sexta-feira, 25 de julho de 2014

REFLEXÃO - A REPÚBLICA DOS ADVOGADOS

                "A maioria  não tem apreço pelo que entende, e o que não compreendem ,veneram. Para serem estimadas, as coisas tem de custar: será celebrado tudo que não for entendido." (Baltasar  Grácian - 1647)

                 Olá, colegas! Nessa semana estou  mais motivado, e com várias idéias na cabeça. O artigo de hoje será curto, e talvez surpreendente para alguns. Vou falar sobre o número de faculdades de direito e de advogados no Brasil, e vou dar a minha reflexão sobre a razão dos números.

                Primeiramente, os colegas acham que seriam necessários mais advogados num país  onde há muita legislação e desconfiança mútua entre os membros da sociedade  ou numa nação onde a legislação é mais contida e a confiança um insumo importante do tecido social? A resposta óbvia seria apontar que o segundo país provavelmente vai precisar de menos advogados, pois seria uma questão econômica de oferta e demanda: como a confiança prevalece, não há tantos conflitos, não gerando demanda, o que acarreta uma diminuição da oferta de serviços jurídicos. Até aqui tudo muito intuitivo.

                Somos brasileiros e sabemos que o nosso país é complicado do ponto de vista de legislação. Legislação tributária extensa e confusa, leis previdenciárias complexas, leis longas e às vezes mal redigidas regulando quase todo aspecto da vida social.  Não acredita? Basta ver que o Estado agora quer regular até mesmo a relação de criação entre os Pais e os filhos, na famosa “Lei da Palmada”.  Soul, os pais não podem agredir os filhos. Claro que não podem, mas isso já era considerado errado, e em alguns casos tipificado até mesmo como crime. Logo, excessos já eram proibidos com a legislação vigente, mas se inventou de criar uma lei sobre esse tema.

                Além de termos uma legislação em abundância, a confiança não é o forte nos nossos relacionamentos do dia a dia. Quer comprar um imóvel? Contrate um advogado e tenha 10 pés atrás para não ser enganado. Quer fazer uma negociação comercial maior? Contrate um advogado e tenha 10 pés atrás para não ser ludibriado. A desconfiança impera hoje em dia no Brasil, o que é algo muito ruim, pois além de afetar os negócios (a confiança é a forma mais fácil e barata de se ter dinheiro), afeta também o nosso próprio bem-estar coletivo.

                Portanto, nós temos muitas leis,  algumas delas bem complexas, e um ambiente de falta de confiança mútua. Pelo meu raciocínio esboçado no segundo parágrafo, era de se esperar que aqui fosse um solo fértil para a existência de advogados. Os colegas que me conhecem um pouco sabem que gosto de quantificar as coisas. Ok, aqui é um solo fértil para advogados, mas quão fértil é esse solo? Muito é a resposta.

                O Brasil possui mais faculdades de direito do que todos os outros países do mundo juntos. Eu vou repetir o dado: em todos os outros países do mundo há menos faculdades de direito em número absoluto do que no Brasil. Um levantamento de 2010 apontou que o Brasil possuía 1240 cursos de direito contra 1100 no resto do mundo, ou seja, há 13% a mais de faculdades no Brasil do que no resto de todo o mundo. Olha, mesmo sendo da área e tendo refletido sobre o tema durante anos, esse número é completamente surpreende para mim. Para se ter ideia do gigantismo do Brasil nessa área, o Brasil forma bacharéis em direito todo o ano na mesma quantidade do número absoluto de advogados existentes na França.  É muito advogado. Todas essas informações podem ser consultadas aqui http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/brasil-recordista-de-cursos-de-direito-no-mundo/.

                Colega, os princípios econômicos geralmente se aplicam a perfeição em casos mais simples como esses. Só há um número exagerado de faculdades de direito porque o nosso país produz uma demanda exagerada por advogados. Seu pai faleceu? Se o patrimônio for razoável e houver uma mínima divergência entre os herdeiros, se prepare para anos no Judiciário, bem como para dividir a herança com novos herdeiros: os advogados. Contratou funcionários pela CLT, prepare-se porque em breve você vai precisar de um advogado. Quer pagar tributos e estar quites com todas as receitas federal, estadual e municipal? Prepare-se porque muito provavelmente vai precisar de um advogado.

