terça-feira, 30 de julho de 2019

UM PSICOPATA NO PODER? REFLEXÕES DESIMPORTANTES SOBRE A ATUALIDADE


    Olá, colegas. Faz tempo que não escrevo neste espaço, e ainda mais tempo que não comento sobre atualidades. Na verdade, é uma perda de tempo. Tenho plena consciência que estou desperdiçando o que tenho de mais precioso em minha vida ao comentar sobre estes temas.  Então, por qual motivo fazê-lo? Bom, na verdade, cansei um pouco por hoje de ouvir podcasts sobre saúde (estou nos últimos dias ouvindo horas e horas entrevistas de médicos dissertando sobre a dieta exclusivamente carnívora), e também quis dar um tempo de passar as músicas para o ensaio de hoje à noite. Resolvi escrever, e como nada me veio a mente, acabei optando por falar da atualidade.

O FRITADOR DE HAMBÚRGUER 

                Eu, sinceramente, não conhecia Bolsonaro há uns dois anos. Quando escrevi esse breve texto Bolsonaro "O Mito" Brasileiro em outubro de 2016, fiz uma rápida pesquisa sobre o mesmo, e de cara dava para ver quão fraudulento o mesmo era. Mas, não deixa de ser incrível, como alguém que colocou toda a família na política pela sua força junto ao nicho militar mais subalterno, e foi político por 30 anos, conseguiu se eleger como presidente de um país de 200 milhões de habitantes com o discurso de representar a nova política. Era risível e patético, mas de alguma forma isso convenceu dezenas de milhões de pessoas.

                Naquele texto, eu já dizia que não havia qualquer semelhança entre Trump e Bolsonaro. Um é articulado e inteligente, e o outro é completamente limitado, mal conseguindo articular as palavras e pensamentos.  Eu imagino um debate de duas horas entre Dilma e Bolsonaro, seria uma experiência “interessante” do ponto de vista da antropologia intelectual.

                O meu receio sempre foi, ao contrário das instituições americanas, que talvez as instituições brasileiras não fossem fortes o suficiente para aguentar um governo como esse. O surrealismo tomou graus dantescos quando o Presidente sinalizou indicar para o cargo (tirante o chanceler) mais importante, e talvez mais difícil de ser bem executado, da diplomacia brasileira o seu filho. Na defesa da indicação, o presidente disse que “ele sabe falar inglês”. Basta ver uma entrevista dele, o filho, em inglês para ver que o nível de fala dele é de “inglês macarrônico”. A Dilma, o Bolsonaro, o Lula, não saberem falar Inglês não nunca foi o ideal, mas eles foram eleitos pelo povo e saber inglês fluente não é um pré-requisito para ser presidente. Agora o embaixador do Brasil nos EUA não ser fluente em inglês é simplesmente inacreditável.

                Adicionando bizarrice a algo já bizarro, o filho então disse que ele estaria apto, pois já tinha feito intercâmbio e fritado hambúrguer no  Estado Americano do Maine. Nem o PT chegou a ir tão longe.

UM PSICOPATA?

                O presidente então na data de ontem (29/07/2019) resolveu então fazer pouco caso sobre o desaparecimento, e provável assassinato, do pai do presidente nacional da OAB.  O presidente além de debochar do provável assassinato de um ser humano, foi além dizendo que ele sabia como se deu o “desaparecimento” e que ele poderia contar ao presidente da OAB como o pai dele “sumiu”. Horas mais tarde, enquanto fazia o cabelo, num tom de banalidade, o Presidente disse que Fernando Santos Cruz teria sido morto por integrantes de grupos revolucionários de esquerda, e não por forças do Estado.

                Aparentemente, essa fala não guarda qualquer ligação com a realidade e já foi desmentida. Normal, nisso Bolsonaro é parecido com Trump, ele mente compulsivamente sobre juízos de fato que são fáceis de ser averiguados. Porém, o ponto não é nem esse. Zombar sobre o desaparecimento do Pai de alguém é simplesmente um ato de maldade. É um ato que releva que o emissor possui pouca ou talvez nenhuma empatia por pessoas que acredita ser adversários políticos.  Não ter qualquer empatia por uma dor tão profunda como essa num outro ser humano comumente é diagnosticado como Psicopatia. É muito provável que o presidente da República Federativa do Brasil possa ser um psicopata, não metaforicamente, mas no termo médico da palavra.

                Uma vez alguns anos um Blogueiro resolveu me insultar. Eu acabei fazendo um texto duro dizendo que ele estava cruzando a linha do que seria juridicamente válido alguém fazer, e que não existe anonimato na internet, nada que uma ordem judicial não ajudaria a desvendar quem ele era. 

      Por mais que meu texto tenha sido incisivo, eu não tinha ou tenho absolutamente nada contra a figura desse blogueiro em especial. Ao contrário, sempre falava que ele podia estar equivocado na forma de se dirigir a mim, ou em eventuais opiniões sobre alguns assuntos, mas ele poderia ser um ótimo pai, um ótimo marido, um bom profissional, uma coisa não excluiria a outra.  Um tempo atrás fiquei sabendo que o pai dele tinha falecido, e fui dar minhas condolências sinceras, e ele foi educado e disse que estava surpreendido pela minha mensagem.

                A empatia pela perda de um familiar de outra pessoa, o elo que nos conecta aos outros humanos independe de nossas visões políticas e ideológicas de mundo, isso se chama decência.  Assistir a um Presidente agir como um verdadeiro psicopata, sem decência humana, é assustador. Também é assustador ver uma minoria aplaudir um ato desses, o que talvez mostre o grau doentio que as relações mais básicas humanas no Brasil se encontram, ou uma parcela significativa achar que é apenas uma fala, não é importante.

                Collor, FHC, Lula, Itamar, Dilma, Temer, os presidentes pós-regime militar podem ter sido ruins ou bons, cometidos atos de corrupção ou não, mas é difícil puxar pela memória que eles tenham tido qualquer ato tão ignóbil como esse.

IMPARCIALIDADE DE UM JUIZ

                Há uns 50 dias, eu estava surfando alegre e feliz num domingo ensolarado, quando um surfista se aproximou de mim remando e me perguntou “você não é o pensamentos financeiros, por acaso?”. Surpreendido com a pergunta, começamos a conversar, e o rapaz, Arthur, contou um pouco sobre a história de vida dele e dos pais.  Extremamente estudioso sobre ciência política, ele tinha (tem) uma leitura muito mais vasta do que eu sobre diversos tópicos relacionados a pensadores políticos.

                Alguns dias depois nos encontramos novamente no Mar, e a “Vaza Jato” estava começando, e ele me perguntou o que eu achava, se para combater criminosos tão poderosos não seria natural que alguns “limites” fossem rompidos.  É provável que haja opiniões bem embasadas em outra direção, porém, eu respondi, “não sei tanto quanto você sobre ciência política, mas se tem algo fundamental num Estado de Direito moderno é a imparcialidade do juízo”.

                Todos os conflitos humanos podem ser decididos por um juiz. Não é apenas na esfera penal. Eu mesmo tenho diversos processos na Justiça por causa dos leilões de imóveis. Eu sei que posso perder alguns, mas o mínimo que espero é que o julgador seja imparcial e equidistante da outra parte. Isso é o básico. Sem isso, desmorona o Estado de Direito. Sem Estado de Direito não tem capitalismo, não tem fundos imobiliários, não tem nada. Minto, sim é possível ter tudo isso sem um Estado de Direito, mas garanto que ninguém quer um lugar como esse ao estilo da Arábia Saudita. Um dia desses brinquei com um amigo monarquista e que argumenta que imposto é roubo: “Ué vai para Arábia Saudita, lá tem uma família monarquia forte e nenhum imposto de renda te esperando”.

                Se as mensagens reveladas até agora forem verdadeiras, e tudo aponta para essa direção, é evidente que o Juiz Sergio Moro se comportou de maneira parcial, e em muitos casos aparentando ser o chefe da operação Lava-Jato (Não, não, a força tarefa da Lava-Jato não envolvia o Judiciário, ao menos não poderia envolver).  Admitir a parcialidade do juízo pelo suposto combate à corrupção em nada difere de argumentar que em nome do combate à desigualdades sociais se pode cometer atos de corrupção. É exatamente a mesma lógica, e invariavelmente leva a resultados desastrosos.

                Não se engane. Se você se divorciar de forma não consensual, se um locatário não pagar os aluguéis para você, se a Receita Federal acusar a sua empresa de alguma irregularidade fiscal, é um juiz que terá que decidir todas essas questões. A garantia de um juízo imparcial vai muito além da esfera penal, apesar de ser imprescindível no juízo criminal já que se trata da liberdade das pessoas. Se você não se importa num futuro em ser julgado de forma parcial, nada a se preocupar. Se, por outro lado, você tem algum juízo na cabeça, saber que pessoas poderosas  (imagine você e eu então meros mortais comuns) foram talvez julgadas por um juízo parcial, deveria acender um alerta amarelo de que podemos estar rumando para uma ordem de coisas extremamente perigosa.

NÃO TEM NADA DE BOM?

                Claro que tem. Bolsonaro foi inteligente ao dizer que tinha sido convertido ao liberalismo econômico. A Medida Provisória de Liberdade Econômica, que confesso que não li na íntegra, parece ser um passo no caminho certo no longo caminho que o Brasil precisa percorrer para modernizar muitas estruturas arcaicas.

                Cartórios e os seus emolumentos caríssimos, licenças das mais variadas, trâmite demorado, tudo isso vem sendo atacado há alguns anos, e a equipe econômica do governo, mérito para o Bolsonaro ter escolhido e mantido alguns integrantes da equipe anterior, tem planos interessantes em melhorar o ambiente econômico.

                Outro fato positivo é que o Presidente atual é tão inapto e despreparado para o cargo, que o Congresso Nacional está sendo empurrado a assumir um protagonismo maior.  Talvez isso venha a ser positivo para o país, pois o Congresso Nacional a toda evidência é muito mais representativo da população brasileira como um todo do que o Executivo Federal.

                É isso, colegas. Foi só esse texto, não pretendo tão cedo voltar a falar sobre esses temas. Um abraço!


