segunda-feira, 6 de novembro de 2017

MINHA EXONERAÇÃO DO CARGO DE PROCURADOR

Faz tempo que queria escrever esse artigo. Talvez mais de cinco anos.  Sou arrependido do caminho que tomei? De maneira alguma. Não sou grato pelo que aprendi? Absolutamente.  Mais de 12 anos depois, minha história como Procurador Federal chega ao fim.

          Durante esse tempo aprendi muito sobre a miséria humana, sobre os outros, sobre mim mesmo, sobre a vida. Lembro-me como se fosse hoje de uma das minhas primeiras audiências. Um garoto de 18 anos que tinha tomado um tiro e ficado paraplégico. Até hoje penso naquele garoto, e na vida dele que foi alterada de maneira tão brusca numa etapa tão cedo da vida. Quantas mães e esposas que perderam os seus filhos e maridos não vi chorar em minha frente. Vi muita desfaçatez também é verdade.

       Durante certa  época sofri com o tratamento recebido. Quem me acompanha há mais tempo no blog, sabe que gosto de tratar dos assuntos com seriedade,  e sempre questionar aquilo que acredito não ser correto. No serviço público, mesmo na elite do funcionalismo, isso às vezes, ou quase sempre, não é muito bem visto. 

     No primeiro estágio fiquei com raiva. Algo que não faz bem para ninguém, muito menos para a pessoa que está sentido raiva. Depois senti indiferença. Um dos piores sentimentos, mesmo que endereçado para pessoas que não agiram de maneira correta comigo . A indiferença é algo terrível e faz um mal danado. Depois senti pena, outro sentimento que não nos leva a nenhum lugar. Foi apenas depois de muito refletir, e sentir todas essas sensações ruins, que percebi que na verdade as situações de desconforto e as pessoas que as criaram eram na verdade professores de vida. Foram elas que me forçaram a evoluir enquanto pessoa, a ir atrás de novos horizontes, a me desafiar. Talvez eu não estivesse escrevendo esse texto se não fossem essas situações e essas pessoas.

         Aprendi muito. Eu sou aquilo que vivi, como gosto daquilo que sou, então só posso agradecer aquilo que vivi.

O salário era muito maior do que necessitava, então pude economizar muito. Com certeza foi um dos pilares para chegar onde estou.  Tomo um caminho em sentido contrário do da maioria. Afinal, quem não quer não ter controle de horário, um salário de R$ 30.000,00 e ser chamado de Dr., tudo isso com estabilidade e respeito social quando as pessoas sabem o que você faz.  Muitos querem, e é natural que assim o seja.  Eu, porém, no atual estágio da minha vida, quero outras coisas.

Foram anos e mais anos me preparando financeira e psicologicamente para esse momento. Talvez já tenha feito centenas de cálculos. Quantos rabiscos não fiz de várias margens de segurança, várias formas de retiradas do patrimônio, várias períodos de abrangência. Acho que fiquei um especialista nessa área.

 Quando percebi que a parte financeira não era o que me segurava, afinal posso me dar o luxo de ter duas independências financeiras (uma aqui no Brasil, e outra com um portfólio em separado no exterior), resolvi tratar da parte emocional, dos medos, das inseguranças próprias e a dos outros. A viagem de quase dois anos que fiz por lugares soberbos do mundo foi com certeza uma amostra de como a vida pode ser espetacular, diferente, desafiadora, sem que se precise se apegar ao padrão tido como correto e vitorioso. Entretanto, é verdade que o governo Temer deu uma bela ajudada para a minha decisão, e tornou tudo mais fácil.

É isso, independência financeira de forma “oficial”.  O que vou fazer? Não faço a mínima ideia. Terminar o meu livro sobre leilões (que está ficando bom), especializar-me em investimento-anjo, ser um bom pai, viver em 9 lugares diferentes no mundo aprendendo os rudimentos da língua local nos próximos 18 meses, melhorar como cantor, ajudar mais os outros, não sei, e francamente isso nunca me preocupou. A vida é muito interessante e ampla para nos definirmos apenas pelos nossos trabalhos. Aliás, quanto mais se conhece do mundo, mais interessante ele fica.

É isso, colegas leitores, esse foi um artigo que ansiava escrever antes mesmo de ter um blog. Uma parte importante da minha vida fica para trás, outra se abre em minha frente. Estou tão tranqüilo, satisfeito e feliz, que tenho certeza que será uma vida ainda melhor do que a vida boa que venho levando.


Um grande abraço a todos.

196 comentários:

  1. Tomar essa atitude não é para qualquer um. Acho que resolveu ser feliz e ser procurador não te dava felicidade. Parabéns pela independência financeira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Beto. É, eu até agora fui o único no Brasil. Mas você foi ao ponto, há anos que não estava mais satisfeito com o que eu fazia.
      Um abraço!

      Excluir
  2. Me lembrei daquele vídeo que te enviei, história bem parecida.
    Felicidades no novo estágio de vida Sô! Parece que você se libertou de um grande fardo.
    Hoje republiquei o post do Valores Reais, mais pra frente vou republicar seu post contando esta mudança. Se tiver algo a acrescentar só falar.
    Grande abraço e muitas felicidades!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, U.B! Sou muito grato por aquele livro. Não sei se foi uma fonte inspiração, mas em certo sentido eu me apoiei no exemplo dele. Aliás, ele é um palestrante de mão cheia.
      " Parece que você se libertou de um grande fardo." Sim, é a minha sensação, Alexandre. Por mais que o trabalho estivesse mais tranquilo, eu tenho essa sensação, e ela é tão boa...
      Obrigado e um grande abraço!

      Excluir
    2. Você escreveu "livro" mas entendi que foi o vídeo, rs.
      Aliás, assim que vc terminar seu livro vai faltar só plantar a árvore e fazer o filho. rs
      Voltei a escrever no blog antigo, quando puder adicione na sua lista para você acompanhar.
      Abraço!
      http://blogdouo.blogspot.com.br/

      Excluir
    3. Uorrem Bife, bom dia.

      Poderia indicar o link do vídeo?

      Obrigado.

      Excluir
  3. "A beleza está no olhos de quem vê." Clichê, mas faz sentido. Sempre é possível extrair algo do que vemos.

    Seu relato mais uma vez demonstra a importância do olhar.

    Muita luz na caminhada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. "Sempre é possível extrair algo do que vemos." Sim,uma das ideias desse breve texto foi passar isso. Demorou muitos anos para eu enxergar a situação sobre esse prisma, e fico muito feliz que consegui evoluir para perceber a vida sobre esse prisma.
      Um abraço!

      Excluir
  4. Olá, Soul.
    Faz muito tempo q estou longe da finansfera, apenas acompanho o blog dos amigos.
    Fiz login apenas para fazer um comentário em seu post.
    Primeiramente, parabéns por sua coragem!! Conheço dezenas de concurseiros que venderiam até a mãe pra assumir um cargo desse.
    Não tenho como te dizer se foi o certo ou não, mas se vc esta feliz é isso q importa. Sucesso na nova vida que vem pela frente, aguardo pelo livro sobre os leilões.
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Guardião. Fico lisonjeado com a sua mensagem.
      Claro, o futuro é sempre incerto, e é por isso que algumas decisões são difíceis de tomar. Porém, acredito que me preparei tanto em tantas áreas, que vai dar tudo certo.
      Mais uma vez, agradeço.
      Um abs!

      Excluir
  5. Um dia também gostaria de largar o fardo que escolhi carregar. Antes que a morte se consume, quem sabe um pouco de vida, leveza e liberdade. Obrigado por manter o blog.
    Que desprendimento!
    Felicidades!
    Gaivotão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Gaivotão.
      Gostei que você está ciente que foi você mesmo que escolheu carregar. As rédeas da sua vida, em última instância, estão na sua mão.
      Um abs!

      Excluir
  6. Sou auditor federal e acredito, se tudo der certo, que farei o mesmo daqui dez anos aproximadamente.
    É muito boa minha posição atual e não tenho do que reclamar, mas definitivamente desejo fazer coisas bem diferentes do que faço.
    Abraço e felicidades!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Um grande amigo meu também é auditor fiscal e está na mesma posição do que você. O que posso dizer a não ser dedicar sucesso em sua empreitada?
      Apenas digo que cargos como o seu geram uma zona de conforto imensa, que na maioria dos casos causa paralisia. Faça um patrimônio razoável, e daqui 10 anos você poderá ter muito mais liberdade para decidir o que quer.
      Um abs!

      Excluir
  7. Parabéns!

    Ansioso pelo livro de leilões!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Galo Magrelo!
      Eu tb estou ansioso para terminar a escrita e começar o processo de edição. Porém, vai demorar um pouco ainda.
      Um abs!

      Excluir
  8. Parabéns pela atitude corajosa, Soul. Sou PFN e pretendo seguir o mesmo caminho em breve. Inclusive já me desfilei do RPPS para poder aportar mais e também porque não iria me beneficiar dele no futuro mesmo. Minha ideia é viajar pelo mundo velejando, gastando pouco e podendo dedicar meu tempo para estudar mais sobre filosofia, história, economia e línguas estrangeiras. Grande abraço e boa sorte na nova empreitada.

    ResponderExcluir
  9. Sucesso para sua nova fase, espero que consiga realizar todos os seus sonhos.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, D.I.L.
      Rapaz, sabe que eu não tenho tantos sonhos. Os meus maiores objetivos é ser um humano melhor, conviver melhor com meus familiares, ter mais tempo com bons amigos, e me sentir envolvido com alguma atividade produtiva. Se conseguir isso, já me dou satisfeito com a vida.
      Abs!

      Excluir
  10. Desejo que seja feliz com a vida que construiu para si, soul.

    Vc tirou a licença para interesses particulares quando fez essa viagem de 2 anos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, amigo.
      Sim, tirei uma licença para tratar de assuntos particulares sem vencimento.
      Eu agradeço a sua mensagem.
      Um abs

      Excluir
  11. Parabéns pela conquista Soul Surfer! É muito legal ver alguém da blogosfera financeira do Brasil se aposentando tão cedo (no sentido de parar de trabalhar para ter um salário no final do mês), você conquistou algo que pra mais de 95% da população é inimaginável!

    Muita gente deve pensar que você é louco por abandonar um salário desse, mas acredito que dinheiro em excesso não traga mais alegria. Se você acredita que a quantia que você tem hoje é suficiente pro resto da vida, não faz muito sentido gastar uma parte grande do dia trabalhando enquanto você prefere fazer outras coisas.

    Te desejo muito sucesso e novas aventuras nessa nova fase da sua vida. Nunca comentei por aqui mas já conheço o blog faz bastante tempo e sempre fico admirado pela ótima qualidade dos posts e das discussões nos comentários, parabéns.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Jovem Poupador!
      Muito obrigado pelas palavras. Sim, com certeza. Muitas pessoas pensavam e ainda devem pensar que sou "louco". Porém, chega um momento onde mais dinheiro talvez não esteja acrescentando mais nenhuma felicidade, e o trabalho pode ser uma fonte de infelicidade. Era o meu caso. Por isso, essa escolha.

      Obrigado mais uma vez pelo comentário.

      Um abraço!

      Excluir
  12. Boa sorte, Soul, no prosseguimento de sua vida pessoal e profissional, ou não profissional, se assim o desejar.
    Você é um cara diferenciado, percebesse facilmente.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Fico satisfeito de ter um militar investidor na blogosfera. Ouvi recentemente um podcast de um blogueiro americano que trabalhava no exército americano e conseguiu atingir a I.F. numa idade jovem. Achei bem interessante a entrevista.
      No mais, agradeço as palavras amigo.
      Um abs

      Excluir
  13. Soul, parabéns pela atitude corajosa. Não é fácil tomar uma decisão dessas. Amigos e familiares certamente não o apoiarão. Sou PFN e pretendo trilhar o mesmo caminho. Também sonho em ter tempo livre para fazer o que gosto, como viajar (no meu caso, se o destino permitir, velejando pelo mundo) e estudar mais sobre filosofia, economia e história. Grande abraço e boa sorte nessa nova empreitada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, amigo. Então éramos colegas de carreiras-irmãs.
      Desejo sucesso para você. Se você navega pela blogosfera é porque já tem uma mentalidade financeira muito superior a outras pessoas com um bom salário.
      A I.F. no seu caso está logo ali, seja mais frugal, contente-se com a vida, tenha uma alta taxa de poupança que logo logo você chega.
      Um abs!

