terça-feira, 9 de junho de 2015

BRASIL: EDUCAÇÃO, VIOLÊNCIA E AS SEMENTES ERRADAS

   Bula! E aí colegas tudo certo? Hoje escrevo sobre um tema recorrente, principalmente na blogosfera financeira. Aliás, retomo um tema já aqui tratado. Quando escrevi um artigo chamado "O Brasil é tão ruim?", procurei colocar a minha percepção de como deveríamos analisar o nosso país na conjuntura internacional. Não mudei a minha visão desde então. Eu realmente acredito que é um erro não olhar para o andar de baixo da humanidade, para os três bilhões, eu disse BILHÕES, de seres humanos que sobrevivem com menos de dois dólares por dia.

   Além do mais, parece claro que o Brasil evoluiu em diversos aspectos. Os índices de mortalidade infantil, por exemplo, diminuíram sensivelmente nos últimos 30 anos. Alguém pode pensar "e daí?". Bom, uma sociedade onde os recém-nascidos tem uma probabilidade grande de falecerem com menos de um ano de idade, é uma sociedade que está a anos-luz de sociedades mais desenvolvidas. O Brasil era tão ruim nesse quesito que nós estavámos no andar de baixo em mortalidade infantil no plano internacional.  A miséria extrema também foi diminuída, hoje em dia muito menos pessoas passam fome. Isso não é trivial, muito pelo contrário. Uma pessoa que passa fome não tem possibilidade de ser nada, nem trabalhador, nem cidadão, nem qualquer coisa que imaginemos. A fome é uma chaga na humanidade e é incrível pensar que 1 bilhão de seres humanos são considerados pela ONU como deficientes nutricionais, ou seja ingerem menos caloria do que o mínimo recomendado pela ciência médica. Índices de matrícula de alunos em escola, expectativa de vida, e muitos outros melhoraram consideravelmente nas últimas décadas.

   Isso não é pouco, colegas.  Se nosso país ainda é extremamente deficitário em várias áreas, a situação há 30 anos era ainda mais desesperadora. "Tudo muito bom, tudo muito bem, mas a vida aqui no Brasil é horrível comparada com de um país desenvolvido", alguém pode estar pensando. Há força nesse argumento, admito.

   O colega Rover escreveu um texto sobre as razões de se querer deixar o Brasil. Os argumentos não são novos e  sempre muito utilizados em vários textos, ou vídeos que existem na internet principalmente de brasileiros que vivem no exterior.  Há, no meu entendimento é claro, exageros e certas conclusões equivocadas, principalmente no que toca ao fato da grande variedade de etnias e culturas que formaram o Brasil ser um dos motivos principais pelos problemas nacionais. Não concordo, muito pelo contrário. A nossa exuberância cultural, e ela é reconhecida internacionalmente, é fruto direta da nossa heterogeneidade. Ao contrário de outros países, onde há diversidade, mas não há integração efetiva entre diversas etnias, no Brasil todos os grupos se misturaram, criando um caldo cultural talvez único no mundo. Talvez por isso não tenhamos nenhum problema sério de conflito religioso, étnico ou "racial" (não, não existem raças na humanidade). Para as pessoas que acham isso pouco, basta olharmos os diversos problemas no mundo, e não apenas em países pobres, onde a intolerância com membros de outras etnias ou culturas é catalisador de disputas sangrentas.

    Entretanto, muitos pontos abordados no texto supracitado são verdadeiros. Quero aqui me ater em apenas dois que acho os mais preocupantes. A Corrupção é um fenômeno internacional de maior ou menor medida a depender do país. Muitas instituições brasileiras estão cada vez mais fortes no combate a corrupção e creio que aqui o Brasil vem avançado, por pior que possa parecer a situação (agora imaginem como não era há 30 anos sem um ministério público forte, sem um TCU atuante, sem uma imprensa vigilante, etc). A infraestrutura é um problema, mas nada que não possa ser solucionado. Há centenas de bilhões de dólares de investidores internacionais loucos em colocar o seu dinheiro em projetos que tenham taxas de retornos muito maiores do que projetos em países desenvolvidos. Aliás, talvez a aposentadoria da classe média dos países mais ricos irá depender no futuro da poupança acumulada deles irem para projetos de desenvolvimento ao redor do mundo com taxas de retornos maiores para poder possibilitar taxas maiores de retirada de seus portfólios. Uma maior segurança institucional, um norte mais claro sobre os marcos regulatórios, e dinheiro para melhorar a nossa infraestrutura não irá faltar.

   Os reais problemas, em minha opinião, são a violência e a falta de educação. Quando falo de educação não falo apenas da educação formal, que aliás é uma lástima, mas também na forma como nos comportamos nas relações sociais mais triviais. Quando falo de violência, não falo apenas de atos violentos contra a vida ou patrimônio, mas também a violência "invisível" a qual a maioria dos brasileiros são submetidos no seu dia a dia.

  Vejam, a renda per capta do Brasil é muito maior do que a do Camboja, Laos, Myanmar, Fiji (para citar apenas alguns países  não tão desenvolvidos em que já estive). Muito provavelmente, por mais precária que seja, a nossa educação formal é melhor do que estes países citados. Entretanto, as relações humanas nesses países, pelo pouco que pude observar, se dão num contexto de muito mais respeito. Um brasileiro que conheci em Auckland há poucos dias disse-me que isso se dava pelo conceito de carma. Já tinha pensando nisso. Na maioria dos países citados, o conceito de carma é algo muito arraigado. Assim, a religião acaba tendo uma função de controle social e apaziguamento de tensões muito grande. Porém, para além dessa questão, eu creio que nestes lugares as pessoas simplesmente são mais educadas.

   Isso me leva à violência. É claro que assassinatos, sequestros, etc, são crimes violentos abalam profundamente, quando praticados em grande número como no caso do Brasil, a possibilidade de uma vida mais tranquila. Porém, aqui chamo atenção para a violência mais banal e aparentemente espalhada em todas as relações.  É a pessoa irritada porque você esbarrou na mesma na fila do supermercado, é a disputa acirrada por uma vaga de estacionamento num shopping, é os xingamentos no engarrafamento de alguma metrópole brasileira, é algum vendedor atendendo com rispidez um cliente, é um servidor público destratando algum cidadão, etc, etc. A verdade é que nós Brasileiros estamos cada vez mais violentos. É visível a diferença quando eu volto ao Brasil. Olhe na internet. É imbecil, burro, ignorante, idiota para lá e para cá. As pessoas que dizem isso não estão prestando atenção quão horrível esse tipo de conduta é, e quão significativa ela é do nosso estado de humor enquanto sociedade. É deprimente.

   Isso me deixa preocupado. A educação formal no espaço de 30-40 anos nós poderíamos sim dar um grande salto (aqui é outro problema, será que enquanto nação estamos preparados para sermos generosos e saber que devemos plantar sementes boas para as gerações futuras e que talvez nós não venhamos a desfrutar, mas sim nossos filhos?). Porém, será que poderemos tornar as nossas relações sociais e humanas mais gentis e educadas? Isso não é um problema apenas de educação formal, pois o nível de agressividade atual do brasileiro parece não depender de nível financeiro. O exemplo da Coréia do Sul sempre é citado. Acontece que a Coréia do Sul possui uma história tão antiga como o Japão. Há conceitos lá arraigados há centenas, quiçá milhares, de anos. Assim, a educação formal florescer num país como esse não é tão difícil, e evidentemente não é a única parte da história (eu conheço muitos sul-coreanos, são pessoas gentis e esforçadas).

  Eu, sinceramente, tenho sérias dúvidas de que uma mudança na forma de interagirmos uns com os outros de maneira mais cordata possa ser feita em menos de duas gerações. Está a se falar de 60-70 anos, no mínimo. Assim, não, nós não teremos nem mesmo no médio prazo uma sociedade onde a palavra "sorry" parece fazer parte da educação mínima. Nos EUA, Nova Zelândia, ou qualquer outro país desenvolvido, a pessoa cotidianamente fala "desculpa". em várias situações.  Pode ser um ato mecânico muitas vezes, mas atos como estes induzem comportamentos, que induzem hábitos. Aqui é muito difícil ouvir ou ler a palavra "desculpe", infelizmente. Tenho diversos defeitos, mas uma das minhas qualidades é não ter qualquer pejo, receio ou problema de dizer "desculpe". Quantos "desculpe" você ouviu recentemente?

   Sendo assim, o Brasil é um país complexo mesmo. 200 milhões de habitantes, um continente, com desigualdades regionais talvez inexistentes em qualquer outro país do mundo. É inegável que melhoramos muito em várias métricas importantes. Entretanto, é inegável também que plantamos sementes ruins no passado e estamos colhendo resultados muito ruins quando o assunto é violência, educação e relações humanas disfuncionais. O que me assusta é que parece que não só continuamos a plantar sementes ruins, mas como em certos aspectos estamos nos esforçando para escolher sementes ainda piores. A continuar nessa toada, talvez seja realmente muito difícil nos tornarmos uma sociedade mais equilibrada e boa para se viver.