                A demanda por serviços jurídicos é imensa no país, e por causa disso a oferta também tem que ser imensa. Fôssemos um país com uma legislação mais enxuta, onde a confiança prevalecesse mais sobre a desconfiança e com certeza o número de advogados seria bem menor.

                É evidente que a função do advogado é importante numa democracia, não há qualquer dúvida sobre isso.  Porém, uma sociedade onde o direito toma uma prevalência descomunal simplesmente sufoca esta mesma sociedade, principalmente na área produtiva da mesma. Precisamos de advogados, bons advogados, mas precisamos muito mais, no estágio atual do país, de bons engenheiros. Num país em que se forma mais advogados do que engenheiros (atualmente se formam entre metade e dois terços de engenheiros para o número de formados em direito)  vai ser difícil concorrer em pé de igualdade com potências tecnológicas.

                Não acredita? Na China, se formam atualmente cerca de 650 mil engenheiros, enquanto no Brasil são apenas 40 mil. São 16 vezes mais engenheiros formados por ano na China, enquanto a população lá é aproximadamente seis vezes maior. Logo, na China se formam quase 300% a mais de engenheiro per capta do que no Brasil (ver dados aqui http://www.confea.org.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=15360&sid=1206). Fica claro que a China está dando passos largos para ser um país de alta tecnologia num futuro não tão distante, enquanto o Brasil vai ficando cada vez mais para trás.

                É isso colegas, torcemos para que num futuro não muito distante, nossa sociedade possa produzir leis mais eficientes e enxutas, e que a atração por matérias ligadas a ciência atraiam mais cérebros do que matérias ligadas única e exclusivamente a solução de conflitos sociais. O desenvolvimento do nosso país precisará disso.

                Abraço a todos!


34 comentários:

  1. Concordo com sua opinião, soulsurfer. Realmente um país que precisa de tantos advogados não possui uma boa legislação.

    Abs!

    http://caradegatow.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Não li o artigo mas com certeza irei ler no fim de semana, aproveitando o assunto, uma pergunta: porque os formados em direito tem que fazer cursinho para OAB? Até os formando das melhores faculdades?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uorrem Bife
      Sou estudande de Direito, prestes a me formar e estagiando na area.
      Temos de fazer preparatorio para OAB porque o nível da prova ultrapassa o razoavel, a ideologia publica do exame é avaliar o conhecimento do aluno entretanto na realidade o que o exame faz é arrecadar fundos para a OAB, que ganha nas duas pontas afinal por cada reprovação o individuo paga R$260,00 de taxa de inscrição e se o individuo passa paga a anuidade de um pouco mais de R$900,00 para não ter quase retorno nenhum, o negócio é tão bom que até estagiário tem de pagar 50% da anuidade cobrada ao Advogado.

      Excluir
    2. Olá colegas,
      Na verdade como no Brasil teve uma proliferação de cursos de direito, a OAB tenta de alguma maneira barrar o ingresso de tanta gente no mercado. Creio que a média de aprovação é de apenas 15%, ou seja 85% das pessoas ficam de fora.
      Eu comentei apenas do número de advogados, eu nem comentei sobre a qualidade dos advogados que estamos formando.

      Abraço!

      Excluir
  3. Mais um post ótimo. Seu blog está se tornando um dos mais interessantes da blogosfera. Não somos apenas materialistas grosseiros, segundo o Pondé. Nem vivemos em busca de meretrizes maravilhosas, vulgarmente conhecidas como gps tops.

    A meu ver, uns 60% dessas faculdades são uma piada, apenas máquina de dinheiro. É mais fácil e barato montar um curso de Direito, Letras, História do que uma Engenharia que precisa de laboratórios, reagentes caros, técnicos que precisam contribuir para o FGTS e INSS. Há menos custos numa faculdade de Direito.


    Por outro lado, historicamente o Direito sempre foi a profissão das classes abastadas no Brasil, assim como a Medicina. A Engenharia só teve mais status depois do gastão JK , dos governos militares. Como agora a classe c quer mais status e NÂO sabe calcular 10% de R$ 100, ou seja são analfas matemáticos. Dá status dizer que faz Direito.


    Para variar, o estado tem culpa nisso. O MEC e a OAB deveriam fechar as piores, pois há muitos analfabetos que saem com diploma e, após 8 tentativas, desistem de passar na prova da Ordem.