      Excluir
  14. Soul, parabéns pela escolha e pela liberdade que tens agora.

    Alguns falam que a falta de ocupação é um problema na IF, o que particularmente refuto. Tem tanta coisa para se ocupar, que não vejo como isso possa ser um fardo.

    Agora falta um filho, plantar uma árvore e publicar seu livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Guardião. Saiba que o admiro, e suas palavras são bem importantes.
      Está longe de ser um fardo, com certeza.
      Pois é, pois é, quem sabe eu não consiga fazer a trilogia em pouco tempo. Vamos ver.
      Abs!

      Excluir
  15. Parabéns Soul pela decisão.

    Agora é curtir a vida como você já estava fazendo.
    Também sou servidor público e pretendo sair depois que atingir a IF.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, C.I.
      Desejo sorte na sua caminhada rumo a uma maior segurança financeira. Ainda pretendo ficar na blogosfera por mais tempo, então irei acompanhar a sua jornada.
      Abs!

      Excluir
  16. Parabéns pela conquista. Que você possa desfrutar de cada novo desafio que vier pela frente. A vida é incrível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu amigo Felipe. Agradeço enormemente a mensagem.
      Um grande abraço!

      Excluir
  17. Se o aspecto financeiro já não é relevante, fez muito bem em sair da procuradoria do INSS.
    Trabalho em uma procuradoria municipal e, enquanto muitos sonham em entrar na minha carreira, eu sonho em sair. Conversando com outros colegas, vejo que não sou o único, apesar de a maioria da carreira ainda se iludir com o falso "status" de pseudoautoridade (gente cretina é o que. Ao falta por aqui).
    Serviço público tem muitas vantagens em relação à iniciativa privada, tais como remuneração elevada, baixos níveis de cobranca, estabilidade, etc, mas em geral é uma atividade medíocre.
    Sei que reclamo de barriga cheia. Enquanto depender do trabalho para o meu sustento, este é o melhor caminho para acumular capital sem grandes sacrifícios. Porém, a partir do momento em que dinheiro deixa de ser um problema, é o pior lugar para se passar os dias.
    Tenho certeza de que não terá um dia sequer que se arrependerá desta decisão.
    A vida é muito curta para se desperdiçar com serviços burocráticos.
    Nunca vi e nem verei uma pessoa no leito de morte dizendo que seu maior arrependimento na vida foi não ter cuidado de mais procedimentos administrativos.
    Boa sorte nesta nova jornada. Se algum dia o tédio aparecer, antes mesmo de esboçar qualquer arrependimento por largar o cargo público, lembre-se de que a causa da momentânea monotonia não é a falta de formulário padronizado para carimbar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Percebo que estive onde você está, e você almeja estar onde já estou.
      Suas palavras é de quem realmente vivencia as benesses e os "ônus" de uma determinada atividade.
      Com certeza, amigo, um eventual tédio não terá qualquer relação com o meu agora ex-cargo. Aliás, quando fiquei dois anos viajando, a última coisa que pensei foi no meu trabalho, e quando pensava agradecia enormemente estar fazendo a viagem.
      Grato pelo seu comentário e desejo sorte a você!
      obs: apenas um comentário, as autarquias federais não possuem corpo jurídico próprio há mais de 15 anos. Sendo assim, não existe mais "Procurador do Inss".

      Um abraço!

      Excluir
    2. O texto do Soul e seu comentário, Anon, caem como uma luva na forma como penso! Passar perrengue por causa de burocracia só vale a pena por uma razão: dinheiro! Tirando essa variável da equação, o serviço público torna-se completamente dispensável e desestimulante!
      A sensação de "reclamar de barriga cheia" também me persegue, principalmente ao olhar em volta e ver tanta gente na merda nesse país... Mas me contentar em fazer algo que não gosto mais por dinheiro, quase como um "prostituto estatal", me faz muito mais mal!
      Abraço e rumo à liberdade total e irrestrita!

      Excluir
  18. Parabéns e muitas felicidades nesta nova etapa!
    Qual é o parâmetro que você usou para calcular que tem a independência financeira? Usa TSR? De quanto?
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá $$$. Eu sei, por comentários que vi em outros sites, que você se interessa muito pelo tema TSR. Sei também que você almeja uma TSR de 2%. Se você é feliz com o que faz, vai em frente em mais segurança. Se você não o é, 2% é extremamente conservador, o que fará você adiar em alguns anos a sua IF.
      O meu caso é um pouco diferente, pois irei repartir o meu patrimônio em dois (aqui e no exterior).
      Também calculo minhas retiradas baseado em diversos fatores. Se eu pegar minhas despesas atuais, aumentando um pouco e tendo uma boa vida, minha TR (taxa de retirada) é algo em torno de 0.7%. Imaginando uma vida com dois filhos, pagando bons colégios, viajando, tendo uma vida super confortável, a TR seria algo em torno de 2%. Como irei dividir o patrimônio, a minha TR é aumentada para 1.4% e 4% apenas no que deixarei no Brasil.
      Tenho certeza que ao menos 30 anos esse patrimônio sobrevive, e é possível que ele aumente ainda muito mais (até porque posso ainda mexer com leilões, outras fontes de renda alternativa, private equity - área que está me interessando muito - o Brasil pode retornar muito mais do que 4% real, etc).
      Como não precisarei do patrimônio do exterior, a minha exposição a ações lá fora será de 80 a 85%, o que faz com que tenha uma expectativa de retorno real de longo prazo razoável em dólar. Logo, mesmo um retorno real de 2.5 a 3% aa em dólar nos próximos 30 anos fará com que esse patrimônio atinga números mais do que suficientes para me sustentar (acaso o patrimônio do Brasil acabe - o que é difícil) e deixar uma boa herança para eventuais filhos.
      Você pode argumentar "como você fala para não almejar uma TR de 2%, sendo que você terá uma ainda menor?". É um bom ponto, porém eu fui extremamente conservador, e a minha história financeira possui as suas diferenças com a maioria dos outros investidores.

      Um abraço!

      Excluir
    2. Não sei se chegaram a ler os estudos feitos pelo blog earlyretirementnow (aqui: https://earlyretirementnow.com/2016/12/07/the-ultimate-guide-to-safe-withdrawal-rates-part-1-intro/).
      É o trabalho mais completo que já li sobre taxa segura de retirada.
      Muito mais profundo do que o Trinity Study ou os textos do Bengen.
      Leitura recomendadíssima.
      A partir das simulações feitas por este autor, uma TSR de 4% tem riscos moderados, uma TSR de 3,5% tem riscos baixíssimos e uma TSR de 3% praticamente risco zero, mesmo para portfolios que devam sobreviver a 60 anos de consumo.
      A TSR de ambos é extremamente conservadora e a chance de sobrevivência do portfólio é praticamente garantida.

      Excluir
    3. Olá, amigo. O ERN já é uma referência na internet a respeito do tema. O trabalho que ele vem realizado talvez seja até mesmo mais profundo do que mais famosos PFAU E Kitces.
      Já sugeri a leitura dessa séria para algumas pessoas. Ouça o Podacast dele no ChooseFII (também recomendo bastante esse podcast).
      Além do mais, ele é uma pessoa muito bacana. Tratou-me com muita educação quando conversei com ele.

      Se há um artigo que recomendaria é sobre a relação do CAPE e a TSR, muito bom mesmo. Ele, não sei se sabia, profissional da área de finanças, além de ser expert em excel. O trabalho dele dissecando as fontes de retorno dos REITs, explicando que REITs funcionam como portfolios alavancados de ações e com muito risco de BOND, foi muito boa.

      Eu sugiro a leitura do livro do Jim Otar também sobre o tema, ele foi uma referência na área. Há um livro de um Inglês que parece ser a nova referência, e espero comprar, mas não existe versão kindle, e a versão escrita é mais de U$60,00 se não me engano.

      Sobre a TSR, é isso aí. O maior risco é a sequência de retornos nos primeiros 10 anos, se passou incólume, uma TR de 3% será extremamente conservadora.

      Um abraço!

      Excluir
    4. Boa tarde Soul e anônimo, obrigado pelas informações. Mais tarde lerei estes estudos. Na realidade eu necessito ser conservador quanto a TSR, pois por motivos de força maior tenho grande parte do meu patrimônio alocado em um fundo pagando cerca de 100% do CDI(investimento conservador) e com incidência de IR.
      Gosto de escutar a opinião de gente inteligente como vocês para respaldar a minha opinião.
      Soul, recentemente fiz uns cálculos e aumentei minha TSR para 2,5%. Não gosto mais do meu trabalho, talvez eu já possa, mas ainda não tomei a coragem de parar.

      Excluir
    5. $$$, 2.5% é conservador até mesmo para mercados desenvolvidos e valuations altas como as de hoje em dia. Porém, se este é um número que você se sente confortável, beleza. Porém, posso dar um conselho?

      A partir de um certo número, reduções na TSR não vão te ajudar em muito, pois a fonte de risco não será mitigada. Uma TR de 1% é mais segura do que uma de 2%, muito mais, mas essa "segurança" a mais não te protegerá se o Brasil degringolar de uma forma muito profunda.
      Logo, faz sentido baixar uma TR de 7% para 4% no Brasil. Uma de 4% para 2% não faz tanto sentido como a primeira redução.
      Faz muito mais sentido, você aumentar a sua TR de ativos no Brasil, e reservar o capital remanescente para investimento no exterior.
      Um abs!

      Excluir
    6. Soul, pode explicar melhor essa TSR? Por hipótese, acumulei 6mi, tenho 50 anos, abandonei o emprego. Como calculo a TSR adequada, considerando a inflação? Suponha tb que deseje manter meus gastos em torno de 10k/mês. Qual a mágica contábil que preciso fazer?

      Obrigado e felicidades.

      Excluir
  19. Skin in the game total!!!! Sucesso e felicidades nesta nova empreitada. Abraço. Fã do Nassim Taleb.

    ResponderExcluir
  20. Olá Soul. Descobri seu blog através dessa postagem, acredita? Mas já ouvia falar no seu nome.

    Só posso dizer Parabéns. Você chegou onde todo mundo aqui da blogosfera quer chegar!

    Sou servidor público, mas não ganho essa cifra aí. E estou na luta pra IF com esse valor mesmo.

    Vou acompanhar agora essa nova fase no seu blog.

    Um abraço e fica com Deus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. É mesmo? Fico feliz com a sua mensagem.
      Cada um tem o seu caminho, a sua história, as suas oportunidades, as suas forças e fraquezas.
      Se você já está participando da comunidade de finanças pessoais do Brasil, já está alguns passos a frente da esmagadora maioria.
      Exemplos de pessoas melhorando os seus aportes, se tornando bons em análises de investimentos, e chegando cada vez mais perto de uma maior segurança financeira é o que não falta na comunidade.
      Um abraço!

      Excluir
  21. Sucesso na nova empreitada.

    Por curiosidade: qual foi a influência que o governo Temer teve na sua decisão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Alemão. Agradeço.
      MP 792/17 e Portaria Ministério do Planejamento 291/17.
      Um abraço!

      Excluir
    2. Ok.

      Em tempo: parabéns pelo planejamento e pela coragem.

      Excluir
    3. Soul, não deu aquela coceira pra pegar uma licença não remunerada de seis anos? Ou o incentivo do PDV valeu mesmo a pena?

