cansados em casa depois de um dia cansativo, não teremos muita energia mental para tomar atitudes para frear comportamentos automáticos e que nosso cérebro interpreta como atrativos. É por isso que é mais fácil comer uma pizza, entrar num aplicativo e ficar vagando sem objetivo, etc.
      É difícil lutar contra isso, o mais fácil é evitar o que os cientistas chamam de triggers. Está cansado, não pare na frente de uma pizzaria. Está cansado, deixe o seu celular em algum outro cômodo onde você não esteja.

      Abs!

      Excluir
  10. A psicologia comportamental + neurociência + tecnologia definitivamente hackearam a mente humana.

    Recomendo fortemente:
    Adam Alter - Irresistible: The Rise of Addictive Technology and the Business of Keeping Us Hooked

    Assim como você quando aprofundo em temas de meu interesse e vou longe. Diversos livros que foram esclarecedores e permitiram me aprofundar no tema. Adam Alter traçando o
    panorama do Vício e Design Comportamental, Natasha Döw Schull e o agregado de décadas de pesquisa em como designers da experiência dos cassinos e caça-níqueis projetam o vício. Nancy
    Colier recuperando a importância do tempo desconectado. Sherry Turkle nessa linha mas sobre retomar a arte das conversas pessoais. Busque por isso se for do interesse é claro.

    Para mim hoje tudo que importa e onde coloco minhas 480 horas:
    - Zelar pela minha tinyhouse no litoral de SC
    - Desfrutar da companhia da minha mulher
    - Surfar, pedalar, correr, treinar jiu-jitsu, musculação, natação, ioga, escrever, ler...
    - Dedicar algumas horas a um trabalho voluntário
    - Objetividade extrema no uso de dispositivos eletrônicos

    Meu padrão de vida é tão simples, que meus gastos são apenas 40% da minha renda passiva, a IF anda por si mesma.

    E quanto a colocação em relação ao MMM concordo plenamente, a criação de um lifestyle adequado e consistente é muito mais importante na questão do dinheiro, do que "dicas e meandros dos investimentos". Muita gente se perde nisso, pouca atenção ao lifestyle e muito foco em + grana e meios de multiplicação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Belíssimo estilo de vida.
      Só posso agradecer pelas recomendações de leitura. Há alguns anos li um artigo de um mágico que foi contratado pelo Google para o setor de ética de interface. O artigo era extraordinário e explicava que muitos aplicativos utilizam exatamente técnicas de "vício" usados por cassinos, mas sendo o objetivo sequestrar nossa atenção e fazer as pessoas usarem cada vez mais e mais os dispositivos.
      Grato.
      Um abraço!

      Excluir
    2. Muito bom parabéns,
      Mas coloque um filho ou dois na história e verá a sobra de 60% virar um déficit kkk apesar de que o nível de próposito da nossa vida se eleva brutalmente. abs ricardo

      Excluir
    3. Olá, Ricardo.
      Como você disse: "o nível de propósito se eleva brutalmente", então creio que mais do que compensa.
      Um abraço

      Excluir
    4. Com CERTEZA.... abs

      Excluir
    5. Absolutamente não sei até que ponto um filho incrementaria de forma brutal o meu "nível de propósito de vida".

      Inclusive desconfio e tenho pontos fortes no sentido oposto, ou seja, em viver sem ter a menor vontade de gerar descendentes.

      Um post com essa discussão seria engrandecedor!

      Excluir
    6. Sem ser pai, creio que fica difícil eu produzir algo significativo a respeito, colega. Mas com certeza o tema é bom.
      Abs

      Excluir
    7. Não sei... Acho que vale a pena ler um texto mesmo de quem não é pai... De quem não tem vontade e, claro, de quem é, ama, relata as dificuldades, etc.

      Excluir
  11. Parabéns Soul pela excelente reflexão, como já é habitual.

