sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

INDEPENDÊNCIA FINANCEIRA


Olá, prezados leitores.  Independência Financeira, a expressão mágica que cativa a tantos que frequentam esse espaço. Traduziram uma expressão do inglês, e adicionaram Aposentadoria Precoce à expressão mágica (Para quem não conhece, FIRE - Financial Independe Retire Early. Eu pessoalmente sempre achei uma bobagem traduzir essa expressão para o português). Lendo na última semana  alguns artigos, foram levantados questionamentos se vale a pena parar de trabalhar, especialmente pelo conhecido blogueiro Corey. Pessoas escreveram artigos tentando colocar outras perspectivas, comentários dos mais variados foram escritos, e eu resolvi falar sobre o assunto.

Por qual motivo? Porque o acho extremamente interessante atualmente? Não, por mim estava mais a fim de falar sobre o hormônio insulina, e minhas experiências de meses com o uso de um monitor contínuo de glicose implantado em meu braço.  Mas, deixo esse assunto relacionado ao tema de “biohacking” para outra oportunidade.

NUANCE. Sim, em letras garrafais, nuance. Por qual motivo diversos textos meus se esforçavam, ao menos na época que possuía mais empolgação com esse espaço, a falar sobre nuances? Porque a vida é complexa e cheia de nuances. Simples assim. Foram tantos e tantos artigos nesse espaço tendo essa temática como pano de fundo. O último, por exemplo, sobre o Irã e o escritor Taleb, é um texto basicamente sobre nuance.

Quando se descobre que quase tudo na realidade possui camadas de complexidade, a vida se torna mais difícil, mas muito mais interessante. Não existem respostas simples para questões existenciais complexas que atormentam pensadores há milhares de anos, meus amigos leitores.  Porém, há alguns caminhos.

Algum tempo atrás escrevi sobre o ranking da ONU de felicidade dos países. Quase ninguém conhece, alguns que ouvem a respeito criticam sem saber do que se trata, quem procura conhecer um pouco vê que é uma métrica extremamente interessante. Não vou entrar em detalhes, mas basicamente são analisados os seguintes parâmetros: a) renda; b) liberdade; c) coesão social; d) generosidade entre membros da comunidade e e) qualidade da saúde da população.

Sim, os leitores libertários, ou aqueles que gostam e defendem a liberdade, tem razão, ou parcial razão. Uma vida sem a possibilidade de fazer escolhas livres, sejam econômicas ou políticas, é uma vida empobrecida. Porém, tudo se resume a isso? Pessoas fazendo escolhas livres? Ou isso é uma descrição incompleta da realidade?

Sim, os leitores com viés chamado “progressista”, tem razão, ou parcial razão. Sentimentos como generosidade, coesão social provocada por uma sociedade que não possua muitas fraturas e diferenças abissais entre os seus membros, também provocam bem-estar humano, e por via de consequência felicidade. Porém, será que com apenas generosidade é possível fazer uma empresa de aviação comercial operar 2000 voos diários pelo mundo afora ou é necessário incentivo econômico? Será que os seres humanos não precisam ser desafiados e recompensados de maneira diversa?

Sim, os leitores que querem mais e mais dinheiro, possuem razão, ou ao menos uma razão parcial. Países com maior renda possuem populações mais felizes. Stress financeiro é uma fonte enorme de ansiedade, transtornos pessoais, desequilíbrios mentais, ou seja, de uma vida mais infeliz. Porém, a solução para os problemas da vida é mais e mais crescimento econômico apenas? Para alguém que possui R$ 20 milhões, ganhar mais R$ 10 milhões irá resolver os seus problemas existenciais? Seus problemas familiares? O seu filho passará a não consumir cocaína por causa disso? Parece-me evidente que a vida é muito mais do que isso, e que há um limite a partir do qual mais dinheiro não se transforma em mais satisfação ou bem-estar, e há uma tonelada de estudos científicos mostrando exatamente isso.