      Excluir
    4. Olá, colega. Não, já tirei uma licença de dois anos e foi o bastante. O incentivo foi bem razoável. De 4 a 5% do valor do portfólio.
      Um abs

      Excluir
  22. Olá, Soul!
    Também sou servidor público e carrego comigo esses mesmos sentimentos, embora minha impulsividade me limite ao estágio da raiva/revolta...kkk
    Apesar de ter um salário bem menor, também penso em abrir mão de uma carreira estável para viver plenamente e agindo de acordo com o que acho correto, sem conflitos de consciência: mais um belo aspecto do que é a tão sonhada liberdade que todos nós perseguimos!
    Na falta de um "mentor presencial" pra conversar sobre esses assuntos, tenho aprendido valiosas lições com os amigos da blogosfera de finanças, nos quais me inspiro diariamente.
    Grande abraço e felicidades na jornada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Sim, imagino que os seus colegas não compreendam bem o que você fala. Aproveite a blogosfera financeira e essa troca de ideias entre pessoas que pensam em liberdade e responsabilidade financeira. Muitas vem de "backgrounds" muito diversos, o que torna ainda mais rica a experiência.

      Um abraço!

      Excluir
  23. Parabéns, é um grande feito!Já o alcancei também em doletas.

    Sei que você não se furtará e dará uma resposta verdadeira e honesta. Ao longo dos anos você acredita que sua remuneração foi justa(já que você tanto utiliza esse termo) ou valor que você entregou é/foi compatível com sua remuneração?

    Pergunto isso, não sou, mas convivo com servidores de alto escalão, todos falam que recebem mais do que deveriam, que o trabalho é rotineiro, mas nenhum quer "largar o osso". Você largou pois o patamar financeiro que alcançou já é mais que suficiente para ter uma vida abundante...

    Você conseguiria estipular o quanto do seu "stack finaneiro" adveio de fontes públicas e quanto adveio de negócios privados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Sem problemas. São perguntas "justas":)
      Se você faz esse tipo de pergunta, e navega por sites com ideias econômicas mais elaboradas, sabe que o preço é uma métrica fundamental no sistema capitalista. Quanto mais livre um mercado, mais o preço tende a ser importante, pois ele nada mais é do que o equilíbrio entre o que é demandado e o que é ofertado.
      O serviço público na maioria dos casos é compulsório, logo, e essa é uma crítica constante no Mises Brasil (o melhor site para se ter ideias sobre essa perspectiva), não se pode saber se o preço pago pelo serviço público é correto ou não, pois não é um mercado livre e os serviços quase sempre são compulsórios.
      Eu acho um ponto interessante e relevante. Por outro lado, se não vivemos num estado anarco-capitalista, serviços públicos (em menor ou maior grau a depender da visão ideológica do interlocutor) serão prestados, eles serão compulsórios, e dentro de uma perspectiva da escola austríaca a formação de preços não será eficiente.
      Colocando essa introdução, creio que fica mais fácil responder a sua questão.

      Eu com certeza entreguei, se for no sentido de geração de receita (ou no meu caso evitar despesas incorretas), muitas vezes mais do que recebi. Tranquilamente, e por esforço pessoal, evitei o pagamento indevido ao longo desses anos de dezenas de milhões de reais. Teve um período da minha carreira profissional há 10 anos, onde sem qualquer tipo de estrutura, abarrotado de trabalho, por um esforço pessoal (onde quase não há esse tipo de esforço) economizei tranquilamente em 1-2 meses uns 10 milhões de reais.
      Se a minha remuneração foi justa, eu acho uma resposta mais difícil, mas tendo a pensar que não.
      Veja, tenho colegas que se formarão comigo, e são advogados muito mais bem remunerados do que o meu cargo. Eu talvez seja tão bom quanto eles (ou ao menos era, já que eles se tornaram exímios advogados). Assim, especificamente na área jurídica, bons advogados ganham bem. Essa massa de advogado que não ganha bem, é simplesmente porque o nível é ruim mesmo. Uma prova facílima como a da OAB (ao menos no tempo que fiz, e se não me engano fiquei entre os primeiros, ou primeiro no meu estado) com nível de reprovação gigantesco.
      Porém, nós vivemos no Brasil. O Brasil é um país de renda média, com alta e complexa carga tributária, e com uma desigualdade enorme. Não faz sentido salários que ultrapassem o teto, motoristas no legislativo ganhando 20 mil, juízes ganhando auxílio-moradia, etc, etc.
      Eu creio que o nível de remuneração de juízes, promotores, delegados, diplomatas, etc, etc, poderia ser reduzido de 30-35% que nada demais aconteceria.
      Porém, não podemos também querer que um Juiz ganhe R$ 5.000,00 e achar que vai sair alguma coisa boa daí. Porém, talvez R$ 35.000,00 + penduricalhos seja um enorme exagero.
      O mesmo raciocínio se pode aplicar para auditores ou outros cargos.

      Boa parte adveio da minha economia do meu salário, uma outra parte dos negócios imobiliários.

      Um abraço!

      Excluir
  24. Prezados Soul, parabéns. Acompanho seu blog a certo tempo. Atingi a minha IF aqui no Brasil ano passado e também pedi minha demissão. Aconselho você a ler o livro do Viktor Frankl - Em busca de sentido. Pelo que li, vc ja encontrou seu sentido mas sempre é bom reforçar algumas teorias. No meu caso, a independência serviu para ficar mais próximo de minha família e assim curtir um pouco o que esta vida maravilhosa pode nos proporcionar. Abraços. Investidor Pensativo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, amigo. Sabe que já tinha anotado esse livro numa aba de comentário de um artigo do Mister Money Mustache. Acho que é um sinal para eu comprá-lo pelo Kindle. Com certeza algumas coisas sempre é bom reforçar, com absoluta certeza.
      Obrigado pelas palavras e pela indicação.

      Excluir
    2. Ótimo livro, vi a dica aqui e já devorei metade :)

      Excluir
  25. Fala meu amigo, parabéns pela atitude corajosa! Certamente não foi fácil vencer o conforto psicológico que seu cargo proporcionava, mas endosso de olhos fechados sua decisão. Além de conseguir mais um upgrade na qualidade de vida, sua mente mais livre produzirá inúmeros benefícios daqui pra frente.
    Grande abraço e sucesso nesta nova fase!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande F.I.!
      Valeu meu bom amigo, suas palavras significam muito para mim.
      Um grande abraço!

      Excluir
  26. Fala Soul,

    Parabens pela nova fase.

    Com o patrimonio adquirido e a expetise em leiloes, voce sera um novo Pai Rico Pai Pobre, investindo em imoveis se quiser e tendo excelentes rendimentos.

    Ainda falta muito na minha caminhada, mas pretendo fazer o mesmo.

    Eu toco (ou pelo menos tocava) contra-baixo, e desejaria nos meus tempos de IF voltar a ter uma banda de rock, fazer shows, ter aquele momento bacana dentro do estudio com a banda, sabe? Isto me faz muita falta, devido ao escasso tempo que tenho.

    Acho legal sua decisao de ir viver.

    Esta é uma das maiores dificuldades, a hora de sair do salario para a IF, muitos ficam anos postergando e postergando, e a IF nunca chega, pois sempre o valor precisa ser maior e maior.

    Se Deus abençoar e eu conseguir triplicar meu patrimonio atual, é bem provavel que eu largue a CLT e va viver de outras coisas, talvez algum empreendimento digital (tempo é dinheiro, ou pelo menos permite ter e executar ideias).

    Bom, é isto ai.

    Abraçao e sucesso nesta nova fase

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande, VC!
      "Esta é uma das maiores dificuldades, a hora de sair do salario para a IF, muitos ficam anos postergando e postergando, e a IF nunca chega, pois sempre o valor precisa ser maior e maior."
      Sim, chega uma hora que a pessoa precisa se definir, e aceitar que não dá para estar 100% seguro, aliás nada na vida é certo, apenas a morte. Essa é uma certeza.

      Se você continuar aportando, der uma turbinada em alguns negócios imobiliários, e os investimentos retornarem uns 6-7% real ao ano, creio que em 6-7 anos você chega lá.

      Um abraço!

      Excluir
  27. Prezado, sou um leitor do seu blog, mas raramente comento. Hoje quase cai da cadeira ao ler a chamada na minha listas de blogs que sigo. Um breve comentário para lhe dar os parabéns pela coragem e desejar boas novas nessa etapa vencida. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, amigo! Claro, lembro do seu nickname. É sério? Imagina os meus pais que não sabiam:)
      Agradeço a sua mensagem, e um grande abraço!

      Excluir
  28. É impressionante a alegria que sinto em ver este post.

    Seus textos me fazem sentir-me intimo/amigo seu, pela forma que você aborda.
    Um pedido que te faço: Nunca deixe de escrever aqui. Ler seu blog já é parte interistica da minha rotina!!

    Parabéns, Soul!!

    AlemMar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Além do Mar. Agradeço a mensagem amigo e as palavras.
      Um abs!

      Excluir
  29. O que você acha do globalismo? Dos socialistas de direita? Do cidadão de bem?

    ResponderExcluir
  30. Ola. Parabens pela decisao. Mas fiquei curioso, o que aconteceu no governo temer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Respondido num comentário logo acima para o "Animal".
      Abs

      Excluir
  31. Temos pensamentos diferentes a respeito de vários tópicos. Mas qual a graça da vida sem o desafio intelectual? Já diria o saudoso mestre Nelson Rodrigues: “Toda a unanimidade é burra. Quem pensa com a unanimidade não precisa pensar." Então se o debate é produtivo, ele é válido.

    Sempre leio seus posts, pois considero importante a análise de diversos pontos de vista a respeito de um tema no qual eu já tenho minha opinião. A reclusão e isolamento serve apenas para proteger o ego - nosso maior inimigo como espécie humana. No longo prazo, este comportamento não nos acrescenta em nada.

    Espero que possa postar com muito mais frequência. Meus genes egoístas gostam do desafio intelectual e você nos aprecia com posts repletos de conhecimento.

    Muito sucesso em sua nova jornada, Soul. Um forte abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Termos Reais. Fico muito feliz com sua mensagem, de coração.
      Saiba que gosto bastante dos seus textos também. Creio ser um dos bons blogs. Eu acho que tenho mais pontos em comum, pelo que já li dos seus textos, do que desavenças. Mas concordo em gênero, número e grau com a sua mensagem.
      Um abraço e muito obrigado pela mensagem.

      Excluir
  32. Parabéns Soul , só não deixe de nos brindar com seus ótimos textos .Estou ansioso pelo livro que com certeza será muito bom . Sucesso e tudo de bom .

    Guto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Guto.
      Agradeço as palavras, obrigado.
      Abs

      Excluir
  33. Olá Soul.

    Geralmente, eu utilizo minhas férias para ir estudar uma língua estrangeira no país onde ela é falada. A língua mais recente e que tem exercido um deslumbramento absurdo sobre mim é o alemão - aprenderei alemão nem que para isso gaste a vida inteira :)

    Quando estive na Alemanha, pude conviver com o alemão médio para além daqueles que são encontrados nos circuitos turísticos. Instalei-me em uma casa de uma família alemã e tive professores provenientes dos quatro cantos do país. O convívio foi intenso e, cada semana que passei lá considero que representa um ano de vida, tal a intensidade de tudo o que vi, ouvi, senti, intuí.

    Pude, então, observar e ser observada por eles. Quando um(a) alemão(a) está te conhecendo, faz três perguntas:

    1. Que técnica você domina?
    2. Que esporte você pratica?
    3. Que instrumento musical você toca?

    Ficou muito claro que, para eles, conhecer uma pessoa vai além do que aqui no Brasil se centra em: "o que você faz?" referindo-se unicamente à profissão a que a pessoa se dedica. Fiquei encantada com a forma ampla com a qual os alemães procuram entender quem é a pessoa que está diante deles. E, se para alguma das perguntas você não tiver resposta, pode se preparar que eles iniciarão uma investigação com rigor científico para entender o motivo pelo qual uma pessoa não toca nenhum instrumento musical, por exemplo.