100 comentários:

  1. Concordo com tudo que escreveu.
    Eu votei no Bolsonaro e acho que ele vive falando merda. Cada dia inventa uma nova.
    No entanto, eu acho que meu voto valeu pelo simples fato de o Brasil ter rompido / acabado com as relações com países do naipe de venezuela, cuba, irã e bolívia.
    Mas que o "mito" é um asno, isso é inegável.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      O Brasil não rompeu com nenhum desses países e seria uma temeridade fazê-lo.
      O Irã é um país estratégico, e se há uma saída para um islamismo mais moderado na região do oriente médio isso passa pelo Irã, e não pela Arábia Saudita. O Irã é um país relativamente moderno, com uma classe média forte, e em muito aparentado ao Brasil. O Trump escolher o Irã como inimigo é um erro grave que só se justifica por interesses ocultos.
      Em relação ao Brasil, o Irã é o quarto ou quinto parceiro comercial mais importante, romper com o Irã seria um tiro no pé do nosso agronegócio.
      Romper com a Venezuela seria outro erro crasso, como esse governo tentou fazer alguns meses atrás. O Brasil só tem a pior com o acirramento do conflito na Venezuela, o Brasil precisa voltar a ter um papel de liderança na região, e isso passa em conversar com o governo da Venezuela. Aliás, o superávit comercial com a Venezuela era bem alto.
      Qual o problema com a Bolívia? É o país da América do Sul que mais cresce. Evo Morales não é bobo, colocou a Bolívia num rumo de crescimento econômico e está jogando o jogo do mercado. Por qual motivo iríamos querer romper com a Bolívia?
      Sobre Cuba, é uma ilha do Caribe, não sei por qual motivo tanta fascinação da direita e esquerda com esse pequeno país.
      Um abraço!

      Excluir
    2. O problema do Irã é a tecnologia nuclear, enquanto eles tiverem uma possibilidade nem que seja de 0.1% vai ter problema. Mas eu acho que assim com a coreia do norte uma hora a bomba sai kkkkkk, tanta represalia pra nada ai nem a graça

      Excluir
    3. A questão das armas nucleares é complexa. Desde adolescente, eu nunca entendi por qual motivo um país pode ter centenas, no caso dos EUA e Rússia milhares, de armas nucleares e outros não tem o direito de ter nenhuma. Sei do acordo nuclear de não proliferação, mas é uma questão mais de princípio mesmo. Se todas as potências nuclerares abrissem mão de todo o seu arsenal, seria muito mais fácil impor a não-proliferação nuclear.
      Sobre o Irã em específico, por tudo que se sabe, eles viam cumprindo a parte deles no acordo mediado pelo Obama. Os EUA resolveram então partir para o confronto, e como diz comumente o Taleb é difícil prever os efeitos se segunda e terceira ordem que isso pode ocasionar numa região tão complexa e volátil como aquela.
      Um abs!

      Excluir
    4. Se todos os países abrissem mão seus arsenais haveria uma 3a guerra mundial. As armas nucleares é que impedem que grandes potências se ataquem. Pode parecer contraditório, mas as armas nucleares são uma garantia de paz, sem elas a guerra fria seria quente, Índia e Paquistão viveriam em guerra, Israel não teria paz, Coréia do Norte já teria sido invadida.

      A paz armada é a paz mais duradoura.

      Excluir
    5. A Bolívia nos roubou refinarias instaladas pelo Brasil. Simplesmente tomaram para eles. O pt permitiu isso. Não acredito que o bolsonaro permitiria.

      Excluir
    6. Olá, colega. Sim, amigo eu conheço o argumento da "Paz Nuclear", ele é realçado diversas vezes por um escritor como Yuval Harari em suas palestras.
      O problema é que é uma paz instável, e a humanidade pode estar apenas alguns botões da auto-destruição.
      Porém, o argumento não atacou essa ideia. Não foi isso que escrevi. O que disse é ser contraditório que potências nucleares obriguem outros países a não ter armas nucleares. Se fôssemos apenas pelo argumento da "Paz Nuclear" não haveria qualquer problema em Irã, Coréia do Norte, ou qualquer outro país produzir armamentos nucleares.
      Israel não vive em paz. Durante muitos anos a Coréia do Norte não tinha armamentos nucleares e não foi invadida. Sobre Índia e Paquistão é muito interessante o início do conflito em relação a Caxemira. Quando soube a respeito, achei inusitado como algo desse tipo possa ter se prolongado e ser uma questão de vida e morte para países que compartilham muitas coisas em comum.
      Um abraço!

      Excluir
    7. Adepanac,
      Realmente, eu não sei como terminou esse caso das refinarias na Bolívia. A Petrobrás foi indenizada, e se sim, foi a valor de mercado?
      Vou procurar e ver se encontro a resposta.
      Um abraço!

      Excluir
    8. Hahahahahaha... Pisa menos nos bolsominions, Soul!
      (mentira, pisa forte com seu raciocínio lógico e cirúrgico).

      >>> NOTA: Ah, não comentei aqui para ser publicado. Até prefiro que você apague esse post, pois não acrescentei nada e posso só inflamar seu canal de comentários. Mas é que eu não queria deixar de demonstrar meu riso e te dar os parabéns pelo equilíbrio e sensatez. <<<

      Abraços!

      Excluir
    9. Poxa adpenac, que pena você ficar contente com o rompimento das relações.

      A Venezuela sempre comprou produtos industrializados do Brasil, nos tempos áureos o Brasil chegou a exportar o equivalente a quase 6 bilhões de dólares em produtos para a Venezuela, com a crise venezuelana o valor diminuiu, mas isso sempre contribuiu para a nossa economia.

      Cuba - o país é um grande consumidor do óleo de soja produzido no Brasil, sem contar o farelo de soja, arroz, carnes, embutidos e etc., creio que isso ajuda e muito o setor agropecuário nacional.

      Irã - o Brasil exporta aproximadamente 2 bilhões de dólares em produtos para o Irã - milho, carne e açúcar, creio que os produtores ficaram animados com o fechamento de mercado e a redução dos preços.

      Bolívia - os Bolivianos pagaram ao governo brasileiro 112 milhões de dólares pelas refinarias, valor razoável à época, pois levou em consideração a estimativa dos valores de produção, sem contar que a Petrobrás é parceira na exploração de novos campos de gás na Bolívia.

      Que pena que muitos apenas olhar o aspecto político-ideológico-partidário de determinados assuntos.

      É sempre bom lembrar que do ponto de vista do liberalismo econômico não importa pra quem você vende, mas sim vender.

      Ao se fechar uma porta/parceria, não significa que o mercado será suprido ou que a manutenção dos valores será mantida, não pense só do ponto de vista ideológico (a Venezuela de Hugo Chavez e Maduro sempre exportou petróleo para os EUA, mesmo com o discurso anti EUA), parcerias comerciais e crescimento econômico estão acima de discussões políticas, muitas discussões políticas são apenas para manter os seus "eleitores" sob controle.

      Att.

      Anon reflexivo.

      Excluir
    10. Olá, Anon reflexivo,
      Nada a acrescentar. Sua resposta foi ainda mais completa do que a minha.
      Abs

      Excluir
  2. Eu votei no Bolsonaro, mas infelizmente não tenho como discordar de você.
    Até as vésperas da eleição eu tava decidido a anular meu voto. Votei no Meirelles no 1° turno.
    Minha aversão ao PT me fez votar numa pessoa tão despreparada e com valores tão controversos quanto Bolsonaro. Desde a votação do impeachment, quando ele saldou um torturador, que eu criei uma certa resistência à figura dele.
    Votar no PT e asseclas, seja qual for o candidato, é impossível para mim. Mas se eleição fosse hoje não tenho dúvida de que anularia o voto.

    O mesmo posso dizer com relação a Donald Trump. Eu me identifico com os valores defendidos pelo partido republicano. A ideia de que os valores que construíram o ocidente livre precisam ser preservados. Os direitos humanos, a democracia, a economia de mercado, o livre comércio, o direito propriedade e a tão atacada pelo esquerda "politicamente correta", a liberdade de expressão.
    Jamais votaria num partido que abrigasse figuras como Bernie Sanders ou a tal da Alexandria Ocasio. Mas é um absurdo que alguém como Trump tenha sido eleito. Se morasse nos EUA estaria numa sinuca de bico. Provavelmente não iria votar no ano que Trump fosse candidato.

    Quanto a Bolsonaro ser psicopata, duvido. Psicopatas são bem articulados e possuem inteligência acima da média.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      O problema com o Donald Trump é que ele força a polarização ainda mais forte de outro lado. Talvez seja um golpe de marketing dele, pois ele em condições normais não deveria ter chances contra um candidato moderado democrata. Mas, contra um candidato mais à esquerda, é bem possível que ele seja reeleito, com consequências, ao meu ver, nefastas.
      Outro problema que li sobre Trump e o trumpismo é que ele tomou de assalto o partido republicano. Candidatos dentro do partido que se opõe a ele, dificilmente conseguem as nominações para os cargos no parlamento. Logo, talvez a própria essência do partido republicano esteja sendo transformada radicalmente. Isso pode fazer, numa análise que ouvi de algumas pessoas que respeito intelectualmente, que num futuro não muito distante alguém mais hábil e sinistro que o Trump possa ser eleito e levar os EUA a uma impensável ditadura.
      Enfim, conjecturas que podem ser ou não verdades.

      Sobre os piscopatas, eu realmente não sei se a descrição clinica é associada também com articulação e inteligência. Sei que foi um comentário irônico, mas por algumas demonstrações dele, eu realmente penso que ele pode ser um psicopata clínico.

      Um abs!

      Excluir
    2. Então o futuro americano é sombrio. Pq no partido democrata a ala mais radical são abertamente socialistas. Se os republicanos, que em tese são os mais sensatos, caírem em desgraça, será o fim da América como conhecemos.

      Excluir
    3. O futuro realmente é incerto nos EUA. Porém, se pensarmos bem, com as disrupções tecnológicas, o futuro é completamente incerto para o mundo como um todo nos próximos 50 anos.
      Um abraço!

      Excluir
  3. Tudo blz Soul? Espero que esteja curtindo muito o filhote. Infelizmente não ligo pra política e não tenho como contribuir nessa discussão... Mas me interesso pelos estudos de saúde e alimentação. Poderia passar a fonte desses podcasts? Aproveito a oportunidade pra te agradecer por ter me levado a conhecer a Tribo Forte e o Dr Souto numa dica que você deu pra outro usuário na resposta de um comentário a um post seu de dezembro passado. A minha saúde melhorou muito depois disso. Agora com vários quilos a menos e uma dose extra de energia tá mais fácil aguentar a "rotina" de viagens da IF. Abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, amigo!
      Poxa, que bacana. Adoro quando uma dica ajuda de verdade alguém a abrir a mente para uma nova perspectiva. Dr. Souto é bacana, não? Ele é apenas a porta de entrada, a quantidade de material fantástico que existe em inglês é imenso.
      Meu amigo, o seu corpo é o seu templo. Com ele sadio, sua mente pode ser sadia. Com um corpo e mente sãs, com um pouco de dinheiro, e uma boa comunidade, a vida pode ser fantástica. Fico bem satisfeito que esteja se preocupando muito mais com sua saúde, que deveria ser a preocupação número um, mas muitas vezes é negligenciada, bastando ver o estado de saúde geral da população.
      Um abs!

      Excluir
    2. O Dr Souto me fez entender a ciência de outra forma e tenho certeza que isso vai ser muito útil em várias áreas da minha vida. Por enquanto o único podcast de saúde que tenho escutado é o Peter Attia. Tens alguma outra dica?