Por fim, eu tenho razão nos últimos 12-18 meses, ou pelo menos parcial razão, de refletir que o nosso principal bem é um corpo saudável. Do que adiante liberdade, dinheiro e generosidade alheia, se estou fraco, sem saúde, doente, sem a possibilidade de fazer movimentos mínimos, sem a possibilidade de aproveitar o que a vida oferece?  Mas, uma saúde otimizada, um corpo forte, no meio de uma sociedade enfraquecida, com problemas financeiros, e sem generosidade ou coesão social, poderá atingir todo o seu potencial? Do que adianta estar saudável se sua família está adoecendo?

Logo, a vida é composta por uma série de circunstâncias, algumas sobre nosso controle, outras nem tanto, das mais variadas formas e sabores, e é o conjunto dessas circunstâncias que fazem uma vida ser melhor, ou não, vivida.

Portanto, se tornar independente financeiramente, é uma parte apenas de um grande emaranhado. A melhor independência financeira não é ter um monte de dinheiro, mas sim “fazer o seu trabalho como se fossem férias”.  Achar algo significativo, algo que produza valor para si próprio e para outros.  Ter dinheiro apenas facilita que esse algo significativo não necessariamente daí precisa estar atrelado a um retorno financeiro. Um músico pode amar o que faz, mas ele tem contas a pagar, tem desejos de consumo, e é necessário um retorno financeiro. Um músico com alguns milhões pode se dedicar à sua paixão sem ter essa preocupação. Por outro lado, um músico com alguns milhões talvez não tenha a sede e o apetite que um músico que depende a sua vida do retorno de sua arte disso possui. É complicado, e não há certo ou errado.

Possuir dinheiro, perder a necessidade de trabalhar para alguém, não vai transformar um relacionamento ruim num relacionamento maravilhoso. Não vai fazer com que o seu filho o respeite mais, ou que você ache a iluminação. Não. Porém, pode dar o tempo suficiente para que essas transformações sejam mais factíveis de ocorrer, pois tudo que vale a pena na vida quase sempre envolve esforço. Criar um relacionamento forte com o seu filho exige tempo e esforço. Tornar-se faixa preta de Jiu Jitsu exige esforço e tempo. E, como já dito diversas vezes nesse espaço, e parafraseando o grande ex-presidente Mujica, “TEMPO NÃO SE GANHA, TEMPO SE GASTA”

Em relação ao tempo, todos nós somos consumidores.  Possuir certa quantidade de dinheiro, apenas possibilita que uma fração maior de tempo possa ser dedicada para que inúmeras transformações positivas possam ocorrer na vida.  Ter dinheiro não garante que essas transformações ocorreram, apenas possibilita, se a pessoa for sábia, a um uso mais consciente da sua poupança de tempo.

Você, prezado leitor, se possui quase 40 anos, não apenas possui mais uns 40-45 anos (se tudo der certo) de vida, mas como você já morreu 40 anos. A morte já ocorreu para você prezado leitor, e ela ocorre dia após dia.  Tic Tac, Tic Tac, o seu encontro com ela fica cada vez mais próximo. O seu tempo cada vez diminui mais, e não o contrário.

A solução para esta angústia existencial é viver. Viver bem. Viver da melhor maneira possível. Dia após dia, semana após semana, esse é o meu objetivo. Alguns dias eu vou muito mal. Brigo com a minha mulher. Perco tempo com alguma bobagem. Alguns dias eu vou muito bem. Leio um brilhante artigo científico, consigo acordar cedo e pegar onda sem roupa de borracha, troco apenas sorrisos com a minha mulher, aproveito essa frase incrível do desenvolvimento com a minha filha de um ano,  faço exercício intenso, como uma pizza deliciosa, encontro com amigos. Uau, isso sim é um dia bem vivido.