    Te conto isso Soul porque, claramente você - dentro da perspectiva que tenho da formação do ser humano e das habilidades que ele deve desenvolver durante a vida - está pronto. Há um filósofo romeno que se expatriou na França de quem gosto muito - Emil Cioran - que, quando perguntado em uma entrevista porque havia deixado seu país, ele responde que muito cedo (17 ou 18 anos de idade) ele se deu conta que não poderia passar uma vida inteira vivendo em um local, em um país onde só se falasse uma única língua, a mesma língua, dia após dia, do nascimento à morte.

    A resposta do Cioran, para mim, é fantástica pois é a chave da vida. Pode ser aplicada a tudo o que existe. E o teu pedido de exoneração é o "giro da chave" agora que você está "com os equipamentos e a mochila prontos", agora que as facetas que os alemães consideram como básicas na constituição de um indivíduo, foram atendidas.

    Só te resta transcender!

    Assim, desejo que tenhas um belo caminho e que nele nunca se apresentem a inação e a indiferença ou que, pelo menos, você possa se antecipar a elas e corrigir a rota.

    Um abraço e obrigada por todo conhecimento partilhado aqui no blog.

    Anna Kellner

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Anna Kellner.
      Deveria escrever artigos, pois com certeza domina mais o idioma do que eu.
      Agradeço a bela mensagem e as gentis palavras. Se os alemães realmente agem assim, uma das minhas maiores angústias "a definição da pessoa pela pergunta o que você faz" é desfeita, e isso me deixa feliz.
      Muito obrigado mesmo pela mensagem.
      Um abraço!

      Excluir
  34. Fantástico ver alguém da blogosfera atingir a IF. E que grande sacada vc teve Soul ao pegar esse PDV... Não só vc executou algo que, certamente, há tempos martelava em sua mente, como vai receber para isso. Parabéns pela coragem e por servir de inspiração! Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Finasfera. Pois é, pois é. Eu também achei:)
      Um abraço e valeu pela mensagem!

      Excluir
  35. Meus parabéns por esse importante marco.

    Acredito que após um certo nível de patrimônio, o maior desafio para concluir se alcançou a tão sonhada IF são fatores emocionais, medo do desconhecido ou a falta de uma reflexão mais profunda sobre a vida futira que se quer ter após largar o trabalho atual.

    Você acha que o tempo que levou para tomar essa decisão foi razoável, ou fatores emocionais o impediram de fazê-lo antes?

    Sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Samurai Financeiro. Essa é uma excelente pergunta.
      Vendo em retrospectiva, creio que a decisão veio num bom momento. Sou mais maduro, tenho muito mais segurança financeira, sei melhor quem sou e o que me deixa satisfeito, etc.
      Além do mais, sinto-me seguro com o conhecimento financeiro adquirido nesses últimos anos, o que dá mais tranquilidade para gerir o meu patrimônio, e ter lido tantos textos e tantos artigos sobre retiradas num portfólio previdenciário, me dá a segurança e tranquilidade de saber que não preciso de 50 milhões, por exemplo.
      Talvez eu pudesse ter feito antes, e hoje estar fazendo algo mais emocionante, aproveitado mais (afinal o tempo passa e já aproximo dos 40 anos), mas não posso me arrepender do que já não existe mais, o que posso fazer é tentar ter uma vida ainda mais significativa a partir do agora.
      Um abraço!

      Excluir
  36. Parabéns por essa decisão difícil. Só gostaria de pedir duas coisas para você:
    1) Por favor, continue com suas postagens aqui no blog.
    2) Você poderia relatar a reação de algumas pessoas no momento em que você contou que ia pedir exoneração. Algumas devem ser muito engraçadas.... :)

    Bob Lucas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Bob Lucas.
      1) Claro, minha ideia, antiga já, é melhorar esse espaço, fazer um podcast, não pretendo parar.
      2) As pessoas que me conheciam não ficaram muito surpresas, pois já sabiam desse meu desejo. A reação foi extremamente natural.

      Um abs!

      Excluir
  37. Olá Soul, parabéns, você demonstra ser um ser humano diferenciado mesmo. Não só por ter atingido a IF mas por não ligar por status e soberba que o seu ex-cargo lhe dava. Pretende continuar com os leilões? Pretende advogar por conta própria a partir de agora também?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Stifer. Eu estou com muitos imóveis, e quero vendê-lo. Nesses primeiros dias da semana, consegui concretizar a venda de 4 deles. Eu creio que o Brasil pode ficar muito "volátil" no ano que vem, e pretendo estar bem líquido. Porém, se aparecer algum imóvel num bom lugar, bem barato, talvez eu volte a leilões ainda esse ano.
      Sobre advogar, não sei, talvez em causa própria se eu precisar.
      Um abs

      Excluir
  38. Parabéns, boa sorte e bom proveito na nova vida.
    Duas perguntas: você está com qual idade? A partir de quantos anos no serviço público percebeu que estava de "saco cheio" e queria sair?
    Esta última pergunta é porque também sou servidor, há 12 anos, e acho que já estou no limite...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Tenho 37 anos.
      Nas primeiras semanas, eu já me desiludi com o meu cargo. Em 2006, fiquei muito próximo de sair, minha mãe me convenceu do contrário.
      Deu uma amenizada, depois de uma reunião em 2013, resolvi que não queria ficar 20-30 anos mais fazendo aquilo. A partir daquele ano comecei a me preparar em vários aspectos para esse momento.
      Um abs

      Excluir
  39. Você tomou a atitude que muita gente pensa em tomar, mas que muitos poucos tem coragem.

    Também sou funcionario público e já pensei várias vezes em fazer outra coisa, empreender seria uma possível saída, porém não tenho experiência como empreendedor e nem perfil ousado para arriscar, essas são as molas propulsoras da estagnação.

    Ganho bem menos que você, mas no fim das contas o que falta mesmo pra maioria das pessoas fazerem as mudanças que desejam é coragem, independente de renda, nível de formação etc.
    Afinal quanta gente com bom nível de instrução e financeiro não há por aí infeliz com a carreira ou outras escolhas que tenha feito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      É verdade. Ontem visitei a pousada que morei nos primeiros semestres quando vim fazer a federal aqui de Florianópolis. É um lugar feio, numa subida de um morro, nem se compara com o lugar onde moro. Lembrei-me de como fui feliz lá. Aliás, lembrei de todos os apartamentos de universitários que ia nessa época, todos simples, um monte de gente, uma bagunça, todo mundo feliz e sorrindo.
      A satisfação e bem-estar reside em coisas que estão se perdendo nesse afã louco de consumismo.
      Portanto, com uma certa segurança financeira, cabeça no lugar, nossa, é possível ter uma vida tão significativa. Enfim, agradeço a sua mensagem e peço escusas pela digressão.
      Um abraço!

      Excluir
    2. Sou o 08:39
      "A satisfação e bem-estar reside em coisas que estão se perdendo nesse afã louco de consumismo."

      Soul nem sempre a culpa é do consumismo não. Tem muita coisa envolvida nisso.
      Você citou o tmepo em que era universitário e o ambiente era leve, as pessoas alegres etc.
      Na realidade o que mantem muitas vezes esse estado de espírito é a inocência.
      Jovens universitários, poucas obrigações, compromissos, esperança no futuro, planos, idéia de aproveitar o momento... Tudo isso contrubuiu para aquela realidade que você viveu.

      As pessoas levavam a vida com mais leveza e possitividade muito mais por fatores emocionais, psicológicos etc do que porque qualquer questão ligada a consumismo.
      Os acontecimentos da vida, suas naturais decepções, o tédio, a falta de novos horizontes, o falecimento e não reposição de planos é o que contribui grandemente para a apatia, desânimo e afins.

      Excluir
    3. Claro, colega. Numa mensagem de poucas linhas não dá para elaborar um raciocínio sobre o estado atual das coisas.
      O ponto da minha divagação é que muitos desses universitários estão morando em casas maiores e muito mais caras, com muito mais dinheiro disponível. Talvez a maioria não esteja nem próximo da satisfação de outrora. Poucas obrigações (muitas delas auto-impostas), mais esperança no futuro, mais vínculos construídos na amizade (e não apenas em networking), etc, etc, são bons motivos.

      "Os acontecimentos da vida, suas naturais decepções, o tédio, a falta de novos horizontes, o falecimento e não reposição de planos é o que contribui grandemente para a apatia, desânimo e afins." É uma grande verdade, e muitas pessoas, talvez a grande maioria, procura minorar esses problemas com a ilusão de que uma viagem em classe executiva, um hotel cinco estrelas, e um carro de 500 mil reais, vai de alguma maneira ser efetivo.

      Um abs!

      Excluir
  40. Parabéns soul por sua atitude corajosa e serene de ter tomado. Sempre acompanho seu blog. Sou servidor público de escalão baixo (ganho uns 4k bruto) e penso nisso todos os dias. A cabeça ferve se estudo para concursos melhores e assim que aportar bem eu faço que nem voce ou entao tento conciliar este cargo público com advocacia ou empreender em algo.

    Ainda moro com pais (mãe servidora e pai quebrou comercio após 20 anos tendo formado os filhos). Agora com os irmaos casados está eu e mãe segurando as pontas nas contas. Vejo a vida passando e pensando sempre o que fazer para ajudar mais meu pai..complicado.....

    Quanto ao livro que o colega citou acima do viktor frankl, leia que não vai se arrepender. Muito Bom!! Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Gari Advogado.
      Você como advogado tem uma pletora de bons concursos para fazer (se isso realmente é o que deseja). Um cargo com um alto salário possibilita fazermos no Brasil o que blogueiros americanos fazem nos EUA com os seus salários de U$100-125k.
      Porém, creio que os concursos devam estar concorridos, mas estudando é possível passar em qualquer concurso.
      Lerei, com certeza.
      Agradeço a mensagem e um grande abraço!

      Excluir
  41. Muita coragem sua Soul, eu particularmente se tivesse nesse seu cargo não sairia pela honra e admiração que ele proporciona frente a sociedade, pra mim um caminho de IF deve ser feito antes de decidir ocupar um cargo alto no poder, chegar a onde você chegou e abandonar é loucura, acho que você deveria ter cumprido seu destino como Procurador galgando um cargo como Ministro pra se aposentar de maneira honrosa.

    Mas cada sabe o que faz da vida, qual a renda liquida que pretende ter agora com a IF?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, nossa se o meu destino fosse ser um Procurador da AGU eu realmente iria reclamar com os deuses:)
      Fazer política no serviço público é algo que nunca me chamou atenção nem no começo quando tinha 23-24 anos, na minha idade atual então não consigo imaginar algo mais dissociado do que eu sou atualmente.
      Eu não penso em termos de renda líquida, colega. Penso em despesas que me tragam satisfação com a vida, alocação do meu patrimônio, e taxas de retirada conservadoras.
      Um abraço!

      Excluir
    2. Ah! então é Procurador da AGU, achei que era da república, então o salário não era tão alto nem o prestígio do cargo.

      Seu padrão de vida vai ficar muito inferior já que pra ter 15 mil líquidos acompanhando a inflação hoje são necessários 3,9 milhões em ativos em Tesouro Selic, ou você ganhou na loteria e não quer dizer ou é de família rica.

      Excluir
    3. Exatamente, o prestígio era um "pseudo prestígio". Sim, família rica e ganhei na loteria.
      Um abraço!

      Excluir
  42. Parabéns pela atitude e felicidades na nova etapa!

    ResponderExcluir
  43. Parabéns! Espero um dia escrever um post desses! Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sr. Bufunfa! Com certeza um dia você chega lá.
      Um grande abraço!

