segunda-feira, 14 de maio de 2018

"JUROS COMPOSTOS FÍSICOS NEGATIVOS" OU VOCÊ TROCARIA DE LUGAR COM W. BUFFETT?


       Sim ou não? É uma pergunta simples com uma única resposta: sim ou não.  No meu último artigo, um leitor anônimo questionou sobre o fato de W.Buffett não se alimentar aparentemente de forma “correta” e mesmo assim possuir vitalidade aos 90 anos.  Aliás, quem já não recebeu alguma mensagem do tipo “este comeu de tudo, fumou e viveu até os 90 anos feliz, aquele outro, por seu turno, não fumou, não bebeu e morreu de câncer aos 60 anos”.  Mensagens como estas podem ser formas inconscientes de pessoas de alguma maneira referendar hábitos próprios não saudáveis.  Não tenho uma vida saudável, esta outra pessoa também não teve e morreu de velhice e feliz, logo vou continuar do mesmo jeito”.  É natural e intuitivo imaginar que muitas pessoas tentem ver a vida sobre essa perspectiva, para os mais iniciados em vieses cognitivos isso nada mais é do que o velho e conhecido viés de confirmação.

 Prezados leitores, se vocês gostam de finanças, se calculam retornos esperados, deveria ser claro alguns conceitos básicos de estatística. Se uma doença extremamente rara possui a probabilidade de acometer uma pessoa a cada um milhão de indivíduos, então podemos afirmar com certa dose de confiança que é muito improvável que João tenha essa doença, mas é extremamente provável que algumas dezenas de pessoas no Brasil possuam essa doença. Talvez algum João, já que é um nome comum, seja azarado e tenha uma doença tão rada, porém a probabilidade de um João em específico possuir a doença é extremamente baixa, quase negligenciável.  Trivial não é mesmo?

  Sendo assim, mesmo que certos estilos de vida sejam nocivos para uma vida longeva e com qualidade de vida, é possível que em nível populacional indivíduos com péssimos hábitos ainda assim tenham vidas razoavelmente boas, mesmo que se considerarmos que individualmente esses mesmos hábitos levariam a resultados muito ruins para a maioria das pessoas.  W.Buffett e suas diversas coca-cola por dia podem se encaixar nessa explicação, quem sabe. Pode até mesmo que não passe de uma jogada de marketing, e a dieta do grande investidor é controlada por inúmeros experts. Aliás, essa talvez seja a opção mais provável.

   Porém, por qual motivo estou falando tudo isso? A única razão pela qual cito o investidor americano é porque boa parte da audiência deste artigo de alguma maneira tenha o megainvestidor como uma inspiração. Qual não foi a minha surpresa ao ver uma palestra do incrível Peter Attia sobre longevidade com qualidade de vida. Para quem se interessa, e todos deveriam se interessar, é puro ouro. 

A versão de uma hora e quarenta e cinco minutos é mais interessante do que essa que encontrei no You Tube. Se não conhece Peter Attia, ele é um engenheiro que se transformou em médico oncologista que depois se transformou em pesquisador sobre longevidade humana. Ele é brilhante e como gostaria de poder marcar uma consulta de uma ou duas horas com ele apenas para tirar diversas dúvidas que possuo.

    O interessante foi quando ele no minuto 17 do vídeo diz que um paciente seu  é um grande amigo de W. Buffett e confidenciou que o grande investidor, em conversas particulares com amigos, não trata de outro assunto que não seja a sua saúde. Não é o mais novo investimento junto com a 3G? Não é o retorno financeiro das ações da Berkeshire? Aparentemente, não é isso o foco central da atenção do investidor nesse exato momento. Também pudera, se assim o fosse, não faria muito sentido. Uma coisa é o que pessoas públicas aparentam ao público. Para isso leia blogs, jornais, livros de auto-ajuda. Para saber o que se passa na cabeça de uma pessoa de quase 90 anos talvez seja mais indicado ler Dostoiévski ou Eu, Você e a Morte de Ivan Ilitch

   Um minuto depois, Peter Attia pergunta a uma platéia de jovens estudantes do MIT se algum deles trocaria de lugar com W.Buffett. Você trocaria a sua vida atual de estudante sem muito dinheiro com 22 anos para ser um multibilionário de 90 anos reverenciado por presidentes de países ? Ninguém levantou a mão. Peter Attia então complementa que muito provavelmente W.Buffett trocaria de lugar com qualquer um daqueles estudantes, ou talvez com qualquer jovem quebrado financeiramente de vinte e poucos anos.