    Estou precisando fazer um esforço pra começar a escrever uma dissertação e as redes sociais são o subterfúgio procrastinador ideal. Me parece de certo modo rude com os colegas e familiares que usam e, por certo, esperam que eu leia e responda as coisas que colocam no Whatsapp por exemplo, etc. Mas talvez eu devesse simplesmente apagar os apps por um tempo... Seu texto foi mais uma pedrinha de motivação pra fazer isso! hehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Jairo,
      Se a dissertação é algo importante para você, creio que não deveria deixar que distrações fizessem você procrastinar o projeto.
      O problema das sensibilidades por causa de redes sociais, realmente afeta algumas pessoas, principalmente pessoas mais idosas que realmente podem ficar ofendidas se você não responde o bom dia delas no whats app. Porém, fazer o quê? Entre isso, e perder o foco de algo importante, escolho a primeira opção (ainda bem que isso não é um problema para mim).

      Abs

      Excluir
    2. Em inteligência artificial um fenômeno curioso acontece. Se vários modelos são possíveis para explicar um fenômeno e algum se destaca, atingindo o melhor resultado, quase sempre é possível obter um resultado ainda melhor fazendo uma combinação de modelos.

      Ou seja, misturar um modelo pior com um modelo melhor frequentemente gera uma melhoria ao conjunto que é superior ao que o modelo melhor consegue em seu melhor resultado.

      Isso parece advir do fato de que modelos diferentes, sendo todos imperfeitos, erram em momentos diferentes entre si. Mesmo o modelo ruim é capaz de corrigir alguns pequenos erros do modelo bom em algum momento.

      Mas contei essa história para fazer uma analogia com os relacionamentos. Quase sempre quando adicionamos um elemento externo bem intencionado (outros modelos), nosso entendimento sobre o mundo melhora e nossas decisões são mais corretas como resultado. Inclusive em um nível que nossa "otimização" não seria capaz de atingir isoladamente.

      Seu comentário foi precisamente o que eu precisava ler, você está certo. Obrigado :)

      Excluir
  12. O trecho a seguir, (em que pese eu ache que não o entenda propriamente! hehe), costuma me levar a um plano diferente de contemplação de algumas de minhas escolhas, atitudes, procuras. Daí, costumam sair uns pequeninos passinhos na contínua jornada do autoconhecimento.

    "Então ele, estendendo a mão calosa e tosca.
    Afeita a só carpintejar,
    Com um gesto pegou na fulgurante mosca,
    Curioso de a examinar.


    Quis vê-la, quis saber a causa do mistério.
    E, fechando-a na mão, sorriu
    De contente, ao pensar que ali tinha um império,
    E para casa se partiu.


    Alvoroçado chega, examina, e parece
    Que se houve nessa ocupação
    Miudamente, como um homem que quisesse
    Dissecar a sua ilusão.


    Dissecou-a, a tal ponto, e com tal arte, que ela,
    Rota, baça, nojenta, vil
    Sucumbiu; e com isto esvaiu-se-lhe aquela
    Visão fantástica e sutil.


    Hoje quando ele aí cai, de áloe e cardamomo
    Na cabeça, com ar taful
    Dizem que ensandeceu e que não sabe como
    Perdeu a sua mosca azul."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jairo, às vezes poesia (e eu não conheço muito) é mais para ser sentida do que dissecada, creio que o filme "Sociedade dos Poetas Mortos" trata bem desse tema.
      Logo, se te faz bem e te inspira, é isso que importa.
      Tive que ler duas vezes, mas o meu entendimento, uma pessoa de posses mais simples viu a ambição desmedida por mais ("fulgurante mosca"), então ele se pôs contente porque achou que tinha um império (ou seja, o anseio por mais e mais), porém ao começar a dissecar essa cobiça desmedida, viu que a "mosca azul" nada mais era do que "rota, baça, nojenta e vil", ou seja ele simplesmente que a cobiça por mais e mais é fonte de males e sofrimento, e não necessariamente de glórias e beleza (como é apregoado aos quatro ventos hoje em dia).
      Ele viu que era uma ilusão, porém como todos os outros continuam iludidos pela "mosca azul" as pessoas dizem que ele se tornou louco por que ele "perdeu a sua mosca azul".