Tolaga Bay - East Cape. Lugar maneiro, uma das estradas mais bonitas que já peguei (250km margeando a costa)
 Raglan! Paraíso do Surf na Nova Zelandia. Altas ondas de Point Break e o lugar ainda é magnificamente bonito. Se um dia eu escrever um livro, voltarei a Raglan para morar alguns meses. Imagem feita de onde eu fiquei (um albergue maneríssimo, com wi-fi liberado, coisa rara na NZ)
Na minha última trilha na NZ (talvez tenha andado uns 250km) fui presenteado com uma sucessão de arco-íris surreal. 

 A tarde no mesmo dia ainda peguei altas ondas (pequenas, mas perfeitas) na surf city de Whanganmata. Sim, fui surpreendido mais uma vez com um belíssimo arco-íris - além da praia ser belíssima. Remar para o line up com um arco-íris duplo não tem preço.
 Fiji Time! Meus limites no Surf serão testados ao extremo nas famosas, e imperdoáveis, esquerdas perfeitas de Cloudbreak e Frigate Pass.
Que lugar lindo, um dos mais bonitos que já estive. Todos os dias o sunset é inesquecível


    Grande abraço a todos!

57 comentários:

  1. Hey Soul,

    Você que está ai na New Zeland, não vai deixar de assistir o jogo dos All Blacks e ver eles fazendo o Haka né?

    É imperdível. :)

    Uta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, não consegui ver um jogo do All Blacks, mas vi um jogo de Rugby da liga principal. Eu, particularmente, achei um pouco chato.
      Vi uma performance de Haka no Anzac day, posso escrever sobre isso qualquer dia, pois foi algo muito intenso o Anzac day.

      Abraço!

      Excluir
  2. Soul,

    O que você comentou é exatamente o que penso. O Brasil é um país ruim, sim, mas ele já foi muito pior que isso. E acredito que de certo modo ele tem uma possibilidade de melhorar, agora, por exemplo, os EUA é um país onde eu vejo que estão plantando algumas sementes ruins e que nos próximos 30-40 anos iremos ver elas começarem a germinar.

    Uta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Estagiário.
      Sim, é por isso que existem dados. Eles mensuram objetivamente o que aconteceu com um determinado local. Pelos números fica evidente que o país melhorou absurdamente em várias métricas. Se é ruim hoje, imagine há 30 anos.

      Abraço!

      Excluir
  3. SoulSurfer,

    Li e reli este seu post algumas vezes, e cheguei à conclusão que você está sendo muito ingênuo em relação ao Brasil.

    "Talvez por isso não tenhamos nenhum problema sério de conflito religioso, étnico ou "racial" (não, não existem raças na humanidade)."
    Se você fosse um branco vivendo no norte, nordeste ou no Rio de Janeiro você nunca diria isso. E aliás, que tal as cotas raciais para faculdades e concursos, que são apoiadas por todos os negros e pardos?


    "Não concordo, muito pelo contrário. A nossa exuberância cultural, e ela é reconhecida internacionalmente, é fruto direta da nossa heterogeneidade."
    Então me diga o que essa exuberância cultural produziu de útil para a humanidade.

    "Entretanto, é inegável também que plantamos sementes ruins no passado e estamos colhendo resultados muito ruins quando o assunto é violência, educação e relações humanas disfuncionais."
    Você pode dar o tipo de educação que quiser para as pessoas que isso não vai adiantar nada pois não há educação que mude o caráter de pessoas de má indole.


    J. Copenhague

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, a ingenuidade pode ser negativa, como pontuado por você. Entretanto, em alguns casos ela pode ser positiva, pois às vezes permite que grandes desafios sejam encarados, sem covardia ou ostracismo baseado numa forma unicamente cínica de ver o mundo.
      Feita essa breve digressão, sim é possível que eu seja ingênuo em relação a este assunto.
      a) Colega, o Brasil foi o último país das Américas, se não me engano, a abolir a escravidão de negros. É evidente que há alguns pontos de tensão, porém, em minha opinião, nem de longe eles são tão profundos e sérios como em outros países, EUA sendo um grande exemplo.
      Cotas raciais não foi um tema nem de longe abordado no artigo, e não vejo muita relação.

      b) Colega, precisamos definir o que você entende por útil. Isso é importante, porque num mundo cada vez mais "eficiente" a nossa noção de útil está se tornando muito estreita. Há até mesmo pessoas que dizem não ver utilidade na poesia. Já tive professor que não via qualquer utilidade ou importância em filosofia. Cultura é cultura, e temos que aprender a valorizar mais as diferentes culturas. Dito isso, nossa cultura produziu ritmos de dança, folclores, gastronomia, música, etc, que são sim reconhecidos.
      Agora, se você quer dizer com algo mais relacionado a ciência, então realmente o Brasil, e a cultura latina (tirante a antiga Roma e a França) não produziu tanto como outras culturas (inglesa e germânica em especial).

      c) Bom, você assume a índole das pessoas aqui no Brasil, suponho, como naturalmente corrompida. Eu não penso assim.



      Excluir
    2. Quando eu disse que voce estava sendo ingênuo, me referia a um certo otimismo mal-emabasado que me pareceu latente no seu texto. Os números que você citou sobre a melhora do Brasil são sim veradeiros, mas você já parou para analisar o mérito que os brasileiros em geral tem em relação a esses números? Será que essa melhora não foi simplesmente por fatores exteriores e não pelo méito do povo?

      Em relação às cotas raciais você não acha que elas foram criadas e aprovadas rápido demais num país que se diz uma democracia racial? Onde está a tal igualdade se o próprio Estado legitima o racismo com apoio de grande parte da população?

      "Dito isso, nossa cultura produziu ritmos de dança, folclores, gastronomia, música, etc, que são sim reconhecidos. "
      Eu não me referi especificamente à ciência ou filosofia, eu me referi a todos os valores humanos de forma abrangente. Esses artefatos que você citou são produzidos por qualquer cultura em qualquer lugar do mundo, não há nada de especial nisso. Quando eu disse útil, eu me referi a capaciade de influenciar outros povos e culturas de maneira saudável e original, veja como por exemplo os ensinamentos da cultura oriental.

      " Bom, você assume a índole das pessoas aqui no Brasil, suponho, como naturalmente corrompida. Eu não penso assim."
      Eu não me sinto feliz por dizer isso, é apenas uma observação objetiva de quem tem que lidar com todo o tipo de gente todos os dias nas ruas do Brasil.

      J Copenhague

      Excluir
    3. Colega, em qual parte há otimismo no texto? Ainda mais um otimismo ingênuo. Eu gostaria de saber.
      Não creio que tudo possa ser creditado apenas a fatores externos (você quer dizer crescimento do mundo, e desenvolvimento da humanidade, sendo que o Brasil segui uma tendência meio que por inércia, não ficou muito claro o que entende por "fatores externos").

      Eu mesmo não sou favorável ao sistema de cotas raciais. Entretanto, não creio que seja uma forma de "racismo invertido". Creio que o tema é complexo e há boas opiniões para ambos os lados.

      Sim, é por isso que gosto de viajar, e procuro ter respeito por toda forma de manifestação cultural humana (desde que não atente contra direitos humanos mínimos). O meu texto não disse o contrário. Apenas me referi que estes "artefatos" são riquíssimos no Brasil, bastando ver nossas danças, folclores, culinária, música, etc. Eu acho que há sim muito de especial em cultura humana, ao contrário do que você disse.
      Não sei o que entende por "cultura oriental". A Índia é muito diferente do Japão que é diferente da Tailândia que é diferente das Filipinas que por sua vez não tem nada a ver com a cultura birmanesa. Esse é um termo muito utilizado, mas que captura fenômenos muito diversos entre si.
      Se a cultura brasileira possui a capacidade de influenciar de maneira saudável e positiva outras culturas? Eu creio que sim, Domenico de Masi então acha que a solução para os conflitos, numa dose de extremo exagero, humanos está na cultura brasileira. Se ela influenciou? Não saberia dizer, não tenho conhecimento para responder essa pergunta.

      Entendo. Torço para que possa ter relações mais saudáveis, pois há inúmeras pessoas de boa índole em qualquer lugar do mundo e o Brasil não seria diferente.

      Excluir
  4. "Isso me leva à violência". Não soou bem, mas, como somos todos violentos, mesmo ao escrever sobre violência, tem o seu lugar.

    Anonny.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não entendi o seu comentário anônimo.

      Excluir
  5. Soul, muitas das pessoas que reclamam do Brasil querem emigrar para os EUA. acho bacana, acho legal. Mas parece estranho odiar o Brasil e ter fiis brasileiros. Não seria melhor e mais coerente o indivíduo que não gosta daqui comprar REIT´s?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vejo qualquer relação de causa e efeito entre querer emigrar do Brasil e não o seu dinheiro em investimentos no Brasil.
      Tudo vai depender do tamanho do patrimônio, objetivos de vida, fontes de renda no exterior, etc.

