terça-feira, 29 de julho de 2014

INVESTIMENTO - COMPRAS RECENTES DE FII E DE AÇÃO

              Olá, colegas! Hoje vou falar um pouco sobre operações que fiz essa semana. Primeiramente, talvez algumas pessoas já notaram, eu me interesso por temas mais gerais do ponto de vista das finanças, poderia dizer a parte teórica. Eu não tenho tanto interesse em saber o patrimônio das pessoas, bem como suas carteiras. É claro que esse é o ponto final num portfólio, os ativos que você decide comprar. Porém, para mim sempre são mais proveitosas as reflexões sobre os diversos aspectos dos investimentos, pois com base nesses aprendizados eu posso montar eu mesmo a minha própria estratégia e carteira. Porém, eu percebo que os artigos na blogosfera que abordam temas sobre rentabilidades, carteiras, etc, são  os aspectos que as  pessoas mais gostam de saber.  Nenhum mal nisso de forma alguma, apenas não é o que mais me atrai.

                Entretanto, hoje resolvi compartilhar algumas compras minhas e o motivo do posicionamento em alguns ativos. Vou citar o exemplo de um Fundo Imobiliário e de uma ação.

FII - TBOF

                O FII comprado foi o TBOF a R$ 62,20 (eu sou daqueles que acha que preço importa, principalmente em FII). Há um tempo fiz um artigo que ficou bem interessante, modéstia à parte, sobre parâmetros objetivos para análise de um FII. Vamos ver como se aplicariam os filtros a minha compra (http://pensamentosfinanceiros.blogspot.com.br/2014/05/fii-parametros-objetivos-para-analise-e.html).

Valor de Compra: R$ 62,20
Localização: Excelente. O que me leva a crer que o empreendimento será competitivo por muitos anos ainda.
Padrão Construtivo: Excelente. O que me leva a crer que não precisará de muita manutenção nos próximos 10 anos.
Valor do Aluguel: Está na faixa de R$ 120,00 o m2, o que é algo bem razoável pela localização e padrão construtivo do imóvel.
Valor Patrimonial: o deságio ao preço de compra de R$62,20 é da ordem de uns 35%, nesse preço o m2 está na faixa de uns R$ 11.700, o que é uns U$ 5.000 dólares (com câmbio a 2,3), o que também é bem razoável.  O HGRE vem vendendo imóveis com padrão construtivo e localização inferior a preços muito maiores, o que mostra que há realmente um deságio patrimonial. Caso haja retração imobiliária, esse deságio fornece margem de segurança, e há potencial de crescimento caso o mercado imobiliário se recupere no médio prazo;
Yield: A renda real por quota é de R$0,39, o que no preço de compra dá um yield anual de 7,5%. Esse yield é maior do que a poupança e significa 70% do CDI. É sempre bom lembrar que o yield de um FII é uma medida real, ao contrário da rentabilidade nominal do CDI e da poupança. Analisando friamente os retornos imobiliários de imóveis próprios seria um yield líquido muito alto. Porém, a renda potencial (caso a vacância fosse zerada) é da ordem de R$ 0,62/0,66 por quota, o que pode gerar um rendimento real líquido de 12% a 12,7%, o que é excepcional.  Portanto, mesmo que a vacância venha a ser zerada daqui 1 ou 2 anos, o yield potencial é muito razoável pelo custo de oportunidade que no presente caso não é tão alto. Além do mais, caso haja diminuição da vacância, é natural que o preço da quota vá se ajustando, o que pode oferecer um duplo ganho de rendimento, bem como de valorização patrimonial;
Tamanho do Fundo/Quantidade de Imóveis: É apenas um imóvel, mas o fundo é dono do imóvel inteiro, sendo mais de 50 mil m2 de área locável, o que é bem considerável;
Qualidade de locatários e duração dos contratos: Os locatários são pulverizados, o que de certa maneira diminui o risco de concentração. Os contratos firmados possuem duração de cinco anos. Logo, quando for tempo para renovação, talvez o cenário de oversupply já esteja mais amenizado (lá por 2017/2018);
Taxas administrativas: Médias. Algo em torno de 7/8% do faturamento, caso a vacância seja zerada corresponderia a 5/6%, o que é bem razoável.

                Portanto, colegas esses foram os filtros utilizados. Comprei algumas quotas apenas, início de posição e posição alvo bem menor do que fundos mais consolidados como  HGLG, FCFL, BRCR, etc. Caso o fundo seja mais penalizado pelo fim da RMG, creio que vou aumentando  mais fortemente a posição.