    Sei que existem críticas ao exame, mas imaginem como seria se ele não existisse???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      Obrigado pelos elogios.
      Concordo com suas ponderações. É realmente muito mais fácil montar um curso de direito do que de engenharia, até porque é muito mais fácil achar professores de direito do que de algumas matérias de engenharia.
      Como realmente a fiscalização do MEC não é das melhores (a OAB não tem qualquer ingerência nisso), sobra para o exame da ordem tentar fazer um filtro nos profissionais. Porém, o exame da ordem não é um filtro assim tão bom, e a quantidade de advogados despreparados é imensa, o que não deixa de ser um risco, pois afinal eles estarão lidando com a liberdade, direitos e bens das pessoas.

      Abraço!

      Excluir
  4. Soul, vou falar algo que é achismo, mas já li vários comentários de engenheiros formados em universidade federal que só conseguiram emprego em concurso. Não estamos com tanto crescimento que justifique a contratação de um profissional tão caro.

    Por outro lado, o direito dá a ilusão de que o indivíduo vai trabalhar em casa, vai pegar casos fantásticos. Mas a realidade é meio feia. Já conheci uma advogada que trabalhava como camelô...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega!
      Claro, um país que cresce gera mais possibilidade de empregos na engenharia. Porém, como um país vai crescer sem um número adequado de engenheiros? É uma situação difícil.

      Sim, o direito possui essa ilusão mesmo, e é um curso que te abre as portas para muitos concursos públicos com boa remuneração. A concorrência é cada vez maior, também tendo esse número incrível de faculdades, talvez nem o nosso sistema jurídico complexo e complicado comporte tantos profissionais assim. Temos uma demanda aquecida, mas uma oferta muito aquecida também.
      Abraço!

      Excluir
  5. Cara que incrível, como um país pode ter mais faculdades de direito do que o resto do mundo todo? De fato a desconfiança impera, aliás, o problema não é a desconfiança e sim a Malandragem.

    Sou empresário no Brasil, e fui empresário na Australia e Indonesia, não levanto suspeita nem nada que não possa falar. O número de pilantras que chegam a mim no brasil é disparadamente maior. Como não ter o pé atrás?

    É uma lástima, um local onde palavras são baratas e tirar vantagem é na mesa de muitos visto como piada.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os maiores malandros estão na política. PSDB,PMDB, PT todos os partidos só conseguem se eleger graças à malandragem nos financiamentos esdrúxulos de campanha.

      Infelizmente, a cultura da "esperteza" domina até as relações familiares, vide o número de mulheres malandras que arranjam amantes para ter vantagens materiais, presentes.

      Parece que essas são algumas das razões para se haver tantos advogados. Muitos querem se dar bem sem saber fazer uma conta simples.

      Podemos crescer e melhorar, mas vai ser um pouco demorado.

      Excluir
    2. Giga,
      Eu tinha lido que você tinha morado na Austrália e Indonésia. São dois países que quero morar. Agora leio que você foi empresário lá.
      Pô, que massa cara! Não quer contar um pouco a história não. Adoraria saber como foi sua experiência na Austrália e na Indonésia (onde na Indonésia?).

      Abraço!

      Excluir
    3. Colega,
      Realmente a reforma política é uma necessidade premente. Voto distrital poderia ser uma boa solução. Infelizmente, acho que sem muita pressão da sociedade uma reforma dessas não sai.

      Abraço!

      Excluir
  6. A Fani, ex BBB, é bacharel em Direito, mas não passou na prova da OAB...

    Com 75% da população adulta brasileira analfabeta funcional e 98% analfabeta financeira, é meio difícil este país ter muita lógica e bom senso. Estamos numa terra surreal. No entanto, ela permite ganhar proventos de fiis sem pagar imposto. Alguma coisa boa tinha de ter .


    O número de faculdades de Direito é um dos reflexos disso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, inclusive escrevi sobre isso num artigo sobre as vantagens de ser um investidor brasileiro.
      Valeu!

      Abraço!

      Excluir
  7. Amigos, o Brasil é o país das distorções...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, em algumas coisas realmente o é mesmo.

      Excluir
  8. Não é a toa que estas leis são redigidas desta forma: se fossem fáceis de se ler e interpretar boa parte desta necessidade de advogados ia desaparecer.