Tic, Tac. Viva, meu amigo prezado leitor. Lembre-se que a vida é complexa, as questões quase nunca são simples , e a nuance é a que traz cor e sentido para a realidade que nos cerca. A independência financeira é um instrumento para atingir uma boa vida. Eliminar o stress financeiro e o desperdício de tempo e energia em atividades não tão satisfatórias realizadas apenas por dinheiro, é um grande salto de qualidade de vida. É o único instrumento? Claro que não. Dizer bom dia para os seus vizinhos e construir uma boa relação com os mesmos é outro. Encontrar significado e sentido é mais um. Há tantos outros. O dinheiro e a independência financeira são apenas instrumentos, nunca fins em si mesmos. E eles são apenas uma ferramenta entre tantas outras.

Fácil? Não. Complicado? Muitas vezes. Desafiador? Sem dúvidas. Essa é a vida, essa é a minha vida, essa é a sua vida. Somos protagonistas das nossas próprias tramas, num grande teatro onde não há ensaios, e onde a peça sempre se desenrola no aqui e agora. Cabe a nós tentar ser os melhores protagonistas possíveis desse nosso drama, até que as cortinas abaixem definitivamente.



28 comentários:

  1. Olá, Soul.

    Parabéns pelo excelente post. Dinheiro não é tudo, mas dá liberdade. Claro que alguns sempre estão em busca de mais e isso acaba só quando a morte chega.
    Eu busco a IF para me proporcionar mais liberdade e sair da corrida dos ratos. Ter mais tempo com a família e fazer o que eu quiser sem ser obrigado.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Cowboy!
      Grato pelo comentário, amigo. Bons objetivos os seus.
      Um abs!

      Excluir
  2. Soul, mais um belissimo texto. Acompanho a uns 2 anos alguns blogs da esfera financeira, e o seu é um dos que possui uma escrita muito clara. Pretendo criar um blog para outra esfera da sociedade, me tira duas dúvidas se for possível: 1) Quanto tempo você leva para criar um texto como esse, que não possui um estudo mais complexo como alguns que você produz. 2) Qual conselho me daria para produzir textos claros, cativantes para meu público?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      Agradeço as gentis palavras.
      1) Um texto como esse eu escrevo no intervalo de alguma atividade. Uns 30-45 minutos. É uma forma de descanso para mim escrever textos como esses.
      2) Estou longe de ser um bom escritor, tenha plena consciência disso. Porém, desde que comecei a escrever em 2014, com certeza melhorei na arte de escrever. Simplesmente porque eu exercitei mais essa habilidade. Eu não sei o que te sugerir, amigo. Porém, para não deixar sem resposta, eu aconselharia a escrever textos que realmente expressam o que você pensa e sente sobre um determinado assunto. Isso cria uma conexão mais profunda com os leitores. Porém, isso pode vir a afastar um monte de outros leitores que não procuram isso no texto. Sinta prazer em escrever também é uma boa dica para criar textos que pessoas gostem.
      Desculpe não poder ajudar mais.
      Um abs!

      Excluir
    2. Muito obrigado pela atenção e resposta! Abraço!

      Excluir
  3. Amigo Soul,

    parece que vivemos um momento de vida semelhante.

    Ano passado tive um desgaste imenso com um mestrado bem pesado. Foi bacana, o trabalho foi reconhecido e apresentado na Suécia e confesso que me senti bem ao completá-lo.

    Mas ao longo do curso, eu sempre me questionava se era um bom investimento, pois tenho quase 40 e um filhote pequeno e, por mais que eu tenha me esforçado, certamente estive ausente em alguns momentos.

    Entrei 2020 lendo Walden (Thoreau), em que o autor relata sua experiência indo morar em uma cabana na beira de um lago e, em última análise, busca identificar o que de fato é "necessário " ao homem, na acepção mais crua da palavra.

    O pensamento de que possivelmente eu tenha mais ontens que amanhãs, aliado a essa boa leitura, tem me trazido uma perspectiva de ampulheta. Penso cada dia, semana, mês como uma ampulheta e tenho me esforçado para colocar mais vida a cada "virada" dessa ampulheta.


    Ainda não sou FIRE, provavelmente, mas desfruto de um bom patrimônio e uma.carreira satisfatória, na medida do possível.