      Excluir
    3. O Dr. souto é o cara:)
      Com absoluta certeza meu amigo. Depois que entendi mais sobre como avaliar evidências científicas, você começa a ver falhas de argumentos em tudo: discussões sobre economia, desarmamento ou não, política, nutrição, etc. Você se equipa com uma ferramenta, ou como Charlie Munger gosta de dizer "Modelo Mental", extremamente poderoso de análise da realidade.

      O Podcast do Peter Attia é fabuloso, mas ele pode ser bem técnico. A conversa dele com o Tom Dayspring (um dos lipidologistas famosos) sobre colesterol tem 5-6 horas e é extremamente técnica.

      Há inúmeros, um que veio escutando bastante e é bem bom pela qualidade dos entrevistadores e dos entrevistados é o Human Perfomance Outliers Podcast: https://humanperformanceoutliers.libsyn.com/
      É do Dr. Shawn Baker, se você não conhecer, ele é um médico que advoga a dieta carnívora, mas não o faz de forma radical, e os entrevistados são muito bons. Quem já tem uma base é bem legal, pois as perguntas já vão ao ponto, não há muita enrolação em premissas mais básicas. De lá você vai ter várias entrevistas com pessoas bem conhecidas (muitas delas referências que o Dr. Souto usa) e pode ser aprofundar mais se desejar.

      Um abs!

      Excluir
    4. Obrigado pela dica, Soul. Já coloquei na minha lista. Abraço.

      Excluir
  4. O presidente eleito já deu provas suficientes da sua total incapacidade de administrar esta nação.

    Por um lado estou aguardando Mourão dar um novo golpe e tomar as rédeas, por outro lado torcendo para que ele não tenha força suficiente para instaurar mas nova ditadura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Engenheiro.
      Uma destituição do Bolsonaro em minha opinião seria ainda mais traumático do que a da Dilma. Se isso ocorresse, é difícil imaginar que o Brasil não pioraria ainda mais,
      um abs!

      Excluir
  5. Bolsonaro sendo um asno ou nao, ele vem sabendo jogar o jogo nojento da política, política não é sobre a verdade ou fatos e sim sobre inimigos, criar e alimentar seus inimigos ele sabe muito bem como fazer, com isso fica mais fácil conseguir atenção e votos. O PT dominou essa tática por longos anos, o trump usou ela mt bem tb nos usa(aliás gostando ou nao dele ele é um gênio do marketing e ganhou a eleição graças a sua expertise nisso).
    Nós somos apenas o gado manipulado com o joguinho sujo deles(políticos todos no caso).
    Eeeee vida de gado, povo marcado, povo feliz como dizia Ze Ramalho.
    Desculpa o texto simples com vários erros de portugues e concordancia mas sempre é interessante ler seus posts. Escreve sobre sua experiência como ser pai, planejo daqui alguns anos ser e ouvir sua experiência e principalmente por pensar fora do mainstream e bastante interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Marco. Escrever sobre como ser Pai, as maravilhas e dificuldades, a mudança de rotina, como é pesado para a mulher, como é se sentir responsável por outro ser, realmente é um tema espetacular.
      Sobre sua mensagem, eu discordo um pouco. Eu acho que pelo contrário, ele não sabe tão bem o que está fazendo. Ao contrário dos EUA, onde 35-40% é Republicano e 35-40% é democrata e tem uns 20% que transita entre um e outro a depender do momento político, econômico, etc, o Brasil não possui essa divisão tão clara. Bolsonaro simplesmente evaporou o capital político dele em seis meses, a reforma da previdência é mais mérito do Rodrigo Maia do que do governo (o que é um fato inédito na história recente), e eventuais outras reformas sairão se o Congresso quiser. A sorte do governo é que o Congresso atual é mais receptivo a algumas ideias econômicas da equipe do Paulo Guedes, se não fosse assim, talvez se fosse outro chefe na Câmara dos Deputados, é provável que Bolsonaro já estivesse morto politicamente, por sua completa inabilidade.

      Um abraço!

      Excluir
  6. Engraçado o pessoal, não d á mesmo o braço a torcer. É o famoso, "tá ruim mas tá bom".
    Caminhamos para o autoritarismo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. O "está ruim mas tá bom" realmente é uma mentalidade que pode ser das mais perigosas para todos os aspectos da vida: relacionamento amoroso, trabalho, saúde, política, etc.
      Um abs!

      Excluir
  7. Bolsonaro é o mais perfeito reflexo de uma parcela relevante da população brasileira. Quando dos arroubos mais estúpidos, é fácil buscar a saída do "eu votei no Amoedo" ou "era isso ou o PT acabava com o Brasil", mas uma olhadela na blogosfera de finanças (e este blog é uma honrosa exceção) revela de onde sai o conjunto de ideias que forma o bolsonarismo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      Eu, infelizmente, sou obrigado a concordar em grande parte com o que escreveu. Porém, creio que esse tipo de apoio jamais daria a presidência, isso deve representar uns 10-12% da população, o que é uma enormidade, mas longe de constituir uma maioria.
      Um abs!

      Excluir
  8. https://www.gazetadopovo.com.br/rodrigo-constantino/artigos/o-pendulo-exagerou-para-o-outro-lado-e-e-hora-de-resgatar-o-equilibrio/ , texto antigo mas faz todo sentido hoje em dia. Hoje estou bem livre desse tipo de assunto, escutei tudo meio por cima e não tive nenhum sentimento quanto a isso, estou bem focado no meu micro universo ultimamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Soldado.
      O Constantino, assim como o MBL (que já fez um mea culpa) e tantos outros são responsáveis por abrirem a "caixa de pandora" da insanidade. Agora vai ser difícil colocar "a pasta de dente de novo no lugar". Vai exigir trabalho, vai ter conflitos, mas o país precisa resgatar um certo ar de sanidade entre as pessoas.

      Faz bem, eu também estou imerso no meu, mas tenho prestado um pouco mais de atenção aos acontecimentos nos últimos meses.
      Um abs!

      Excluir
  9. Coloco meu contraponto : Bolsonaro não é o ideal mas pelo menos na prioridade que temos (segurança e economia) está indo bem. Era o candidato menos pior que tínhamos, sobretudo se levarmos em conta a equipe que trouxe junto consigo.
    Sobre Moro acho que agiu 100% correto, e suas condenações foram depois reafirmadas em outras instâncias. Fez um bem ao país, condenou sua vida a um inferno e ainda tem alguns brasileiros para criticar. Lamentável.
    Bem, é isso, espero que apesar de seu viés esquerdista possa considerar essas opiniões contrárias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. O espaço aqui no blog "de viés esquerdistas" nas suas palavras sempre prestigiou a troca de ideias, e isso desde 2014. Na verdade, ele ficou conhecido (pouco é verdade) por causa disso. Então, suas opiniões são bem-vindas, independente de quais forem, desde que é óbvio não sejam pura agressões, o que nem de longe foi o caso.
      Sobre Moro, a sua fala é basicamente "eu acho que ele não fez nada errado", certo, é uma opinião, mas com base no quê você afirma isso? Na constituição, nas leis em vigor do país? Há juristas que acreditam não ter acontecido nada demais, é uma opinião possível, mas tendo em vista as revelações muito difícil de sustentar em minha opinião. Assim, precisaria saber quais são os seus argumentos objetivos para saber o motivo de Moro não ter quebrado o princípio fundamental de qualquer Estado de Direito que é a garantia de um juízo imparcial.
      Esse é um ponto. Você, porém, pode acreditar que a imparcialidade do juízo não é fundamental no combate à corrupção. Esse é um outro grau de análise. Aqui, acredito que você estaria completamente equivocado e dando um tiro no pé, pois como demonstrado no texto a garantia do juízo imparcial é o que garante o Estado de Direito e em última análise a Democracia. Se, por exemplo, você for empresário e a Receita Federal atuar sua empresa e aplicar uma multa de 150% (o que ela pode fazer) o que quebraria o seu negócio, pode ter certeza que você gostaria que se questionasse esse ato judicialmente você iria gostar que um juízo fosse imparcial na análise, e não parcial e com viés arrecadatório. Não coloque a sua cabeça voluntariamente na guilhotina, não é sábio.

      Sobre Bolsonaro, até mesmo o Cabo Daciolo se expressava melhor do que ele, se tinha uma coisa que Bolsonaro nunca foi for ser o "menos pior".

      Um abraço!

      Excluir
    2. Olá Soul, apenas para estender um pouco a discussão sobre a parcialidade do Juiz Moro, no caso não seria você quem deveria mostrar quais são os argumentos objetivos que embasam sua opinião pois é você quem está afirmando que o juiz foi parcial? Não é assim que funciona na justiça? Quem acusa tem que provar?

      Mesmo que as mensagens sejam verdadeiras, muitas delas foram negadas pelo juiz e procuradores, qual mensagem especificamente pode ser interpretada como atuação parcial do juiz? uma mensagem do próprio Moro.

      O argumento que tenho visto é que é comum o juiz conversar com as partes no Brasil, eu vi argumentos dos dois lados, mas não estou convencido que ele agiu com parcialidade.

      Excluir
    3. Opa, Mota. Vamos lá esclarecer alguns equívocos.
      a) "Quem acusa tem que provar?" - Sim. Isso na verdade é um "sub-princípio" de um princípio maior de que o Autor precisa provar os fatos que alega. Isso vai muito além da esfera penal. Chama-se ônus da prova. Em alguns casos, como no direito do consumidor, por exemplo, o Ônus da prova pode ser invertido, fazendo com que o Autor ("Acusador") não precise provar o que alega em juízo.
      b) Entendido esse primeiro ponto, no caso não se trata de uma acusação contra Sergio Moro e Procuradores no sentido formal do termo. Eles não podem ser processados, mesmo que se viesse à tona crimes (e há indícios de coisas assim como na mensagem onde Deltan pede dinheiro antigo da vara para uma campanha publicitária do Ministério Público - isso além de imoral e ilegal, poderia ser indício de um ilícito penal), pois a prova foi obtida ilegalmente. Não se pode usar provas ilegais para condenar alguém (apesar de no auge da Lava Jato em 2016, aquelas famosas 10 medidas contra corrupção preverem o uso de provas ilícitas, a que ponto chegou a ousadia desse pessoal). Então, eles não estão sendo "acusados" no sentido formal de absolutamente nada.
      c) Em muitos, talvez em quase todos, o direito exige subjetivismo e interpretação. Não é uma questão objetiva e "matemática". Logo, o que é ser Parcial? Não vai haver uma receita de bolo na lei dizendo quais condutas evidenciam a parcialidade do juízo. Porém, existe o bom senso.
      c.1) Há diversas. Quando moro sugere que o MP solte uma nota na imprensa para se contrapor ao "show" da defesa do LULA, isso escancara uma parcialidade no processo. Espanta-me que isso possa ser encarado com normalidade, a função do juiz não é dizer o que o órgão acusatório deva fazer e muito menos o que deva fazer para causar uma boa impressão na opinião pública. Isso denota aconselhamento da parte e preferência, o que torna o juiz parcial.
      c.2) Quando ele oferece o nome de uma testemunha de acusação contra o Lula no caso Triplex, isso denota parcialidade do juízo, juiz não pode fornecer indícios de prova para o órgão acusador, ele não é um juiz de instrução. O Deltan chega a sugerir inventar uma denúncia para forçar essa testemunha comparecer em juízo, e o moro aquiesce. Aqui, além da parcialidade, poderia haver indício de crime.
      c.3) Quando o Juiz sugere, o que é prontamente atendido, na substituição de uma procuradora por mau desempenho, isso é aconselhamento de parte, denotando parcialidade do juízo. Não cabe ao juiz aconselhar quem seja o procurador, ou no caso da defesa o advogado a acompanhar audiências, inquirições, etc.
      c.4) Quando Moro avisa sobre a falta de um documento ao MP, e a Procuradoria adita a denúncia, isso é aconselhamento o que denota parcialidade.
      c.5) Quando Deltan combina com Moro uma reunião na Polícia Federal para discussão de operações da Polícia Federal isso é um completo desvio do sistema acusatório. A força tarefa e sinergia pode ser entre a Polícia Federal e MPF, não entre esses órgãos e o juiz responsável pelo julgamento, pois isso quebra também parcialidade.