    Como esperar que as leis mudem, se uma penca de gente se beneficia delas do jeito que estão. Se do dia para a noite todos confiássemos uns nos outros e nossas leis se tornassem mais simples, imagino o que seria desta galera toda ai.

    ótimo texto como sempre, soul!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Investidor Casado!
      Eu mesmo às vezes tenho até dificuldade de entender o que estão escrito em algumas leis. Há certos artigos que são tão mal redigidos que são verdadeiras fontes de discussão judicial nos Tribunais.
      Esse é um ponto interessante. Como esperar uma reforma política, se vai prejudicar os políticos atuais? É difícil, mas num determinado momento terá que ser feito.
      O estado de coisas no Brasil será de longa maturação, portanto o que talvez possamos fazer é tentar construir um país para os nossos filhos e netos onde a confiança seja um insumo importante nas relações comerciais, bem como algo natural nas relações sociais.

      Abraço!

      Excluir
  9. Senhores, experimentem conversar com alguns desses estudantes de Direito das Uniesquinas...A coisa está feia, eles estão se sentindo universitários, desejam uma festa de formatura, mas sabem que o destino é voltar para o emprego de dois salários mínimos. É apenas um sonho.


    Nossa educação pública é pavorosa, os mais pobres comerão grama por muitas décadas ainda. Somos um país cheio de maluquices....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      É uma realidade para muitos estudantes de direito mesmo.

      Abraço!

      Excluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guardião, infelizmente quando se fala da SELIC e a inflação, muitos analistas se esquecem de dizer que há uma parcela do crédito no país quase insensível a aumentos na SELIC. São os créditos incentivados. No governo DILMA esses valores chegaram a quase 50% de todo o crédito concedido no país, não é à toa que o BNDES aumentou os empréstimos em algumas centenas de bilhões de reais. Esses empréstimos vem de algum lugar, do endividamento do tesouro, não é à toa que a dívida bruta não para de crescer e no mês passado atingiu 2,2 Trilhões.
      Sendo assim, não adianta aumentar juros e tentar enxugar a oferta monetária de um lado, e aumentar a oferta monetário de outro lado seja com empréstimos subsidiados ou com liberação do compulsório. Nessa semana, além do compulsório, o tesouro liberou mais 30 BI para o BNDES emprestar, ou seja o governo não está ajudando o trabalho do banco central em combater a inflação. Aposto que o governo deve estar ficando muito preocupado com previsões de crescimento na base de 0,7/0.8% para esse ano (o que é muito ruim), justo um ano eleitoral, e está querendo de alguma maneira extrair alguma melhora na economia.
      É por isso que alguns economistas dizem que a SELIC deveria estar em 15/16% para trazer a inflação para o centro da meta, pois como metade da oferta de dinheiro não é impactada por aumentos da SELIC, o aumento de juros tem que ser bem maior para ter força em trazer a inflação para baixo.
      Eu não sei se eles estão certos, pois nem economista sou, porém é inegável que estão fazendo bagunça com a política monetária. Os analistas mais sérios falavam em apertar o compulsório ao invés de aumentar juros, não liberar o compulsório.
      Enfim, vamos ver. Quem sabe não rola mais umas promoções nos FII tipo aquela de fevereiro.

      Abraço!

      Excluir
  11. Sobre o texto :

    1) Há inúmeros cursos de direito, dos quais 80% sem sombra de dúvidas são meramente caça-níqueis;

    2) 80% dos estudantes de direito não querem exercer, mas sim ganhar base para prestar concursos públicos;

    3) OAB tenta ao mesmo tempo regular o bacharel de formação medíocre, cuja faculdade não foi de$credenciada pelo MEC, além óbvio de gerar reserva de mercado;

    4) Não precisamos de tantos advogados / habitante como temos aqui as escolas formando... Os bons advogados são prejudicados pela banalização da profissão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, guardião!
      Concordo plenamente.
      Você que gosta da cultura japonesa, sabia que uma das profissões mais valorizadas é a de advogado? É dificílimo ser advogado no Japão e é uma profissão extremamente respeitada.
      Também pudera, deve ser só casos realmente importantes que precisam de advogados.
      Os advogados são essenciais numa democracia, e em certas matérias tem que ter advogado com conhecimento especializado. Agora, qualquer relação do dia a dia virar caso de advogado é uma distorção completa das funções do direito e da função dos advogados dentro de uma sociedade.

