sábado, 6 de maio de 2017

UM DIA (QUASE) PERFEITO

 São sete e meia da manhã. Um vizinho manda mensagem no whatsapp “e ai vamos lá?”. Será? Ainda preciso repassar algumas músicas. Olho para sacada da sala e vejo que o dia está bonito. Respondo “ok, vamos lá”.

  Caminhando pela trilha no meio de árvores e dunas de areia, em cinco minutos chegamos à praia. Resolvi ir de wet suit, a água está começando a ficar gelada. Ninguém na água, apenas duas pessoas. Começamos a remar enquanto conversávamos sobre paternidade. Chegamos no line up e ondas de meio a um metro quebram. Não é a Indonésia, mas é divertido. Paro para conversar com um surfista, pergunto se ele não dá aula na academia em que malho. Ele responde que sim, mas apenas como personal trainer .

 Entre uma onda e outra engato uma conversa com o meu novo conhecido, que por coincidência tem o mesmo nome do que eu. Falamos somos ser gratos, do dia lindo, da paisagem espetacular, da temperatura da água, da dificuldade que as pessoas hoje em dia tem em se relacionar umas com as outras. Toda conversa se manifestou, pois eu perguntei se ele gostava de Budismo já que o mesmo tinha algumas tatuagens com letras em sânscrito. 

  Já são 9 e 15, preciso sair. Pego a última onda, me despeço do meu amigo vizinho, um pouco depois dele me contar como foi bom morar em Portugal quando ele fez o seu doutorado. Morou em Faro e tem ótimas lembranças de lá.

  Chego em casa, tomo banho e começo a passar algumas músicas. Hoje é o grande dia. Não financeiro, não tem nada a ver com dinheiro. A semana que passou fiz transações bem altas com imóveis, e não teve qualquer  grande impacto em meus níveis de satisfação com a vida. Não,  é a primeira vez que vou subir num palco e cantar.

  Às onze já estou no carro indo em direção ao lugar do show. É perto da capital, mas já possui clima de interior. Um festival de voo livre. Dia lindo, lugar excepcional, cercado por várias montanhas. Lembro-me de que já tinha ido aquela região na casa do baixista. O Baixista é violinista, juiz de direito, toca baixo, compete internacionalmente em voo livre e tem um coração enorme. Um homem que sinto um imenso prazer de ser amigo.

 Chego no local e vejo crianças, está tocando sertanejo. “Ai, ai, será que esse pessoal está pronto para o bom heavy metal?" Vejo um amigo meu de faculdade chegando. “Nossa, que massa, o Rodolfo veio!”. Quase um irmão para mim, como gosto dele, um dos sujeitos mais engraçados que conheço.

 Estou ansioso. Chega a hora. Começa a introdução de “Ides of March” e em seguida canto "Wrathchild" do Iron Maiden.  Canto outras do Ozzy, Motorhead, Metallica. O show termina com Born to be Wild, um verdadeiro clássico, sim vejo uma tiazinha de uns 60 anos mexendo o esqueleto lá atrás.

  Poucas pessoas vibraram durante o show, também pudera, não é um tipo de som que todos estão acostumados. Nossa, estou muito feliz, realizado quase. Acabo de realizar algo que sempre quis fazer: cantar num show. Uma experiência incrível para mim. Muito satisfeito. Todos os integrantes se abraçam, todos felizes. Alguns trouxeram mulheres e filhos. Ganho um vale chopp pela apresentação. Uau, o meu primeiro cachê! Nossa, fico bem contente com isso.

  Ao se dirigir para pegar o meu merecido chopp, algumas pessoas me param e dizem que canto muito bem. Um deles trabalhou na globo por 30 anos, diz que anda no meio musical, ele me fala que tenho uma voz potente. Agradeço e fico feliz de ouvir isso vindo de alguém que transita no meio artístico, se ele foi apenas gentil fez o meu dia mais feliz. Com certeza não sou um Tim Maia, Dio, Bruce Dickinson, Gilberto Gil, mas quem sabe não tenho uma voz razoável e possa levar adiante esse hobby que tanto gosto?

 Aliviado por ter “perdido a virgindade” em palcos, fico apreciando o belo local. Falando bobagens com meu grande amigo de faculdade. Ele me diz que quer cultivar cogumelos “Ei Soulsurfer, não quer comprar um sítio aqui e me colocar como caseiro?” Quem sabe, quem sabe.