      Excluir
  44. Primeiramente Parabéns"!!!
    E em seguida uma pergunta:
    Já ganhei bastante dinheiro , até mais que os 30K, mencionados.Mas a situação mudou ,concorrência aumentou,e hoje ganho cerca de 20K.
    Como eu imaginava que isso pudesse acontecer na minha profissão, poupei!
    Minha situação hoje seria a que eu gostaria de viver para o resto da vida...Trabalho no que gosto e sou bem reconhecido por isso .Consigo me planejar para ter 10/15 dias por mês livres, todo mês.Então não me sinto sufocado no trabalho.
    Meu receio e acho que ele vai se matearizar,é não conseguir manter os ganhos do trabalho na próxima década.
    Acumulei cerca de 6M em ativos fora 3 pequenos imóveis.
    Meus gastos satisfatŕios com dois filhos em bons colégios, uma viagem internacional por ano,e algumas internas que me arejam a cabeça, me dão saudade de casa e do meu trabalho.
    Então gostaria de sua opinião de como estruturar o patrimônio para viver exclusivamente dele, se for necessário.
    Quando voçê falou em o patrimônio durar 30 anos , gelei a espinha, pois estaria com 75 anos, e não seria tão produtivo mais, não é?
    Por fim , colocar 80% em ações no exterior , no momento atual de precificação excessiva, principalmente nos EUA,não seria muito arriscado com sua meta? Grande abraço e sucesso pra voçê para que possa compartilhá-lo com seus leitores.
    Renato Sanches

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Renato.
      Fico feliz que tenha acumulado um ótimo patrimônio e ainda esteja feliz com aquilo que você faz. É um vitorioso nesse aspecto, com certeza.
      Não, colega, eu não falei isso não. Leia de novo a minha resposta ao leitor que perguntou sobre taxa de retirada.

      Sim, seria 80% de mais ou menos metade do patrimônio, então seria 40% no total e 80% no patrimônio estrangeiro. A precificação internacional está esticada em alguns lugares, em outros nem tanto. Mercados Emergentes por exemplo estão com valuation bem razoáveis, outros países desenvolvidos a valuation está levemente esticada, nada demais.
      Num horizonte de 30-35 anos eu não tenho a menor dúvida que a alocação no exterior deve ser de 80 a 85% em renda variável no exterior. Não tenho o menor receio de comprar EIMI e IWDA e extar exposto a todo o mercado produtivo mundial e mais de 3000 mil empresas. Se o mercado produtivo mundial como um todo for mal nos próximos 30 anos, com certeza não será o mercado de dívida (títulos públicos ou privados) de um país periférico como o Brasil que será a solução, isso você pode ter certeza.

      Sobre aconselhar o que você deveria fazer, creio que deveria mitigar os maiores riscos, e o maior dele é o risco político brasileiro, se todos os seus ativos estão aqui, inclusive é aqui que você retira a sua renda do trabalho. A sua concentração de risco é total.

      Grato pela mensagem colega.

      Um abraço!

      Excluir
  45. Legal. ..e vc pretende fazer retiradas do portfólio para viver, dividendos, reserva de emergência e vai fazendo o manejo. ? Como seria. Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      "e vc pretende fazer retiradas do portfólio para viver", sim é a única maneira de se viver de renda.
      Sim, vou fazer diversos manejos no portfolio com o passado do tempo.
      Abs

      Excluir
  46. Parabéns soul, espero algum dia alcançar este patamar também!
    Atualmente sou servidor público também, porém meu salário é 8k, e estou em fase inicial na carreira (primeiro ano como servidor, e atualmente com 25 anos).

    Levo uma vida bastante simples, inclusive dividindo moradia com amigos para diminuir os custos, visando o mesmo que você. O problema, é que imagino que terei que trabalhar pelo menos mais 25 anos até alcançar um patrimônio que me permita largar o trabalho. Isso claro, desconsiderando algum possível investimento MUITO bom que posso vir a fazer...

    Se possível, gostaria de saber quanto patrimônio você acumulou para permitir esta IF tão cedo (antes dos 40!! incrível!), e quanto gira o seu custo mensal aproximadamente?

    obrigado,
    e parabéns novamente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      25 anos? Qual é a sua taxa de poupança?
      Creio que esse artigo possa te ajudar: https://earlyretirementnow.com/2017/11/01/shockingly-simple-complicated-random-math-behind-early-retirement/

      Não digo o meu patrimônio colega, mas ele é significativo. Minhas despesas atualmente tendo uma boa vida giram em torno de 4 a 5 mil por mês. Nas minhas diversas simulações eu tenho cenário de gastos de 6 a 7 mil por mês indo até 15 a 18 mil por mês (com filhos e vivendo extremamente bem).

      Um abs!

      Excluir
    2. Estou conseguindo juntar entre 4k e 4.5k por mes.
      Acredito que levo uma vida boa, mas nada de luxos e grandes viagens. Quando casar e tiver filhos estes gastor vao aumentar muito. Moro com colegas para diminuir os custos ainda... Quanto vc aconselharia acumular para alcancar a IF? Na minha cabeca IF antes de uns 2 ou 3 milhoes eh algo muito arriscado, mas sempre gosto de ouvir outra opiniao.

      Obrigado

      Excluir
    3. Olá, colega. Tudo depende de qual tipo de gasto você pretende ter, e se este nível de gasto vai te trazer bem-estar ou não.
      Como uma regra geral, provavelmente você consiga ter uma boa vida com filhos com algo em torno de 10 a 12k mensais (pode ser muito menos do que isso), mas vamos ficar numa vida padrão de classe média brasileira onde se tem consciência de hábitos mais frugais.
      Para uma retirada bem conservadora, o patrimônio (em termos reais) deve ser algo na faixa de R$ 3,5 a 4M.

      Cabe única e exclusivamente a você suas decisões de gastos, e o que o torna feliz. Também cabe a você a reflexão se 25 anos num trabalho talvez que não tenha tanto sentido para você é o que realmente quer para a sua vida.
      Há várias espécies de risco. Ficar sem dinheiro é um deles. Viver a vida abaixo do potencial é outro. Chegar no leito da morte e se arrepender de escolhas não feitas é outro (talvez o mais importante).
      Cada um precisa fazer uma intensa auto-reflexão para saber quem é, o que gosta de fazer, quais são os seus medos, receios, esperanças e sonhos. Isso é uma jornada muito individual.

      Um abraço!

      Excluir
  47. Fenomenal, parabéns por esse grande passo. Espero que lhe sobre mais tempo para continuar compartilhando conosco suas excelentes reflexões. Sempre leio tudo que você publica, sempre provoca indagações/reflexões/pesquisas/leituras. Você é uma nobre alma da finansfera. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu pelas palavras Cabeça!
      Obrigado mesmo pelas palavras.
      Um grande abraço!

      Excluir
  48. Então, vou estruturar melhor a pergunta.
    O dinheiro que vc vai utilizar para gastos cotidianos sairá de qual forma? Dividendos, aluguéis, saques diretamente do portfólio, teria uma reserva em Rf e faria a realocacao à medida que esta se esvai?
    Ah e o patrimônio no exterior, foi comprado numa paulada só ou ainda está montando pra fazer PM?
    Obrigado e desculpe tantas dúvidas. ..parabéns
    RENATO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Renato.
      a) Eu terei um fluxo mensal até meados de 2019. Depois se uma negociação que tenho pendente der certo, terei fluxo até meados de 2025. Então fluxo mensal de dinheiro não será um problema.
      b) Qualquer saque de aluguel ou dividendo é um saque do portfólio. Matematicamente é a mesma coisa que tirar R$ 100k em dividendos, ou vender ativos equivalente a R$ 100k. Há esse bias em relação a dividendos, e há inclusive explicações da behavorial finance a respeito.
      c) O maior risco de um portfólio de retirada é a sequência de retornos. Sendo assim, faz sentido ter uma "reserva de emergência" em ativos onde não haja dispersão tão acentuada de retornos, se for que nem o Brasil que ainda paga juros reais de 4-5% aa em ativos como esse, ainda mais fácil viver de renda.
      Você pode pensar como alocação. Diferentes doutrinadores pensam de diversas maneiras. Há aqueles que dizem que você precisa de duas "cestas" outros de "três". No Brasil, é mais fácil, pois há titulos sem duration com características parecidas com cash (ao menos no conceito estrangeiro) que geram retornos razoáveis. Assim, pode se fazer uma cesta com esse tipo de investimento e outra com outros (renda fixa privada ilíquida, FII, ações, etc). Anualmente se realoca de uma cesta para outra.
      c) Mal comecei a fazer remessas. Fiz apenas uma, talvez essa semana faça mais uma. Pretendo fazer remessas até pelo menos o ano de 2025. Preço Médio é irrelevante, colega, não significa nada, apenas para fins de tributação.

      Um abraço!

      Excluir
  49. Então, não consigo entender como o PM, é irrelevante. Como se comprar um imóvel por 50%de desconto faz toda a diferença é porque ter um preço mais baixo do que o mercado em etfs não seria relevante. ?
    Imaginei que a sequência de retornos seria fundamental, pois uma queda de 30/50 na largada seria desastrosa, acho que no Brasil podemos esperar para alocar em risco quando /depois de uma queda grande, isso iria diminuir bastante o risco de uma sequência negativa em seguida, não. ? Grande abraço Renato

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Renato.
      a) Sim, o preço importa, principalmente num ativo onde a compra é de um valor maior (no seu caso de imóvel). O meu comentário foi em relação a baixar ou aumentar o PM de um ativo que você já tem. Depois que você comprou algo, o preço que você pagou não deveria importar mais (a não ser para efeitos tributários), isso é apenas uma âncora mental. Ela é poderosa, eu ainda tenho, mas quanto cada vez mais eu vou me livrando dela, mas fácil fica administrar o meu patrimônio.
      O valor que você possui sempre será o que o mercado está disposto a pagar, isso independe se o seu preço de compra é maior ou menor.
      Se você quer dizer que preços com valuation menores são um indicativo de retornos reais potenciais maiores no futuro, sim, isso é correto. O índice CAPE-SCHILLER é um dos melhores indicadores para isso, mas ele tem um "poder preditivo" de 40% dos retornos potenciais dos próximos 10 anos (partindo de dados históricos).

      b) Depois de uma "queda grande" (seja qual for a parametização que utilizamos para definir isso) do mercado como um todo, a valuation tende a ser mais atrativa, o que gera retornos potenciais futuros maiores. Se é isso que você quer dizer, sim. Agora se você quer fazer timing do mercado, ainda mais em mercados mais líquidos de países desenvolvidos, aí creio que suas chances de sucesso são limitadas.
      No exterior, há um risco de ficar em cash. Quem achou que a mãe de todas as bolhas ia estourar em 2011 e ficou em cash (como muitos achararam) pagaram um preço altíssimo de não estar investido no setor produtivo (seja ações ou REITs).
      No Brasil, esse risco é mitigado, pois uma LTF paga juros reais sem duration. Isso ainda está presente no Brasil, e talvez continue para os próximos anos, assim é mais fácil se dar ao "luxo" de não estar investido nos ativos que devem ter uma expectativa de retorno maior.
      A melhor forma de proteção contra uma sequência de retorno muito pesada, é diversificação, uma parte do capital em ativos que não possuem volatilidade acentuada, e uma TR (taxa de retirada menor). O maior risco de uma TR diz respeito aos primeiros 10 anos. Se, por outro lado, nada de terrível acontecer, é possível que a pessoa depois de 10 anos possa ter muito mais patrimônio em termos reais de que quando começou. Para alguém que quer viver do patrimônio aos 65 anos, isso significa que vai deixar mais herança. Para quem quer ser um Early Retirement , como o meu caso, significa que a troca de mais tempo por dinheiro não teria feito sentido.

      Um abs

      Excluir
  50. Resolveu abrir de vez sua identidade?

    ResponderExcluir
  51. parabéns pela coragem!

    Muita paz e prosperidade nessa nova fase.

    abç!