      Excluir
    4. Essa questão de é comum juiz conversar com as partes é uma grande desinformação. É evidente que juiz conversa com as partes. Eu enquanto Procurador Federal já conversei dezenas de vezes com juízes federais. Essa não é a questão. Não há qualquer problema em uma das partes conversar com o juiz e explicar o caso, ou pedir a apreciação de uma medida urgente, etc. Não é o ideal, pois isso abre a possibilidade de abuso, tanto que nos EUA essa questão é mais bem regulada se não estou enganado. Porém, isso é comum no dia a dia.
      Entretanto, as mensagens revelam muito mais do que isso, não eram simples conversas entre a parte e o juiz, mas sim verdadeiras orientações, o que obviamente é vedado.

      Entretanto, como dito para o amigo ali em cima, é possível e defensável não ver parcialidade na atuação do juízo. Eu acho uma posição difícil de se sustentar, pois os diálogos, se verdadeiros, e tudo leva a crer que o são, são cristalinos em minha opinião. Como dito apesar de não ser uma postura fácil de se defender, ela é possível. O que não é possível, e parece que aqui concordamos, é imaginar que a imparcialidade do juízo não seja central para o Estado de Direito.

      Como exercício, para saber se a atitude do juiz foi compatível ou não, imagine o cenário contrário. Imagine um político poderoso acusado de corrupção. O próprio Lula. Imagine então que viesse à tona mensagens do juiz com a defesa, sugerindo testemunhas, indicando que se complementasse a defesa com documentos, solicitando que a defesa fizesse notas para sair na imprensa, se reunindo com a defesa para saber qual poderia ser a melhor estratégia de defesa, sugerindo que um advogado da defesa fosse trocado pois não era bom o suficiente, etc.
      Imagine que no final o Lula fosse absolvido. Você acha que seria normal? Eu acredito que não. Para a sua argumentação ser coerente, você realmente deve acreditar que os diálogos fossem com a defesa nos termos que se deram, e houvesse uma posterior absolvição, não haveria qualquer problema. Se, por acaso, esse exercício mental não te soou bem, é porque provavelmente há contradição no seu argumento.

      Um abraço e grato pelo comentário!

      Excluir
  10. Caramba, vc vai na praia e alguem vem do nada e diz que te conhece pelo blog que teoricamente é anonimo ? Nao sei se ficaria paralizado ou se sairia correndo na hora !!!

    Sobre o post, realmente, nao sabemos votar. Tinhamos 15 candidatos, colocamos os 2 piores no segundo turno. Todo povo tem o governo que merece.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha, realmente Vagabundo.
      Porém, eu já coloquei algumas fotos minhas aqui no blog, e há vários meses uma mensagem aqui no blog tinha perguntado se não era eu num determinado local na cidade onde moro. Então, eu imaginava que alguém das minhas redondezas sabia quem eu era. Porém, realmente foi uma surpresa.
      Eu, ao contrário da esmagadora maioria, não tenho nenhum receio do blog e das pessoas aqui, pelo contrário já conheci pessoalmente diversas pessoas e todas as vezes, 100%, foram experiências muito bacanas.
      A blogosfera e a comunidade como um todo iria se beneficiar muito se houvesse mais interações pessoais, mas essa é minha opinião apenas.
      Um abs!

      Excluir
  11. Grande Soul, tudo certo por ai?

    O que vc acha na sua opinião sobre a DIETA CARNIVORA? também vi alguns relatos de pessoas dizendo que obtiveram um aumento na sua saúde de forma geral (digestão, clareza mental, humor pele, perca de peso e etc).

    Fica a duvida também, seguindo uma dieta tão restritiva por tanto tempo, isso não pode levar a carência de algumas vitaminas e minerais que encontramos em outros alimentos ou até mesmo gerar em nosso organismo INTOLERÂNCIAS por alimentos que não tinhamos anteriormente por conta desta restrição?

    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, amigo, tudo certo.
      Cara, essas suas perguntas são muito boas, e é isso que estou tentando tomar mais conhecimentos. É incrível o universo de possibilidades que existe, e como o conhecimento senso comum nutricional, inclusive de profissionais da área e de médicos, é simplesmente errado.

      Sobre carências, a carne é um alimento tão densamente nutritivo, que pelo contrário talvez algumas deficiências sejam revertidas pelo consumo maior de carne de qualidade.
      Há uma questão sobre vitamina C, mas fígado por exemplo possui vitamina C, e aparentemente quando se ingere pouco ou nenhum carboidrato a necessidade de vitamina C diminui bastante.
      Sobre desenvolver intolerâncias, essa pergunta é muito boa. Sim, é bem possível, e alguns médicos e pesquisadores que optam por essa dieta dizem isso. Mas, seria mais no sentido do corpo estar tão bem adaptado, que quando se come uma pizza, por exemplo, com sua farinha de trigo altamente refinada, o corpo não estar mais acostumado com um alimento tão inflamatório.

      Eu como muitos vegetais, como carboidratos (especialmente leguminosas como lentinhas, feijão e grão de bico) e aparentemente tolero bem esses alimentos. Sinto-me bem. Porém, hoje em dia sinto-me muito mais tranquilo em relação ao consumo de carne, especialmente depois quando aprendi mais sobre medicina baseada em evidência e a porcaria que são os estudos epidemológicos que dizem "carne causa câncer", etc.

      Como outro contraponto, veio tentando saber mais sobre produção sustentável de animais, e como os animais são imprescindíveis para a saúde do solo, e até mesmo para o equilíbrio de CO2 na atmosfera. Eu ignorava tudo isso até uns dois meses atrás. Há a questão do sofrimento animal que é algo que sempre foi muito caro para mim também.

      Enfim, é um tema complexo, diverso e apaixonante para mim.

      Um abraço!

      Excluir
  12. Sim,
    Ele tem algum problema. Mas não é psicopatia (quem dera...).
    Isso porque o verdadeiro psicopata, no sentido diagnóstico do termo, é extremamente calculista, manipulador e INTELIGENTE.
    Se fosse esse o caso, estaríamos tranquilos pois seria alguém que saberia o que falar e quando falar.

    Caso ele não tenha algum problema psicopatológico estamos falando apenas de "burrice" mesmo causada pelo modo como viveu (falta de leitura, falta de educação, ambiente autoritário, falta de cultura, de raciocínio extensivo).
    Muitas pessoas da idade dele são assim, sobretudo se falarmos de uma cidade de "roça". Meu pai é assim, infelizmente. Infância pesada, não lê, não sabe conversar, não tem conteúdo e sair dessa bolha, nem pensar!

    O pior é se ele se sentir ainda mais a vontade no decorrer do tempo como Presidente. Aí teremos mais asneiras!

    Sendo assim, Paulo Guedes (nosso verdadeiro presidente), que não tem compromisso com reeleição, aproveitará rapidamente seu momento para encher o próprio bolso.

    Nada de novo no Brasil.

    Por fim, tem-se "apenas" mais 3 anos e meio de Bolsonaro, que irá se surpreender com a taxa de rejeição no último ano de mandato e, quiçá, com sua queda no primeiro turno das eleições.

    Para quem ama seriados, será um ótimo fim de temporada. Preparem-se!!

    Marcos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Marcos. Como dito a outro colega ali em cima, realmente não sei a definição correta de psicopata. No meu entendimento, era apenas alguém incapaz de sentir qualquer tipo de empatia pelo sofrimento alheio.
      Ele está extremamente à vontade, ainda mais, parece que o freio dos primeiros meses (que já era fraco) se foi de vez.
      Um abs!

      Excluir
    2. Creio que o termo mais adequado seria sociopata, pois este não possui habilidade social, enquanto o psicopata é extremamente hábil socialmente, mas é preciso um laudo médico de um especialista para classificar alguém como psicopata ou sociopata.

      Excluir
  13. Eu vi todos os vídeos originais e não vi em nenhum momento ele zombando do pai de ninguém. Falou coisa que não devia? Sim. Deveria estar falando de coisas mais importantes? Sim. Mas não zombou de ninguém. Você está falando que zombou porque é isso que a mídia está repetindo a dias. Você só está repetindo o que a mídia falou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. "Você está repetindo o que a mídia falou". É uma possibilidade, todos nós somos moldados de uma maneira inconsciente pelo nosso entorno, e os meios de comunicação são uma ferramenta poderosa para moldar a nossa visão de mundo sem que muitas vezes nós percebemos.
      Sobre a declaração em si, eu também vi o vídeo. Ao que consta o Pai foi morto e teve o corpo incinerado, mas é dado como desparecido oficialmente.
      Numa entrevista normal, o Presidente dizer que se o Presidente da OAB um dia quiser saber como o pai dele desapareceu, ele contaria, e horas depois cortando o cabelo falar, ao contrário de todas as fontes históricas, que seria um "justiçamento" é um ato ignóbil e sim zombando do assassinato de uma pessoa. Talvez as pessoas façam isso num churrasco, no dia a dia, um presidente da república de um país tão grande e vasto como o Brasil falar isso é asqueroso.
      É muito além do que "falar coisa que não devia" é indigno ao cargo que ele representa, demonstrando uma falta de empatia digno de um psicopata.
      Você tem todo o direito de dizer que isso é um pequeno desvio, e eu tenho todo o direto de pensar que se tratou de uma demonstração nojenta de desprezo pelo sofrimento humano.

      Um abs!