  Despeço-me de todos, hora de retornar. Há um certo congestionamento na volta para a ilha. Coloco um podcast do Tim Ferriss (estou viciado nos podcasts desse sujeito) com o cientista Philip George Zimbardo. Para quem não conhece, ele ficou mundialmente famoso pelo experimento mais conhecido na história da psicologia: the stanford prison experiment

 É o experimento onde depois de alguns dias estudantes que deveriam encenar guardas numa prisão começam a ter comportamentos sádicos em relação a outros estudantes que deveriam encenar o papel de presos. O experimento era para durar duas semanas, em cinco dias foi abortado, pois a coisa saiu do controle.

  Zimbardo, com incríveis 84 anos e uma lucidez fantástica, fala então  de outro experimento famoso sobre pessoas que aplicavam choques em doses cada vez maiores num ator que fingia gritos de dor (as pessoas não sabiam que os gritos eram falsos), simplesmente pois alguém numa posição assumida de autoridade dizia para as pessoas que deveriam prosseguir o experimento apesar dos gritos de dor do ator. Antes do experimento, psicólogos profissionais estimavam que 1% das pessoas testadas chegariam na voltagem  máxima potencialmente letal de 450V, pois apenas indivíduos com traços de psicopatia chegariam nesse extremo. Para espanto de toda comunidade científica, e meu inclusive quando li sobre o estudo pela primeira vez, 65% das pessoas chegaram na voltagem máxima.  Uma sociedade formada por psicopatas em potencial? Será que os famosos "cidadãos de bem", tão em voga atualmente em nosso país, são psicopatas em potencial? Será que todos nós somos capazes de atos atrozes se existir incentivos para tanto? 

  Partindo desses experimentos, Zimbrado então vai falando o que nos leva à maldade, como estudantes normais se transformam em guardas sádicos, e pais de família se transformam em torturadores elétricos. Ele então lista vários passos que fazem isso ser possível coletivamente. Um  por um ele vai falando: a desumanização do outro (coxinha, petralha, "verme da ideologia tal", não é à toa que os judeus eram associados a ratos, e os prisioneiros em campos de concentração eram identificados apenas por números), a incapacidade de se posicionar contrariamente ao pensamento do grupo a que se pertence, etc.  

 “Nossa, vejo isso todo o dia, inclusive este é o tópico sobre o qual gosto de escrever no meu blog, aliás é quando provoco as reações mais extremadas em algumas pessoas ” raciocino comigo mesmo. Reflito então quão doentio são alguns discursos, e reflito no dia meu de hoje, uma completa antítese de discursos de rótulos, ódio e agressão. Será que são os mais de 20 abraços que dei hoje? Aliás, qual foi a última vez que você abraçou alguém, prezado leitor, sem ser a sua família mais próxima?

 Antes de chegar em casa, paramos para comer um açaí do lado de casa. “Com leite ninho?”, claro com leite ninho. Estava bom o açaí. Um dia perfeito. Talvez não totalmente perfeito, pois gostaria de ver o meu pai e minha mãe. Eles estão bem longe. Mando uma foto então para a minha mãe do meu primeiro show, ela deve ficar feliz quando ver. 

  Só posso agradecer pela vida e por tudo o que vem acontecendo comigo. Hoje foi uma dia sensacional, daqueles que nos faz sentir bem de estarmos vivos, termos amigos e pessoas boas para seguir nos caminhos dessa linda vida.


Oh yeah!

  Um abraço  a todos!


29 comentários:

  1. Muito bom, Soul. Parabéns aí.

    Cara, esse Tim Ferriss, tava com preconceito de ler o livro dele pelo título, venci a suspeita e curti muito o livro. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      Sim, digo o mesmo. Venci o "preconceito" e uau que livro interessante. Porém, o livro é de 10 anos. Ele evoluiu muito mesmo, e isso é visível nas entrevistas. A entrevista dele com o Money Mustache é excelente.
      Um abraço!

      Excluir
    2. Tim Ferriss é fantástico.

      Leio os livros e acompanho os podcasts. É possível aprender muito com ele.

      Abçs!

      Excluir
    3. É muito bom mesmo, I..I.
      Um abraço!