AÇÃO - GRENDENE

                A ação que comprei foi a Grendene. Não vou aqui fazer um resumo da empresa, pois isso pode ser encontrado em vários outros blogs, até porque é uma empresa que o pessoal gosta. Eu já tinha posição nela e aumentei.
Preço de compra: R$13,33
P/L atual = 9,24
P/VP = 1,94 (não é o que eu gosto, mas também não é muito descolado);
Dividend Yield = 6,9%, o que é bem razoável para um payout de mais ou menos 55/60%.
ROE = 21%
ROE de compra (ROE/P/VP de compra) = 11%. É igual ao ativo livre de risco, não é o ideal, mas está razoável
Dívidas = Empresa não tem dívidas relevantes, o que é muito bom, e diminui e muito o risco mais grave numa empresa que é a quebra. Costumo ser bem conservador em relação a dívidas;
Receita e Lucro = Crescimento constante nos últimos anos.
PEG = P/L atual dividido pelo crescimento do lucro nos últimos cinco anos = 9,24/10,74 =  0,86. Não é um número espetacular, mas é bem razoável, principalmente porque a empresa não possui dívidas.
Margem de segurança = utilizo uma calculadora simples de Fluxo de Caixa Descontado, costumo utilizar parâmetros conservadores (o que faz com que o preço da ação fique menor):
Parâmetros = crescimento de 10% nos lucros nos próximos cinco anos (abaixo do guidance da empresa e da média dos últimos cinco anos)
Perpetuidade = 5% (coloquei um valor que seja aproximado ao centro da meta da nossa taxa de inflação)
Taxa de desconto = 14% (11% da SELIC mais um spread de 3%. A empresa não possui dívidas, o que faz com que 3% pareça-me razoável).
O valor com esses parâmetros todos dá  R$ 20,xx, o que deixa uma margem de segurança de mais de 30%, o que é razoável.
Situação atual da empresa: como é uma empresa voltada para consumo, está sendo penalizada na bolsa. Além do mais, houve queda de volume de vendas no mercado interno. Tal queda foi compensada com um preço de venda maior dos produtos, bem como pelo aumento nas exportações. Portanto, no médio prazo a empresa tende a continuar pressionada, mas o aumento do câmbio, bem como uma maior participação das exportações nas receitas (o que vem ocorrendo nos últimos dois anos) pode de certa maneira ajudar a empresa a manter as margens e rentabilidade, mesmo em períodos mais fracos para o consumo interno. Além do mais, é uma empresa reconhecida pela sua administração boa e eficiente.

Eu prefiro comprar empresas em setores que estão sendo penalizados. É claro que não é garantia de nada, mas para mim é muito mais seguro comprar a R$ 13,xx do que a R$ 20,xx (cotação máxima nos últimos 12 meses) que aliás foi mais ou menos o preço “justo” segundo os meus parâmetros.

É isso colegas, está longe de serem filtros perfeitos, mas acho que eles são mais do que razoáveis para eu não fazer grandes bobagens e acertar mais do que errar na média.

obs: sempre fica aquele alerta que as informações aqui não são indicações de compra e não me responsabilizo por nenhuma decisão tomada nas informações aqui postadas, bem como pela acurácia das mesmas.

Abraço a todos!


46 comentários:

  1. TBOF foi legal. Você tem sua carteira em algum POST do Blog?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá IV!
      De FII eu tenho sim, se for à esquerda acho que é um dos post mais acessados: "FII, minha carteira, meus erros e meus objetivos".

      Abraço!

      Excluir
    2. à direta ehehe, eu tenho problema com isso às vezes!

      Excluir
  2. Legal a analise dos indicadores da GRND3, esqueceu de comentar da Gisele Bündchen como garota propaganda.
    Brincadeiras a parte, quando vejo um post desse percebo que ainda vou precisar comer muito arroz com feijão para entender mais sobre o mercado, meu universo de indicadores e capacidade de análise ainda é bem reduzida. Ainda bem que no livro do Benjamin Graham ele diz que dá para ganhar dinheiro sendo um investidor defensivo sem precisar ser expert no mercado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aloha Surfista!
      É verdade, esqueci esse detalhe hehe:)
      Cara, nada que lendo uns bons livros (e você já está num clássico, eu recomendei vários outros em um artigo sobre bibliografia) e ir pegando mais experiência.
      Eu também manjo muito pouco. Concordo plenamente.
      Posso reclamar de alguns conceitos que o Bastter propaga, mas se o sujeito economizar mais do que gasta, focar em aumentar a renda pelo trabalho, utilizar alguns filtros fundamentalistas básicos e se manter fiel a isso por um período longo de tempo, a probabilidade de se ter um patrimônio razoável é bem grande.