  Você trocaria de lugar, prezado leitor? Eu com certeza não, em hipótese nenhuma.  Paremos e reflitamos sobre a proposta. Bilhões e bilhões de dólares, bens materiais luxuosos, respeito de pessoas poderosas, não é isso o "grande sonho" de tantos? Não é para isso que tantas pessoas se esforçam, perdem a infância dos seus filhos, e até mesmo a saúde? Mas, por qual motivo quase nenhum jovem estaria disposto a fazer essa troca?

 Não parece óbvio? O tempo é o o que você tem de mais precioso. Tempo de vida com qualidade, sem dor, com cognição preservada, como isso é precioso.  A lição não é nova nem mesmo aqui nesse blog, pois essa temática já foi abordada diversas vezes.

  Portanto, o objetivo primário de qualquer indivíduo deveria ser aumentar a sua qualidade de vida, se com aumento de longevidade ainda melhor.


Cortesia do Dr. Peter Attia



  O gráfico acima é incrível. Simples, mas elegante. No eixovertical há "qualidade de vida" e no eixo horizontal número de anos de vida.  Uma pessoa em média mantém a qualidade de vida até uns 40 anos e depois começa um lento declínio em suas capacidades físicas e mentais até que a partir dos 70 anos o declínio se acentua chegando eventualmente a morte aos 80 anos. 


  Os pequenos declínios, aquele lance de escada que não se sobe mais aos 45 anos, aquela dor aos 52 anos, se acumulam de tal maneira que o declínio de saúde começa a ser acentuado e rápido. Se pararmos para pensar, isso nada mais é do que o efeito composto negativo do tempo sobre o nosso corpo, ou "juros temporais físicos negativos" (minha ideia de nome). Assim como seu patrimônio depois de certos anos de acumulação entra numa curva exponencial de crescimento acelerado, o seu corpo entra em estado de deterioração exponencial acelerada a partir de certa idade.

 O objetivo seria então não apenas tornar a nossa vida mais longa, mas que ela tenha mais qualidade, e que o declínio acentuado aconteça num limite de tempo mais curto. Não seria bom viver até os 95 anos com qualidade física e mental, e morrer de um ataque cardíaco surfando (para quem gosta de surfe)?

 É triste  ver o estilo de vida de tantas pessoas gerando declínios físicos e mentais acentuados aos 45-50 anos. É certo que muitos, mesmo sentando horas e horas por dia, não conseguindo erguer um barra de 90 quilos num exercício como dead lift, comendo açúcar em excesso, com alto grau de estresse, dormindo pouco e mal, ainda preservarão suas habilidades físicas e motoras na quinta e sexta décadas de vida. Porém, muitos outros milhões, a grande maioria, com hábitos semelhantes se "arrastarão" até o final da vida, com dores, inúmeros remédios e sem poder fazer atividades físicas das mais simples. 

 É isso que se quer? Se não o é, se isso na verdade é uma grande tragédia, por que não se fala nisso de forma aberta e franca? Por que esse não é um tema muito mais importante do que qualquer outro, inclusive quem vai ser o novo presidente, ou se a bolsa brasileira vai subir esse ano?

 Quando li uma estatística que mais da metade dos americanos acima de 50 anos possuem duas ou mais doenças crônicas (diabetes, artrite, dores crônicas, câncer, etc), como é que a sociedade americana se atemoriza com ataques terroristas? De um lado dezenas de milhões de pessoas sofrendo e tendo vidas abaixo do seu potencial, em alguns casos bem abaixo, de outro uma média de 5-10 americanos mortos por ano em atos de terrorismo. Como é que algo estatisticamente insignificante (mortes por alergia a amendoim, por exemplo, tira a vida de centenas de americanos por ano, ou seja uma ordem de grandeza acima de atos terroristas) pode ter mais foco do que algo que afeta a maioria dos lares americanos? E isso não é apenas nos EUA, mas no Brasil também, apenas cito o exemplo da América do Norte porque lá há muito mais estatísticas disponíveis de fácil acesso. O que causa essa cegueira individual e coletiva? "O Sistema"? A nossa "pressa" moderna? A nossa falta de reflexão?  O "Engodo" de acreditar que caixão tem gaveta?

São essas reflexões fundamentais que aquele simples gráfico levanta. Se você trocaria de lugar com W.Buffett, tudo o que foi escrito aqui de certa maneira é irrelevante. Continue na sua jornada pela vida. Por outro lado, se a troca não te pareceu vantajosa, convido-o a refletir sobre o que está fazendo com o seu tempo e sua saúde.