      Excluir
  6. Com 800k em fiis eu paro de trabalhar e vou curtir as praias brasileiras. Sem carro, sem casa própria, sem filhos, sem gastos absurdos. Só esporte e curtição.

    O meu plano é viver com 60% dos proventos e reinvestir o resto. Sem stress, sem trânsito. Só natureza e vida boa.


    Seu post é inspirador, isso é prova de que dinheiro bem investido em qualidade de vida vale mais que ouro, ações e TD. Momentos como esse vão inspirar seus aportes futuros.

    Surf e sol fazem bem à vida.

    ResponderExcluir
  7. Uau, que fotos. Coloque a Srª Soul Surfer para vender umas fotos para revistas. Será mais uma renda, rsss.

    Agora falando sério, sobre licença sem vencimentos, é possível tirar uma a cada 3 anos. Penso em ficar 3 anos longe de repartição, voltar mais 3 de trabalho, ficar mais 3 curtindo a vida, Até meus 2M de liberdade.

    Muita gente idolatra serviço público mas não sabe o que é.

    Abraços e parabéns pelas fotos.

    ResponderExcluir
  8. Você conhece o trabalho do Zygmunt Bauman, sociólogo polonês respeitado mundialmente?

    A visão dele é que nos países desenvolvidos as mulheres pobres têm cada vez menos filhos, com reflexos na pirâmide etária do país. Com isso haverá menos soldados, menos lixeiros, menos operaários e gente disposta a realizar trabalhaos ruins e mal pagos.

    De outro lado, os políticos lamentam esse tipo de coisa pois será necessário pagar mais aposentados...

    A população do Japão está diminuindo e envelhecendo. A Europa apresenta situação parecida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já li o "medo líquido" do Bauman, Porém, faz tanto tempo que não lembro quase nada.
      Não sei se concordo, se este realmente é o diagnóstico dele, muito com a mensagem. O Per capta do Japão vem crescendo nos últimos anos a ritmo semelhante a países desenvolvidos europeus, por exemplo.

      Excluir
  9. Meu caro,

    Plantamos sementes ruins há poucos anos... Para ser mais preciso, há uns 20 anos com o Foro de São Paulo + Lula + PT + Marxismo Cultural. Não é carma: é falta de educação de qualidade, associada com muitos direitos, mentiras e poucos deveres. Sugiro que você leia o blog O Antagonista, notícias de hoje. É de assustar:

    http://www.oantagonista.com/posts/soltando-assassinos

    Nos faltam HOMENS DE BEM NO PODER, nos falta educação política, nos falta cultura democrática e liberal. Mais povo, menos estado. Mais união, menos cotas raciais. Mais amizade, menos ódio as outras religiões. Punição de verdade aos corruptos e criminosos, independente da idade, menos vitimismo.

    O Brasil é um projeto que deu errado. Mas, e o Cambodja? O Vietnã? Desculpe-me, mas não moro lá... Moro no Brasil, umas das 7 maiores economias do mundo e isso aqui é um LIXO. Se fosse um país miserável, tudo bem... mas não somos e isso basta.

    Falta gestão pública séria, falta diplomacia (o PT destruiu nossa política externa), falta respeito as regras do mercado. Apoiamos Cuba, Rússia, Venezuela e Irã, mas reclamamos do regime militar - obra do PT. Recriminamos a homofobia, mas podem colocar um transexual nú em cima de um caminhão, em SP, numa passeata gay paga com dinheiro público, posando de Jesus Cristo. Legal, não é? Se fosse uma pessoa negra sendo açoitada de mentira por pessoas brancas rindo, seria apologia ao racismo??? HIPOCRISIA, Marxismo Cultural puro. Se perdeu o respeito ao próximo e isto é incentivado pela política do PT. O patrão é bandido, o empregado é sempre bom...

    Como você, viajo pelo mundo e sei o que tem visto. É de doer voltar para cá depois de ir ao Canadá, Chile, Estados Unidos, Alemanha... O que me assusta, Soul, é saber que antes de 50 anos ou mais, nossa cultura não terá mudado. Nossos políticos refletem boa parte do comportamento do povo! Para que trabalhar? Quero uma teta para mamar!

    E a cultura esquerdopata Marxista-petista é uma DESGRAÇA, que achou solo férftil no Brasil e explodiu. Gostaria de morar no Brasil para sempre, mas com certeza não ficarei por aqui.

    Quero que meus filhos possam ir na rua brincar sem o medo de um estupro a cada 20 minutos, um sequestro relâmpago, um assassinato a cada 9 minutos, uma morte no trânsito a cada 15 minutos. Quero respeito por ser branco (mestiço, a pura verdade), heterossexual, bem sucedido, cristão e ser liberal! Quero poder ter armas na minha casa e comigo, se eu julgar necessário. Quero andar na praia de noite e saber que voltarei vivo para casa, que meus impostos serão bem utilizados pelo governo para ajudar o país e pessoas pobres de verdade a terem uma vida melhor (nada de esmolas perpétuas). Quero ver a impunidade acabar, o respeito dos alunos aos professores ser uma regra e não a excessão. Quero que parem de usar politicamente nossas empresas e parem de roubar o dinheiro de nossos impostos! Temos hoje as Universidades Federais dominadas por medíocres e esquerdopatas, usuários de drogas e que nada querem com o estudo de verdade. Marcha da maconha = universitários dentro. Marcha contra a corrupção = coisa de burguês!

    Nossa moral faliu, a família vem sendo atacada como nunca antes se viu na história do Brasil. Graças a Deus, abri meus olhos e há 1 ano leio tudo sobre política e sobre a peste vermelha que nos assola. O futuro nos dirá onde fomos parar, amigo. Se o povo não acordar, serão mais 500 anos de cabresto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Heavy Metal! Beleza amigo?
      Bom, sua missiva abordou diversos pontos.
      Falo apenas sobre alguns. Primeiramente, o Brasil está longe de ser um país rico. Nós podemos ser a sétima economia em tamanho, mas o nosso per capta é de renda média. Se formos comparar por PPP (paridade do poder de compra), eu creio que o Brasil está em algo como 80 lugar, ou seja, estamos literalmente na fronteira com o andar de baixo, muito, mais muito longe do andar de cima.

      Segundo, geralmente se colhem dados para se poder fazer uma análise objetiva dos fatos. Não importa o que o Soulsurfer pensa ou HM, pois isso pode ser muito subjetivo. Os dados são claros e contundentes no sentido de que o Brasil melhorou em muitas métricas.
      A violência, por exemplo, estamos retrocedendo para números da década de 80 na relação mortes por 100.000 habitantes. Ou seja, ficamos na pior da hipóteses na mesma, não houve um surto de violência. Em lugares como SP, por exemplo, na verdade o número de homicídios despencou nos últimos 20 anos. Houve um aumento muito forte no número de homicídios no nordeste, infelizmente.

      Quer queiramos ou não, seja por competência ou não, nos 8 anos do governo lula o Brasil cresceu muito. Veja, por mim é salutar a mudança de partido, e comungo de muitas de suas inquietações. Entretanto, a crítica pela crítica, não é o melhor caminho, pois ela é facilmente derrubada, principalmente quando se há dados e números na direção contrária.

      Também creio que temos que ter mais respeito. Porém, isso inclui a tudo e a todos. Não podemos querer exigir respeito por sermos heterossexuais, praticantes de uma determinada religião, e nos dirigirmos a pessoas que não comungam das mesmas opiniões com expressões muitas vezes desrespeitosas, sob pena de cairmos numa grande contradição.

      O nosso dinheiro de impostos sempre foi roubado, talvez até de forma mais acentuada, principalmente antes dos controles institucionais mais rígidos que não existiam antes da constituição de 88. Isso não é obra do FHC, Collor, PT, Lula, as causas são muito mais antigas e profundas. As sementes ruins foram plantadas há muito tempo atrás, não foi há apenas 20 anos.

      Por fim, como consta no texto, creio que a violência é algo extremamente desanimador e preocupante no Brasil. Se você tem o desejo de emigrar, tem que fazê-lo, ainda mais você que já possui um patrimônio razoável.

      Abraço e grato pelo comentário!

      Excluir
    2. Seu post, é bacana,

      Será que o Brasil é tão ruim assim ? Ou será que a tv mostra muita violência num eterno espetáculo sensacionalista? Não vejo o JN há anos, foi ótimo. Depois disso parei de ver site de revistas manipuladoras. Fiquei mais tranquilo, menos ansioso, vivo melhor. Como diz o Bastter, a imprensa quando não está atrasada está errada. O Corey já prescreve o jejum de informação, ele tá certo.

      Outra coisa estranha foi vista em alguns posts. Algumas reclamações que parecem não coerentes, faltam um pouco de lógica. Como exemplo é não querer ser visto como burguês. Ora, se eu lucro no mercado financeiro, tenho muito orgulho do que faço de cada centavo que recebo. Não tenho perfil em facebook para não me preocupar com opinião de adolescentes bobos. Entrei na bolsa para virar burguês, quero ser milionário. Então considerarei as minhas escolhas burguesas ótimas, coisa de burguês esclarecido que sou. Ter vergonha disso é meio infantil.