      Abraço!

      obs: e a viagem para o Peru com a família, vai mesmo?

      Excluir
  3. Não acha 14% exagerado para taxa de desconto, para mim a taxa de desconto seria menor e minha expectativa de crescimento menor. Dessa forma acabei achando uma margem de segurança parecida com a sua.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, Land. A resposta ficaria muito grande e vou fazer um artigo a respeito.
      Sempre falo para o Márcio (Di Finance) que a série dele de como calcular o preço de uma ação foi uma das melhores séries que li na blogsfera, não pela complexidade, mas porque me fez entender conceitos fundamentais e ir atrás de conhecimento mais específico. Sendo assim, sugiro a todos a leitura dessa série que ele fez em 2012, se não me engano.

      Para dar uma resposta, eu creio que a taxa de desconto ficou até baixa. A taxa de desconto nada mais é do que = ativo livre de risco + equity premium. Veja, eu coloquei apenas 3% de prêmio acionário, fui um pouco otimista, mas fui assim porque é uma empresa sem qualquer dívidas, então acho que dá para ser mais otimista.
      Porém, isso é muito relativo. Pode ter gente que talvez ache que deveria ser 11% + 5% (um equity premium parecido com o prêmio histórico dos EUA). Menos como taxa de desconto eu acho complicado. Qual taxa de desconto você utilizaria?
      Poderia ser menos se você utilizasse o crescimento dos lucros de maneira real, daí você poderia utilizar uma taxa de desconto real, e menor portanto.

      Abraço Land!

      Excluir
    2. Eu uso 11% de taxa de desconto, no meu cálculo o equity premium é o IR de 15% para aplicações de renda fixa.

      Excluir
    3. Olá, pois é achei o seu premium muito baixo.
      Se fosse assim, bastaria comprar debentures incentivadas que estão pagando uns 12/12,5% aa, sem ter necessidade de exposição acionária.

      Abraço!

      Excluir
  4. Rapa, minha mão coçou para comprar mais GRND3 hoje, só que ele já está acima de 10% na carteira de ações, vendi uma posição de VALE hoje e estou procurando algo para comprar com o dinheiro, que pague bons dividendos. Tem alguma sugestão além dela? E se você fosse comprar outro FII neste mês qual seria?
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. UB, você é o homem das ações aqui meu! hehehe
      Eu estou voltando aos poucos ao estudo mais específico das empresas. Depois de quase mais de um ano apenas lendo sobre temas mais gerais de investimento em ações, eu quero dar uma apurada na minha carteira.
      Inclusive, apesar de dizer que não olho tanto as carteiras dos outros, tenho que confesar que dei um control c/control v nas empresas que você tem (umas 40 não?) e nas empresas que você aporta atualmente (umas 15 não?), vou dar uma estudada em todas nos próximos meses (o mercado brasileiro é tão pequeno, que podemos nos dar ao luxo de olhar mesmo que superficialmente boa parte do mercado).
      Assim, eu quero uma sugestão é sua! Como está a sua posição em STBP? Eu iria fechar a minha posição quando a ação chegou a quase R$22,00, (ia sair com uma TIR baixa, mas eu fiz posição nessa empresa com pouco estudo, foi um erro), mas esqueci e hoje a cotação voltou para os R$15,xx, tá parecendo uma gangorra.

      Sobre FII, eu vou comprando um pouco mais de BRCR, faz tempo que não compro FCFL, talvez aumentar um pouco mais (o yield não é tão alto, mas eu gosto muito do fundo pela duração do contrato).
      Porém, estou fazendo compras de aportes não muito altos, ainda creio que pode haver muito rebuliço em 2015. Em fevereiro desse ano comprei FII, mas não na quantidade que eu gostaria.
      Talvez o MAXR, depois da distribuição da renda gorda, abra pontos interessantes, apesar que nesse valor ainda é uma boa pedida.

      Abraço!