Um abraço a todos






44 comentários:

  1. Soul,

    Você pode sim marcar uma consulta com o Peter Attia. Ele atende em Nova York e na Califórnia. Vai ser uma consulta um tanto cara, especialmente em face do custo da passagem para os EUA, mas que é possível, é.

    Só por curiosidade, que tipo de coisa você teria interesse de perguntar para ele? Se é algo relacionado apenas a alimentação, aqui no Brasil temos o Dr. Souto em Porto Alegre, que provavelmente é uma das maiores autoridades em alimentação low carb do país (imagino que você já tenha ouvido falar dele). Já tive o privilégio de consultar com ele há alguns anos atrás, e digo sem medo que valeu a pena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande SwineOne!
      Fiquei meio off, e preciso responder o seu e-mail.
      Sim, ele mora em San Diego e atente também em NY. Claro que é possível, foi uma pergunta retórica:)
      Mas eu realmente gostaria de me consultar com alguém assim.
      Conheço sim. Toda semana ouço o podcast dele. Acho ele brilhante também, mas num outro nível se comparado a Peter Attia. Porém, para Brasil ele é revolucionário. Em Setembro, vou num evento onde ele será palestrante.

      Ah, eu gostaria de perguntar muitas coisas mais técnicas. Como posso fazer um teste da minha microbiota e quem poderia ter capacidade de analisá-la? Perguntas específicas sobre colesterol como LPL-P ou o proxy apolipotreína100B. Como conjurar um teste genético com uma nutrição mais apropriada. O papel do IGF-1, o gráfico de mortalidade por todas as causas é realmente uma curva em J em relação ao IGF-1. Até que ponto o aspecto negativo do aumento do IGF-1 pelo aumento da ingesta proteíca é contrabalanceado pela preservação de massa muscular ao envelhecer.
      Perguntas sobre mTOR, autofagia, e tantos outros. Pode ter certeza que iria me preparar bastante para uma consulta com alguém como ele.

      Será que ainda é fácil e não tão caro uma consulta com o Souto? Seria um enorme prazer e privilégio poder me aconselhar com ele, apesar do foco dele ser mais o tratamento de estados não-otimizados, e não tanto a otimização da saúde.
      Um abraço!

      Excluir
    2. Vejo que realmente você tem dedicado muito tempo para estudar estas questões. Também já li muito a respeito, e pensei que se fossem dúvidas mais simples, talvez pudesse ajudar em algumas, mas claramente você já está bastante avançado no assunto. Em todo caso, a respeito de colesterol, talvez queira ler o livro do dr. Malcolm Kendrick, “The Great Cholesterol Con”, assim como os escritos do Ivor Cummins. Eles me convenceram a fazer um teste de escore de cálcio coronariano, que acabei de fazer hoje cedo. Talvez eu esteja chovendo no molhado aqui, mas se você não conhece, é uma forma de medir diretamente o nível das lesões que levam a doença cardíaca, ao invés de medidas indiretas e possivelmente irrelevantes, como colesterol.

      Quando me consultei com o Dr. Souto, foi em torno do Natal, quando estava de férias na serra gaúcha. Marquei a consulta com alguns meses de antecedência, mas não houve problema para conseguir horário. Não sei hoje, que ele está ainda mais famoso do que era na época. O valor cobrado por ele, eu considerei bastante justo por uma consulta particular com um médico. Ele teria plena condição de cobrar muito mais, mas ele genuinamente parece só estar preocupado em ajudar as pessoas.

      Excluir
    3. Sim, é uma área que vem me fascinado. Não li esse, mas li "O Mito do Colesterol".
      Eu sinceramente não creio que o colesterol seja "irrelevante", mas com certeza é certo que boa parte, e incluo aqui até profissionais de saúde, não fazem ideia do que falam quando se referem a colesterol.
      O simples fato de não saber que LDL-C não tem nada a ver com LDL-P e que o LDL-C é inferido, e que em casos de níveis altos ou baixos de TG (o meu TG por exemplo é 50, e fico espantado de ver que médicos acham normal tudo aquilo abaixo de 150), nem mesmo o LDL-C é confiável.
      Há uma grande palestra do Attia sobre colesterol, sobre divergência entre LDL-C e LDL-P, principalmente em pessoas que possuem ou não um dos cinco fatores da síndrome metabólica (eu ainda bem não possuo nenhum).
      Sim, o cálcio. É extramente interessante que na aterosclerose há colesterol nas placas (se ele precisa ser oxidado, se é o LDL-P que precisa, se precisa haver inflamação crônica, deixemos de lado), mas há também cálcio. Por dezenas de anos demonizaram um dos alimentos mais densamente nutricionais como o ovo por causa do colesterol (sendo que para boa parte das pessoas colesterol da dieta não aumenta o colesterol sérico) e ninguém fala nada do cálcio.
      Ora, combater a osteoporose pode ser uma forma efetiva de combater doenças cardíacas. Deficiências de Magnésio e Vitamina D são associadas com absorção incompleta ou infuficiente de cálcio pelos ossos, por que ninguém fala disso?