      Um abraço!


      Excluir
    2. Agradeço a interpretação, Soul! Não tinha pensado dessa forma. Me parece deveras plausível. Se me permite, compartilho o meu entendimento. O sentimento que me fica ao final é o de arrependimento por ter cedido à ambição de dissecar mais e mais aquele tesouro. Eu interpretava algo como, "se eu tivesse apenas contemplado a mosca azul, ela ainda estaria aqui". Contemplar já seria uma dádiva. Ao querer mais do que era dado, houve a realização do desejo, porém às custas da destruição da beleza anterior.

      O enlouquecimento, nesse caso, poderia advir inclusive do arrependimento quanto às próprias ações, da consciência da própria culpabilidade diante de do que poderia ter sido em um proceder mais ameno e harmõnico.

      Excluir
    3. Olá, Jairo.
      Eu que agradeço, pois realmente não tinha nem imaginado interpretar a poesia como você o fez. Que interessante não? Duas interpretações e cada um não tinha bem pensando numa outra forma, para você como ver como as interpretações da realidade podem ser tão distintas entre dois seres humanos parecidos (eu e você, provavelmente classe média, com curso superior, sem ter passado por grandes problemas como guerras civis, etc, etc). Agora imagine dois humanos com histórias, culturas e vidas completamente distintas, quão distintas não podem ser as interpretações de um mesmo dado da realidade?
      Material interessante para reflexão.
      Grande abraço!

      Excluir
  13. Ótimo tópico. Adicione mais um livro a sua lista aí =)

    Lançamento do meu Ebook sobre Fundos Imobiliários.

    www.amazon.com.br/dp/B07BCRS76B

    ResponderExcluir
  14. me adiciona na sua grool amigo !

    gostei muito do material que você esta contribuindo!

    abraço!

    Att:
    Agiota.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Que nick hein.
      Espero que seja apenas figurativo:)
      Um abs

      Excluir
  15. Ter uma boa gestão do tempo, é ótimo para ajudar aproveitar ao máximo essas 480h do mês.

    Abraço e sucesso.

    ResponderExcluir
  16. "A novidade é tão fundamental para nosso cérebro, bem como para liberação de dopamina, que em estudos com ratos os níveis de dopamina que ratos apresentavam com uma “parceira sexual” nova eram muito altos e foram decrescendo a medida que mais atos sexuais eram repetidos com a mesma parceira. Com a introdução de uma nova “parceira sexual” os níveis de dopamina dos ratos voltaram a crescer, e isso foi um padrão que se repetiu várias e várias vezes."

    Com humanos isso acontece também? Polêmico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, não creio que nenhum comitê de ética médica permitira se fazer um experimento desses em humano nos dias de hoje, mas tudo leva a crer que a mesma coisa aconteça com homens também.
      É uma coisa a se pensar, não é mesmo? Um abs

      Excluir
  17. Belo post amigo.

    Meu cel nao tem notificação alguma de aplicativo, nenhum mesmo.
    Muitos grupos eu só vejo quando estou engarrafado no transito. Falo muito pouco neles. O que mais uso é o da empresa, mas por motivo profissional.

    Queria ter mais tempo para ler, dormir, comer melhor, malhar, fazer esportes, etc...

    Facebook toma muito meu tempo, mas é uma forma de me comunicar com amigos, moro longe de todos.

    Também é preciso ter entretenimento na vida, ocupar o dia, sei lá, tem gente que se não se ocupa fica entediada.

    Antigamente eu ficava mais tempo na blogosfera, mas agora nem isso. Esse ano tá bem difícil pra mim, acho que ano que vem melhora.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Frugal.
      Muitas reflexões hein amigo.
      Espero que consiga achar o "right balance".
      Um abraço!