      Excluir
    2. Homem das açõies?! Té parece, rs

      Cuidado com aquelas 40 ações lá, tem muita bomba no meio, meu radar atual é este (organização por dy):

      CMIG3
      ETER3
      PSSA3
      BBAS3
      LEVE3
      GRND3
      CIEL3
      RENT3
      EZTC3
      CTIP3
      CCRO3
      ITUB3
      UGPA3
      TOTS3
      ABEV3
      BRFS3
      MDIA3
      ANIM3

      Sobre a STBP11, eu vendi metade do que tinha quando bateu 20,80. Guardei o restante para o futuro. Nos preços atuais eu não vendo, então fico colhendo dividendos enquanto isto. Realmente é uma empresa que irá saculejar muito daqui para frente, não vale à pena comprar mais. Vender pode ser uma opção, é assumir o prejuizo de cabeça erguida e seguir em frente.

      Também comprei um pouco de BRCR este mês, um pouco de KNRI também.

      Meus aportes também estão baixos, apenas metade das sobras mensais, estou acumulando a outra metade para a próxima depressão do mercado, acho que virá lá pelo fim do ano, rs.

      Excluir
    3. Sim sim, eu sei que tem as bombas (até grupo X tem hehe). Apenas anotei por curiosidade mesmo.
      Hum, vejo que você acrescentou uns nomes na lista.
      Algumas eu tenho, outras eu tive e vendi, algumas outros conheço, mas tem um grupo que não conheço quase nada (ANIM3, MDIA3, BRFS3, LEVE3, RENT3 E CTIP3).Vou escolher essas para dar uma analisada.

      Pois é, a preços atuais realmente não tem motivos, aliás acho que está ficando descontada de novo, mas realmente não é um papel que me chama mais atenção.

      Ah, e também há um integrante novo na família né, normal os aportes darem uma diminuída.

      Aliás, que história no mercado financeiro a sua hein, já levou vários tombos hein rapaz! Ainda bem que os meus tombos foram apenas algumas decisões não tão bem-feitas como FVBI, CEOC, STBP.
      Também tenho PRBC4 sem muito lucro ou prejuízo (se contar os dividendos), mas não tenho mais interesse em ter banco pequeno.

      Abraço!

      Excluir
    4. Acabou de sair o 2T14 da STBP11. E o resultado foi decepcionante. Meu PM nela é 19 e pouco. Se continuar nesse ritmo, deve cair para uns 10 até o final do ano. Será que vale a pena assumir o prejuízo? O que acham?

      http://www.mzweb.com.br/santosbrasil2010/web/download_arquivos.asp?id_arquivo=AD31EE96-2640-4745-B87F-8093041B4A14

      Excluir
    5. Olá Soul, vc poderia escrever um texto sobre seu "rating" de acoes?

      Excluir
    6. IL,
      Dei uma olhada por cima. Quero ver com mais calma. Difícil saber o que pode acontecer. Porém, se ela cair para R$ 10,xx começa a ser negociada abaixo do VP. O fato é que é uma empresa sem dívidas, importante no setor e que de uma maneira ou outra gera lucros. Porém, os últimos trimestres tem sido decepcionantes. É questão de ir acompanhando.

      Anônimo,
      Não tenho nenhum, e não sei se seria qualificado para tanto, pois ações possuem uma dinâmica muito mais complexa do que FII.

      Abraço!

      Excluir
    7. Dei uma reformulada nos meus 'rankings', depois dê seu cometário lá no meu blog, especialmente sobre os FIIs.
      Abraço!

      Excluir
    8. Vou passar lá sim, UB!
      Depois que terminar de estudar algumas ações, vou te encher o saco com algumas perguntas hehehe

      Abraço!

      Excluir
  5. Grande Soulsurfer,

    Estou sempre lendo e relendo seus posts sobre FIIs, no último fds eu comentei com o Investimento Em Valor que tinha o TBOF no radar, é sinal que estou sendo um bom aluno, hehe.
    Apesar de precificado, pensei que ele fosse cair mais com o fim da RMG, estou esperando nos 60,xx, será q chega?
    Dane-se a vacância, quero comprar pelo imóvel que é, aliás, muito bem ilustrado em sua postagem, altíssimo padrão, novo, moderno, no centrão de São Paulo, e com desconto, melhor impossível, o aluguel é um plus a mais.
    A vacância logo diminui ou até mesmo zera, questão de tempo, atualmente acho que está em 36%. Espero que até a semana que vem nós sejamos sócios. rs