      Abraço!

      Excluir
  12. Impressionante o número do total de faculdades! Fiquei de fato surpreso!

    Soul, até que ponto vc acha que há envolvimento da OAB e governo para manter essa estrutura burocrática no Brasil intocada (na verdade, piora ano a ano...)? Seria um lobby fortíssimo que impede os agentes públicos de realmente desburocratizar o país?

    Belo artigo! Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, André.
      Eu não sei. Gosto de especular em termos abstratos, em termos mais concretos eu gosto de fatos e números.
      A OAB sempre se posiciona contrariamente ao aumento de faculdades de direito. Por outro lado, quanto mais advogados, mais forte a OAB fica. Hoje a OAB é um ator importante no cenário brasileiro.
      Saiu uma pesquisa da datafolha, e a OAB foi considerada a instituição mais respeitada entre os brasileiros, acima dos bombeiros, por exemplo.
      Enquanto o governo, não sei sinceramente. Eu acho que há muita ineficiência, há muita gente "deitada em berço esplêndido". Há 20.000 cargos de confiança na Administração federal, enquanto na Inglaterra há 200. Há, como muitos colegas já disseram, inúmeras distorções em nosso país.
      Valeu pela visita André.
      Você tem um e-mail em que eu possa falar contigo?

      Abraço!

      Excluir
    2. Soul, eu não tenho muitas informações da OAB para julgá-la. Mas posicionar-se a favor do decreto 8243 foi surpreendente, não acha?

      Meu email é viagemlenta@gmail.com. Abraço!

      Excluir
  13. Fala, soul,

    a primeira vez q vi esse número de cursos eu não acreditei. É um número completamente insano!!!!!!

    Uma legislação muito engessada realmente impacta no todo, como é o nosso caso, infelizmente (advérbio este muito utilizado ao falarmos do nosso próprio país).

    obs - sobre a questão dos engenheiros formados na China, há questionamentos. Li uma vez que seria na verdade em torno de 100-120mil (infelizmente, não lembro a fonte). A questão é que muitos dos "engenheiros" formados na China são considerados técnicos na maioria dos outros países.

    obs2: nosso amigo comentou acima que o mercado não está muito bom atualmente para engenharia (e realmente não está). Mas também, as empresas querem empregados jovens, com experiência e bi-trilíngue. Não estariam as empresas exigindo também um pouco demais? hehe
    Essa dobradinha jovem com experiência é de lascar.

    []s!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Márcio!
      Realmente, eu não sei se o número é correto ou não. Eu vi o número naquela fonte que citei e também numa reportagem da BBC (que teoricamente é uma fonte bem confiável), mas eu não a citei no texto.
      Se forem apenas 100 mil engenheiros, então o Brasil não está tão mal, pois estaria formando mais engenheiros do que a China em termos proporcionais.
      Realmente, é exigir demais de um jovem. O pior é que coloca uma pressão muito grande. Um jovem engenheiro para mim precisa estar motivado, e ter um conhecimento técnico bom. Se tiver as duas coisas, tenho certeza que é capaz de fazer um ótimo trabalho.

      Abraço!

      Excluir
  14. Soul

    Nao sei se a tua comparacao com a china e apropriada no que se refere aos advogados. Isso porque nao e crivel que a china seja um estado de direito. Na ditadura o advogado e o direito sao desnecessários. Claro que a ditadura chinesa e inteligente. .. tem que crescer gerar prosperar... dai o numero de engenheiros.

    Nao sei ja trabalhastes em contratos com estrangeiros. Minha experiencia e que eles sempre estao com advogados... pode ate haver negociacao de boa fe... mas os advogados dos estrangeiros estarao la... e nao sao advogados brasileiros contratados para assessora-los. Vem o gringo mesmo... ou seja, os caras nao dao ponto sem no. O que penso ser salutar. As disputas legais nao sao sobre questoes objetivas das que se ve em concurso público do tipo certo ou errado.. existem nuances que podem levar o caso para um ou outro lado. Por isso as tratativas contam com advogados...

    Eu acho que cautela nunca e demais. Se a pessoa tem grana, deve contratar, mas tb concordo o exagero em algumas coisas na legislacao que demandam advogados como o inventário, divórcio e, nao sei se sabes, mas todo contrato social, para ser valido depende de um visto de um advogado. Exageros do brasil... mas ai ja e outro assunto..