      Excluir
  18. ótimo post, contei em um post recente meu sobre a procrastinação de ficar nessas malditas redes sociais, nas férias perdi muito tempo com isso, o tempo é muito precioso !!

    ResponderExcluir
  19. Olá amigo, parabéns pelo seu artigo, muito bem elaborado.
    Vc teria indicação de palestras, audiobook em português para indicação

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Sobre qual tema especificamente?
      É difícil achar material de primeira qualidade em português sobre muitos temas, infelizmente.
      Abs

      Excluir
  20. 'Conhecimento é fruto de trabalho concentrado, foco profundo ou “Deep Work”, a cascata de informações que as pessoas recebem por noticiários ou feeds de notícias estão muito longe de ser o alicerce para a construção de conhecimento sólido e prático.'
    Que parágrafo! Conteúdo de primeira qualidade, parabéns!!!

    ResponderExcluir
  21. Sou profissional liberal e tenho vários grupos que consomem muito tempo, em especial os de putaria, é negão da piroca, ppks diversas, em especial trollagens com travestis. Creio que conseguirei mais tempo agora!

    ResponderExcluir
  22. Olá Soul, muito legal seu post... parabéns.
    Identifico isso no meu dia a dia, pois nunca tive smartphone (por opção - ando com um nokia barrinha só pra fazer e receber chamadas) e costumo observar o uso dele pelas pessoas.
    Certa vez estava em um bar com 7 amigos comemorando um aniversário. E em um certo momento todos olhavam pra tela do aparelho. Somente eu estava sem. Foi muito engraçado ver isso... não me senti deslocado, mas privilegiado por não ter caido nessa armadilha. As redes sociais são o cigarro deste século.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Eduardo, é exatamente como me sinto quando me vejo numa situação parecida como a sua.
      Um abraço!

      Excluir
  23. Ótimo post e excelente reflexão.

    ResponderExcluir
  24. Olá, Soul!

    Desenvolvendo mais o pedido do anon de 12/03 que solicitou indicação de leituras, eu recentemente resolvi me "alienar" das notícias dos grandes portais.

    Contudo, eu ainda gosto de "leituras rápidas", razão pela qual baixei um app de Feed RSS (Feedly) para tanto. Assim tenho leitura disponível sem precisar me estressar com notícias.

    Coloquei alguns blogs como o seu na lista. Procurei material em inglês mas só conheço o Mr. Money Mustache e o Zen Habits. Quais blogs em inglês recomenda? Achei o Medium um site interessante também, mas com muito "click bait" nos títulos o que me desmotivou um pouco.

    Abraços,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Halcón, irei fazer uma postagem sobre sites de excelente referência, principalmente em Inglês, pois sei que é algo que pode ajudar não muitas pessoas, mas as pessoas que tem acesso a esse tipo de informação muitas vezes ocasiona grandes transformações na vida.
      Abraço!

      Excluir
  25. Há exatas duas semanas excluí meu perfil do WhatsApp (não só o aplicativo, mas a conta mesmo... Ou seja, saí automaticamente de todos os grupos, quem já tinha uma conversa privada comigo agora só pode ver o meu número no lugar do nome, sem avatar e novas mensagens ficam sem a seta que confirma o recebimento pelo meu aparelho).

    Também foi uma experiência interessante. Amigos vieram me perguntar se eu estava bem, se eu estava com raiva deles (se eu os tinha bloqueado) e um até falou que não ia mais manter contato comigo, porque foi uma morte social hahahaha...
    É hilário a reação das pessoas quando peço me ligarem ou me mandarem um SMS.

    Tenho achado bem positivo. Naquela mesma semana eu precisava dizer que não ia em um casamento e combinar uma consulta. Se tivesse com WhatsApp, talvez eu mandasse uma mensagem de voz para o meu amigo (noivo), o que ainda seria muito impessoal para a ocasião. E a secretária é muita atrapalhada e perderia mais tempo pelo aplicativo de conversa (apesar de ela me retornar para mudar, novamente, o horário hahahah).