      Que interessante? Eu vi que há um exame de Tomografia Computadorizada para ver como está o cálcio em suas artérias. Eu nunca pensei em fazer, pois há muita radiação em TC, ao contrário de Ressonâncias Magnéticas, e como já fiz 2 TC há 8-10 anos atrás, só vou fazer TC se estritamente necessário.
      Alás, impressionante, uma endócrina há poucos meses queria me passar uma TC para averiguar um cisto na adrenal não funcionante. Há 15 anos monitoro esse cisto não funcional, e o faço com US. Eu falei de jeito nenhum vou fazer uma TC, no máximo uma RM, mas não vejo motivo.
      Ela não entendeu porque, e tive que falar da radiação desnecessária. É incrível como temos que ser senhor da nossa saúde.

      Poxa, eu vou ver se ele ainda tem agenda e se atende.

      Um abraço e valeu pelas dicas!

      Excluir
    4. obs: esse exame que você fez foi via TC? Se for outro método sem radiação, gostaria de fazer.
      Você por acaso já fez mineralograma? Eu gostaria de fazer, estou tentando achar algum laboratório que faça na minha cidade.
      Sempre quis saber o meu grau de contaminação por metais pesados.

      Abs

      Excluir
    5. Sim, fiz via tomografia computadorizada, creio que não haja outra forma de fazer.

      Meu cardiologista até me alertou que isso ainda não seria indicado, e que realmente estaria tomando uma dose desnecessária de radiação. Bom, nunca havia feito um exame de tomografia antes, e mesmo de raio-X, foram muito poucos (acho que o último há quase 6 anos, e antes disso, nem me lembro, o único que tenho certeza seria há quase 15 anos atrás). Colocando na balança, considerei que era algo que valia a pena, na medida em que posso confirmar que meu risco cardíaco é baixo, e não precisaria fazer outro exame desses por no mínimo uns 5 anos. Também, mesmo que o escore de cálcio venha alto, parece que o importante é que a progressão seja interrompida. Pelo que entendi, há coágulos instáveis e estáveis, e o que o exame mede são os estáveis. Pode ser que, anteriormente, você tivesse comportamentos nocivos, que levaram a uma série de coágulos instáveis que posteriormente se calcificaram, ficando estáveis. Se você começou a se cuidar, a partir de agora haverá menos coágulos instáveis, que são os precursores dos estáveis. Portanto, num exame futuro, o escore de cálcio crescerá devagar por simplesmente não haver tantos coágulos instáveis novos para se calcificarem. Isto indica que, apesar de um acúmulo de problemas passados, não está havendo uma progressão, o que é o mais importante.

      Nunca tinha ouvido falar sobre mineralograma. Tá aí mais uma coisa para pesquisar...

      Excluir
    6. Bom, se a decisão foi consciente pesando riscos e malefícios, então foi uma decisão acertada. É assim que deveria ser, o médico informando os riscos, benefícios, e o paciente tomando a decisão compartilhada de maneira informada.

      É um exame que detecta pelo seu fio de cabelo a presença de metais pesados e de elementos essenciais. É muito mais preciso do que exames de sangue ou urina.

      Abs!

      Excluir
    7. Swineone,
      Fui dar uma olhada mais a fundo nesses exames.
      Descobri que se pode fazer Ultrassom para ver a espessura das carótidas, e esse exame é muito utilizado em pacientes de risco intermediário, pois quanto mais espessa as artérias pior o risco de derrames. Esse exame é correlacionado com as artérias do coração, logo pode ser utilizado como um proxie para o escore de cálcio que você fez usando TM.
      Grato pelo insight, pois me fez ver que posso ter um exame fácil e sem qualquer contraindicação para ver se há indícios ou não de problemas como arteroesclerose em mim.

      Um abraço!