    ResponderExcluir
  52. Uma última pergunta prometo (a conversa tá boa ) rsss
    Um patrimônio de 5M e uma TSR de 4% no primeiro ano daria 200 k
    Se o patrimônio cai para 4.5M com a TSR de 4% , tem que abaixar o valor anual para 180 k ou reajusta a retirada com a inflação e passa para 210k numa inflação de 5% por exemplo. ? Obrigado mais uma vez

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, o que mais tem são métodos de retirada (o assunto inexiste no Brasil, pois quase todo mundo aqui depende ou do RGPS ou do Regime Próprio para aposentadoria, ou seja do governo).
      a) Mais informações (para uma introdução dos diversos métodos de retirada) leia https://www.bogleheads.org/wiki/Withdrawal_methods

      b) Se você sempre tirar 4% do valor atual do seu portfólio, você nunca vai ficar sem dinheiro, é um método para lá de seguro. O problema vai ser a variação de gastos de um ano para o outro. É por isso que esse método não é muito utilizado, ou se o é, se faz com algumas variações.
      b) Muitos estudos são com retiradas aumentadas pela inflação, independente de como o porfólio retornou. Na vida real, duvido que alguém com anos ruins do mercado vai ficar aumentando os gastos pela inflação.
      Porém, com uma taxa de 3-3,25% mesmo com reajustes pela inflação, e mesmo sendo azarado pegando uma sequência de retorno ruim nos primeiros anos, a chance do portfólio não sobreviver 40-50 anos é pequena, bem pequena (ao menos nos dados históricos de boa parte dos países desenvolvidos).

      Abraço

      Excluir
  53. Olá colega, tenho acompanhado seu blog e desejo sucesso nessa nova etapa da sua vida. Ao contrário de vc tenho estudado pra ingressar numa procuradoria da vida, sou servidor público federal de nível médio atualmente. Hj procuro aprender sobre IF. Com minha experiência de serviço público, não pretendo passar muito mais tempo nessa senda, apesar de ainda ter que passar alguns anos num cargo com boa remuneração pra algum dia agir como vc fez... Bem, tenho pensado no momento em trocar o Brasil pelos EUA como destino principal dos meus pequenos aportes, tanto por vislumbrar muitos riscos por aqui quanto por enxergar um certo dinamismo na economia americana. Assim gostaria de saber sua opinião sobre minha posição.
    Abraços, Rennan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rennan.
      Se o seu patrimônio ainda é pequeno, não há tanto sentido em diversificar internacionalmente. Porém, nada impede investir 10-15% do seu patrimônio e aportes em ativos internacionais.
      A economia americana realmente é dinâmica, mas o dinamismo dela atualmente está muito bem precificado, eu diria.
      Um abraço e boa sorte nos concursos.

      Excluir
  54. Primeiramente, boa sorte nessa nova parte de sua vida, que você seja muito feliz!

    Tenho uma dúvida: para fins de aposentadoria, como fica? Por exemplo, se você recolhesse 11% sobre o vencimento bruto. Agora, quando tiver tempo de se aposentar, irá para o Regime Geral, não? E o que recolheu acima do teto do INSS, como fica?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      O que recolhi acima do teto é perdido.
      Um abraço!

      Excluir
  55. Soul, sua jornada vale de inspiração para todos nós em busca da IF, principalmente os ainda no começo da caminhada.

    Suas menções à seguríssima TSR que será praticada não deixam qualquer dúvida de que a decisão foi correta. Vá (continue indo) atrás daqui que realmente traz satisfação pessoal e engrandecimento.

    Fiquei com uma dúvida. Você ocupava algum cargo de chefia ou algo do tipo ou a remuneração mencionada no artigo é comum para procuradores em estágio avançada da carreira? Me interesso pela carreira, mas imaginava uma remuneração menor. Essa informação aumenta a vontade de seguir este caminho como escada para a IF (não deve sair concurso cedo, afinal, estão incentivando exoneração, mas meus planos seriam para médio-longo prazo mesmo).

    Parabéns!

    Jorge

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Jorge.
      Agradeço as palavras, obrigado colega.
      Sobre a remuneração, sim estava na última categoria (são três). Há também o recebimento de honorários, logo a remuneração bruta no meu caso era mais ou menos aquela (um pouco mais, um pouco menos a depender dos honorários do mês).
      Um abraço e agradeço a mensagem!

      Excluir
  56. Bom dia Soulsurfer,
    faz algum tempo que nao entro aqui, loguei apenas para comentar aqui. Fico feliz com sua escolha, lembro que estava considerando seriamente fazer isso ha algum tempo, felizmente o MPOG nao excluiu completamente a advocacia publica do PDV.
    Boa sorte nesta nova fase,
    abs
    Kundera

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Kundera! Como você está meu amigo?
      Ainda estou esperando aquele seu texto para publicar aqui no meu espaço hein!
      Eu estou bem satisfeito, e muito tranquilo. Agradeço a sua mensagem, um grande abraço amigo!

      Excluir
  57. Parabéns, Soul! Deve ter sido uma decisão bem difícil. É muito difícil largar o peixe, ainda mais quando envolve uma excelente remuneração e a respeitabilidade que você mencionou. Aproveite a liberdade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Seu Madruga!
      A decisão não foi tão difícil assim, pois já havia me preparado para ela durante muito tempo, e tinha ficado dois anos afastado, assim já tive o gosto da "liberdade total", e foi bom meu amigo:)
      Agradeço sinceramente a mensagem.
      Um grande abraço!

      Excluir
  58. Parabéns pela coragem em tomar essa decisão Soulsurfer, como é do seu feitio, muito bem ponderada deve ter sido. Acredito que daqui pra frente a vida terá outro sabor, sem as amarras das algemas de ouro, como um peso enorme tirado das costas. Aproveite a leveza da vida pós IF!

    Tenho um questionamento off-topic. Como você mexe com leilões de imóveis deve saber responder-me. Suponha que tenho um imóvel partilhado entre meus irmãos. Fiz a compra da parte de um, porém não transferi para a escritura do imóvel (custos), apenas com uma procuração para agir em nome dele. Caso ele venha a falecer, o que acontece, vai a inventário 30% do imóvel? Minha procuração perde valor? Devo arcar com os custos de registrar a compra e venda na escritura do imóvel?

    Obrigado e sucesso! Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, amigo. Sim foi extremamente ponderada, até demais. Às vezes penso se não demorei demais, mas acho que construí o meu caminho do meu jeito, e me sinto tranquilo com os vários passos que tomei.

      Então, como já escrevi uma vez, na verdade você quis dizer que não passou o 1/3 do imóvel para o seu nome da matrícula do imóvel. Escritura pública é apenas um documento com carimbo de um cartorário.
      Você para economizar (algo que não recomendo, apesar de fazer às vezes) não passou o 1/3 que você comprou do seu imóvel.
      Veja, amigo, você fez um contrato com o seu irmão? Se sim, geralmente nos contratos há a cláusula que o contrato obriga as partes e os seus sucessores. Logo, os sucessores do seu irmão ficariam obrigados a honrar o contrato (que é passar uma escritura pública para você).
      Porém, só é dono de um imóvel aquele que registra o título na matrícula do imóvel. Você não fez isso, você não é o dono do imóvel juridicamente.
      Sobre a Procuração, é uma pergunta específica e não saberia dizer de bate pronto. Porém, com o falecimento dele, todos os bens dele passam para o espólio, logo talvez a procuração não seja mais aceita.
      É uma dúvida simples a sua, mas realmente não saberia responder sem dar uma pesquisada.
      De todo modo, recomendo que você passe o imóvel para o seu nome, mesmo que haja custos.
      Um abraço

      Excluir
    2. Posso ajudar nessa resposta. A procuração é o instrumento de um mandato, que é um contrato personalíssimo e que se encerra com a morte de uma das partes. Ou seja, a procuração é automaticamente revogada se o vendedor morrer.

      É extremamente arriscado não averbar a compra do registro de imóveis, mas ficar só com um procuração (não ter nem um contrato) é ainda mais loucura. Não faça isso.

      Abs,

      Jorge

      Excluir
    3. Grato Jorge. Estou com você nessa.
      Abs

      Excluir
    4. Muito obrigado pelas contribuições!

      Já estou tramitando a transferência, mas tá dando uma burocracia danada que desanima o cidadão..

      Abraços e bons investimentos.

      Excluir
  59. Olá Soul!

    Muito legal de ler um relato contando a conquista de um objetivo. Qual foi sua sensação ao escrever isso? Acredito que única rs

    Meus sinceros parabéns e faço coro como os demais para não abandonar o blog e continuar nos prestigiando com seus posts. Agora poderemos ter um "Mad Fientist" made in Brazil contando seu primeiro ano de liberdade hehe

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, I.Inglês!
      Foi uma sensação única. Eu ponderei se deveria escrever ou não, e acabei optando por exprimir o que estava sentido.
      Gosto bastante do Mad Fientist, recomendo o podcast dele.
      Um abraço!

      Excluir
  60. Grande Soul, meus sinceros parabéns.
    Sem dúvidas, mais uma vez, suas atitudes demonstram o quanto fora do Mainstream você está e pensa. Eu o admiro muito, acompanho o seu blog desde os primórdios.
    Lembro-me perfeitamente de um dos seus posts mais sensacionais, quando dizia que estava começando a aventura de uma vida, sua RTW.
    Sou servidor do alto escalão, assim como vc era, porém não sou da área jurídica. Não foi surpresa nenhuma perceber o que o seu caminho trilhado tem muito passos semelhantes aos meus e que seus passos atuais me guiarão, com certeza, em um futuro não muito distante. Já tenho planos e condições de encampar uma aventura como a sua (RTW), junto com minha esposa, e minha filha, porém, não por tanto tempo.
    Gostaria de saber do nobre amigo algumas questões técnicas que imagino que vc tenha considerado e empregado grande energia na resolução.
    Em vários posts, vc comenta sobre sua parceira. Não sei se é sua esposa, ou alguém com a qual vc pretende trilhar os caminhos sem necessariamente o manto do matrimonio. Supondo que seja sua esposa e que vivam conjuntamente, como se dará a nova vida? Por exemplo, vc tendo liberdade financeira e de tempo, caso queira ir estudar um idioma na terra natal, como se daria a relação com sua parceira? Ela teria essa liberdade? A sua IF engloba sua parceira tb? Se pudesse detalhar um pouco como se dará essa nova dinâmica, eu apreciaria muito.
    Outra questão que gostaria que vc tecesse alguns comentários é com relação a saúde. Imagino que tenha considerado os gastos com saúde, plano de saúde, seguro de saúde, ou algo assim já que talvez more em outro país. Vc, ao sair do serviço contratou algum plano de saúde, ou já tinha contrato antes mesmo até para evitar os períodos de carência?
    Também percebo que tens uma relação muito boa com seus pais. Eu tenho uma imagem sua de filho solteiro com pais bastante cultos e vivendo uma vida harmoniosa. Vc considerou em suas milhares de projeções gastos eventuais com saúde de seus pais? Ou eles teriam plenas condições de se sustentarem e aturarem possíveis gastos com saúde?
    Por fim, última questão, que nada tem a ver com finanças. Apenas curiosidade. Como é sua alimentação/nutrição no dia a dia?
    Davi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Davi. Amigo, grato pela mensagem. Realmente, uma RTW é algo que só fazendo para ver quão maravilhoso é. Fazer isso com a sua filha? Uau, deve ser sensacional. Se eu tiver filhos um dia, é algo que com certeza gostaria de fazer. Sobre a duração, faça uma de uns seis meses. Pegue uma campervan na Austrália-NZ, fique uns 3 meses com a sua família lá. Aproveite a natureza, a infraestrutura dos dois melhores países do mundo para se viver, as cidades, etc.
      Depois nos outros três meses vá para o sudeste asiático, e forneça para a sua filha as primeiras lições de como nosso mundo é diverso.
      Se sobrar tempo, fique umas 2-3 semanas (eu fiquei dois meses) na Mongólia. Te garanto que será uma experiência que sua filha jamais esquecerá, quando ela ver os campos verdejantes, rios belíssimos, centenas de animais soltos, cavalgando num cavalo mongol.
      Espero que consiga realizar essa aventura.