      Querer ganhar dinheiro e depois se ofender por ser chamado de burguês é meio contraditório.

      Legal ir a passeatas, isso fortalece a Democracia. Com apoio da PM, do Governador do Estado e do metrô gratuito, as passeatas ficam mais legais para tirar selfies e curtir o domingão num passeio em família. Mas ficar de mimimi por ser criticado pelo facebook ou por alguns blogs é para crianças de 12 anos.

      Excluir
    3. Alô, Heavy Metal,

      Sempre admirei seus posts, sua carteira, seu conhecimento sobre o mercado, parece que é fruto de muito estudo sobre análise fundamentalista.

      No entanto, nesse comentário aqui no Soul Surfer, acredito que houve alguns enganos de sua parte.

      A família heterossexual vem sendo atacada desde os anos 1970 com o apoio da Embrafilme aos filmes de pornochanchada.Era um governo de Direita que mandava na Embrafilme. A Rede Globo está em guerra com a Record evangélica e por isso finge que apoia os homossexuais. A família Marinho sempre foi católica de Direita.

      A mídia, em geral, defende seus próprios interesses. Se acreditarmos em tudo que sai por aí, fica difícil.

      Excluir
    4. Fala Soul!

      Tô com nosso amigo HM, sou objetivo como ele. Vejo sempre nos seus posts um ar sonhador, inocente, ingênuo... Eu tento ser mais realista e acredito que, assim como o HM comentou, não teremos uma melhora nos próximos 50 anos e acredito que todos aqueles que deixarem a emoção de lado e agirem pela razão concordarão comigo.

      Não há absolutamente nada que eu possa fazer pra melhorar a situação dos países piores que o Brasil, logo sou bem sincero em dizer que não me importo com eles. Achar que o Brasil é bom por sermos melhores que o Congo é se conformar e conformismo é algo que não suporto. Gostaria de ter um pouco dessa aura de salvador do mundo que vc tem, mas não consigo.

      Sobre o que vc disse no texto em relação a mistura de raças não ter nada a ver, lamento mas isso acontece sim. É científico e fácil de entender. Não existem raças de seres humanos, mas existem genes diferentes entre um grupo e outro, a combinação de genes é igual cozinha: tem coisas que dão certo, outras não. Isso sem falar no comportamento da sociedade como o Rover citou naquele texto.

      Abraço a todos!

      Corey

      Excluir
    5. Olá, corey!
      Grato pelo comentário. Então, meu artigo nem foi no sentido apontado por você, ao final até digo que parece ser muito difícil uma melhora nas nossas relações mais fundamentais, e que o problema é mais profundo do que educação formal.

      Também não disse que poderíamos fazer algo por outros países (apesar de pessoas excepcionais fazerem, e eu acho isso muito bonito), o meu ponto foi até o oposto. Sim, creio que temos que nos balizar pela situação de todos os seres humanos, porém até mesmo países mais pobres e em pior situação econômica, e até mesmo política, parecem ter relações sociais do dia a dia mais equilibradas e não tão agressivas como as nossas.

      Corey, aqui terei que discordar. A diferença genética entre um sueco e um congolês pode ser mínima. Aliás, é possível que um sueco se parece mais geneticamente com um congolês do que com um sueco a depender do caso. Nós somos quase que idênticos geneticamente a Chimpanzés, a diferença entre seres humanos, na média, é mínima. É por isso que não se fala mais em raças.
      Há culturas, correto, mas há o processo emergente na natureza. Aliás, essa é a forma como a natureza opera. Duas partes diferentes se tornando uma terceira parte nova. Isso também é um princípio da Cabala, mas não irei comentar esse assunto.
      Assim, culturas diferentes prévias, por meio de processos emergentes, podem sim criar uma nova cultura mais forte ou não, a depender de inúmeros aspectos geográficos, sociais, históricos, etc.
      Se você quer falar de genética, deve saber que espécies sem muita variabilidade genética são muito mais frágeis. Isso é atualmente até mesmo um problema para testes em laboratórios com ratos, criou-se uma espécie sem quase nenhuma variabilidade genética. Meu pai sempre me disse que uma sociedade plural é muito mais difícil de se organizar, mas ela, quando bem organizada, é muito mais rica e forte. Concordo plenamente com ele.

      Abraço colega!

      Excluir
    6. Anônimo, não entendi o termo burguês. Isso é um termo que vem da idade média, e referia-se a pessoas que habitavam perto de burgos (ou muros). Creio que o mundo está muito mais complexo do que era há centenas de anos na Europa, e não creio que esse termo consiga capturar de forma adequada nos dias de hoje o que ele significava há muitos anos.

      Excluir
  10. Soul,

    O sábio HM já falou quase tudo na resposta acima. Eu apenas quero reforçar que o Bostil é um LIXO total, em todos os aspectos possíveis.

    Apenas pare e lembre-se, por exemplo, de que nós NUNCA ganhamos um, umzinho só Prêmio Nobel, enquanto diversos outros "paisecos" já conseguiram isso.

    O fato é que esse país não tem jeito porque o pior do Bostil é o bostileiro.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. IL,
      Mesmo pessoas que mudam de país por graves problemas internos como guerra civil, fome, etc, não costumam se referir ao lugar de nascimento dessa forma. Acho triste, mas enfim, cada um cada um.

      Abraço.

      Excluir
    2. É muito engraçado ver essas pessoas que reclamam tanto do Brasil e idolatram os EUA. Mas será que o estrangeiro é tão bem tratado no país dos ianques?


      Getúlio Vargas e os militares pós 64 eram comunistas? JK que jogou dinheiro no lixo construindo Brasília era de esquerda.
      Sair daqui reclamando dos impostos e ter o prazer de pagar imposto para o Tio Sam tb não é tão coerente.

      Muitos são republicanos e de "direita" quando desejam pagar menos imposto, mas na hora das crises choram pedindo ajuda ao estado, aos funças "preguiçosos", pensam em fazer concurso público.

      Quer sair daqui? Tchau, adeus. Mas ficar fazendo vídeo no youtube, postagem em blog e em facebook como um recalcado ingrato é bem lamentável.


      infelizmente a revista VEJA segue enganado muitos trouxas, ela consegue ser pior que a Rede Globo como máquina de ódio.

      Excluir
    3. Soul depois de um tempo congelando, os bobocas, digo futuros emgrantes vão dizer que amam nossa terra, que aqui há palmeiras onde canta o sabiá....

      Existem cidades pequenas com mais qualidade de vida, menos assassinatos. O Universo não se resume a Rio e São Paulo.

      Eu não vejo programa do Wagner Montes, nem DAtena e outros sensacionalistas vendedores de desgraças. Sei que há assassinatos, mas nunca acordei com cadáver na porta. Vejo algum musical na tv.

      Excluir
    4. Soul, parece que a nossa classe média quer mais status, querem ser considerados os grandes motores do crescimento econômico, os bastiões da moral e dos bons costumes. É tudo uma questão de imagam. É pose.

      Já leu o livro Darwin vai às Compras ? O autor afirma que TODOS os seres humanos somos marqueteiros, queremos mostrar ao mundo nossa personalidade e nossos gostos. É uma forma de atrair amigos, parceiros, amores que pensam como nós. É algo bem humano.

      Por isso alguns escrevem que exigem respeito, pois se um grupo é visto como pequeno-burguês, então seus participantes podem se sentir ofendidos....Eles querem SER VISTOS como grandes representantes de nossa sociedade perfeita, bela e maravilhosa.

      Chororô bobo, isso sim.

      O bom capitalista pensa em uma maneira de conseguir mais lucros, seja aqui, seja nos EUA, na China. Reclamar não dá lucro.

      Muitos emigrantes cubanos fizeram milhões nos EUA, ficaram ricos de verdade; outros estão reclamando de Fidel até hoje, com mimimi eterno.

      Nossa classe média é beeemmmmm limitada.....

      Excluir
    5. Soul, excelente post,

      Aqui é minha terra, nasci aqui. Não vejo coerência reclamar de imposto aqui e pagar para o Tio Sam distribuir " balas " de presente pelo Iraque e em outros países.

      Melhor sair para um paraíso fiscal. É mais coerente.

      Pelo jeito, algumas pessoas não querem ser questionadas nunca, de forma alguma. Suas posições, seu modo de vida deve ser apenas elogiado.

      Reclamam do Comunismo, mas adoram falar com smartphone feito na China Comunista....

      Torço para ver a China com o maior PIB do mundo, muitos vão dizer que sempre foram fãs do Camarada Mao Tsé Tung, que o Estado deve intervir forte na economia, que a política do filho único é a maior invenção da humanidade, junto com a pólvora, a bússola e os concursos públicos, outras invenções chinesas.