      Excluir
    8. Evitar TC sempre é uma boa. Aumenta em 7 vezes o risco de neoplasia. No caso de Swineone não seria mais interessante apenas tomar as medidas preventivas como se fosse um paciente de risco? Afinal os mesmos fatores que aumentam o risco de doença coronariana geralmente estão associados a outras doenças degenerativas que não podem ter seu risco quantificado por nenhum exame ( com Alzheimer ou neoplasias).
      E realmente a avaliação de espessura de intima das arterias carótidas serve como um substituto para a tc de carótidas. Uma TC tem como principal vantagem poupar o paciente de um cateterismo, que tem mais radiação e mais contraste radiológico. Em pacientes assintomáticos acho um custo e um risco desnecessários

      Sardinhaanonima

      Excluir
    9. Temos que tomar muito cuidado com muitos exames.
      As vezes vc pode fazer o diagnóstico mais cedo e não tem intervenção efetiva - so vai descobrir mais cedo e viver com isso na cabeca.
      Pode ter o diagnóstico mas a terapia tem riscos elevados. Se você fizer tomografia de rotina em fumantws pesados vai achar muitos nódulos suspeitos, fazer mais biópsias e conseguir fazer mais diagnóstico de câncer de pulmao, mas muitos terão efeitos colaterais pelo número necessário de biópsias, levando no final a um desfecho pior.
      Auto exame de mama foi retirado por só deixar aa mulheres mais estressadas, mais biópsias e sem beneficio.
      Exame de toque retal para screening pode fazer mais diagnoaticos precoce, levando a mais cirurgias e mais homens com incontinência e impoymtente. Esse exame não é mais preconizado pelas maioria das sociedades medicas ( a urologia recomenda)
      Para tratamento uma coisa legal de analisar e o nnt e nnh

      Excluir
    10. Risco de ficar a vida toda procurando elixir da vida.
      Perder a vida toda procurando doenca.
      E pode achar uma que não irá te matar. E poderá te te angustiar.
      Ou você pode estar no extremo da curva normal.
      Estaristicamente todo exame é falho . Se fizer muitos exames maior a chance de ter algum errado até pelo método. Se for operador dependete pior.

      Excluir
    11. Colegas,
      Eu acho a prática de fazer exames essenciais para saber como a pessoa está, e se necessário for fazer mudanças para tentar otimizar ou até mesmo atenuar possíveis problemas.
      Exames como TC concordo que devem ser feitos apenas quando há uma indicação clara. Porém, outros, que geralmente não são indicados, é quase inacreditável que não sejam recomendados.
      Médicos quase nunca pedem para medir a insulina basal. Um teste de reação de insulina junto com uma glicemia de jejum eu nunca vi ninguém nem falar a respeito, e é um dos primeiros indicativos para mostrar algum grau de resistência a insulina.Ora, tem que fazer exames desses, principalmente se a pessoa tem uma vida padrão de cidade grande e se alimenta de pão, macarrão, etc.
      Sobre outros tipos de screening, creio que depende. O PSA, por exemplo, não é recomendado para pessoas acima de 75 anos, realmente é um exame sensível se detecta câncer em estágios iniciais e um tratamento com radioterapia pode trazer efeitos colaterais como incontinência que mais atrapalham do que o próprio câncer.
      É preciso ter bom senso. Talvez para boa parte da população seja melhor seguir as diretrizes cegamente, porém para quem quer tomar conta de sua saúde e otimizar a sua vida é necessário experimentação e monitoramento.
      E não se trata de buscar o "elixir da vida" é apenas racionalidade mesmo.
      Um abraço!

      Excluir
  2. Olá Soul.

    Parabéns pelo post.
    Eu acho que o Warren B. faz essa coisa ( de beber coca-cola) é jogada de marketing também.
    O seu amigo Charles T. Munger tem 94 anos e está bem também. Acho que esses caras cuidam muito da saúde.

    Hoje eu vejo muita gente gorda no Brasil. Nos anos 90 era difícil ver um gordo.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, o Munger tem 94 anos? Caramba, muito massa que ainda tenha paciência e força física para fazer aquelas conferências da Berkeshire de várias horas.

      É verdade meu amigo. A obesidade, e o aumento da síndrome metabólica, é simplesmente assustador. Estava em Santos, e parei numa rua qualquer, numa esquina qualquer, e sem brincadeira de umas 40 pessoas que olhei, umas 35 estavam acima do peso, e umas 15 claramente caminhando a passos largos para obesidade.

      Creio que a obesidade é um assunto complexo. Envolve muitos aspectos, e tratá-la apenas como algo relacionado a "força de vontade individual" um erro que está custando caro.

      Um abraço!