    Hoje, angustiado, perdi meu tempo no Instagran. Surfei no Twitter só para ver o mais do mesmo e também sair com a sensação de derrota na administração do tempo. Mas eu chego lá. Agora vou fazer duas coisas que me dão prazer e agregam valor:
    a) comer uma janta saudável e
    b) assistir um filme que me agrega conhecimento e uma nova maneira de enxergar o mundo (espero! a indicação pelo menos é de alguém confiável hahah).

    Muito feliz com as postagens do blog. Está em sintonia com o que ando prezando.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Paul, grato pela mensagem e relato.
      Em relação ao seu item "b", eu entendo e também gosto de filmes assim. Porém, é importante momentos onde não estamos tão preocupados em aprender ou apreender alguma coisa, e um filme pode ser um momento ideal para isso.

      Um abraço!

      Excluir
  26. Emagreça sem fome e Gordura Sem Medo? Quem for na sua residência com certeza vai achar que você virou um guru das dietas, e não das finanças, rs.

    Post sensacional soulsurfer. Já fiquei pensando nesse assunto várias vezes e acho super interessante o mesmo. Afinal, se todos nós temos 480 horas por mês, porque existe tanta diferença de conhecimento entre certas pessoas?

    Pra ser sincero considero que gasto minhas 480 horas muito mal, imagino que de 200 a 240 horas gasto com o trabalho (considero tempo com transporte e preparaçâo pra me arrumar como trabalho, porque não gastaria esse tempo sem o emprego), e imagino que gasto a maioria do restante das horas consumindo conteúdo na internet (Youtube, blogs, foruns, jogos, etc). É muita coisa.

    Sei que o caminho pra sair dessa é construir novos hábitos pra substituir os antigos, mas isso requere um esforço muito grande. Com a internet hoje em dia é muito fácil se distrair e perder horas e horas consumindo um conteúdo de qualidade duvidosa (seu blog é uma grande exceção).

    Por enquanto vou tentando fazer o arroz com feijão. Uma vez ou outra eu tento gastar um tempo com meditação, exercícios, livros, mas como não é hábito acabo não continuando, e o ciclo se repete.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Jovem Poupador.
      Pois é, pois é, quando falo dos meus novos hábitos alimentares, sempre tenho que ouvir "é uma nova dieta?", quando respondo que é uma reeducação alimentar e um estilo de vida mais saudável, as pessoas tendem a entender, mas o conceito de "dieta" é algo muito arraigado na mente das pessoas.

      É incrível, não? Como alguém com as mesmas 480 horas pode produzir muito mais do que alguém razoavelmente parecido (etnia, classe social, etc)? É o manejo inteligente do tempo.

      Sim, Jovem, você já detectou algo que não te faz bem, e já percebeu o quão fácil é se distrair. Eu nessa última semana, me distraí enormemente, mas talvez eu estivesse precisando. Porém, essa distração contínua todo o tempo, é extremamente deletéria não só para a nossa produtividade, mas como para o nosso bem-estar.


      Tente ler o livro "O Poder do Hábito", é um livro bem interessante e pode te ajudar a produzir novas rotinas mais "saudáveis".

      Um abs

      Excluir
  27. caraca Soul, tu és um cara genial. Ler seus posts abre a mente.

    Essa do whatsap tá me fazendo refletir. mesmo no trabalho estou a todo momento vendo comentarios dos diversos grupos que participo. e realmente, a imensa maioria não agrega nada.

    Mas tem uma coisa que não deixo de lado que são os exercícios fisicos, sou viciado em atividade fisica. Os 10k que gosto de correr ou os 3k que gosto de nadar são minhas meditações, apesar que faço meditações tb, 30 min. por dia.