      Excluir
    2. Você está errado. Ele fez um juízo de fato, não de valor. Ele disse: "o pai dele morreu assim e não assado". Você e a "Comissão da Verdade" (criado pela Dilma e compostos por militantes interessados em condenar o regime militar) discordam disso e dizem que foi o governo da época na figura dos militares. Quem está certo? Não sei, é disputa que não interessa ao país nesse momento. Mas como disse ele fez um juízo de fato, mas a mídia e oposição, querem emplacar outros sentidos, pois realmente odeiam esse governo.

      Excluir
    3. Tsc. Tsc.
      Já é difícil falar sobre a perda de um familiar em circunstâncias pacíficas, agora imagine falar da perda em uma circunstância violenta (acidente, latrocínio, sequestro, bala perdida, acerto de contas, etc.).
      No caso do presidente da OAB, o caso foi por conta da militância durante o governo militar, ou seja, independentemente de que cometeu o ato, isso não é coisa que se fale por aí tranquilamente, pessoas com o mínimo de educação não saem por aí falando sobre situações delicadas, o contexto foi muito mais para criar caso do que esclarecer algo, pessoas com o mínimo de boa índole sabem diferenciar as regras sociais do bom senso.

      Excluir
    4. Admin, para não alongar na resposta, acredito que o último anônimo resumiu bem a situação. Eu iria até um pouco além, a forma que foi feita mostra um desdém pela dor da perda de um pai. Eu imagino a dor que minha mãe não sentiria em me ver desaparecer e morrer sem saber o que eventualmente aconteceu comigo. Deve ser uma dor tão lancinante que falar isso de forma banal, agressiva, provocadora é apenas falta de decência e sinal de psicopatia.

      Abs

      Excluir
  14. É meu caro Soulsurfer...

    Quando vejo a atual situação do país, penso que a frase atribuída a Lima Barreto seja coerente:

    "O Brasil não tem povo, tem público."

    - citado em "O império do grotesco" - Página 151; de Muniz Sodré, Muniz Sodre - Raquel Paiva, Raquel Paiva - Publicado por Mauad Editora Ltda, 2002 ISBN 8574780618, 9788574780610 - 154 páginas

    Vendo e ouvindo as manifestações dos militantes pró PT e pró Bolsonaro, entre outros, me parece, infelizmente que todos apenas querem ouvir o que o seu "mestre" maior tem a dizer para depois aplaudi-lo, independentemente do conteúdo, como um bom público.

    Se o apresentador fala o que determinado grupo expectador quer ouvir é lindo, magnífico, tem a minha interação virtual como os likes, corações, emojis e etc., enquanto o outro grupo que não é o expectador do apresentador deixa o seu dislike, o seu angry emoji, sad emoji, seu "haterismo"

    Essa "cegueira míope" não produz algo verdadeiramente edificante e superior, apenas divide as parcas relações interpessoais existentes na nossa sociedade.

    O público brasileiro apenas assiste os acontecimentos, os mais extremos se posicionam, os do centro apenas olham, outros grupos apenas buscam manter os seus benefícios mantendo uma fachada, afinal, o brasileiro é apenas um mero expectador do que acontece, enquanto o ingênuo patriota é visto como uma figura caricata, enfim, essa "balbúrdia" já era apresentada em inúmeras obras do século passado, vide a obra "O triste fim de Policarpo Quaresma", de Lima Barreto.

    De certa forma, é desalentador ver os acontecimentos atuais, falo isso do ponto de vista do bom senso.

    Att.

    Anon reflexivo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Interessante reflexão, grato pelo comentário.
      Um abs!

      Excluir
    2. Que bom que gostou do comentário, fico feliz, vou fazer um adendo, pois faltou um parágrafo, acho que deletei antes de postar:

      Creio que o livro "Ensaio sobre a cegueira", de José Saramago, ajuda na reflexão sobre a sociedade "animalesca" atual.

      Att.

      Anon reflexivo.

      Excluir
    3. Olá, novamente. Esse livro específico do Saramago eu nunca li, mas o filme vi algumas vezes e gosto bastante.
      Um abs!

      Excluir
  15. Grave o que estou dizendo, volte aqui depois de 3 anos e meio e diga que estou errado. Estou postando anônimo mas vou colocar o "Notifique-me" e vou receber essa mensagem daqui 3 anos e meio caso eu esteja errado. É isso aqui: você vai morder a língua e vai ter que votar no Bolsonaro ou aliado direto dele, que seja fazendo nojinho. Pois a economia vai melhorar (Ô Paulu Gueedees!), a segurança vai melhorar (Moro, melhor prendedor de bandido que esse país já teve) e a diminuição da corrupção e a boa gerência federal será tanta que vai chegar dinheiro para os estados, os municípios e para a infraestrutura capenga desse país. E ainda vamos conseguir dois ministros do STF que não seja soltador de bandido como Marco Aurélio Mello e o Gilmar Mendes, não seja tão inapto quanto alguém que nem passar em concurso consegue (Toffoli) e assim por diante. É isso para que esse governo veio. Ninguém tá nem aí pra frase feia de Bolsonaro, tanto que ele se elegeu em 2018 falando todo tipo de besteira. E aí você vai ficar entre votar em Bolsonaro/aliado direto dele ou um candidato da organização criminosa mascarada de partido político chamado PT (ou um de seus quadros/aliados/antigos aliados: Haddad, Ciro, Marina, Manuela). Então comece a se acostumar com a melhora geral do país e pare de ficar com essa frescura de "ai ai que frase feia ele disse meu Deus e agora".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      Oxalá o país esteja bem melhor daqui 3 anos e meio, eu e minha filha agradecemos. Qualquer brasileiro deseja que o país melhores, e espero que assim seja com nosso país.
      Não vejo qualquer relação numa hipotética melhora da economia e o claro "nepotismo" (entre aspas, pois juridicamente aparentemente não se trata de nepotismo pois é um cargo político) de indicar um despreparado para o cargo de embaixador dos EUA. Qual é a relação?
      As pessoas precisam começar a ter mais nuance nas análises, e compreender certos aspectos de lógica elementar.
      Agora, engana-se, eu não votaria no Bolsonaro, não votei no Bolsonaro, e muito dificilmente votaria nele contra qualquer candidato.
      Um abs!

      Excluir
    2. Qual é a relação? Sei lá, nem mesmo falei desse assunto de embaixador. Mas de qualquer forma aguardo sua mensagem daqui 3 anos, dizendo que mesmo o país tendo melhorado vai votar naqueles que pioraram o país durante décadas.

      Excluir
    3. Me divirto com os comentários dos ufanistas, independentemente da sigla que apoiam.

      Excluir
    4. Mas o Zé Ruela do Bolsonaro já disse que vai indicar um ministro "terrivelmente evangélico" pro STF, como ter esperanças de uma boa indicação pra suprema corte se ele já solta uma asneira dessas de cara?

      Estava esperando uma indicação de um ministro "terrivelmente competente"... mas não, teremos um crente de togas.

      Excluir
    5. Não entendi seu preconceito, "Rodrigão".
      Ele não disse que quer um evangélico INcompetente. Qual o problema de ser competente E evangélico? Escolheram soltadores de bandidos (Gilmar), escolheram advogados do PT que nem passaram em prova (Toffoli), escolheram até mesmo um advogado da causa abortista (Barroso) sendo que a Dilma prometeu aos religiosos que não iria interferir nisso. Qual o problema de agora escolher um evangélico? Desde que tenha notável saber jurídico não vejo problema. Acho que é preconceito seu, ou será que está só repetindo o que lê na mídia?

      Excluir
    6. Admin,
      Exatamente, colega. O texto apontou dois fatos (a fala sobre o presidente da OAB e a possível indicação do filho), uma reflexão sobre o princípio da imparcialidade do juízo e uma indicação de que há algumas coisas positivas nesses primeiros seis meses como a MP da liberdade econômica.
      O colega aí em cima aí disse que eu iria morder a língua, que o país iria melhorar muito, etc, etc, mas não há qualquer relação do meu texto e o desejar que o país não vá para frente. A economia pode estar melhor em 2022 e os atos narrados (embaixada e fala sobre presidente da OAB) ainda serem atos execráveis.
      Sobre uma mensagem daqui a 3 anos, acho uma excelente ideia. Você já tentou revisitar as suas próprias ideias, não o conceito presente que você tem sobre suas ideias anteriores (um erro mental bem comum), mas textualmente suas ideias? O Bom de ter um blog de 5 anos é que de vez em quando posso fazer isso e ver o quanto estava errado sobre um fato ou uma ideia, ou como estava razoavelmente certo. É um exercício interessante.
      Vamos torcer para que daqui 3 anos você possa mandar uma mensagem dizendo que o Brasil melhorou significativamente, eu espero que sim, até para poder vender os imóveis que tenho, nada melhor do que uma recuperação econômica.

      Um abs!

      Ah, não vejo qualquer problema num ministro ser evangélico. Vejo total problema quando ser evangélico vira um pré-requisito para ser ministro do STF, ainda mais num país laico e com várias crenças religiosas.

      Excluir
    7. Então está combinado. Vou colocar no meu calendário um lembrete e daqui 3 anos vou escrever aqui.

      Excluir
    8. Porque a fala do Bolsonaro indicou que ela quer um EVANGÉLICO acima de qualquer coisa. A sutileza da escolha das palavras. "Terrivelmente evangélico". Por que ele usou essa frase? Qual a relevância de ser um ministro evangélico? Do jeito que ele pôs, é relevante e importante para ELE, o que é grave.

      Nada contra ser evangélico, as pessoas podem ser burras mas devem ser livres.

      Excluir
  16. Grande Soul, ótimo texto!

    Infelizmente (ou felizmente, dependendo do ponto de vista), concordo com o que você diz no texto e seus comentários. Comentei sobre alguns destes itens em postagem em junho, onde inclusive comento o aumento dos meus aportes no exterior justamente em razão do risco que manter os recursos financeiros em moeda tão fraca quanto o real e situação tão instável como o nosso país. (http://economicamenteincorreto.blogspot.com/2019/06/brazil-buy-or-sell.html).

    Chegamos ao segundo turno na eleição passada sem opções (não votei no primeiro pois eu estava em viagem ao exterior). Eu estava em dúvida se votaria no Bolsonaro, seguindo a maioria que queria o PT fora do governo, mas na última hora anulei meu voto, pois eu não consegui compactuar com as bizarrices pregadas por ele. Deixei a população escolher e fiz a minha parte em protestar.

    Apesar de tudo, acredito (ou torço) que o país vai melhorar, a agenda liberal é positiva, e neste aspecto eu até preferia este governo ao invés do PT, mas nem eu mesmo imaginava a dificuldade que seria aguentar este modelo de governo tão desestruturado.

    O fato é que, apesar de bisonho, o presidente consegue manipular muito bem as massas, sobretudo através das redes sociais, seguindo a estratégia de Trump e que já é bastante batida por líderes populistas ao longo da história (tanto de esquerda como de direita). Escolhem uns inimigos, por exemplo, os comunistas ou a Rede Globo (na Venezuela são os imperialistas Estadonidenses que querem seu petróleo, bla, bla, bla) e falam aquilo que a sua massa quer ouvir. O outro lado se insurge, o que faz com que a massa a favor entre em polvorosa para defender o líder, por mais bizarra que tenha sido a sua fala.