    Achei como medida para mim o que chamo de micro-Fires. Com o que tenho investido, consigo certamente pagar o necessário de Thoreau e, talvez, algumas escapadas dessa vida estoica.

    Ainda tenho algumas pendências "da vida antiga" para resolver, mas pretendo fazer isso esse ano.

    Buscar gerir o tempo com saúde (seja com ou sem fire), uma vida financeira equilibrada e relações humanas de valor, em minha perspectiva atual, são deveres morais de todo homem bom.

    Parabéns pelo artigo, nele percebemos claramente como voce tem progredido no cumprimento do seu dever. Nunca perfeito, mas a cada dia melhor.

    Abs!

    AdV

    ResponderExcluir
  4. Então Surfer, oque eu critico e o corey também criticou, é a fantasia pós IF que muitos blogueiros defendem. Quando alcançarem a IF tudo será lindo e maravilhoso, mas até lá vou viver uma vida desgostosa trabalhando para outros por obrigação.

    E essa é uma fantasia que tem que acabar, querendo ou não, blogueiros são capazes de influenciar outras pessoas, e muitas quando descobrem a filosofia da comunidade "FIRE" acham que encontraram o propósito da vida deles.

    Mas pessoas como meu pai, corey e tantos outros alertam que não é bem assim, que sua vida não vai ser mais feliz aposentado, que se você não trabalhar e produzir valor pro mundo e ser desafiado não sentirá prazer em viver.

    Então não vejo problema em crescer patrimonio, só vejo problema em fantasiar com aposentadoria precoce.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Macunaíma Investidor1 de fevereiro de 2020 13:04

      Peão, essa crítica é bem vinda e pertinente. E talvez seja a sua crítica. Mas não foi a crítica que o Corey fez. Respeito o texto do Corey porque reflete um momento de aflição na vida dele, mas essa aflição não é resultado direto ou exclusivo de ser FIRE. É resultado de ele ter caído no conto de que bastava ele abandonar o Brasil (esse país horrível, desprezível e blá blá blá que vendem para a nova classe média por aí) que tudo estaria resolvido. Bem, ele descobriu que não é bem assim. Isso não é culpa de se aposentar.

      Ele foi para a Europa, mas não encontrou algo de valor que o motivasse. Fez várias tentativas, pelo visto, mas não funcionou. Não há nada de errado nisso. Ao menos ele tem liberdade financeira para reajustar os rumos. Vai sofrer um pouco mas é algo que se resolve.

      O problema do texto dele é fazer crer que a maneira correta de ser feliz é necessariamente trabalhando para produzir algo, tendo que sustentar uma família, como se só correndo atrás da máquina o ser humano fosse recompensado. Nesse caso, basta trabalhar para sempre, até morrer, atrás de um balcão, que você será feliz.

      O texto dele dá a entender que esse é o caminho e que parar de trabalhar é necessariamente um erro. Diz ele: "E aqui vai um conselho pra voce que acha que atingiu um número mágico ou confia na tal regra dos 4% (a tentativa de usar a matemática pra justificar a preguiça): não existe dinheiro suficiente, quanto mais, melhor." Diz também: "Abdicar de trabalhar aos 35, 40 anos é quase criminoso, chega a ser um pecado do ponto de vista religioso." Ainda: "Voce pode, e deve, conciliar vida pessoal e trabalho, isso é saudável, mas simplesmente parar com tudo vai te enlouquecer, destruir sua reputação com as outras pessoas e familiares e possivelmente destruir sua vida." E por aí vai. São muitos erros em série.

      Como muito bem explica o Soul, a vida tem nuances. Muitas. E essas fórmulas mágicas e assertivas do Corey, subitamente cheio de certezas sobre o que TODO MUNDO deveria fazer na vida, estão no caminho errado. Por isso o texto dele causou tanta polêmica.

      Abraços!
      Macunaíma

      Excluir
    2. oi Peao Playboy, quais blogs vendem essa fantasia que vc comenta ?