      a) Acho que é necessário abranger a companheira também, com certeza. Se ela tiver algum projeto interessante que a "prenda" no Brasil, por exemplo, terei que levar isso em consideração com certeza. Uma vida a dois deve ser "negociada".

      b) Eu tenho um plano de saúde familiar que durante anos vem atendendo razoavelmente bem. Tirando os EUA, eu creio que um seguro-saúde, ou atendimento de saúde de uma forma geral, não é tão problemático. Você tem razão que é um dos assuntos que precisa uma grande consideração, pois talvez seja um dos maiores riscos de despesas. Televisão, carro, jantares fora toda hora, tudo isso pode ser manejado se preciso, mas gastos com saúde não.

      c) Não somos uma família margarina não. Temos alguns conflitos. Sou na verdade o filho caçula. Com o tempo, tenho procurado ser o menos conflitivo possível, aprendendo a conviver com todas as facetas da minha família, principalmente a dos meus pais, que foram as duas pessoas mais importantes da minha vida. Minhas grandes lembranças com a minha mãe são as diversas aventuras que fizemos juntos quando criança e adolescente por diversos lugares do país, a vitalidade e a força dela enquanto mulher divorciada para prosperar a criar três filhos. Do meu pai, guardo a sua sabedoria para muitos assuntos e uma afinidade intelectual bem grande.

      d) Meus pais são muito bem financeiramente. Não precisam em nada de mim. Pelo contrário, é possível que eu herde uma grande quantidade de dinheiro.

      e) Muito boa. Minha companheira cozinha quase todos os dias. Pratico uma dieta Low Carb, como se fosse uma Paleo. Em poucos meses, defini o meu abdomen, e diminui o meu nível de gordura corporal bastante. Estou mais forte e definido. A alimentação consiste de vegetais, leguminosas, carnes, muitas sementes.

      Um abraço!

      Excluir
  61. Parabéns!

    Você é um exemplo.

    Quero trilhar seu caminho. Virar servidor público > aportar > construir > sair do aluguel> vender imóvel > aportar > cargo top > aportes > construir e vender > IF!
    Só vejo essa maneira, iniciativa privada pra mim não tem futuro
    Fui pobre, não tive educação Premium, já tô quase nos 30

    Parabéns e continue escrevendo

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      Grato pela mensagem e sucesso em sua empreitada.
      Abs!

      Excluir
  62. Excelente texto, inspirador!
    Há pouco tempo enfrentamos uma situação de transição semelhante mas, embora ainda não tenhamos alcançado a IF e nem estivéssemos no mesmo escalão, a motivação é a mesma: alinhar ações aos propósitos de vida. Obrigado pela contribuição e muito sucesso em suas escolhas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Nazareno.
      Obrigado pela mensagem e pelas palavras.
      Tenho certeza que você atingirá o seu objetivo se já possui essa mentalidade.
      Um abraço!

      Excluir
  63. Grande Soul,
    Fico felicíssimo em saber de sua decisão. Isso mostra que de fato você atingiu a tão sonhada independência financeira. És um exemplo na blogosfera.
    Abraços e sucesso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Além da Poupança!
      Primeiramente, fico muito feliz com o seu comentário e suas palavras. Também acredito que você seja um bom exemplo na blogosfera, um dos grandes blogueiros.
      Sendo assim, uma mensagem como essa me deixa muito feliz.
      Obrigado.
      Um abraço!

      Excluir
  64. parabens por essa incrivel conquista e pela coragem de abraça-la ! Acompanho alguns blogs ha algum tempo e agora vou devorar o seu. vamos la...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Agradeço. Abraço

      Excluir
    2. rapaz, passei horas revirando esse blog. Parabens pelo conteudo ! Me identifiquei contigo em varios pontos. Estou calculando e recalculando planilhas e mais planilhas, colocando margem de seguranca e tudo mais pra enfim sair da vida corporativa. Vejo que vc atingiu IF já ha uns 3 anos. Qual criterio numerico vc usou para definir que podia dar o tal f...-se ? Esse post foi demais, passo por reunioes assim com frequencia. Vc juntou o equivalente a quantos anos de despesas antes de partir pra essa vida de viagens e auto-descoberta ? Vc contabilizou as despesas da sua vida normal no Brasil ou essa vida de mochileiro ? Te convido tambem a ir no meu blog e dar uma olhada no plano inicial que eu fiz pra viver de renda passiva. Seu feedback seria valioso ! abs e feliz IF !

      Excluir
    3. Olá, colega.
      a) Olhando em retrospectiva, eu poderia ter saído muito antes. Porém, nesses três últimos anos, eu analisei o quanto eu gastei. Seja viajando, seja morando no Brasil. Vi os gastos que me dão satisfação e são necessários, e os outros que são desnecessários. Isso me fez ter mais segurança para calcular vários cenários.
      b) Depende muito da estrutura de gastos. Se eu gastar o que gasto atualmente com a minha vida, sem filhos, eu tenho uns 130-140 anos de despesas pagas. Isso é um verdadeiro exagero, mas como gosto do meu estilo de vida, quer dizer que tenho muita segurança. Por isso, minha estratégia é diversificar o meu risco de ficar exposto apenas a ativos nacionais. Além do mais, se eu tiver filhos, pretendo que os meus gastos aumentem de 2 a 3 vezes (exagerando bastante nos gastos no caso do aumento de 3 vezes).

      Mais uma vez agradeço a sua mensagem.

      Um abraço!

      Excluir
    4. Rapaz, vc chegou lá com muita sobra ! Filhos nao dao tanta despesa assim, e é uma despesa que nao dura pra sempre. A melhor coisa que vc pode gastar com filhos é tempo e isso vc tem de sobra tambem. Obrigado por compartilhar sua historia.

      Excluir
    5. Olá, amigo. Sim. Realmente, não sou pai, mas eu creio que o que um filho quer é um pai mais presente, não necessariamente brinquedos ou hobbies caros.
      Um abs e obrigado mais uma vez.

      Excluir
  65. Felicidades e boas pessoas nos novos caminhos. Parabens!

    ResponderExcluir
  66. Valeu meu amigo, você é um vencedor.
    Vencer na vida não é pra qualquer um, ainda mais podendo ir buscar seus sonhos e seus objetivos e fazer o que quiser, onde quiser com o seu tempo livre, isso sim é vencer, liberdade praticamente total.

    Que bom que o serviço público foi apenas um capítulo da sua vida e não a sua vida toda. Quantos sonhos não já foram enterrados no serviço publico em troca da tal da estabilidade e do cargo? Milhares.

    Eu também poderia ter passado num concurso público qualquer e ter ficado encostado aguardando o dia de me aposentar e nunca mais voltar lá, mas decidimos agir e viver, e isso não é pra qualquer um.

    Quem sabe a melhor parte de sua vida não esteja começando agora?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá meu grande amigo Frugal. Obrigado pela mensagem, de coração.
      Você tem toda razão sobre a troca que muitos fazem entre satisfação e estabilidade, essa é uma constante no serviço público.
      Sobre a melhor fase da vida. Olha, minha vida enquanto criança, adolescente, estudante na faculdade, etc, todos esses momentos foram ótimos momentos na minha vida. Apenas espero que a vida ainda possa me proporcionar ótimos momentos.
      Um grande abraço!

      Excluir
  67. Parabéns Soul!

    Acho que em cargos como o de Procurador, etc a maior parte do trabalho é feita de casa e/ou não se passa tanto tempo em um escritório a sua decisão não teve um momento tão libertador como naqueles posts do Brave New Life que conversamos há um tempo né?! Engraçado que acho que se tem a ideia que vai ocorrer um momento "Jerry Maguire" ao largar o trabalho mas após ler vários blogs, me parece que é uma ação bem "simples" e talvez até sem muita emoção rs foi assim com vc?

    Talvez vc não convivesse tanto com os colegas de trabalho, mas vc acha que sentirá falta desse convivência?? (por exemplo, meu trabalho administrativo no mpf é bem chato, mas gosto muito da galera com quem trabalho)

    Grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Victor.
      É verdade. No meu caso não teve nenhum momento. Aliás, não acontece nada quando você atinge 1M ou vai atingir 10M. Absolutamente nada acontece. O que acontece vai depender das suas decisões diárias de como você leva a sua vida, e nesse campo creio que a cada dia melhoro.
      Teve uma leve emoção, pela minha história de 12 anos, mas foi bem tranquilo.

      Não, sinceramente não. O meu ambiente de trabalho muitas vezes podia ser bem tóxico, e foi esse um dos motivos de me tornar ainda mais desgostoso com o meu trabalho. Talvez o segredo seja, na posição que estou, fazer novos círculos de convivência, pois nisso concordo contigo que muito da nossa satisfação deriva das relações humanas que vamos construindo com os outros que relacionamos.

      Um abraço!

      Excluir
  68. Olá, Soul,tenho lido seu blog durante um tempo, você tem sido uma fonte de inspiração. Sou concursado num cargo de nível médio do judiciário, pensando em estudar para procurador federal para daí juntar uma grana pra aposentadoria antecipada. Parabéns pela decisão e boa sorte.
    ps: resolvi criar um blog para contribuir e participar um pouco da blogosfera de finanças também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, enriquecendo. Desejo toda a sorte do mundo no seu projeto.
      Os concursos estão minguando, e talvez entremos numa fase de poucos concursos para cargos de Procurador. Porém, se você realmente quer isso e se dedicar, tenho certeza que você tem boas chances. Um grande abraço!

      Excluir
  69. Parabéns Soul, pelas conquistas e coragem de encarar o mundo frente com seus questionamentos. Um grande passo foi dado com certeza, mas apenas o selo de uma carta que estava sendo escrita nos últimos anos. Abraços !

    ResponderExcluir
  70. Oi sousurfer, blogs como o seu me ajudaram organizar as idéias e me inspiraram também a escrever o meu próprio. Me identifiquei bastante com sua história pois também tive alguns "professoras da vida". Essa deve ser uma das formas mais difíceis de se aprender.

    Também tenho 37 anos e fiz um movimento muito parecido, porém trabalhava na iniciativa privada. Sera esse é um checkpoint importante para quem está buscando a IF? Digamos que não somos mais nenhum menino mas ainda temos alguma vitalidade, já estando no mercado a pelo menos 15 anos. Minha TSR está um pouco mais agressiva que a sua, em 3,5% e levei 20 anos para a IF. Conto um pouco dessa historia aqui https://investidoroculto.blogspot.com.br/2017/11/vinte-anos-ate-independencia-financeira.html

    Um abraço e agora é hora de organizar as idéias, relaxar e aproveitar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, amigo. Interessante a sua história, li o artigo que você linkou.
      Parece que temos muitas coisas em comum, hein?
      Eu creio que ainda temos muita vitalidade, mas realmente não somos nenhum menino mais, e isso foi o que mais pesou em minha decisão. O passar do tempo.

      A sua TR de 3.5% para o mercado brasileiro é bem tranquila, amigo. O seu único risco é o colapso econômico. Agora, com FII pagando 7-8%, juros reais de 4-5%, dividendos isentos, uma Taxa de retirada de 3.5% é bem conservadora.

      Apareça mais vezes nesse espaço.

      Um abraço!

      Excluir
  71. Mais um servidor público (auditor fiscal) que frequenta este recinto. Parabéns pela decisão, poucos sabem quão tóxicos são alguns ambientes de trabalho que frequentamos. Não sei se esse era exatamente seu caso, pois ouço falar bem das carreiras de advocacia pública federais.
    Ainda assim, ao menos que tivesse 4 milhões ou mais na conta, não teria coragem de abandonar meu cargo. Caso a coisa se complique demasiadamente, simplesmente presto outro concurso (estou sempre estudando) e vou embora.

    ass: AFR

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Auditor. Sim, você tem razão, alguns ambientes podem ser bem tóxicos, o meu alguns anos atrás era muito ruim. Na minha volta, até porque a maior parte do trabalho era home office, estava tranquilo. Porém, eu não suportava mais fazer o que fazia.
      Desejo o melhor para você colega.
      Um abs

      Excluir
  72. Parabéns, Soul, por essa conquista! Felicidades na nova etapa da sua vida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Guilherme. Agradeço a lembrança e a mensagem.
      Um abraço!