    Vivemos neste país uma situação muito perigosa e de risco eminente de rompimento da estabilidade social (por mais instável que esta já pareça estar). Nos EUA, por mais idiota que seja o presidente (além de Trump, vamos lembrar de Bush filho), as instituições, a baixa dependência governamental no dia-a-dia e a descentralização do poder para os estados, minimizam os impactos do líder idiota. Aqui temos uma situação contrária e um líder que parece querer centralizar ainda mais o poder nele e na sua família (ex.: nomeação do filho para embaixador), levando o país em direção a uma espécie de autocracia.

    Sobre a atuação do poder judiciário, não tenho acompanhado muito de perto os textos das mensagens que vem sendo divulgadas (aqui nos comentários do blog foi o mais profundo que cheguei), mas realmente estas mensagens mostram algo que aparentemente já estava claro, que houve parcialidade do juízo para garantir o resultado desejado, por mais que eu acredite que os condenados sejam realmente culpados. Esta situação é muito preocupante, pois abre um precedente perigoso que em nome de um bem maior, tudo vale.

    Nos resta torcer para que o país melhore naquilo que esperamos, apesar do presidente que eleito.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Economicamente Incorreto, tudo bem?
      Li um texto seu que falava sobre suas duas filhas, ia comentar, mas acabei não o fazendo.
      Que tesouro é ter uma filha, imagina duas? Meus parabéns, parabéns para nós! Só de pensar no meu bebezinho já quase me faz surgir lágrimas (eu sou um pouco chorão).

      Sobre sua mensagem, concordo com basicamente tudo. Não que a concordância seja algo bom em si mesmo. Apenas acredito, e aqui discordamos, que Bolsonaro está errando em querer apenas jogar "para a sua galera". A grande maioria das pessoas que votou nele, votou única e exclusivamente porque não queria, com razão, o PT de volta ao poder. Não foi um aval para ele cometer barbaridades. Ele corre o risco de acabar isolado, mas posso estar equivocado.
      Eu acho tão estúpido o que ele está fazendo, pois nunca se teve a oportunidade tão fácil de aprovar uma reforma na previdência ou tributária sem grandes tumultos sociais.
      Ele podia ser realmente um líder, fazer essas reformas, e isso dar popularidade para ele avançar a pauta conservadora (eu chamaria mais de reacionária). Eu acho que seria um retrocesso ao país, mas seria uma estratégia muito mais bem sucedida pensando sobre a perspectiva dele. Faltou inteligência estratégica no meu entendimento.

      Um abs!

      Excluir
    2. Pois é Soul, são duas meninas. Ter um filho (ou filha), por si só, já é uma glória, ter duas é uma linda chacoalhada na vida.

      A mudança nos valores morais, sociais e emocionais é enorme e todos os dias você aprende algo. Seu bebezinho ainda é pequeno, então a percepção de influência sobre a formação é pequena, com o passar do tempo você vai ver como a sua influência vai moldando valores e comportamentos. Isso é fantástico!!!!

      Olha, concordamos em tudo mesmo sobre o Bolsonaro, acho que me expressei mal, pois eu falei em manipulação das massas, mas realmente quero dizer que ele manipula a "massa" concentrada na galera dele, o que também acho que é errado e certamente criará um isolamento com o tempo. Ele é um péssimo líder e seu carisma (se podemos chamar de carisma) é extremamente frágil considerando a sua incontinência verbal.

      Por mais que o país volte a crescer e as coisas se ajeitem, não acredito que ele tenha futuro político garantido com a melhora. O pessoal votou nele no desespero, mas com a melhora e estabilização, a consciência tende a voltar para uma postura menos extremada.

      Abraços

      Excluir
  17. Esse fim de ano passei pelo sul (gramado, Floripa, Camboriú e afins) e quase perguntei pra um cara se ele era você rs.

    O rosto era bem parecido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha só...
      Gramado é bem legal, faz muito tempo que não vou. Comer um foundie de queijo e carne com um bom vinho quando está bem frio é uma das coisas que vale a pena experimentar.
      Um abs!

      Excluir
  18. Discordo de quase tudo que falou. Mas não vou perder meu tempo tentando rebater. Bolsonaro não é psicopata. Moro fez a coisa certa. E o presidente da OAB também errou. Um abraço

    ResponderExcluir
  19. Discordo também. E não entendo como esquerdistas estão escrevendo ou palpitando sobre investimentos. E pior negam que são de esquerda!!! Negam até a morte!!! Isso é o mais engraçado. Só lamento, mas Trump vai ganhar novamente nos USA, e vai ser de lavada. Quanto ao Bolsonaro se a economia deslanchar mesmo é capaz de se reeleger. Fala asneiras pra distrair, poucos notam.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Engraçado, o Bolsonaro sempre foi contra a reeleição para presidente.

      Excluir
    2. Olá, colega.
      a) Quando fala de investimentos, fala de finanças pessoais ou investimentos num sentido mais macro? Não entendi onde se encaixa na discussão.
      b) Atualmente no Brasil para ser de "esquerda" ou ainda pior "comunista" basta discordar da ala maluca que está no poder no Brasil (Bolsonaro e família, Olavetes, etc). Então, esse termo "de esquerda" perdeu muito o sentido original no país.
      c) Por qual motivo o seu lamento? Se Trump ganhar ou perder, isso é irrelevante para a venda dos meus imóveis, ou criação da minha filha, ou qualquer coisa relevante em minha vida pessoal. As pessoas estão confundindo recentemente o que é realmente importante para a vida de questões sobre atualidade que podem impactar nossa vida, mas estão longe de ser essenciais. Se prestar atenção no título do texto, isso já estaria bem claro.
      d) Claro que se a economia melhorar bastante ele pode se reeleger. Num país instável como o Brasil, um monte de coisa pode acontecer. Antes de pensar em reeleição, creio que ele deveria pensar em governar primeiramente.
      e) Pode ser, mas, eu pertencer a uma maioria nunca foi algo natural ou necessário. Eu fui jogador profissional de xadrez, não de futebol. Eu sempre gostei de Heavy Metal. Eu torcia para o Santos Futebol Clube. Logo, se asneiras são ditas e poucos dão bola, isso de tudo é indiferente.

      Um abs!

      Excluir
    3. Se a reeleição de Trump, assim como de bolsonaro, é irrelevante para você, por que fala tão mal deles? Nunca vi um post em que falasse tão negativamente do Lula ou da Dilma como fala do Bolsonaro. Imparcial, não é mesmo?

      Excluir
    4. Colega, sem querer ser indelicado, mas vamos prestar um pouco mais atenção no texto, se realmente quer se engajar numa conversa de "discordância".
      a) Sim, é irrelevante no sentido de "c" da mensagem anterior. Se Bolsonaro, Ciro, Lula, Guedes for o presidente, isso não muda o fato que sou eu que tem que trocar as fraldas da minha filha. Qual a dificuldade de entender esse conceito? Aliás, é fácil entender, talvez seja difícil realmente colocar em prática. Eu, como um observador e habitante desse mundo, sou afetado pelas decisões de pessoas em altos cargos (até mesmo no caso de um presidente de outro país como o Trump), mas em última análise a minha vida será melhor ou pior dependendo se eu estou dormindo bem, alimentando-me bem, dizendo bom dia para os meus vizinhos, etc. Logo, o seu comentário perde sentido, e sinto que tive que "desenhar" novamente isso. O fato de eu escreve "bem" ou "mal" sobre assuntos da atualidade em nada confere a eles força de essencialidade em minha vida, apenas o faço pois como dito sou habitante desse "pálido ponto azul".

      b) Amigo, você está confundindo vários conceitos. Imparcial deve ser um juiz, e só. Nem mesmo o MP precisa ser imparcial, na real ele é uma parte, logo parcial. Portanto, dizer que não sou imparcial escrevendo num blog amador como esse é destituído de sentido.
      Sobre Lula e Bolsonaro, Lula não é mais presidente há quase 10 anos, ele largou o cargo 5 anos antes de eu começar a escrever, qual a relevância de escrever sobre ele? Creio ser mais importante ser diligentes e vigilantes com quem atualmente está no poder.
      No caso de Bolsonaro, porém, ele realmente representa aspectos que acho "sombrios" na existência humana. Uma pessoa dessas ser líder do Brasil realmente me causa muito mais repulsa.

      Um abs!

      Excluir
    5. Não sou o anônimo aí de cima, mas vou dar um pitaco. Temos que falar do PT, do Lula e da Dilma sim, foram os maiores responsáveis (há outros ok?) pela criminalidade, pelo desemprego, pela roubalheira e pelo semi-analfabetismo no Brasil. Como não falar? Até mesmo para que o povo tenha conhecimento e pare de votar nos políticos desse partido! A extensão e a gravidade dos crimes dessa organização criminosa chamada PT ainda serão debatidos e julgados nos próximos anos ou décadas!

      Excluir
    6. Colega, veja o que você falou: "pela criminalidade, pelo desemprego, pela roubalheira e pelo semi-analfabetismo no Brasil."
      Eu sei que esse é um discurso em voga, mas ele é completamente errôneo e presta um desserviço a quem quer realmente analisar a realidade.
      Deixa eu ver se entendi o Lula que assumiu em 2003 é responsável pelo semi-analfabetismo no Brasil? Essa fala não guarda qualquer conexão com a realidade e com a história do Brasil. Acredite ou não em 1888 ainda existiam escravos circulando por aí de forma legal. O Brasil sempre foi um país de analfabetos e de pobreza extrema para parcelas significativas de sua população. Por qual motivo você acha que a constituição de 88 existe? Porque houve um plano socialista de dominação? Não, amigo, as demandas sociais mais básicas estavam tão reprimidas que fizemos uma Constituição extensa e pródiga em direitos sociais. Isso não veio do nada. Dizer que um governo que começou em 2003 é responsável pelo analfabetismo não possui o menor cabimento.
      Sobre a violência, se tiver curiosidade pegue a série histórica de assassinatos por 100 mil habitantes, e veja onde estava em 2003 e onde estava em 2010. O Brasil começou a se tornar cada vez mais violento na década de 50 e se tornou realmente violento no período militar com a explosão dos assassinatos na década de 80.
      Por qualquer ângulo que se analise a sua consideração, se percebe numa análise superficial que ela é simplesmente falsa.

      Agora, se você quer dizer que os governos Lula e Dilma não se esforçaram para diminuir drasticamente analfabetismo, violência, pobreza extrema, e que eles acentuaram ainda mais a corrupção no Estado Brasileiro, essa sim é uma discussão racional e faz todo o sentido.