      Excluir
  2. Fala Soul... que legal! Estou querendo começar a ouvir o podcast do tim ferris também, os temas são relativamente relacionados ao livro?

    Cara, frequento seu blog há tempos e tenho uma dúvida: afinal de contas, do que você vive? rs

    Montei um blog recentemente e, se quiser, dá uma passadinha lá e confere o conteúdo! Te adicionei no meu blogroll, se quiser me adicionar ao seu ficarei muito feliz! http://enriquecendo.club

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Claro, já adicionei.

      1) Em certa medida são relacionados, mas eles são muito mais densos e profundos. Esse que eu citei do Zimbardo (acabei de ouvir essa manhã), nossa, incrível. Recomendo bastante se você consegue entender inglês.

      2) Hum. Eu sou Procurador ou melhor dizendo estou Procurador. Há um mês voltei a trabalhar. O salário caiu e quase nem percebi, pois essa semana iniciei mais duas operações imobiliárias, e o salário de Procurador representou algo em torno de uns 3% o total. Atualmente, estou em processo de (re)descorbrir o que fazer depois da minha volta ao Brasil. Processo de montagem de um patrimônio no exterior, e possivelmente de não trabalhar mais como Procurador num curto período de tempo.

      obs: desejo sorte em sua empreitada, olhei que você quer viver de renda de internet. Tenho certeza se você trabalhar bem poderá atingir o seu objetivo.

      Abraço!

      Excluir
  3. O financista ávido pelo dinheiro acorda, acende seu charuto, não lava nem a porra do rosto e vai correndo ver a atualização do blog do Soul. Opa, se fala num dia quase perfeito! Imóveis, negócios, dinheiro! A expectativa está criada, uma meta será alcançada! Revelará Soul a meta alcançada dos 10 milhões e passará a participar do Ranking do finado pobretão já em primeiro lugar?

    Não... era sobre subir num palco e cantar! Isto minha sobrinha de 4 anos, agregada malquista na minha lâmina do plano de saúde, faz!

    Que vida desgraçada....

    (Este post é zuera rs - abraços!)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Renato! Muito boa a mensagem!
      Ah, se fizéssemos mais coisas que as crianças de quatro anos fazem, mas com a sabedoria e vivência que elas ainda não tem? Uau, aposto que teríamos um mundo muitas vezes melhor para se viver.


      obs: Ah, as metas. Primeiramente é 1 milhão. Aí se percebe que é apenas um número e não diz muita coisa. Opa, mas com 10 milhões, aí sim, a satisfação está ali, a realização de quem eu sou está ali, agora sim poderei ser quem realmente desejo ser. Enquanto isso, momentos maravilhosos passam despercebidos, a vida passa, os pais passam, a juventude passa, a infância dos filhos passa, e...

      Grande Abraço!

      Excluir
    2. Daria um bom post hein. Ideias sobre quanto é suficiente. Falar sobre armadilhas como o excesso (margem) de segurança etc que pode ser um autoengano. abçs

      Excluir
    3. Esse é um dos temas mais importantes. Eu mesmo batalho em relação a isso. Quanto é suficiente, quanta margem de segurança, será que não é se auto-enganar querer margens altíssimas de segurança.
      Ótimo tema mesmo.
      Abraço

      Excluir
  4. Na internet vai encontrar materiais muito interessantes sobre o experimento da obediência à autoridade, ou experimento milgram.
    Um dos mais incríveis é um programa da TV britânica chamado The Heist, em que o ilusionista Derren Brown, através de um falso programa motivacional, tenta convencer um grupo de pessoas comuns a executarem um roubo armado a um carro forte. No meio do programa há inclusive uma reconstituição do experimento milgram.
    É um programa espetacular, como praticamente tudo que tem as mãos do Derren Brown.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Não conhecia o Derren Brown.
      Irei procurar esse programa.
      Um abraço!

      Excluir
    2. O programa está aqui.
      Sugiro assistir aos primeiros minutos para ver se vale a pena. Se não gostar (algo que acho pouco provável), avance até a parte do experimento milgram que é a parte que lhe interessa.
      https://m.youtube.com/watch?v=PaHbACoYNSA

      Excluir
  5. que post bacana.
    Na vida o que levamos é isso. As boas e más ações que fizemos. Mais nada. Portanto é muito importante nos desenvolvermos e fazer aquilo que nos dá prazer.

    isso ae....gratidão sempre!!