      Excluir
    3. Macunaíma escreveu muito bem. Concordo com sua análise sobre o post do Corey.

      Excluir
  5. Sensacional Soul,

    Seu texto é o menos conclusivo e o mais coerente de todos. Aliás, não seria a vida assim? Diferentes pessoas, contextos, diferentes famílias, problemas e visões do que venha a ser sucesso e fracasso. Cada um de nós temos diferentes perspectivas para tudo isso e parece que sempre estamos buscando uma fórmula mágica que aplicável irrestritamente a todos!

    Muito bom mesmo, pena que como vc mesmo relata seu estímulo de vir aqui e escrever anda cada vez menor, pois seus textos, no mínimo, que geram bastante reflexão.

    Fico aguardando o livro sobre leilões.

    Obs.: vou inclusive buscar o livro Walden q o AdV menciona, pois parece ser uma leitura interessante.

    Abraços meu amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Novais.
      Walden é o clássico dos clássicos sobre esse tipo de tema.
      Um abraço!

      Excluir
  6. Olá Soul, belíssimo texto!

    Esse final ficou muito legal, parabéns. Gosto dos seus textos sempre por abordarem os nuances.

    As questões complexas que muitos insistem em trata-las com simplicidade.

    Ao meu ver você consegue abordar muito bem isso.

    Mudando de assunto, gostaria de saber sobre esse seu biohacking. Eu ainda estou engatinhando nessa questão, para não dizer ser prematuro nela. Mas pretendo avançar nessa área. Acredito que minha insulina anda bem desregulada provocando algumas coisas ruins em meu corpo.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, I.Inglês.
      Bom, é difícil saber se sua insulina está desregulada, pois os médicos nem mesmo medem a insulina.
      Talvez você esteja falando da glicemia?
      Se a coisa já chegou na glicemia, e você ainda é jovem, você realmente pode estar com um problema potencial enorme.
      Um abs!

      Excluir
  7. Em relacao ao tempo e o quanto ele nos e precioso, sugiro aqui o filme "O preco do amanha".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É aquele onde as pessoas possuem um tempo preciso de quando elas vão morrer num relógio?
      Se sim, é realmente interessante
      Um abs

      Excluir
  8. Queria que você estivesse afim de escrever sobre leilão, um artigo ou focar no livro. Na minha situação é mais urgente que refletir sobre trabalhar ou não ao atingir a IF.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, amigo. Bah, esse livro. Estava empolgado, dei uma desempolgado, não foi nem isso, é a vida que vai colocando outras prioridades, mas ele basicamente está pronto no estado bruto.

      Excluir
  9. Um bom texto motivacional e de auto-ajuda. Mas evitou falar sobre o tema principal, o retire early...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      Será? Não creio. O Early apenas faz com que você possa ter mais tempo nessa terra para focar em outros objetivos. E no texto está escrito que não é nem mesmo necessário "o retire". Um abraço!

      Excluir
  10. Excelente post, vc tem ficado cada vez melhor com as palavras, parabens!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Farpado. Agradeço bastante as gentis palavras.
      Um abs!

      Excluir
  11. Excelente reflexão!
    O Corey parece estar infeliz com a escolha que tomou, mas sua revolta é inexplicável: é só voltar a trabalhar. Ponto. Compra passagem, volta pro Brasil e monta loja de novo. Com tempo (que ele tem) e dinheiro (que acredito que ele tenha) 99% dos problemas pessoais são resolvidos.

    Como tudo traz um lado bom, os comentários de lá me trouxeram a seu blog, que não conhecia e cá estou consumindo todas as postagens (desde o blog inicial Soul Surfer). Nossa trajetória da IF não é tão distante, pois ambos utilizamos imóveis como acerador da IF.

    Abraço,
    Aposente Cedo

    ResponderExcluir
  12. Ótima reflexão! Impressionante a lucidez que você consegue ter. Parabéns.

    Abraço

    ResponderExcluir