sexta-feira, 21 de outubro de 2016

O SURFISTA-GARÇOM DE CORAÇÃO GRANDE QUE SABIA (E SABE) ECONOMIZAR E VIVER

Olá, colegas. Depois de dez dias bem intensos, enfim posso descansar um pouco. Como me deu vontade de escrever, publico três artigos simultâneos com temáticas bem diversas. Caso, prezado leitor,  queira conferir os outros dois artigos estes são os links: Projetos Futuros: Livro sobre Leilão de Imóveis e Uma Viagem Épica pelo "Roof of The World"

  Um amigo meu foi diagnosticado com leucemia. Soube disso há alguns dias. Tenho que ser sincero e dizer que pouco ou nada sei sobre essa doença. Entretanto, pelo que li é algo bem grave e sério. Ele é novo, não sei ao certo a idade, mas deve ser um pouco mais velho do que eu. “Entendo, Soul. É triste, mas a vida é assim mesmo, pessoas adoecem, por qual motivo escrever um artigo sobre isso?” algum leitor pode estar pensando.

  O motivo principal é que quero simplesmente por meio de palavras de alguma forma passar uma energia positiva. Também achei apropriado, pois está intimamente relacionado com o meu último artigo sobre Carpe Diem. Onde conheci esse amigo? Numa pizzaria. Por sinal, para mim é a melhor pizza do mundo, e já falei isso para diversos estrangeiros. Alguns que provavelmente irão me visitar já contam que irei levá-los para comer a famosa pizza.

  E como o conheci? Ele era garçom nessa pizzaria. Ele, como quase todos que lá trabalham, estão sempre sorrindo e tratando os clientes como amigos. Imagine um lugar perto da minha casa, que tem uma pizza deliciosa e com garçons e atendentes que fazem você se sentir numa roda de amigos, pois então, por mim comeria lá algumas vezes por semanas. Quando era solteiro, não era raro ir duas ou mais vezes por semana sozinho, principalmente se eu tivesse surfado no final de tarde e estivesse com fome.

 Entretanto, o Wad tinha algo diferente em relação às pessoas simpáticas que lá trabalharam ou ainda trabalham. Ele parecia ser o mais sorridente e feliz entre todos. Aos poucos, já que pelo menos uma vez por semana estava por lá com minha companheira, fui conhecendo mais detalhe de sua vida. 

 Além de ser um exímio surfista, muito melhor do que eu, ele exercia também a função de shaper (para quem não sabe é a pessoa que faz pranchas sob medida). O que me surpreendia é que pelo menos umas duas, ou às vezes três, vezes por ano ele dizia que iria passar um mês na indonésia ou no Havaí. Até mesmo no Taiti, um destino caro, ele já foi surfar.

  Perguntava-me como ele conseguia, já que o salário de um garçom no Brasil é relativamente baixo. Acontece que o Wad (ele é mais conhecido como Lau, mas me acostumei a chamá-lo assim) tinha inteligência financeira e compartilha muitas das ideias que tenho sobre consumo e boa vida. Ele era extremamente consciente de suas despesas, e simplesmente não gastava com coisas que não lhe fossem trazer sentido. E o que trazia sentido para a vida dele? Surfar em lugares paradisíacos. 

  E assim Wad foi acumulando carimbos em seu passaporte, bem como ondas perfeitas no currículo. Era sempre um prazer reencontrá-lo e conversar com ele enquanto esperávamos a pizza. Nunca tive o prazer de surfar em sua companhia. Antes do início da minha viagem, tínhamos combinado um almoço na minha casa, mas por causa de incompatibilidade de horários o encontro acabou não ocorrendo.

  Ele para mim é um bom exemplo do que o meu texto do Carpe Diem tentou passar, prezados leitores. Wad colhia e colhe o dia, não esperava pelo amanhã. Sempre sorridente, sempre feliz e sempre esperando a próxima viagem para algum lugar especial. O aproveitar o presente dele não era algo tolo e desmedido, como algumas pessoas pensam e agem, mas sim sábio. A vida deve ser saboreada no presente, mas ele tinha claro de que apenas com planejamento consciente no agora, ele poderia desfrutar do que realmente gostava que era viajar para surfar.

 O Wad é alguém como eu e você. Não é um sábio meditando em algum monastério no Butão. Não é um brilhante cientista ou filósofo. Ele é apenas um ser humano normal, exatamente como eu e você querido leitor. E essa é a beleza de tudo. Alguém com uma vida normal, talvez até mesmo com condições financeiras piores do que boa parte dos leitores desse espaço, mas que sabia e sabe levar a vida de forma financeiramente inteligente, vivendo o presente de forma plena e trazendo alegria para os outros. Um grande exemplo para mim.

  Como dizia o poema de Horácio, onde a expressão Carpe Diem foi utilizada talvez pela primeira vez, devemos aproveitar a vida o máximo que pudermos, pois o futuro é incerto. O meu colega Wad foi infelizmente diagnosticado com essa terrível doença. Pelo que soube, está fazendo quimioterapia e a família está doando sangue para ver se há compatibilidade para um transplante de medula.


  Não há nada que eu possa dizer num momento desses para o Wad a não ser obrigado por ser um exemplo de como podemos levar a vida de forma mais leve e feliz. Como estou longe do Brasil, não há nada de prático que eu possa fazer para ajudar. Apenas saiba, meu amigo, que o meu coração e da minha companheira estão com você. Desejamos e torcemos muito para que o tratamento dê resultado e que você possa achar um doador compatível. Temos uma esperança grande de quando voltar ao Brasil, iremos revê-lo com saúde.


Wad entubando bonito em algum lugar paradisíaco no mundo. Meu amigo, você vai entubar muitas mais ondas como essa.

5 comentários:

  1. Respostas
    1. Valeu. Surfista. Se você o conhecesse, iria gostar bastante da figura.

      Excluir
  2. Leucemia mielóide ou leucemia linfocitica ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não tenho certeza, mas acho que é a mielóide aguda.

      Excluir
    2. fala p o wad procurar ratubagus em bali indonesia... e um curandeiro ja inclusive livro muita gente te leucemia aids cancer etc... as vezes e uma opcao alem da tradicional medicina.

      Excluir