      Recomendo fortemente a todos os investidores o filme Too Big to Fail, que mostra que a terra do Estado Mínimo, dos liberais, teve de pedir dinheiro emprestado aos Comunistas Chineses e não falir. Quem diria...

      Tem muita gente que fala o que não sabe e elogia coisas inventadas por marqueteiros disfarçados de jornalistas.

      Excluir
    6. Fala, Soul,

      Vc inspira meus aportes para poder viver longe de repartição insana e colegas malucos. Melhor estar perto da natureza.

      Muita gente fala mal do Brasil, mas depois de 2 anos no exterior volta morrendo de saudade.





      Excluir
    7. Soul, quem cultiva ódio acaba envenenado.

      Excluir
    8. Anônimos (que podem ser um ou vários), o tema do texto foi bem específico. Não se abordou impostos, emigração, etc.
      Estrangeiro será sempre estrangeiro, é verdade. Porém, há países onde os estrangeiros parecem ser bem acolhidos, a NZ parece ser um exemplo, conforme conversas que tive com alguns brasileiros que lá residem.
      Não creio que colocarmos rótulos de socialista, comunista, etc, seja adequado. É melhor pensarmos em como sociedades resolvem problemas. Como a China, Suécia e EUA lidam com a previdência no presente e como pensam em lidar no futuro, por exemplo. Para mim responder esse tipo de questão é muito mais lógico, sério e eficaz para se entender o mundo. Rótulos são formas fáceis de se classificar as cosias, sendo muitas vezes distorções do que realmente acontece.

      Excluir
    9. Caramba, tem gente jurando que o sucesso chinês é pelo comunismo? A China tornou-se o pior tipo de liberalismo/capitalismo, sem democracia, oligárquica, quem não faz parte do partido vira insumo pra gerar lucro aos empreendimentos do partido, sem escrúpulos, sem respeito a dignidade humana.
      É como comparar os avanços científicos nazistas com do resto do mundo civilizado, e ainda bater no peito se vangloriando.

      Excluir
    10. Soul,

      Respeito o seu otimismo, contudo, vou repetir:

      O Bostil é um lixo total que não tem solução porque o pior desse país é o bostileiro. Veja essa notícia, por exemplo:

      http://g1.globo.com/sao-paulo/sao-jose-do-rio-preto-aracatuba/noticia/2015/06/caminhao-de-carne-e-saqueado-apos-acidente-em-rodovia-de-penapolis.html

      O que você acha dessa atitude? Você acredita mesmo que um povo que faz isso tem conserto, tem solução? Pau que nasce torto, infelizmente, nunca endireita...

      Abraços.

      Excluir
    11. IL,
      O meu texto não foi otimista, pelo contrário.
      O meu único argumento em relação à sua mensagem é a forma de se dirigir ao lugar que você nasceu, e a você mesmo. Creio que não é sua intenção dizer que você é uma merda (pois afinal você é brasileiro, não é mesmo? A pessoa tem todo o direito de não gostar de onde nasceu, ou das pessoas com que convive. Legítimo ainda a vontade de querer mudar de país. Se quer isso, vá atrás com afinco.
      Porém, Buda já dizia que o caminho para iluminação passa por vários caminhos, o falar corretamente é um deles. Assim, essa postura agressiva em relação ao seu país não irá trazer nenhuma iluminação ou evolução para você, meu amigo.

      Sobre a notícia, eu não a li, mas vi que se trata de um saque. Sim, coisas violentas, tristes e abomináveis ocorrem no nosso país. O meu ponto não foi esse. O que eu disse é que existem muitos imigrantes em situação muito pior do que a gente. Um refugiado do Congo, ou um haitiano que viu tudo se perder no terremoto de 2010, por exemplo. Muitas dessas pessoas passaram por mau bocados em seus países, muitas vezes sofrendo atos atrozes de violência contra si ou família. Porém, nem assim, essas pessoas parecem se dirigir aos seus países de origem de forma tão desrespeitosa. Mesmo vivendo no estrangeiro num país desenvolvido, não parece ser essa uma conduta muito comum.
      Foi apenas esse fato que procurei trazer à baila.

      Abraço!

      Excluir
  11. Soul, não há mais nada a se falar após o eloquente discurso do HM acima.

    Creio que tens uma visão num otimismo que transcende à realidade possível. Até gostaria de acreditar nisso, mas sinceramente não dá.

    Somos um povo de mistura, mistura que não deu certo, sem pedigree, quero dizer : sem raízes culturais que primem pelo trabalho ou meritocracia.

    E nos últimos anos vimos a institucionalização da demagogia como forma de perpetuação do poder a todo custo. A excelentíssima presidente da república que ou vive no mundo da fantasia e acha que está tudo certo, ou toma chá de cogumelo antes de dar entrevistas, ou é uma mentirosa deslavada da pior espécie.

    Estamos melhores que 3 bilhões, mas estes 3 bilhões vivem abaixo da linha de pobreza. Devemos nos contentar com isso? Num país de extenso território, "onde se plantando tudo dá"? Num país sem conflitos religiosos ou étnicos (pelo menos até então não havia, mas o "nosso" querido "partidão" está tentando criar uma guerra que nunca existiu no país entre ricos x pobres ou brancos x negros)

    É Soul... invejo não apenas seu estilo de vida, mas sua capacidade de ver o lado positivo das coisas, mesmo quando este é escasso frente ao negativo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Guardião!
      Poxa, eu não estou entendendo essa interpretação do pessoal:)
      O meu texto foi tudo, menos otimista, pelo contrário.
      O que não podemos, ao meu sentir, é não olhar os dados. Isso não é a forma correta de se analisar a realidade. Assim, falar que a carga tributária aumentou por causa do PT somente, é errado. Falar que a violência disparou também é equivocado. As críticas devem ser feitas, mas nós temos que saber mensurar o que é correto ou não.
      O que eu vejo, e cada vez pior, é de um lado se falando direita golpista, coxinha, etc. Do outro esquerdopata, e tantos outros termos que não acrescentam absolutamente em nada e nem de longe capturam a complexidade da vida no Brasil.

      Pois veja. Você diz que não deu certo num momento, e em outro diz que o Brasil deveria dar certo pela ausência de conflitos étnicos e religiosos. Perceba que aqui há uma contradição lógica. Se aqui não há essa espécie de conflito, isso é apenas uma prova de que a "mistura" não deu tão errado. As pessoas talvez não pensem muito quão sério pode ser um conflito étnico ou religioso. Exemplos atuais no mundo não faltam: Sudão, Síria, Iraque, Líbano, Yemen, etc.
      Como você, também acho lamentável a tentativa de algumas pessoas ou grupos de criar uma tensão onde ela nunca existiu de maneira sensível. Porém, a democracia sempre será feita do conflito de interesses e choques de ideias, precisamos sim, como bem destacado por você, não deixar que isso nos leve por caminhos de conflito generalizado.

      Outro ponto do texto que talvez não tenha ficado claro. Eu disse que poderíamos até estar melhor do ponto de vista econômico e de educação formal do que vários países, mas mesmo assim talvez as nossas relações humanas mais triviais fossem até mesmo mais deterioradas. Sendo assim, a mensagem do texto não foi comparar, isso eu fiz no primeiro artigo em meados do ano passado.

      Guardião, agradeço o seu comentário e o seu último parágrafo. Temos que ter cuidado para não nos transformarmos em um eventual Cândido (da clássica obra de Voltaire), mas a capacidade de ver a luz para além de eventuais sombras dominantes acho uma capacidade importante do ser humano.
      Uma vez li em algum lugar que os próprios judeus às vezes faziam brincadeiras sobre a sua situação em campos de concentração (aliás, você leu aquele livro "É isto um homem?" do Primo Levi?). Assim sendo, a capacidade de nos mantermos otimistas é essencial.
      Kafka, para mim um dos mais brilhantes escritores da humanidade, uma vez disse que: "O homem é um único animal que tem esperança, mesmo quando não há nenhuma". O mestre checo estava, como de costume, certo. Porém, se retirarmos a capacidade do homem ter esperança, creio que boa parte da sua humanidade é ceifada.

      Abraço amigo!

      Excluir
    2. Pacientes deprimidos costumam ser hiperrealistas, veem todos os próprios defeitos, os defeitos do país.... Tenho medo de que alguns investidores acabem dependentes de antidepressivos.

      De outro lado, pessoas normais veem a vida de forma mais equilibrada.

      Excluir
    3. Soul, belo post. Tenho visto alguns fenômenos que acredito poderem explicar tanta raiva do Brasil.

      Depois da eleição do Obama, a extrema direita americana ficou em polvorosa, com ódio de tudo e de todos. A partir daí, alguns bilionários raivosos começaram a apoiar uns movimentos sem sentido como "Tea Party", milícias armadas do Texas que caçam mexicanos nas fronteiras.

      Por sua vez, a mídia americana mais à direita começou a criar um discurso belicoso, anti governo, anti imposto, anti bom senso, anti pobres etc.