      Excluir
  3. Que texto! Só trocaria o termo qualidade de vida por vida de qualidade. A vida que deve ser de qualidade, faz toda a diferença quando o foco está na vida.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Sequoia.
      Hum, não estou conseguindo ver tanta diferença com a inversão do termo. O que você observa de diferente?
      Abs

      Excluir
    2. Soul, a critica é relativa ao entendimento de mercado de "qualidade de vida". Aquela que pode ser medida com bens materiais. Se o uma população tem mais tv per capita ela tem maior qualidade de vida. A vida de qualidade é muito mais que isso, cada vida é diferente, cada momento da vida é inédito, como padronizar a tal "qualidade de vida"?. Então, vida de qualidade seria uma vida reconhecendo o que realmente importa, que é a vida como ela é. Seria qualidade de vida uma pessoa trabalhar 14 horas por dia para que uma vez por ano possa ir à Disney? Essas coisas, sabe?

      Abraço

      Excluir
    3. Ah, entendi o seu ponto, e o acho válido.
      Como Peter Attia eu entendo que a descrição de qualidade de vida relacionada a longevidade seria: ausência de dores crônicas, mobilidade física, capacidades cognitivas intactas, vida em comunidade, sentido de vida e o sentimento de pertencer a algo maior do que a si mesmo.
      Creio que esses bons parâmetros para uma vida de qualidade ou qualidade de vida (você escolhe o termo:) )

      Abs!

      Excluir
  4. Soul, o segredo das coisas está nas mitocondrias e o composto MitoQ10 é a chave.
    Além da coenzima Q 10, o ácido alfa-lipóico, o selênio, o vanádio e o licopeno sõa também importantes.
    Saúde!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      As mitocôndrias é um dos meus próximos tópicos de estudo.
      Com certeza há muitas coisas excepcionais acontecendo lá. E eu gostaria de entender nem que seja o básico.
      Um abs!

      Excluir
  5. as pessoas só se preocupam com os problemas que gritam e a morte silenciosa segue em frente.

    no momento estou tentando seguir a dieta da mente:
    http://acervoscantales.blogspot.com.br/2018/04/livro-dieta-da-mente-surpreendente.html

    abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Scant!
      Eu já li este livro e tenho outro do David Perlmutter. Há coisas boas, mas é preciso ter um certo cuidado com algumas afirmações peremptórias feitas pelo escritor sobre alguns temas que estão longe de apresentar evidências sólidas.

      Um abs!


      Excluir
  6. Soul, belo post! Muito interessante a reflexão proposta... realmente, eu não gostaria de trocar de lugar com ele.

    Comento pouco aqui, mas leio todos os posts! Confesso que sua capacidade de gerar textos "fora da caixinha" me fascina. É uma verdade inspiração... pois lendo seus textos (e os comentários), percebemos o quanto somos ignorantes frentes aos assuntos que nos afetam (como saúde e qualidade de vida).

    Grande abraço, no aguardo do e-book;

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Pobre Japa.
      Poxa, obrigado pelas gentis palavras. Grato mesmo. Fico feliz que meus textos possam ajudá-lo a refletir sobre diversas questões.

      um abraço!

      Excluir
  7. Boa noite. Também estou fazendo uma bateria de exames, mesmo com apenas 29 anos. MAs desconheço esses termos técnicos nas suas respostas. Você já leu algo sobre o uso de antidepressivos?Pois comecei a tomar recentemente...Bem que você podia detalhar sua dieta para eu ter uma base, em um próximo post, acredito que isso seja a base de tudo e essas questões que estão sendo estudadas por você. Abç!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      A depressão é algo muito sério e infelizmente ainda muito "mal visto" por alguns setores da sociedade.
      Eu não sou nenhum especialista, então não seria prudente da minha parte dizer alguma coisa sobre dieta.
      Além do mais, há alguns estudos associando dieta com doenças psiquiátricas, mas não creio que isso esteja consolidado, longe disso.
      Um autor excepcional que trata sobre depressão é o Andrew Soloman. Procure vídeos dele no you tube, eu quase sempre me emociono com suas palestras. Ele fala de uma forma tão potente sobre temas que quase ninguém quer falar ou simplesmente ignora: suicídio, depressão, crianças com má-formação, etc, etc.

      No mais, creio que encontrar alguma atividade que produza algo (pode ser dar aula, construir, qualquer cosia) e te ocupe seja uma boa forma de tentar trabalhar com problemas de depressão, mas um aconselhamento de um profissional na área é muito bem-vindo.