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, O. Sardinha!
      Valeu!
      Então, eu acho que quando o preço está numa faixa razoável, às vezes ficar esperando cair 2/3% desnecessário. Aconteceu comigo em fevereiro, quando queria comprar bem mais NSLU, o preço estava ótimo (eu sabia que a renda iria aumentar bastante no segundo semestre com o fim do provisionamento e o reajuste), sabia que ia dar uma renda de 13% aa, mas ao invés de realizar a ordem a mercado em 148,xx, quis colocar a ordem a R$ 147,xx e não rolou.
      A mesma coisa com FIIP, que chegou em R$ 139,xx alguma coisa e coloquei a ordem a R$ 138,xx e não peguei.
      Portanto, eu vejo com mais parcimônia essa questão de esperar cair mais.
      Porém, não estou indicando você comprar ou não no patamar do mercado, apenas uma reflexão.

      Como disse, se a cota apanhar mais ainda pelo fim da RMG, motivo para comprar mais fortemente.

      Abraço!

      Excluir
    2. Soulsurfer, li um comentário seu, que seu pm no CEOC era alto, e que talvez em uns 62 seria uma compra interessante, pois estamos em 59,xx, considera ainda uma boa entrada ou esse FII não vale realmente a pena?

      Excluir
    3. Olá, Sardinha.
      Como o meu PM no CEOC é R$ 87,xx, eu tenho uma relação mais "passional" com ele heheh.
      Olha, esse é um fundo que tem é muito incerto o que pode ocorrer com ele. Não há nada alugado, e pelo que eu ando lendo a situação lá de oversupply na barra da tijucas pode ser bem grande.
      Porém, eu creio que a R$ 59,xx o risco é bem diminuído sim. O que está faltando lá é anunciar pelo menos uma locação a uns R$90.00 o m2 para da um ânimo.
      Porém, teria que saber o que você tem em carteira e quantos fundos para opinar mais objetivamente.

      Abraço!

      Excluir
    4. Soul, só tenho RNGO e XPCM, minha ideia é ter 12 de todos os setores mas sem RMG, CEOC é pergunta que vale milhão, seria só aposta com percentual pequeno.

      Abraço

      Excluir
    5. Esqueci de perguntar, vc aproveitou o repique pra girar o BBAS?

      Excluir
    6. Bom, então você só tem escritórios ainda. Numa carteira com 12 fundos, não sei se CEOC teria uma participação. Porém, se você quiser fazer uma aposta, nada do que colocar mais do que 4/5% ao máximo nele.

      Eu girei BBAS3 cedo demais, tinha um PM de uns 20,xx e vendi lá pelos 24,xx. É aquilo difícil acertar, eu errei, mas ao menos sai com um retorno razoável, pois além do ganho de capital recebi muitos dividendos nos 9 meses que fiquei com a ação.

      Abraço!

      Excluir
  6. Empresas sem dívidas são uma maravilha. Na maior parte das vezes, há lucro operacional e lucro financeiro, caso da Grendene, Arezzo , Hering etc.

    Mudando de assunto, já pensou em pedir licença sem vencimentos por um ano e surfar TODOS OS DIAS neste período ? Essa ideia de experimentar uma prévia de aposentadoria me parece muito promissora. Já pensou em um ano só de praia ???

    Abraços,
    Carioca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Imagina uns meses no norte do Peru e Equador, depois uns meses no Havaí, uns meses na Austrália, uns meses na Indonésia e uns meses em Fiji?
      Tentador....heheh

      Abraço!

      Excluir
  7. Como você gosta dos ensinamentos de Sidarta, coloco uns links interessantes abaixo.

    http://www.ted.com/talks/matthieu_ricard_on_the_habits_of_happiness


    O palestrante, Mathieu Richard, é um bioquímico que largou tudo há 20 anos para virar monge budista. Recentemente ele passou a colaborar com estudos de neurocientistas a respeito da felicidade.

    O outro vídeo é de um neurocientista que busca a relação entre dinheiro e felicidade. http://www.ted.com/talks/michael_norton_how_to_buy_happiness


    Espero que ache bacana.


    Abraços,
    Carioca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, carioca.
      Quando tiver um tempo vou dar uma olhada.
      Grato pelos links, só pelo tema já me interessei.

      Abraço!