    Gosto tb muito de estudar, e o que estou fazendo no momento é ler sobre fisica quantica, neurociencia.....todos os artigos que leio sobre co-criação da sua realidade é algo que me alimenta a alma. esses assuntos me tiram das redes sociais.

    obrigado pelo texto

    abs

    Paulo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Paulo. Grato pelo genial, mas sinceramente estou bem longe disso.
      Bacana, Paulo, você faz atividades de moderada-alta intensidade, por incrível que pareça o exercício de resistência apresenta maiores benefícios de saúde quando feito na faixa do moderado, e não do intenso.
      Meditando por 30 minutos? Poxa, bacana, eu o faço por muito menos tempo.
      São assuntos interesses mesmo, gosto muito dos livros de Brian Greene.
      Um abs

      Excluir
  28. Soul, voce nos deve uma sessao de livros no site (contendo os seus) e com comentários para conseguirmos trocar ideias eheheh

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. É uma ideia interessante, até para leitores também puderem sugerir livros.
      Abs

      Excluir
  29. Parabéns pelo excelente texto Soul!!! Muito inspirador!
    Minhas 480h estao no limite, estou precisando otimizar meu tempo mesmo!! Sou médico, pai de uma princesinha de quase 2 anos e minhas 480 h sao consumidas com trabalho entre 9-10h, cuidar da filha e da casa depois de chegar do trampo, jantar e deitar as 22h, pra acordar as 7h e fazer tudo de novo. Nao ta sobrando tempo pra voltar pra academia. Mas eu e minha esposas estamos gastando o restante do tempo com as futilidades do whatsapp + Instagram + facebook.
    A TV faz 2 anos que está desligada, optamos por nao colocar nossa filha em frente a TV e celular exatamente pra evitar a superexposiçao que as crianças estao tendo às telinhas, muitas antes mesmo dos 3 meses de vida...
    Quais os "podcasts" que você está escutando? Preciso de dicas para ouvir no transito e no trabalho (trabalho laudando via PC, fico 8-9h em frente ao PC e respondendo msg no whatsapp relacionadas ao trabalho).
    Nao ta sobrando tempo nem pra acompanhar as finanças igual fazia antes da filha nascer hehehe
    Mas a meta agora é acordar as 6h rotineiramente (a filha as vezes acorda de madrugada ainda, de vez em quando dá um trabalhinho), voltar aos exercícios fisicos e ter um tempo pra leitura de artigos que está defasada também.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Henrique, meus parabéns pela sua filha. Imagino que deva exigir muito ser um bom pai e ainda conciliar com as atividades de médicos. Gostei bastante da sua atitude de não expor a sua filha à televisão num período tão inicial da vida.
      Pois é Henrique, sua rotina é agitada, deixe para lá tudo que não diga respeito aos seus objetivos, ao seu bem-estar e da família, tente usar essas redes sociais com mais parcimônia.

      O seu plano parece ser bom. Eu vou escrever um artigo sobre isso, indico para iniciar "The Art of Manliness", um podcast super interessante que aborda os mais diversos temas, quase sempre entrevistando o autor de um livro. O último que eu estava ouvindo era sobre insulto, e como melhor reagir quando se é insultado.

      Um abs

      Excluir
    2. Realmente essa é uma fase de bastante desprendimento das minhas vontades em troca de cuidar da família e acompanhar minha filha crescendo dia após dia. E sei que essa fase é curta.
      Mas nenhum dinheiro no mundo consegue substituir a sensação de pegar minha filha no colo logo depois que ela fala: papai, colinho!

      Excluir
    3. Eu imagino, Henrique, eu imagino.
      Um abs!

      Excluir
  30. Soulsurfer, gostaria de saber se você tem uma lista de livros recomendados sem ser aquelas 2 já publicadas no seu blog. Livros "para a vida" como esse que postou. Caso não tenha, fica aí uma sugestão de post ou até de criar um perfil em uma rede tipo o Skoob ou Goodreads. Abraços.

    ResponderExcluir