      Um abraço e melhoras

      Excluir
  8. No Brasil, preocupação com saúde é o que menos importa.
    Primeiro é preciso rezar para não morrer baleado ou por acidente de carro.
    Depois vem a genética, você pode cuidar o máximo que puder da saúde mas se tiver uma pré-disposição para câncer ou outras coisas, já era. Vai morrer cedo mesmo comendo saladinha.
    Aí se o cidadão escapar de tudo isso, é que a dietinha dele pode surtir algum efeito.
    Tô com Warren Buffett: x-burger e Coca-Cola rumo aos 100 anos e de preferência com muito dinheiro como ele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      a) Se você não é negro, jovem e tem alguma relação com tráfico de entorpecentes, e se você é branco, classe média e passou dos 40 anos, o índice de mortes por 100 mil habitantes despenca. Acidentes de carro sim. Se você utiliza muito o carro para viagens e se gosta de acelerar você aumenta a sua chance de morte acidental.
      Recomendo que você use a prudência, a oração tem os seus benefícios mentais e físicos, mas não creio que irá te proteger de um acidente de carro se você conduzir de maneira inapropriada ou com equipamentos de segurança básicos comprometidos.

      b) Releia os primeiros parágrafos. Creio que a sua interpretação de texto não foi acurada. Tente o parágrafo onde falo sobre conceitos básicos de estatística. A sua assertiva sobre genética não é acurada, longe disso. Onde em dia já se sabe que fatores ambientais podem modular a expressão genética, a esse novo ramo do conhecimento chama-se epigenética. Sendo assim, ter uma determinada configuração gênica não é necessariamente uma sentença inexorável de uma determinada doença, principalmente as doenças crônicas.
      Um exemplo é o gene APOE que é o responsável pela produção da apoliproteína E. Há três versões desse gene : 2, 3 e 4. Há dois alelos. Quem possui apenas um alelo 4 tem um risco muito aumentado de desenvolver Alzeheimer. Quem é azarado e possui dois alelos 4, ou seja APOE 4,4 tem um risco aumentado em quase 15 vezes.
      Porém, mesmo quem possui dois alelos 4 não irá necessariamente desenvolver AZ, dando a entender que efeitos ambientais podem alterar não só a expressão gênica, mas como o próprio metabolismo molecular.

      c) Salada é importante fonte de fibras, fitonutirientes, vitaminas, etc. Recomendo a sua ingestão. Siga como você acha melhor com sua dieta e estilo de vida.

      Um abraço!

      Excluir
    2. Olá Soul.
      Que bela maneira de responder um comentário tão pouco produtivo e mal embasado do anonimo, sua resposta foi rica em conteúdo, seus posts sempre me agregam informações valiosas, te considero um excelente curador de conteúdo.
      Um excelente dia para você meu amigo!

      Abraço

      Excluir
  9. Excelente post, Soul,

    Buffet e Munger chegaram tão longe na vida por vários fatores, mas também por manterem a cabeça funcionando.

    É realmente um assunto complexo e cheio de nuâncias saber adequar a profissão e produção de riqueza individual que cada um deve criar para se manter com uma vida de qualidade, que traga satisfação nos demais âmbitos.

    Abçs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, I.Internacional!
      Sim, com certeza. É multifatorial, como uma vez já conversamos sobre whatspp.
      Não tenho dúvida que a sede por conhecimento e por fazer cada vez melhor que aparentemente o Munger e o W.Buffett possuem é uma ferramenta extraordinária de bem-estar, satisfação e muito provavelmente de envelhecimento mais saudável.

      Grato pelo comentário, um abraço!

      Excluir
  10. Fala Soul, se você tiver a oportunidade, leia Snowball. É uma biografia bem completa do Buffett. Não é nem de longe o mais importante da obra, mas uma coisa que é tratada por lá é a tal da "dieta", e o fato de que ela vem de bem longe, não é nem sequer uma excentricidade que ele desenvolveu depois de velho. Acredito que a alimentação deve tender o máximo possível para o lado saudável, mas se você gosta muito de alimentos "ruins", você não deveria se privar deles por longos períodos. Talvez 90% das refeições em uma semana saudáveis e 10% com coisas não tão saudáveis mas que você gosta muito. Foco obsessivo em hábitos saudáveis pode não ser tão ruim quanto fumar ou seguir a dieta do Buffett, mas não consigo ver como isso seria melhor do que seguir um estilo de vida equilibrado. Respondendo sua pergunta, não trocaria de lugar com ele, e isso inclui inclusive o Buffett mais novo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Investidor Nômade,
      É isso mesmo. Há pessoas que focam exageradamente em algo e no processo acabam perdendo a noção do todo.
      Com certeza. Se você gosta de sorvete, e não tem nenhum problema como diabetes ou resistência insulínica muito elevada, tome um belo de um sorvete todo sábado ou domingo. Se fizer isso junto com a família num belo momento de união com pessoas que gosta, melhor ainda. Tenho certeza que é um ato que irá fazer muito bem para a saúde geral da pessoa, independente da qualidade do alimento.
      O que acho incrível é que podemos levar uma vida com hábitos mais saudáveis sem necessariamente nos privarmos de coisas que gostamos.
      A arte do equilíbrio e do bom senso ainda é central para uma boa vida. Se você, junto com equilíbrio, adicionar conhecimento sobre aspectos de otimização de vida, creio que estará num caminho melhor para uma vida ainda melhor, com mais energia e mais produtividade.