      Excluir
  8. Soul, quall fii sem RMG parece promissor atualmente ? Um que tenha um yeld bom e pouca vacância.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      A lista é longa. Sugiro dar uma olhada lá no meu Ranking de FII que fiz há uns meses atrás, bem como resumo de quase todos os FII líquidos que fiz em fevereiro.
      Porém, posso citar de escritórios: RNGO e EDGA
      Logístico/Varejo: SDIL, HGLG (não é só logística), FIIP, RBRD.
      Educacional: FCLF

      Enfim, se você tiver algum em mente e eu puder ajudar, só perguntar.

      Abraço!

      Excluir
  9. Glorioso, posso te contatar por qual e-mail? Gostaria de umas dicas sobre a américa central..
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, deixe um e-mail que entro em contato.
      Qualquer coisa pode perguntar aqui mesmo.
      Abrço

      Excluir
    2. Soul, qual seu objetivo percentual em FIIs, acoes e RF?

      Excluir
    3. Ainda estou trabalhando nisso, pois muitas coisas estão acontecendo na minha vida.
      Porém. pretendo ter uns 25/30% em FII para me gerar fluxo de renda para minha IF.
      Ainda estou pensando na minha alocação em ações, bem como se vou fazer algum tipo de alocação internacional.
      Porém, com certeza pelo menos 40/50%, enquanto os juros no Brasil forem altos como são, quero ter em RF.

      Abraço!

      Excluir
  10. gabrielkonzen@hotmail.com

    Obrigado

    ResponderExcluir
  11. Soul, aquisições boas.

    Também entrei na GRND em preço semelhante (13,29), mas confesso que com um pé atrás. Minha esperança é que ela cresça nas exportações para ganhar em dólar.

    TBOF, como te falei antes, me interessa também, embora seja de escritório e RMG, fatores que me afastam. Ainda não tive a coragem, pois tenho em mãos o pepino chamado CEOC.

    Publiquei no blog minhas compras do mês, se puder analisar ficaria lisonjeado!

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. S. Guarda não perde a oportunidade de falar mal do seu CEOC, kkk
      Tem pesadelo?

      Excluir
  12. Olá meus amigos!
    Vou dar uma passada lá, se eu puder adicionar alguma coisa aos seus já ótimos comentários, o farei.
    Também não, mas creio que a esse preço possa ser interessante, mas podemos estar errados, faz parte.
    Pois é UB, esse CEOC na vida do guardião..hehehe
    daqui a pouco alguma empresa aluga tudo lá e a cota dá um repique, não para 87,00, mas para uns 74/75...

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que eu mais quero é ter minha língua queimada em brasas!

      Excluir
  13. Soul, boa noite!
    Estou contigo no TBOF...neste preco vejo como uma oportunidade.
    Queria q vc me contasse como vc enxerga a PETR3 hj..ve como uma oportunidade?

    Grande abraco.

    Guilherme_sp

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Guilherme.
      Olha, se tem uma empresa bastante analisado no Brasil é a Petro.
      Portanto, tudo o que eu poderia falar aqui não seria nenhuma novidade e poderia cometer inclusive cometer equívocos.
      Porém, eu creio que a empresa está com dificuldades (grande dívida, problemas no fluxo de caixa pelo preço do pretróleo, etc), mas ela bem ou mal ainda é uma empresa lucrativa. A empresa está passando por uma fase de grandes investimentos e grande intervenção política, talvez num futuro os investimentos vão colher resultados e a ingerência possa diminuir.
      Assim, se analisarmos os múltiplos da ação, é possível ver deságio sobre o VP, um P/L atual que pode ser pequeno se a produção do pré-sal realmente vingar, o que pode vir a ser um bom investimento no médio/longo prazo de maturação (lá por 2020).
      Se estiver cientes dos riscos e do fato que pode ser um investimento para se ter um horizonte mais longo, talvez possa ser interessante PETR3.

      Abraço!

      Excluir
  14. Olá Soulsurfer!

    Acompanho seu blog já algum tempo e gosto bastante das suas reflexões sobre investimentos. Recentemente li um artigo do Robert Merton sobre a crise nos planos de aposentadoria nos EUA que gostaria de compartilhar com você e os demais leitores do blog.

    O artigo trata sobre a diferença entre volatilidade de rendas futuras e volatilidade nos preços.

    http://www.hbrbr.com.br/materia/crise-no-planejamento-da-aposentadoria

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, BOB!
      Grato pelo artigo colega, gostei bastante.

      Abraço!

      Excluir