      História é isso amigo, os acontecimentos são melhor analisados e entendidos quando não estão no calor do momento. Não tenho dúvidas que os governos Lula e Dilma ainda serão debatidos e analisados por muitos anos. Isso é normal e natural, assim como o governo Bolsonaro também o será.

      Sobre Julgamento do PT, o partido já foi julgado. Criou-se um sentimento anti-petista tão forte que isso foi capaz de eleger alguém como Bolsonaro. Porém, e isso foi alertado nesse espaço ainda em 2016, o PT estava se desmilinguindo. Em 2016 ele foi arrasado nas eleições. Porém, por inúmeros equívocos no meu entender, deram uma narrativa ao PT. Hoje o partido é uma sombra do partido poderoso do começo da década passada, mas colocou um candidato desconhecido da população brasileira no segundo turno, fez a maior bancada na câmara, e ainda possui se não me engano 8 senadores. Tirante o PSL que é uma legenda que depende do Bolsonaro exclusivamente, o PT é o maior partido ainda do Brasil, e isso se deve e muito a análises acríticas e superficiais como esta que você fez no comentário.

      No mais, recomendo a você escutar o podcast da folha: Presidentes da Semana. Esse podcast fala de todos os presidentes republicanos e é muito interessante.
      Lá você pode observar que o "bolsonarismo" é muito parecido com o "florianismo", eu mesmo fiquei surpreso com as semelhanças dos florianistas com os bolsonaristas. A diferença é que um movimento ocorreu há mais de 100 anos. Você vai observar que discursos de ajuste fiscal, combate à corrupção, líderes populistas de esquerda e direita, são muito anteriores a Lula, FHC, Bolsonaro. Isso é antigo no nosso país, amigo.

      Um abs!

      Excluir
    7. E a corrupção também já existia antes do PT, certo?

      Excluir
    8. Folha é aquele jornal super imparcial que lançou essa manchete essa semana: "'Não tinha ninguém pra dar um tiro nele?', questiona Bolsonaro sobre morador de rua"

      Sobre aquele assassino que matou 2 pessoas esfaqueadas e feriu uma terceira, dando a entender, é claro, que Bolsonaro é aquele nazista (as eleições não tinham acabado, Folha?) que adoraria matar morador de rua a esmo.

      Excluir
  20. Olá Soul, tudo bem? Como está a filha?

    Confesso que estou um pouco distante da atualidade. Mesmo assim não deixei de rir com essa história do hambúrguer.

    Um diretor competente pode fazer um belo filme de comédia. Que olha, hoje em dia está em falta filmes legais do gênero.

    Continuando com a história do fritador, pensei em montar um currículo. Quem sabe né? Sei fritar hambúrguer (com manteiga e orégano fica bom demais) e meu inglês macarrônico não me deixou em apuros na Europa rs

    Bom, essa de pai do presidente da OAB é sem comentários.

    E para fechar, essa do Moro tenho uma teoria da conspiração. Interessante que começaram toda essa história (que parece ser verdadeira) a vias de começar a circular o pacote anticrime.

    Hmm, sei não hein?

    Teoria da conspiração a parte, e comentando como se a história for verídica, fico em cima do muro naquela do "vale tudo em nome da causa".

    Por um lado, entendo o quão perigoso usar o discurso acima é. E por outro, sei que muitas coisas para funcionar precisam "romper" barreiras.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, I.Inglês! Tudo bem??
      a) Sim, meu amigo, precisamos de mais comédia inteligente no Brasil, precisamos ri de nós mesmos. Os brasileiros costumavam ser mais assim, essa onda de todo mundo sempre "puto" com alguma coisa, com raiva mesmo, eu acho um sintoma muito sério de como as pessoas estão estressadas e às vezes nem se apercebem desse fato.

      b) Sobre o Moro, acredito que você não leu o pacote dele, correto? Na verdade, o pacote do moro é como que um complemento do projeto do antigo ministro da justiça e hoje ministro do STF Alexandre de Moraes. Boa parte do pacote do Moro é mudanças no CPP (código de processo penal) algumas triviais outras interessantes. Há muitas mudanças de constitucionalidade duvidosa. E há o tal excludente de ilicitude que acho completamente inconstitucional. O tal do pacote não é nenhum enorme marco, é apenas uma modernização de algumas partes da legislação com algumas medidas controversas.

      Sobre romper barreiras, não tenho dúvidas. O conhecimento e a evolução é assim mesmo. Porém, quando se rompe às barreiras do Estado de Direito geralmente a espiral é para baixo, não para cima.

      Um abraço!

      Excluir
  21. ótimo texto
    o Brasil quase foi governado por oligarquias incompetentes
    Bolsomito mantém essa longa tradição
    nada de novo no front

    abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Scant.
      Em esteróides né? Um filho deputado, outro senador, outro vereador, creio que desde a família do Dom Pedro o Brasil não testemunhava uma família assim.
      Um abs!

      Excluir
    2. Com certeza tivemos piores, a diferença é a visão que temos da coisa, todo poder político tem um clã principal. Lula tinha o pessoal da época de guerrilha, collor o irmão e etc. O melhor comentario foi do scant, nada de novo no Brasil, café com leite impera.
      Lula - Sp
      Dilma - MG(se criou em minas)
      Bolso - SP novamente

      Excluir
    3. Antonio Gasparatto2 de agosto de 2019 10:05

      Isso se restringindo aos parantes de primeiro grau..

      Tem ex-mulher, irmãos, sobrinhos e até o namorado-primo do Carluxo tá envolvido em política (assessor de gab. de um Deputado Federal).

      É a nova política.

      Ruim com o PT, ruim com o Bolso-império.

      https://exame.abril.com.br/brasil/politica-em-brasilia-e-o-cla-bolsonaro-um-caso-de-familia/

      Excluir
  22. Olá, você poderia fazer um comentário do art. 174 do CP?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Wesley, nem sabia que existia esse crime, sendo bem sincero.
      Interessante, não?
      Um abs!

      Excluir
  23. Soul, a grande vantagem do Bolsonaro em relação a Dilma(que era burra igual ele) e que ele soube montar o time principalmente em áreas chaves(economia e infraestrutura são os que conheço e vejo um bom trabalho na minha opinião) e ele aparentemente tem ouvido eles na parte tecnica. Enfim, temos muitos problemas, ja temos muitos problemas e provavelmente continuaremos tendo muitos problemas, a nossa grande qualidade como nação e ir para frente mesmo com tanta coisa puxando para tras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Na parte econômica e infraestrutura de acordo contigo.
      Mas é isso aí, o Brasil é uma locomotiva que tenta ir para frente com muitas coisas puxando para trás (elites corruptas, abismo social, falta de educação, etc, etc).
      Abs!

      Excluir
  24. Olá Soul!

    Parabéns pelo blog! Conheci a pouco tempo e já virei fã, li várias postagens antigas e tenho aprendido muito desde então.

    Quando você fala que teme pelo pior quanto ao futuro de governos como o de Bolsonaro e Trump do que você exatamente você está falando?

    Além da perda de tempo com discussões desnecessárias o que devemos temer destes governos?

    Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      Eu acredito que para se formar sociedades boas para se viver é um processo que toma tempo, e às vezes muito sofrimento. Austrália e NZ comemoram um dia chamado ANZAC DAY. Na N.Zelândia é um dia de comemorações e reflexões. Esse dia presta respeito ao desembarque de tropas australianas e da Nova Zelândia na península de Galipoli na Turquia na primeira guerra mundial em 1915. Essa batalha foi uma carnificina em ambos os lados, do lado turco um brilhante comandante iria se tornar o grande Kemal Ataturk, o homem que trouxe a Turquia para o século 20 com inúmeras reformas.
      Por que falo disso? Porque essa carnificina deixou marcas na sociedade da nova zelância, já que é um país pequeno e pouco populoso, imagine 100 anos atrás, e dezenas de milhares de jovens morreram.
      Na capital da Austrália, Camberra, há também um memorial, e todo dia se homenageia o soldado anônimo tombado (e se não me engano em referência a Galipoli). A cerimônia é bem forte com aquelas trombetas estilo militar.
      O que isso tudo significa? Para chegar onde estão, esses dois países, e seus jovens, fizeram sacrifícios enormes.
      As instituições então vão se moldando a esses sacrifícios, às lutas, evoluções, etc.
      Muitas pessoas, mesmo num país como o Brasil, "take it for granted" muitas coisas que não são de maneira nenhuma um fato dado da natureza. A possibilidade de se manifestar livremente sendo apoiando Bolsonaro, ou Lula, ou que você quiser apoiar, é algo que inexiste em muitos lugares do mundo, e nada garante que venha a continuar a existir ainda mais num país como o Brasil.
      Logo, há princípios e há arranjos institucionais que devem ser preservados, pois foi difícil chegar neles.
      Bolsonaro coloca em cheque muito desses arranjos, num país como o Brasil isso sim pode ser extremamente deletério pensando em médio prazo. Oxalá, eu esteja equivocado, e seja apenas uma retórica vazia sem consequências práticas.

      Um abs!

      Excluir
  25. Revelou a veia esquerdista, como era possível perceber à muito... e não adianta todo conhecimento, leitura, exploração de ideias, isto é mais forte e v. não consegue entender. Pena, está defendendo o errado e o mal e precisa muita coragem para reconhecer. Ao cabo de tudo, foi envolvido pela intelectualização das próprias idéias, deixou passar a oportunidade de pesar tudo o que acontece e perceber que também está sendo manipulado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      Eu tenho plena certeza que posso ser "manipulado". Aliás, todos nós somos circunscritos ao nosso tempo histórico, e também, apesar da globalização e maior concectividade, à nossa geografia. Ou por acaso você por acaso pode ter certeza o que significava ser um Núbio há 3000 mil anos?

      Porém, será que você reconhece que você também pode estar sendo manipulado? Não me parece pela sua mensagem, mas, enfim, fica a dica para a auto-reflexão.

      Um abraço!

      Excluir
  26. Olá Soul Surfer,

    Fui um dos 57 milhões que votaram em Jair Bolsonaro no segundo turno das últimas eleições. Tenho tanta vergonha de dizer isso que, no meu círculo social, afirmo que votei em branco e, como sou uma pessoa bem discreta, felizmente as pessoas acreditam.