      Um abraço colega

      Excluir
  11. Espero que encontrem uma cura pra artrite, tive lesões sérias nos dois joelhos e isso aumenta as chances de desenvolver a doença. Recentemente descobri um pequeno refluxo no coração o cardiologista disse que no momento não é nada, mas tenho que acompanhar pra ver se não esta aumentando.
    Até pouco tempo atras minha principal preocupação era dinheiro, mas, estou chegando aos 40 e venho me preocupando cada vez mais com a saúde e qualidade de vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, colega, duas leões nos joelhos com menos de 40 anos?
      Joelhos e ombros são complicados mesmo.
      Um abs

      Excluir
  12. Olá. O que você acha sobre a cirurgia bariátrica. Tens alguma opiniao?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Eu não sou médico, então fica difícil analisar o que eu acho ou deixo de achar de um procedimento cirúrgico.
      Porém, esse é um ato extremo. Se a pessoa tentou estratégias alimentares de perda de peso e não deu certo, ou se é um caso muito grave, creio que aí pode ser um caso a se considerar.
      Agora, se a pessoa ainda não tentou nenhum protocolo como cetogênica ou low carb, que são reconhecidas formas de perda de peso para boa parte das pessoas, eu tentaria primeiramente uma intervenção dietética.
      Abs

      Excluir
    2. Não sou o Soul, mas deixo minha opinião do mesmo jeito. Eu jamais faria isso, sabendo o tipo de resultado que dá pra obter em dieta low carb/cetogênica aliada a jejum intermitente. Toda cirurgia tem seus riscos, e sem contar que você fica com problemas de absorção de nutrientes pelo resto da vida.

      Agora, para quem acha que essas dietas são "da moda" e quer se basear nas diretrizes vigentes comendo macarrão integral, pão 7 grãos, granola, quinoa, iogurte desnatado, etc., o melhor é fazer a cirurgia bariátrica mesmo.

      Excluir
  13. Soul, você está me fazendo repensar um pouco sobre minha alimentação e sobre a ausência de atividades físicas relevantes na minha vida.
    Seria interessante que um dia você compartilhasse como é sua alimentação no dia-a-dia.
    É um pouco mais complicado controlar a alimentação quando não somos nós que a preparamos. No meu caso, eu tenho alimentação oferecida pela empresa, mas vou procurar focar em me alimentar bem no período da noite, com frutas,legumes e verduras, pois a alimentação da noite depende só de mim.
    Preciso também inserir atividades físicas na minha vida. De atividade física a única coisa que tenho tido ânimo atualmente é andar pelo menos uns 40 minutos por dia pela vizinhança. Tenho uma preguiça terrível, eu chego em casa estafado e não tenho muita vontade de realizar mais uma atividade no dia que não me dá prazer nenhum.
    Sei que preciso mudar e encarar alimentação boa e atividade física como mais um investimento na minha vida!
    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      Realmente, não ter controle sobre o preparo da comida é um complicador. Posso me dar a este luxo, pois tenho bastante tempo e porque minha mulher cozinha e foca em comida "de verdade".

      Verduras e legumes, ótimo. Legumes são feijão, ervilha, lentilhas grão de bico, algumas pessoas não sabem disso. Fruta coma com moderação. Não abuse de sucos de fruta.

      Exercício é fundamental. Exercício de força mais fundamental ainda. Andar é bom, muito bom, mas não substitui exercício de força e resistência.

      É o maior investimento da sua vida.


      Um abs

      Excluir
  14. Não trocaria, mas dizer que em nenhuma hipótese é exagero, se pudesse prever que o corpo dele (porque a mente seria minha?) viveria por mais tempo e com mais saúde que eu meu, eu trocaria!

    O que torna instigante a questão é imaginar que ele irá morrer bem antes, mas muitos jovens morrem cedo, inclusive com doenças graves, como câncer, muitas já manifestadas, aí a troca seria duplamente vantajosa... hehehe

    Excelente texto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      Vai que ele viva até os 130 anos né?
      Um abs!

      Excluir