      Infelizmente, os grupos de comunicação brasileiros tradicionais de decidiram ir nessa linha editorial raivosa. Isso explica que uma criatura como Rodrigo Constantino tenha espaço numa publicação com o alcance da Veja. Além de escrever muito mal, sendo corrigido pelos seus próprios leitores, a figura espalha rancor por todos os lados, todo santo dia.

      O resultado é uma classe B assustada e irritada com o próprio país.

      Senhores, Fidel Castro está morrendo, a Venezuela está numa miséria e os EUA, que ainda mandam no mundo, nunca vão deixar o Brasil virar bolivariano. Acreditar em vendedores de desastres é pedir para se aborrecer.

      Quero ganhar muito dinheiro aqui, desejo aproveitar as nossas praias. Mas também desejo sorte para quem quer pagar imposto de renda ao Tio Sam.

      Excluir
  12. Como pago 250.000,00 reais de impostos por ano, caros panacas petistas anônimos (sei que tbm tem anônimos fora deste grupo, então desconsiderem), tenho todo o direito de reclamar do lixo que recebo em troca deste governo corrupto. Fiquem com suas bolsas família e sua sonegação de impostos. Fakes em todos os sentidos, até no fingir que são capitalistas. Moro aqui e trabalho aqui, então, exijo meus direitos aqui!

    E Soul, me desculpe, este ar romântico do seu post toma um soco no queixo quando confrontado com a realidade do Brasil. O tempo é o Sr. da razão. Se você acha que o Brasil tem diminuido a violência, esta ficando mais fora daqui do que o devido para ter a real medida do que fala. E o que digo são relatos dos vários policiais (amigos e parentes) que eu tenho. Os crimes há muitos anos vem sendo subnotificados, poi o PT conseguiu amedrontar a polícia, desarmar a população, enaltecer o crime em todas as esferas e vitimizar os assassinos menores de 18 anos. Destruiram o país. Um capitão da PM me disse que quando prendem menores com armas, eles saem da cadeia rindo e antes da PM ter mesmo feito o BO na delegacia... Prender para quê? Trocar tiros com bandidos para depois ser incriminado e acusado de abuso de poder? Ser atacado pela Comissão Petista dos Direitos Humanos dos Bandidos?
    Quando se diz que os dados vindos do PT e PSDB (São Paulo) tem credibilidade, realmente não podemos ter uma conversa de bom nível.

    Reconheço um petista disfarçado de algo diferente dos canalhas que eles são de longe... muitos "anon" petralhas por aqui. Quem defende comunismo, socialismo, China, PT e critica quem produz / paga impostos / reclama dos absurdos do nosso país tem o meu asco e mais algumas palavras impublicáveis, pois estou num Blog alheio.

    Vivo no Brasil, não no RJ nem em SP, e a criminalidade na minha região é desesperadora. Os anônimos aí de cima moram no país do PT, onde tudo é rosa, lindo, sem crimes, sem Lula que recebe 4,5 milhões de pagamento de propina ao seu "prostituto LULA". São umas Alices.

    E quanto a China, dou razão em parte a um anon acima: gosto do estilo deles de resolver crimes de corrupção ou de chineses que se opõe ao regime: como são eficazes os tiros na nuca!!! Que lugar lindo! Que liberdade de expressão absurda!

    Quanto a evitar rótulos, quem os coloca é o PT: afro-descendentes, homofobia, feminicídio, racistas, mal-feito (no lugar de roubo), coxinhas, neo-liberais, retrógrados... Ou eu inventei este "rótulos", caro Soul?



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Heavy Metal! As suas mensagens foram bem longas e amplas. Entretanto, em respeito ao seu ato de escrever aqui no meu espaço tentarei me ater a todas elas. Antes de mais nada, você disse que o seu estilo é "reto" (qual o problema com as belas curvas, seja nas obras do nosso maior arquiteto ou nos corpos femininos?:)). Realmente, você foi incisivo nas suas colocações, mas de maneira geral você se ateve aos seus pontos de forma clara, o que é algo importante.

      Colega, antes de tudo, você poderia apontar alguma passagem "romântica" no meu texto?
      Você diz que , baseado em relatos de conhecidos, os relatos de crimes estão subnotificados, e isso se deu porque o PT amedrontou a polícia. Ok. Vamos analisar objetivamente essa sua afirmação.
      A segurança pública é de responsabilidade da União e Estados. A polícia federal há 10-15 anos estava em frangalhos. Salários para lá de defasados, sedes caindo ao pedaço. Lembro uma vez quando adolescente de ter visto a sede da PF em Santos e perguntado para o meu Pai " A PF fica nesse muquifo?". Hoje, a PF não só deu saltos institucionais enormes, como tem um papel muito importante no combate de crimes. Crimes inclusive que podem implicar altos dirigentes do governo. A PF hoje parece ter uma estrutura que funciona de maneira quase que independente das vontades do Ministro da Justiça. Basta olharmos o que está acontecendo na operação Lava Jato. Assim, a sua fala em relação a PF, polícia subordinada ao governo federal (onde o governo e o PT podem ter real influência) não é compatível coma realidade.
      Sobre os Estados. Como o PT pode ter amedrontado estruturas administrativas de alçada estadual? Realmente, eu fiquei na dúvida de como isso poderia funcionar. A União não tem qualquer ingerência, a exceção do DF, sobre a organização administrativa dos Estados.
      Se polícias não estão notificando crimes, principalmente assassinatos, isso também é um crime: crime de prevaricação.
      Como não posso saber se isso é verdade ou não, deixo como dúvida aqui. Entretanto, em plena era digital, com uma imprensa muito mais atuante, parece-me muito mais provável que a subnotificação de crimes se desse na década de 70-80, onde o controle sobre a polícia era muito mais tímido (principalmente, porque ainda não existia a figura de um Ministério Público forte, e que exerce o controle externo da polícia).

      Você como cidadão que paga os seus tributos tem todo o direito sim de lutar pelos seus direitos. Estou contigo e não abro. Somente assim, quando as pessoas tomarem mais consciência dos seus direitos, mas também dos seus deveres (e pagar tributo é apenas um deles, não é o único), a nossa sociedade poderá começar a dar passos para uma vida mais equilibrada.

      Se os dados fornecidos não podem ser analisados, aí realmente fica difícil ter uma conversa objetiva. Nunca se poderá analisar absolutamente nada, e sempre teremos que ficar no achismo das opiniões individuais.

      Sua opinião sobre a China não ficou claro. Tem asco, mas de certa maneira gosta como eles lidam com crimes de corrupção. Apenas para pontuar que a China é uma das civilizações mais antigas da humanidade, ela é muito maior, mais muito mesmo, do que os seus últimos 40-50 anos, e boa parte das pessoas ao não reconhecer isso, em meu sentir, comete um grande erro.

      Afro-descendente é um rótulo neutro, não vejo nada de errado. Homofobia é o ato de alguma maneira exercer qualquer tipo de violência baseado na orientação sexual. Também não vejo problema aqui. Os outros, realmente, são ofensivos (a exceção do neo-liberal é claro). Isso apenas corrobora o meu texto. De um lado uma multidão de surdos grita "coxinha!" do outro lado uma outra multidão de surdos grita "petralha", e a possibilidade de entendimento parece que cada vez vai ficando mais remota. Quando não há nem tentativa de entendimento, de construção de algo melhor com um lado oposto, a única solução possível é o confronto, que geralmente não produz nenhum vencedor.

      Excluir

  13. Minha crítica não é pela simples crítica: é pela realidade que vivo. O Marxismo Cultural corroeu o Brasil, contaminaram até os livros daas escolas públicas. Universitários se importam infinitamente mais com a Marcha da Maconha do que a marcha contra a corrupção. Eu, com o patrimônio que tenho, se fosse egoísta deveria estar aqui escrevendo que o Brasil é uma maravilha... Quem tendo dinheiro acima de 2 milhões (fora patrimônio) de reais, reclama da vida? Simples! Quem tem informação e cultura suficiente para entender a armadilha que vivemos. A ignorância, caro Soul, serve aos imbecis e aos corruptos. Ser um idiota útil é tudo que nosso políticos querem - independente de partido, está claro no meu texto acima.

    Achar que as coisas melhoraram muito nos últimos 8 anos, pelo visto você só conhece ou o Sírio Libanês ou o Albert Einstein. Conhece hospitais públicos? Conhece postos de saúde de periferia? Conhece o sistema de saúde das cidades do interior? Fica a dúvida, pelo seu texto. Falaram aí acima de "morar em cidades do interior... não assistir Datena...". Caro burraldo, Datena quem assiste é gente com o seu QI. Não é meu perfil, prefiro jogar bola com meu filho. E por falar em cidades do interior, o crack tomou conta do interior do meu estado.