    Sou estudante de escola pública estadual, pardo e pobre. Em 2014, eu, mesmo não votando, demonstrava uma vontade que Dilma Rousseff fosse reeleita. No meu círculo, as pessoas responsabilizavam os governos petistas por todos os avanços socioeconômicos registrados pelo Brasil nos últimos anos. Contudo, fui crescendo e tendo acesso a internet, e, conhecendo a história contemporânea mais a fundo, vi que na verdade, esse boom econômico brasileiro foi provocado por uma série de fatores na conjuntura econômica mundial antes da crise de 2008, como a exportação de commodities para a China, que se firmava como segunda potência mundial. Nesse momento, passei a questionar a propaganda petista. Além disso, minha família, que já foi beneficiária do programa Bolsa Família, ainda passava - e passa - por muitas dificuldades financeiras, mesmo que se enquadrasse nas definições ridículas de "nova classe média" do PT, o partido vendia que ter uma televisão ou uma geladeira era sinônimo de progresso, quando, na vivência diária, eu e milhares de pessoas sabiam que não era verdade. Depois disso, vieram, através da disciplina de História, meus primeiros estudos sobre a esquerda - foi quando minha descrença total se confirmou. Parecia que a esquerda brasileira pregrava que as soluções para o Brasil eram aquelas que já haviam sido testadas antes e cujo resultado era catastrófico. Além disso, passei a contestar alguns pontos e conclusões radicais de movimentos "igualitários" adstritos à esquerda política. O abstracionismo desses movimentos em vários pontos não me convenceu.

    ResponderExcluir
  27. Continuando...

    Nesse momento também cheguei a metade da adolescência, e, vendo eu e minha família sofrer por causa das condições financeiras difíceis, passei a contestar o culto brasileiro à pobreza - que é valorizado pela esquerda. Eu, ao querer crescer em minha vida para ter condições confortáveis de vida, estaria indo de encontro as ideias esquerdistas. Ademais, na escola, também vi que muitos dos esforços estatais para a diminuição da desigualdade através da educação não serviam, pois a maioria dos meus colegas é totalmente desinteressado no futuro. A maioria acredita que viverá às custas dos pais ou de benefícios sociais - entendo o Bolsa Família como uma espécie de investimento. Algumas alunas, embora pareça radical, e é, engravidam para ter acesso a esses benefícios. Tive esse confronto filosófico, e, de certa forma, vários políticos de esquerda relativizavam essa questão, parecendo mais quererem que grande parte da população continuasse pobre para que eles tivessem sempre garantidos seu "curral eleitoral". É tanto que a esquerda parece ser intolerante ao pobre que quer realmente sair da pobreza, além de vilanizar a classe média e os empresários - sejam eles pequenos ou grandes. Eu acho isso um equívoco, pois não se pode vilanizar quem geram empregos - lembre-se de que estou falando dos pequenos e médios empresários, e não daqueles grandes ligados à corrupção política. Soma-se a isso o fato de que eu estava começando a descobrir ideias como tranquilidade e independência financeira, e novamente, a cultura de pobreza corroborada por ideias de esquerda demoniza aqueles que eles chamam de "ricos rentistas".

    Chegou então 2018. Eu, sinceramente, também desconhecia muito acerca de Jair Bolsonaro, exceto daquelas polêmicas que ele se envolveu com Jean Wyllis e Maria do Rosário. Como nunca gostei de falar sobre política com ninguém, votei no primeiro turno quase que de forma aleatória, no Henrique Meirelles, pois ele parecia ser um meio termo entre esquerda e direita, sem o radicalismo típico dos espectros.

    A eleição foi decidida no segundo turno. De um lado, Fernando Haddad, agindo fantoche de Lula, prometendo políticas que não dariam mais certo, pela economia mundial ser bem diferente daquela pré-2008. Além disso, no espectro moral, algumas ideias dele me desagradavam. Do outro, Jair Bolsonaro, que parecia menos pior. Ainda tento saber como eu fui idiota de acreditar que, se ele chegasse à presidência, mudaria, tornaria-se mais respeitoso. Mas acho que milhões também pensavam assim.

    Não iria votar no segundo turno, mas tive que acompanhar um parente e acabei levando meu título. Desde aquele 28 de Outubro fiquei com a consciência bem pesada. Acreditava que, se Jair Bolsonaro apertasse mais as coisas, as pessoas sairiam de sua zona de conforto. Nunca acreditei em Fake News ou absurdos religiosos / grupos de whatsapp, pois as pessoas associam todos os eleitores dele a isso, sei bem que não é assim.

    Desde então, várias imbecilidades de Bolsonaro me fizeram a dar total reprovação a ele. Notava que ele era indiferente aqueles que praticavam atos de intolerância em seu nome - se fosse alguém mais humano, repreenderia-os. Passava sempre a mão na cabeça dos seus filhos após eles soltarem comentários repletos de ignorância. A gota d'água para mim foi a indicação do próprio filho para a embaixada dos EUA - penso em ser diplomata e imagino o quanto os diplomatas que investiram anos em suas carreiras ficaram indignados perante a esse caso de nepotismo.

    ResponderExcluir
  28. O comentário está gigante, mas é uma forma de contar toda uma visão de mundo atrás de um voto. Continuo desfavorável à esquerda, por meus princípios, objetivos e visão de mundo incompatíveis com ela, mas sou igualmente desfavorável a esse presidente, um homem sem o decoro que o seu cargo exige, um cara que se diz um exemplo de homem cristão mas tem um linguajar chulo, vulgar e não ter humanidade. Que pai cristão compara o Brasil com aquilo que ele disse? Tomo isso como lição, de forma traumática, mas, de agora em diante, votarei em quem realmente merece, e, se essa pessoa não for para o segundo turno, prefiro ser um isentão e votar nulo. Pelo menos não sentirei tanta culpa como eu sinto agora.

    Apesar de também se comportar como um hipócrita, Donald Trump, um homem que se diz cristão mas cheio de perversidade no olhar e nos atos, parece ser bem mais coerente que Bolsonaro. A esquerda estadunidense também parece ser tão hipócrita quanto a brasileira, Alexandria Ocasio-Cortez parece com uma certa deputada brasileira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      a) Se você é um jovem de uma escola pública na faixa dos 17-19 anos e escreve um texto como esse, meus parabéns, tem um bom futuro pela frente. Elogio o texto pela clareza na conexão entre ideias, bem como pelo vocabulário.
      b) Sobre o texto em si, tirando algumas hipérboles, e alguns "lugares comuns", muito do que você disse realmente faz bastante sentido.

      Um abs!

      Excluir
    2. Bolsonaro assim como boa parte da população BR se diz cristão mas nao tem frutos do cristianismo na sua vida(dominio próprio, mansidao), alias nao da pra ninguém com essas características assumir a presidência pois seria destruido pelo sistema em meses.

      Excluir
  29. Olá Soul,
    ótimo Post e entendo porque você não pretende falar sobre esses assuntos tão cedo. Tem que ter muita paciência para explicar o básico sobre interpretação de texto. Fiquei pensando que se fosse um vestibular, muita gente ia ser eliminada por sair do tema.

    Eu tenho evitado ler noticiários para não me estressar e nem ter motivos para discutir com ninguém. Isso me ajudou muito a conviver no trabalho e em outros espaços. Dei sentido ao ditado que a ignorância é uma benção.

    Meu esposo que é empresário e votou no Bolsonaro iludido com a ideia de que a economia iria levantar. Isso foi motivo de muitas discussões em casa já que eu já imaginava que o Bolsonaro replicaria o desempenho medíocre que teve como capitão e depois como deputado. Claro que há sempre uma surpresa como, o o caso do fritador de hambúrguer para me fazer perceber que a realidade sempre pode ser mais bizarra que a ficção.

    O fato é que para nós a economia não melhorou nada. Ele sente que na área dele (engenharia) está pior do que no auge da crise criada pelo governo Dilma. Eu fico com a impressão de que o ministério da economia está fazendo menos do que poderia para forçar a aprovação da reforma da previdência. O ponto é que para o pequeno empresário a vida continua difícil.

    A questão da psicopatia, geraria uma vasta discussão com especialistas da área assim como a questão da imparcialidade do ex-juiz gera.

    Atualmente estou lendo o conto da aia e muitas vezes me surpreendo como há tantos fatos ocorrendo no Brasil que trazem semelhanças com a história. Recomendo a leitura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Carol. Grato pelo comentário.
      Bom, a economia é a soma de uma infindável número de atividades, profissões, etc. Sendo assim, mesmo numa economia em recessão, há setores e pessoas que podem estar ganhando. Eu, assim como Taleb e tantos outros, acredito que quando a pessoa do ponto de vista financeiro pode se sobressair, ou ao menos não sair tão prejudicado, em qualquer direção da economia é quando ela tem uma posição robusta ou talvez (nos termos do Taleb) antifrágil.

      Sobre o seu marido e engenharia, eu vendi vários imóveis esse ano, e sinto que o mercado está parecido com 2018, e muito melhor do que em 2016, para venda de imóveis. Mas, a economia como um todo parece estar em standy by.
      Eu imagino que venderam uma ilusão e boa parte da sociedade acreditou.
      Porém, quem sabe não consigam fazer uma reforma tributária razoável, e reformas microeconômicas no sentido de mais liberdade econômica? Nos resta torcer para que esse seja o caso, e alguma coisa de boa se salve desses anos que temos pela frente.

      Um abraço!!

      Excluir
    2. Não tem como um governo arrumar em 6 meses os estragos causados por décadas de governos anteriores. Por acaso, acha que com o PT estaria melhor?

      Excluir
  30. Olá, Soul!
    Também vi de forma positiva esse fortalecimento do papel desempenhado pelo legislativo, inclusive tenho uma impressão de que o congresso ficou mais em evidência e a população passou a cobrar e monitorar um pouco mais a atividade parlamentar.

    É algo que não era muito comum por aqui e que pode trazer bons resultados se esse fenômeno acabar se tornando em algo consolidado.

    Muito bom o seu texto, encontrei seu blog faz pouco tempo e fiquei triste de não ter encontrado antes.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  31. Não, nao haverá reforma tributária.
    Bolsonaro disse que "china não pode comprar o brasil", mas está vendendo o brasil para os EUA.
    Nos últimos anos de crise há pessoas e setores que não sofreram. Esses são os que mais poderiam contribuir na hora da reforma da previdência e tributária. Mas a reforma da previdência só está afetando os mais pobres.
    Pobres ficaram mais pobres. É só o começo...
    Bolsonaro contestava o governo Venezuelano, mas está transformando nosso Brasil em uma venezuela.
    Hoje jornalistas falam do "imperialismo americano" agindo no Brasil, eapecialmente em setores estratégicos como energia e petróleo. Engraçado que Maduro e Hugo Chavez sempre falaram isso e esses mesmos jornalistas falavam em "teoria da conspiração" na época. Contraditório, não?

    Não! PIB positivo nos próximos 4 anos não quer dizer absolutamente nada!! (Eu mesmo me enganava aqui e estudando mais percebi o óbvio).

    Não! O Brasil não está melhorando e se melhorar será apenas uma ilusão!

    O tombo com Guedes será bem maior.

    Hoje nossa economia não é reflexo da política atual, e sim passada! Após 5 anos é que teremos reflexo do governo atual, que consegue ser mais heterodoxo que Guido Mantega.

    Sou EXTREMAMENTE capitalista e só vejo contradições econômicas em relação ao benefício da população brasileira.

    Desculpe o texto sem fluidez. Estou no ônibus.

    Depois escrevo com calma.

    Zezinho Capitalista.

    Obrigado.

    ResponderExcluir