      Excluir
  73. Parabéns Soul!
    Acompanho seu blog a cerca de 02 anos e sinto como se fosse um amigo.
    Desejo que você continue contribuindo para o mundo como você já faz.
    Grande Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Uéter!
      Dois anos é bastante tempo, agradeço a mensagem amigo.
      Um grande abraço

      Excluir
  74. Ola Soul
    Parabéns pela trajetória!!!
    Pensando em investir fora o que você acha de fundos que investem no exterior como o Pimco income ou western sp 500?
    Uma curiosidade, a partir de agora quando lhe perguntarem sua profissão, ou o que faz da vida o que vai responder?
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      Eu creio que o investimento direto faz mais sentido em ativos no exterior. Se a ideia é realmente fugir do risco político do Brasil, melhor que o dinheiro esteja fora.
      Boa pergunta, já me perguntaram diversas vezes. Estou colocando advogado, mas daqui a pouco vou colocar surfista, investidor, sei lá:)
      Um abraço!

      Excluir
    2. , Profissão capitalista, como o bacci dos fiis, veja o video do Arthur com ele. abs

      Excluir
  75. Fico um pouco triste porque perde o serviço público um grande profissional.

    Porém, da mesma forma anseio firmemente em fazer o mesmo no futuro, também sou um operador do Direito concursado e o ambiente em geral é de uma mediocridade tão grande que desanima. Quando a gente faz o "básico" já é mais produtivo que a esmagadora maioria dos servidores...

    Mas divago, boa sorte na nova jornada, só não pode pedir exoneração deste blog eheh.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Não pretendo pedir exoneração do blog não:)
      Um abs e grato pela mensagem

      Excluir
  76. Olá Soul,

    É preciso muita coragem para tomar uma decisão como essa.

    Desejo todo o sucesso na (nem tão) nova empreitada.

    À propósito, agora tá liberado para participar da comunidade dos blogueiros em Dubai. :)

    Abçs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Investidor Internacional!
      Valeu, meu amigo. Grato pela mensagem amigo!
      Um abs

      Excluir
  77. Parabéns cara, eu também sou servidor, ganho menos de 2k, ainda estou bem longe do "sucesso".

    Uma das minhas felicidades na vida foi entrar no setor público, eu acredito que a outra será sair dele e espero que eu saia bem. Eu admirava os profissionais do funcionalismo, mas após eu adentrar no mundo do liberalismo econômico e ver como funciona o modus operandi de um servidor e ver que mesmo eu e muitos lá podendo ajudar a população, somos impotentes, uns por falta de poder e liberdade de agir e outros por omissão e acomodação.

    Sinceramente, o setor público foi feito para não funcionar e pune quem quer mudar algo nesse país, depois vem um bando de hipócrita falar em ter um Brasil melhor, sendo muitos culpados pela podridão desse lugar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      É verdade, o setor público muitas vezes poder ser desestimulante.
      Um abs

      Excluir
  78. Ola soul. Td bem?
    Parabéns.
    Uma pergunta: em que medida a Sra. Soul participou da sua independência financeira e tbm da sua felicidade.
    Obrigado.
    Abraco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      Ela como minha companheira possui participação importante em vários aspectos da minha vida, como não poderia ser diferente.
      Abs

      Excluir
  79. Soul, pode explicar melhor essa TSR? Por hipótese, acumulei 6mi, tenho 50 anos, abandonei o emprego. Como calculo a TSR adequada, considerando a inflação? Suponha tb que deseje manter meus gastos em torno de 10k/mês. Qual a mágica contábil que preciso fazer?

    Obrigado e felicidades.

    Comuna

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Você quer um gasto real de 120k, o que equivaleria a 2% de Taxa de Retirada. Não há mágica contábil alguma.
      Os ativos financeiros possuem expectativa de retorno real positiva. Logo, e por isso, que a partir de um determinado patrimônio é possível usufruir a renda do capital, e em alguns casos prescindir da renda do trabalho.
      Abs

      Excluir
    2. Olá Soul, parabéns por sua iniciativa. De fato, requer muita coragem. Mas tenho dúvidas quando falam sobre a independência financeira, pois hj a pessoa com patrimônio acima citado é financeiramente independente, porém o que me preocupa é o País em que vivemos (só tenho investimento aqui), e, como sabemos, no Brasil não temos segurança em nenhuma área (pessoal, jurídica, econômica). Como vc lidaria com isso. Pergunta sincera de quem tem grande receio de nossa economia desandar.

      Abs

      Rodrigo

      Excluir
    3. Olá, Rodrigo. Sim, quando alguém resolve ficar investido totalmente num país periférico que representa 1% da capitalização mundial, corre esse risco mesmo. É por isso que já comecei a diversificar o meu patrimônio no exterior.
      Dito isso, é possível diversificar o seu próprio patrimônio em ativos brasileiros também. "Mas e se tudo desandar Soul?" Bom, aí não importa muito não é mesmo? Se você não tiver patrimônio no exterior, e aqui virar uma Síria, não importa muito se você é Procurador, se possui título público, FII.
      Agora, o cenário do Brasil se transformar numa Síria é muito improvável. De deteriorar para uma Venezuela é improvável (apesar de ser mais provável do que o cenário Síria). Logo, não acredito que faça sentido um medo muito grande em relação a tudo. O nosso maior risco é termos uma vida abaixo do nosso potencial ou insatisfeito com o que fizemos. Cabe a cada um sopesar os prós e contras de suas ações concretas no mundo, mas o excesso de uma falsa segurança é um dos mecanismos mais fortes para boa parte das pessoas não agirem de forma mais consciente.

      Um abraço!

      Excluir
  80. Parabéns pela coragem Soul!

    Eu também trabalho num cargo público de alto escalão e não me vejo trabalhando nele até atingir a idade mínima de aposentadoria (futuramente 65 anos).

    Hoje estou na casa dos 30, mas penso em largar o serviço público por volta de 50 anos, quando tiver atingido um patrimônio razoável. Quem sabe pode ser antes, não sei...

    De qualquer forma, não sei se quando chegar lá terei a mesma coragem que você, por isso te parabenizo mais uma vez e desejo sorte nos seus novos projetos!

    Algumas pessoas tem vocação para o sucesso e não tenho dúvidas que esse é o seu caso!

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sr. Ministro.
      Primeiramente, grato pela mensagem.
      Em segundo lugar, 10-15 anos é bastante tempo, deixe as coisas acontecer naturalmente. Se você achar que é uma boa opção procurar outra coisa para fazer, tenho certeza que você teria a coragem.
      Um grande abraço amigo

      Excluir
  81. Volto ao seu blog depois de muitos meses, e como admirador dos seus textos, fico muito feliz de ver esse post e você ter encontrado um novo caminho. Que esse caminho lhe traga muitas felicidades.

    Abraço,
    Mardey

    ResponderExcluir
  82. Parabéns meu amigo! Que você continue feliz nessa jornada. Fico muito feliz por você e pela oportunidade de ter lido seu blog e conhecido sua história. Confesso que ela tem me ajudado a melhorar como pessoa e como pensador.

    ResponderExcluir
  83. soulsurfer, estou na mesma onda. Servidor público e fazendo aportes de 7-8k por mês. Já consigo uma renda de 5k. Agora preciso dobrar esse patrimonio acumulado. Espero que os juros compostos me ajudem a acelerar nessa metade final.
    Gostaria de saber se você faz doações. Procure no google "Peter Singer: The why and how of effective altruism | TED Talk". Existem formas efetivas de se doar dinheiro (admiro muito buffett e bill gates neste aspecto). Espero que isso lhe dê também satisfação moral ;) Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Grato pela indicação do Peter Singer. Eu gosto muito de alguns dos seus livros, e suas reflexões sobre Ética Prática costumam ser incisivas e bem provocadoras.
      Sucesso em sua empreitada. Abraço

      Excluir
  84. Eu fiquei emocionado PRA CARALHO lendo esse post. Fiquei com "inveja branca". Sou servidor público "top", ganho bem, poupo muito, tenho entre 2 e 3 KK de patrimônio, vivo uma vida frugal, mas já tenho 43 anos e uma filha de 7, para quem pago alimentos de quase R$ 4.000 mensais.

    Também sou advogado, mas não atuo. Apenas trabalho "tangenciando" a área, com processo legislativo, e desenvolvo ações voluntárias na seccional da Ordem.

    Estou num dilema fortíssimo entre sair ou não do RPPS. Ano que vem faço 20 anos no órgão em que estou, 25 de serviço público. Previsão de aposentadoria (hahahaha) em 2031.

    OBRIGADO pelo seu exemplo, meu amigo! Vá viver a vida, que ela á apenas uma!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Poxa, R$ 4.000,00 por mês de pensão? Com esse dinheiro tenho certeza que a sua filha pode ter uma boa vida.
      Já tem 25 anos de serviço público? Bastante tempo hein. Já tem um bom patrimônio, suficiente para dar mais "coragem" para seguir outros rumos, se assim achar que é melhor.
      Agradeço a sua mensagem, obrigado amigo.
      Um abraço!

      Excluir
  85. Olá soul. Não sou leitor assíduo de blogs de finanças mas busco aqui algum norte pra minha vida, assim como muitos outros colegas. Sou engenheiro, 37 anos, CLT, salário líquido de 20K/mês (variando até 30K dependendo do mês) e patrimônio (5 imóveis) com valor aprox de 2,5MM. Sou poupador mas não investidor. Apesar de ter atingido meus objetivos profissionais, me sinto infeliz. Tudo que eu queria era atingir minha IF e viver em uma cidade pequena, ter uma vida simples. Tenho 2 filhos, casado, uma estuda em escola bilingue, etc, logo tenho altos gastos mensais. As vezes me questiono se vale a pena ganhar bem pra manter uma vida de supérfluos (carro > 100K), apt em bairro de classe média alta, etc, e ter que trabalhar até ter um infarto pra manter esse estilo de vida. No final da vida tudo fica pra trás mesmo, logo não quero esperar minha aposentadoria (se é que vou ter um dia) pra começar a viver plenamente. É muito dificil olhar pro lado e ver a maioria da população passando por dificuldades e ficar aqui "reclamando", logo me sinto mal em pensar e largar tudo após anos e anos de estudo e trabalho duro. Vejo muitos buscando ter altos salários etc mas esquecem que salário alto não necessariamente significa tranquilidade. Claro, cada um tem seu objetivo de vida logo não devemos generalizar. Espero um dia ter essa sua coragem... infelizmente o Brasil é o país dos políticos espertos e o risco é muito alto neste momento. Meu plano é trabalhar mais 3 anos e chutar o balde também. Até lá espero estar com aprox 8K/mês de aluguel... felicidades na sua nova jornada meu caro. Considere-se um cara de sorte. Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      Grato pela mensagem. Realmente, o custo de vida numa cidade grande no Brasil, se a pessoa não se cuidar pode ser alto.
      A ideia de se mudar para uma cidade de menor porte, mas com custo de vida muito menor é bem interessante. Muitos blogueiros americanos fazem isso. A realidade lá é diferente, mas pode dar alguma espécie de inspiração.
      Você já tem um patrimônio bacana, e aposto que seus filhos se importam muito mais com um pai presente, do que talvez com outras coisas. Aliás, se for pai, quero poder ser um Pai presente na vida dos meus filhos, creio que isso é uma das melhores criações que se pode proporcionar.
      Desejo sorte nos seus próximos passos, e espero que possa continuar refletindo sobre o que é melhor para a sua vida.
      Um grande abraço

      Excluir