    Enquanto os cães ladram, a caravana passa. Enquanto se fazem de cegos e atacam quem coloca o dedo na ferida, o câncer se espalha. Mentir, comigo, não cola. Mas, uns enxergam o copo meio cheio e outros, meio vazio. Pena qua não estamos no meio do copo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conheço vários universitários, eu inclusive já fui um, e não creio que a esmagadora maioria se preocupa mais com a marcha da maconha. Isso é uma generalização, que como todas generalizações desse tipo, quase nunca se sustenta.
      Dinheiro não significa necessariamente bem-estar. Pesquisa após pesquisa mostra conclusivamente que há uma correlação grande entre renda-patrimônio e felicidade-sensação subjetiva de bem-estar até um certo limite. Depois desse limite, que não costuma ser alto, mais dinheiro não significa mais bem-estar necessariamente. Sendo assim, a pessoa pode reclamar da vida com 2M, ou com 50M. A satisfação ou não com a vida irá depender de outros fatores.
      A expressão "idiota útil" é utilizada tanto por todos os lados. Fica difícil saber quem realmente é o idiota. O que eu sei, é que expressões como essas vagas, ambíguas, não servem para construir-se ponte de diálogos, a única forma de solução de conflitos numa democracia.

      Colega, não falei nos últimos 8 anos no texto, mas sim nos últimos 20-30 anos. Negar isso é negar o óbvio. Ou os dados produzidos pela ONU do IDH e coeficiente de gini são também adulterados? Creio que você não argumentaria isso, pois daí seria um pouco demais. Os dados produzidos pelo IBGE também são adulterados? Não parece ser essa a realidade dos fatos.
      Veja, cite dados objetivos sobre mortalidade infantil, desnutrição infantil, miséria extrema, etc.
      Alguma vez no texto eu disse que o nosso sistema de saúde era bom? Se sim, por gentileza aponte, porque eu não me lembro. Algo melhorar não quer dizer que se transformou numa boa coisa.
      O nosso sistema de saúde em alguns lugares é caótico sim. Concordo plenamente. Pela sua fala dá a entender que na década de 80 era melhor, principalmente nas cidades do interior. É isso que você quer dizer? Pois se for, é contrário a centenas e centenas de estatísticas, e, sinceramente, não faz muito sentido.

      O Crack realmente é um problema. O crack também foi um grande problema nos EUA na década de 80. Achavam que ele iria dizimar os EUA, mas não foi o que aconteceu. É uma droga difícil de ser combatida, e acredito que devemos nos esforçar enquanto sociedade para dar soluções mais eficazes ao problema.

      Excluir
  14. Não tenho curva nas palavras, Soul, sou reto. Este papo de dados é uma FURADA. O PT transformou milhões de pessoas em classe média por "decreto" - ou você também acredita em duendes, gnomos e nas palavras do governo de que a classe C virou classe média? Você sabe quando e como se definiu o que é classe média aqui no Brasil, nos últimos anos? Segue o link:

    http://www.sae.gov.br/imprensa/sae-na-midia/governo-define-que-a-classe-media-tem-renda-entre-r-291-e-r-1-019-cidade-verde-em-24-07-2013/

    Sabe que site é este? SAE? É do governo. Vou postar para vc a nova "definição" de classe média do PT:

    "Governo define que a classe média tem renda entre R$ 291 e R$ 1.019

    O governo brasileiro já tem uma nova definição para a classe média brasileira.

    Considerando a renda familiar como critério básico, uma comissão de especialistas formada pela Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) da Presidência da República definiu que a nova classe média é integrada pelos indivíduos que vivem em famílias com renda per capita (somando-se a renda familiar e dividindo-a pelo número de pessoas que compõem a família) entre R$ 291 e R$ 1.019.

    “Quem tiver renda per capita nesse intervalo será considerada classe média”, disse Ricardo Paes de Barros, secretário de Ações Estratégicas da SAE, na noite desta terça-feira, em São Paulo. Segundo ele, a definição de classe média foi finalizada após análises de propostas com mais de 30 alternativas, feitas em quatro reuniões da equipe técnica da secretaria e mais duas da equipe de avaliação.

    Dentro dessa definição, a comissão dividiu a classe média em três grupos: a baixa classe média, composta por pessoas com renda familiar per capita entre R$ 291 e R$ 441, a média classe média, com renda compreendida entre R$ 441 e R$ 641 e a alta classe média, com renda superior a R$ 641 e inferior a R$ 1.019.
    Não é lindo??? O cara com 291,00 reais (um mendigo ganha isso em uma semana, isso se for preguiçoso!) é "baixa classe média"... ganhando de 641,00 reais até 1.019,00 é "alta classe média"!!! Huhuuuuu, alohaaa!!!! Com míseros 1.020,00 reais o cara é CLASSE ALTA. Eu e você somos o que, então? Já sei: bilionários!!!

    E agora? Dados do site do governo, caro Soul. Isso é a mágica que você comprou sem perceber e vendeu no seu post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HM, aqui acho que é onde você comete o maior erro.
      Dizer que os dados são uma "furada" não tem o menor sentido e cabimento. Como saber se os crimes aumentaram ou não em Honduras na década de 90? Ou se o per capta japonês aumentou nos últimos 20 ano? Ou se o Brasil vem melhorando ou piorando nas métricas educacionais em comparação com outros países nos últimos 15 nos?
      Com a devida vênia, só se pode fazer isso com dados. Sem dados, fica-se numa discussão estéril que pode não ter qualquer relação com a realidade.

      De dados você passou para uma temática completamente diferente que é definição de critérios, no caso citado por você definição de critério para saber onde começa a classe média. Desculpe, mas isso não tem nada a ver com a coleta de dados.
      Eu, assim como você, não concordo com essa definição de classe média. Isso é apenas marketing político, como qualquer partido político no mundo faz. Eu prefiro métricas objetivas, como o Piketty, por exemplo, faz no seu livro. Talvez fizesse mais sentido estabelecer o valor a partir de qual se considera classe média utilizando se uma faixa entre os percentil 40 e 60, por exemplo. Seria muito mais objetivo e imune a estratégias de marketing político.

      Colega, eu não comprei absolutamente nada. Eu sou favorável a alternância do poder. A saída do PT depois de 16 anos será salutar. Entretanto, uma coisa é se posicionar, outra é confundir conceitos, não reconhecer dados da realidade, e empacotar tudo isso num bolo só. Além de não ser uma postura "científica", ela fica muito fácil de ser rebatida por um eventual debatedor contrário. Um argumento deve ser feito da maneira que deixe a menor quantidade de furos possível.

      No mais, HV, procurei ser objetivo assim você, sem perder o respeito é claro, até porque em muitos tópicos parecemos concordar.

      Abraço!

      Excluir
  15. Soul, vc é um exemplo, funcionário concursado, culto, possuidor da IF e ainda assim ama seu país. Num post anterior, vc comentou que já poderia morar em qualquer país do mundo, mas prefere ficar aqui, ganhou meu apoio. Seguirei essa sua estratégia.

    Muita gente se considera injustiçada por não poder andar de porsche e ferrari no Rio ou em SP, pois tem medo de assaltos. Essas mesmas pessoas "miscigenadas" gostariam que as praias fossem exclusivas, fechadas para o "povinho" miscigenado...

    Mas existe coerência em se considerar um monte de cocô como o IL? Olha isso é autoestima beeeemmm baixa. É muito ódio criado por mídia manipuladora. Acho que algumas revistas e jornais podem deixar de existir, não o país, ou o capitalismo.

    O irônico disso tudo é que a cada dia mais e mais multis vem parase instalar no Brasil, deve ser por burrice, claro!!! Nossos pequenos empresários e investidores são muito mais inteligentes que os executivos da BMW, da Apple, da Revista Forbes que estão vindo para cá. Se nos EUA o retorno sobre ativos é menor, assim como os salários dos empregados são maiores só um maluco vem ganhar MAIS dinheiro no Brasil. Melhor ganhar MENOS dinheiro na América e ainda falar que odeia tudo aqui.

    Será que todos os futuros emigrantes serão bilionários e felizes morando nos EUA? Trabalhar como peão de obra é tão legal assim na terra do Tio Sam? Deve ter muito aluno do MBA de Harvard querendo carregar carrinho de cimento nas férias....

    Farei minha fortuna aqui, receberei milhões em dividendos numa praia brasileira bem bacana.Se um dia eu me encher de pagar imposto, vou para as Ilhas Cayman ou algum outro paraíso fiscal que tenha sol o ano todo. Mas sempre levarei meu orgulho de ter vencido aqui todas as dificuldades.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu nunca disse o que prefiro colega, pois eu mesmo não sei.
      O dinheiro procura formas de rentabilizar ao máximo dado um certo nível de risco. O dinheiro sempre irá afluir para lugares onde há possibilidade de retornos médios e altos.
      No mais, creio que cada um é livre e deve decidir por si só o que deseja fazer da vida, onde deseja morar, e como deseja se portar em relação aos mais variados desafios.

      Excluir
    2. Soul, realmente não concordamos em tudo. Mas Pikkety é um lixo. Sou capitalista de verdade, trabalhador, pagador de impostos. Pikkety muito mal serviria na minha casa como parte de uma cerca de madeira. É um marxista francês, nada além disso, metido a economista e que quer taxar os ricos e doar aos pobres na MARRA. Não sou culpado pela miséria alheia.