    De resto... numero grande de faculdade de direito pode parecer um contrassenso, porem acho que o mercado se autorregula. Uns ficam na advocacia privada, outros concurso para quem tem oab, outros concursos de tribunais que exigem somente formacao em direito etc... afinal fazer direito nao serve somente para advogar, mas tb te uma base forte para qq concurso publico... ate de segundo grau.. entao penso que esse público consumidor de faculdade de direito tem um foco de uso do diploma ou do conhecimento de forma bem ampla.

    E o meu comentario aocteu post e respeito tua opiniao.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Trader!
      Como disse no texto advogados são essenciais para a democracia, não se concebe, pelo menos em termos modernos, um estado democrático sem advogados livres para exercer o seu mister.
      Também concordo contigo que é sempre bom ter cautela. Entretanto, veja que eu posso confiar em você e ter cautela ao fazer uma negociação contigo e posso estar acompanhado de um advogado. Negociar bem, entender bem o que estamos fazendo (com aconselhamento de um advogado se preciso) não é sinônimo de desconfiança, mas como bem retratado por você de cautela.
      O problema é quando além da cautela básica as pessoas se tornam desconfiadas, e o que é pior, desconfiadas em relação a quase tudo. Num ambiente assim além da qualidade de vida decair, os próprios conflitos emergem com mais facilidade, e quando há conflito há advogado.
      Eu não tenho experiência em negociar com estrangeiros, o que eu sei é que eles sentem receio de entrar no Brasil, pois sabem que aqui é um país complexo do ponto de vista legal e regulatório.
      Em grandes transações é mais do que natural a presença de advogados para aconselhar as partes. Há realmente matérias no direito que necessitam um grande conhecimento técnico. Isso acontece em qualquer lugar do mundo. Porém, no Brasil qualquer problema ou qualquer negociação às vezes vai precisar de um advogado, isso para mim é gera uma distorção.
      Claro, o mercado vai se auto-regulando, mas só há tantos cursos de direito, em minha opinião e posso estar equivocado, pois há uma demanda exagerada no Brasil por serviços jurídicos.
      Quando a China você tem toda razão, mas a comparação que eu fiz foi com engenheiros. Como a China tem alguns problemas com direitos humanos (e muitos países ocidentais também o têm), realmente os advogados lá não devem ter tanto espaço, o que em minha opinião realmente é ruim.
      Valeu pelo comentário trader, foi um bom comentário e apenas engradece o meu espaço, o que eu agradeço.

      Abraço!

      Excluir
  15. Soul,
    Excelente post, mais uma vez.

    Me surpreendi com os números, pois não tinha a menor ideia sobre as faculdades de direito. O problema é que algumas faculdades são simplesmente criadas mas pouco se pensa na efetiva formação de profissionais. Tenho muitos colegas dentistas que reclamam do grande número de péssimas faculdades de odontologia, que por consequência formam péssimos profissionais. Lembra daquela piada que "Fulano passou na porta da faculdade x, deixou cair o RG e quando foi ver, ele, a mãe e o pai estavam matriculados na faculdade". Infelizmente não estamos tão distantes de situações como estas.

    Com respeito aos engenheiros, outro ponto crucial, é a qualidade, pois além da quantidade menor de engenheiros, dá pra imaginar qual a comparação em termos de qualidade dos engenheiros formados aqui e em países do primeiro mundo? (neste caso não estou falando da China, obviamente).

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, EI! Grato, colega.
      Sobre a odontologia, em que pese uma possível falta de qualidade de muitos profissionais, eu já ouvi diversas vezes que aqui temos uma odontologia de ponta, e talvez a melhor do mundo.

      Aí eu não saberia mensurar a qualidade dos engenheiros. Entretanto, lembro uma vez um amigo meu que era extremamente inteligente (faz anos que não o vejo, e o cara tinha pós-doutorado em física e era professor de uma federal), disse que ao dar aula em uma faculdade de engenharia privada disse que teve que ouvir de um aluno que a raiz quadrada de 2 mais a raiz quadrada de 3 era igual a raiz quadrada de 5.
      Aí, realmente fica difícil heheh

      Abraço!

      Excluir