    ResponderExcluir
  6. Poxa, que legal Soul!
    Sou meio suspeito pra falar, porque música é meu ponto fraco...

    Sempre tive bandas, adoro cantar, e já tocamos em muitos lugares aqui do estado. Pena que tive que largar este hobby um pouco de lado pra me dedicar mais à faculdade (que em breve acaba!).

    Adoro música, mesmo sendo um hobby caro e que exige boa dose de empenho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      É mesmo?
      O que você gosta de tocar/cantar?
      Exige sim, mas é tão bacana ir ensaiar, principalmente se os outros componentes da banda são gente boa.
      Abraço!

      Excluir
    2. Gosto muito de punk rock e hardcore melódico (nesse movimento californiano me sinto em casa...). Canto, toco guitarra e trompete.

      Tenho alguns projetos engavetados envolvendo música autoral e uma possível banda cover de Ska, mas são planos para o futuro.

      Infelizmente tocar por diversão envolve uma boa quantia em viagens, ensaios, ações promocionais e gravação. É um hobby que toma muito tempo...

      Concordo com você, que se os colegas de banda são gente boa, tudo flui com muito mais facildade. Mas digo também, com grande conhecimento de causa, que uma das áreas onde mais se encontra "trambiqueiros" é no ramo musical. É incrível, quando você acha um cara honesto, ele não se encaixa no estilo de som. Quando encontras alguém muito bom musicalmente, é um trambiqueiro...

      Enfim, se fosse fácil não teria graça né! =P

      Abraços!

      Excluir
    3. Massa hein! Completo você:P
      Se precisar de alguém para uma banda de punk rock, só chamar!
      Adoraria tocar ramones, pennywise, face to face, etc.
      Um abraço!

      Excluir
  7. Ótima postagem gostei muito, ganhou um fã abraços.

    Me segue, que eu sigo de volta!

    http://nintudo.blogspot.com.br/

    https://plus.google.com/+NinTudo/

    ResponderExcluir
  8. Soul, agradeço o tempo gasto em responder minhas dúvidas, mas vou abusar mais um pouco. Qual sua experiência em ações de imissão na posse? Qual o custo médio? Quanto tempo em média para vc ser imitido na posse? Algum caso curioso que merece ser descrito? Como sou principiante, pretendo iniciar com imóveis pequenos, por exemplo, aptos de 50m2 ou terrenos de 250m2 (se encontrar).

    Abraço,
    Paulo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Paulo. Quer quase uma consulta hein?:)
      Tenho alguma experiência com essas ações. Depende se você é advogado não custa nada. Se você precisa de um, o preço vai variar acordo com a competência do advogado. Impossível precisar. Pode demorar três meses. Pode demorar 3 anos. Pode ser que você nunca seja imitido se o leilão for anulado.
      Uma boa estratégia começar pequeno. Apenas saiba que quanto o menor valor, maior a concorrência e as margens são comprimidas.
      Abraço

      Excluir
    2. Olá, não quis abusar, como disse é bom conversar com quem já tem experiência. Onde mais vou encontrar outro investidor? Tudo é online! E nos leilões presenciais todos parece muito desconfiados. Já conversei com leiloeiros e com funcionários de leiloeiros, mas eles tem uma visão e interesses próprios. Ainda não consultei advogados, fui na OAB e perguntei sobre profissionais com experiência em leilões e me deram uma lista com mais de 600 nomes de advogados que trabalham na região sem determinar a especialidade.
      Soul, suas respostas tem me ajudado muito!
      Abraço,
      Paulo

      Excluir
  9. Rapaz, ainda bem que muitos metaleiros usam cabelo curto hoje em dia. Assim os carecas não são xingados no palco..rsss

    Parabéns, pela 2a carreira, a vida não é só acumular dinheiro, existem outras alegrias também.


    Tente gravar umas apresentações e colocar no youtube.


    Abs,

    Carioca.

    P.S.

    Agora meu foco é correr todo dia na esteira, ajuda em tudo na vida, até nos investimentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Carioca.
      No youtube não sei, quem sabe quando fizer um show com mais pessoas animadas! hehe
      Corpo sã, mente sã.
      Abraço!

      Excluir
  10. Hehe, repertório de responsa, parabéns pela desenvoltura. Depois poste o vídeo.
    Abraço!

    ResponderExcluir