      E sinceramente, quando você diz IBGE... eu tenho mal estar. O IBGE é um APARELHO DO PT, nada que hoje vem dele presta. Consegui o que eu queria, consegui saber o que você pensa. E paro por aqui.

      Seu papo de dados é muito suave, seu discurso é de esquerda. Tenta me fazer passar "educadamente" por alguém pouco informado, que eu "não confio no IBGE" (como se aquilo fosse algo da mais alta confiança). Acho que deveria assumir seu viés, ficaria mais bonito. E é seu direito. Mas, na boa, não vou desperdiçar mais meu tempo e nem o seu. Realmente, vivo em outro país e a realidade que você tenta passar, não existe. Você não conhece nada de saúde pública pelo visto, dizer que em 1980 era X e agora é Y, com dados de um governo corrupto e que maqueia TODAS SUAS FALCATRUAS? Se a saúde melhorou alguma coisa, te garanto que foi por que parte do povo aprendeu a escovar os dentes, não foi com ajuda do governo!

      Reconheço a tentativa de colocar um FRAME de longe, Soul. Um abraço.

      Excluir
    3. HV, vamos relembrar o contexto. Você disse ser tolice acreditar em dados. Depois para corroborar essa linha de argumentação citou a definição do governo central para classe média. Não há qualquer relação entre uma coisa e outra. Dados não se confunde com eventuais classificações que se faz com esses dados. Isso além de lógico é óbvio. Disse que concordava que a definição atual não era boa e nada mais era do que marketing político. Nesse contexto específico, e apenas nesse contexto, citei a forma do Piketty classificar os dados levantados usando termos estatísticos objetivos como percentil e decil e que faria mais sentido para evitar o marketing político. Sendo assim, a sua missiva ficou completamente fora do contexto.
      Desde que você não sugira queimarmos os livros, creio que você pode fazer o que melhor lhe aprouver com o livro (aparentemente você não o leu). Lembro até hoje quando estive na famosa praça de Berlin, na frente da prestigiosa universidade, onde houve aquele famosa parada de queima de livros pelos nazistas. Lembro que havia um poeta que escreveu no século XIX algo como "começa-se queimando livros, termina-se queimando homens". Mal sabia ele que estava sendo profético. Sendo assim, se não sugerir queimar seja qual livro for, está tudo certo.

      IBGE. Já que fala com tanta confiança sobre dados e IBGE vou partir da premissa que esteja a par da polêmica sobre a PNAD contínua. Se o IBGE está totalmente aparelhado e os seus dados não são confiáveis, por que os dados de desemprego são muito maiores na PNAD? Por qual motivo quando o governo tentou atrasar a divulgação dos dados, houve uma gritaria imensa da parte técnica do IBGE, com apoio da imprensa? Se você não conseguir dar respostas objetivas para isso (alegações genéricas podem funcionar em muitos espaços, mas em discussões mais sérias elas não se sustentam depois de dois parágrafos de análise), talvez seja porque o IBGE ainda continua sendo, e assim o é reconhecido por quase todo mundo independente do espectro político, como uma instituição séria.
      Além do mais, se não confia nos dados do IBGE, assumo que você não tenha exposição ao mercado de dívida pública ou privada, com títulos atrelados em incides divulgados pelo próprio IBGE. Seria algo meio contraditório.

      Depende. Eu penso muitas coisas sobre muitos assuntos. O que em particular você descobriu? Colega, é cansativo para mim às vezes, mas parece que sempre tenho que repetir inúmeras vezes. Esses rótulos são usados apenas para tentar simplificar o nosso mundo que é complexo. Isso sim é enviesado. Procuro passar o que eu penso, independente do que isso possa parecer, e qual é a definição do espectro político para aquela opinião em especial.

      Colega, os dados sobre IDH, coeficiente de GINI são compilados pela ONU e a série história remonta há bastante tempo. Você insistentemente tenta ficar falando dos últimos 10-12 anos para de alguma maneira coincidir com o governo do PT. Já disse expressamente que os dados vem melhorando nos últimos 30 anos. Negar isso é negar a realidade. Tudo que você fez foi afirmações genéricas sem qualquer prova de evidência.
      Eu realmente conheço muito pouco de saúde pública. Se as crianças estão mais bem nutridas, se morre menos crianças com menos de um ano, e se isso tudo é devido ao povo escovando os dentes, viva as escovas de dentes. Uma grande externalidade positiva, devendo as empresas envolvidas nesse meio receberem grandes invenções fiscais pelo relevante serviço prestado em saúde pública.

      Abraço, HM! Sem hard feelings amigo, afinal somos todos do metal:)

      Excluir
    4. E obvio que o Brasil melhorou nos ultimos 30 anos isso e natural...O Brasil ( todas as naçoes) melhoraram desde a idade media.Mas o Brasil nao melhorou o qunto deveria melhorar pelo simples fato que o PT e um lixo economicamente falando (de outras formas tbm).
      Eu to igual ao HV, essa defesa de forma obliqua do Pt e do esquerdismo e desnecessaria. E Piketty e um lixo!

      Excluir
    5. O Brasil melhorou nos últimos 30 anos em indicadores econômicos. Por ventura, alguns outros indicadores melhoraram a reboque como queda na taxa da mortalidade, aumento nos serviços básicos (energia e agua) ...
      Quem viveu os anos 80 e o início dos anos 90 sabe como aquela era epoca era dura e cruel, exceto para os sortudos da classe média que viviam intocados em seus lindos bairros onde o pobre chegava apenas para trabalhar como um serviçal... Hoje o pobre está frequentando o mesmo shopping e ainda andando de carro na mesma avenida kkkkkk...

      O país melhorou, pois tinha que melhorar.... Mérito dos governantes que adotaram um receituário economico menos desastroso.

      Excluir
    6. Anônimo,
      Sim, é um fato objetivo. Deveria melhorar mais? Provavelmente. Os últimos anos foram desastrosos do ponto de vista econômico, certamente. Por esses motivos sempre acreditei que a troca de poder, seja qual for o partido, é essencial para manter o equilíbrio numa democracia ainda frágil como a nossa.
      Não faço defesa oblíqua. Quando quero defender algo o faço diretamente. Sempre fui assim até mesmo com superiores hierárquicos, não seria num blog de internet que seria diferente.

      Excluir
  16. Soul, seu blog é o mais bacana da blogosfera, pois alia bom conhecimento em finanças,notadamente em fiis à cultura geral.

    Por favor, continue com as fotos e postagens. Quem tira um tempo para rodar o mundo merece meu aplauso, pois vou fazer o mesmo daqui a poucos anos.


    Abs

    ResponderExcluir
  17. "O nacionalismo é uma doença infantil; é o sarampo da humanidade"
    Albert Einstein

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo. O nacionalismo não leva a coisas positivas, nunca levou. Há uma diferença enorme entre sentir-se conectado às suas origens de por causa das origens procurar formas de dominação e discriminação de outros. Tenho certeza que foi essa última faceta que Einstein se referia. Aliás, ele era um grande humanista e tenho uma profunda admiração por ele.

      Excluir
  18. Na boa, concordo com o metaleiro. Soul, você ou é inocente ou é marxista, suas ideologias são claras - mas tem bobos que não sacam a parada de cara. Seus posts em geral são bons, mas tem muita mensagem nelas que os desavisados podem não enxergar. Aquele post seu da viagem pra Venezuela eu nunca engoli, eu não iria nunca num lugar onde o povo sofre como aquele, uma ditadura escancarada. Passa a idéia de coisas boas apesar do bolivarianismo, passa a idéia de que "nem tudo está tão ruim na Venezuela" e ESTÁS!
    E quando comentou o post do HM acima, falando que chamar negros de "afrodescendente" não tem nada demais. Será? Você chama os alemães que moram aqui de "teutodescendentes"? Os italianos de "italodescendentes"? Duvido. Quando está com amigos chama gay de viado, bicha e de gay, não fala homossexual. Não sejamos hipócritas. Isso é rótulo sim, é tática do tão falado Marxismo Cultural.
    Na boa, leia "Esquerda Caviar". Bate com seu perfil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, minha ascendência é germânica. Meus antepassados não vieram para cá como escravos, felizmente. Nenhum problema em chamar de teutodescedentes, eu particularmente não gostei do nome, mas sinta-se à vontade. Não há qualquer problema em se identificar com as suas origens.
      Homossexual é o termo para pessoas que tem relações sexuais com pessoas do mesmo sexo. Uma língua é dinâmica e possui várias formas de se dizer a mesma coisa, umas mais ofensivas do que as outras. Fique à vontade também para escolher o termo que achar mais apropriado.
      Essa sobre viajar na Venezuela e o meu artigo foi ótima mesmo.

      Você, com essa mensagem, apenas confirma o que eu escrevi no texto. Pouca reflexão, muitos rótulos, muita agressividade, muitos dedos apontados. Uma postura exemplar para as novas gerações:)

      Excluir