quinta-feira, 14 de novembro de 2019

SITUAÇÃO FINANCEIRA ATUAL


Olá, colegas. Como estão os meus empreendimentos financeiros? É sobre isso que se trata o presente artigo.

VÍCIO

Tinha decidido no começo do ano a não mais comprar imóveis em leilão. Porém, nos últimos dois meses tive uma recaída e comprei dois imóveis. Um deles já assumi a posse, estava todo detonado, como nunca tinha pegado um antes, mas já está reformado. Pensei que tinha feito um mal negócio, mas é crível que me retorne uns 100 mil de lucro líquido, com uma rentabilidade de uns 30-35%. Se isso ocorrer em até 10 meses, seriam 30-35% ao ano, com uma taxa de juros de 4-5% é um excelente retorno, apesar do retorno absoluto não ser tão alto.

    Estou com o dedo coçando para comprar mais alguns. Como consegui vender vários imóveis esse ano, isso deu certo espaço de liquidez e ativo imobilizado, mas envolve certo trabalho, e preciso sopesar em relação às minhas outras atividades, especialmente a de ser pai. Além do mais o retorno absoluto precisa compensar e não apenas a rentabilidade. Melhor um leilão que me retorne 400 mil com 25% de rentabilidade, do que quatro leilões com cada um a 100 mil e 40% de rentabilidade. Enfim, preciso refletir mais a respeito.

     Aparentemente, desenvolvi um certo "vício" nessa atividade. Pessoas tem os mais variados tipos de vícios, esse parece ser um meu. Não falo no sentido de contar vantagem, pois realmente preciso achar o equilíbrio, e se dedicar tempo a isso faz sentido na minha atual condição, já que o que tenho de mais precioso é o meu tempo com saúde nesse mundo.


CONSTRUTOR-INVESTIDOR

Há um ano tinha comprado um belíssimo terreno num bairro chique de uma grande cidade aqui do sul. Coloquei à venda, teve uma proposta que retornaria algo em torno de 60% em um ano, mas resolvi fazer 3 casas de luxo, e aumentar o meu retorno absoluto significativamente. Um VGV estimado de 4.5m. No começo pensei em pegar permuta do terreno por área construída, mas depois de ponderar, resolvi ser o investidor total da obra. Fiz um contrato com vários gatilhos de incentivo financeiro para a construtora: quanto mais eu ganho, mais eles ganham, quanto mais economizam na obra, mais eles ganham. Espero que dê certo. Se vender enquanto a construção estiver em andamento (previsão de 12 meses), aí o retorno será muito alto mesmo, pois se construirá com o dinheiro dos outros.

O projeto ficou bonito
É inovador no bairro, espero que venda ainda na construção

O ADVOGADO

No começo desse ano, falei sobre um revés jurídico de um imóvel que comprei em leilão. Pois bem. Passaram-se 10 meses nada foi resolvido. Porém, foi marcado o julgamento do recurso que estava travando a minha posse. Peguei então um avião de várias horas, o grande amigo Viver de Renda me deu pouso em sua casa, e fiz sustentação oral no meu processo. Nunca tinha feito sustentação oral num Tribunal. Trabalhei bastante, pensei que estava tudo perdido, mas acabei convencendo duas desembargadoras, e por 2 votos a 1 o recurso da parte contrária foi desprovido. 

   É um pouco técnico, mas vou tentar explicar. Quando se compra um imóvel em leilão extrajudicial e não é possível um acordo para desocupação, é preciso ajuizar uma ação pedindo a posse do imóvel. Nessa ação o juiz não deveria analisar se o leilão foi legal ou não, mas foi exatamente isso que um desembargador fez ao impedir a minha posse. Qual é o problema? O problema é que a licitude ou não do leilão deve ser questionada pelo antigo devedor numa ação autônoma de anulação. Por qual motivo? Se não se dá a posse para o adquirente na ação de imissão de posse com base na ilegalidade do leilão, a matrícula do imóvel não será modificada, e quem comprou o imóvel continuará proprietário do bem, mas sem direito à posse. Uma ação anulatória serve para anular o leilão , e por via de consequência, a transferência na matrícula imobiliária. 

    Se eu perdesse esse recurso, poderia ficar num limbo jurídico, onde eu continuaria o proprietário, mas não teria a posse, e nesse caso eu precisaria construir uma tese jurídica para dizer que sofri evicção não da propriedade, mas apenas da posse do imóvel, para pedir indenização do banco que me vendeu em leilão. A situação era esdrúxula. Por isso, fiquei feliz ao resolver essa questão. Quer dizer que encerrou-se a discussão? Não, o antigo devedor ainda pode ajuizar agora uma ação anulatória e tentar anular, mas daí ao menos o Banco será também chamado, e ao menos daqui alguns anos eu reaveria o meu dinheiro. Complicado né? Sim, pode ser complicado, e o meu livro trataria exatamente dessas situações. Ainda bem que isso aconteceu comigo depois de dezenas de sucesso, imagina se fosse o primeiro caso, ou se eu dependesse desse dinheiro?

Para complicar ainda mais, quando o acórdão (decisão do tribunal) foi publicado no diário oficial apareceu que eu tinha perdido e não ganho o recurso, num erro material. Soube disso quando estava no aeroporto voltando. Lá vai eu fazer novos recursos, gastar dinheiro com advogado local,  mais alguns meses de indefinição, um verdadeiro tormento.

        E, acreditem se quiser, eu ofereci ao antigo devedor 200 mil de acordo alguns meses atrás. Um dia fui dormir pensando nesse caso, e pensei comigo mesmo que não fazia sentido algo que não me faz falta causar transtornos e atrapalhar o meu sono, interferindo no bem-estar e saúde. No outro dia, mandei mensagem para o advogado do ocupante, dizendo que colocaríamos a venda o imóvel, eu apenas queria o meu dinheiro de volta, e mais um pouco para cobrir a inflação, o resto era do cliente dele. Não foi aceito. Depois de ganhar o recurso, ofereci 50 mil. Também fui ignorado. Nunca passei por isso, mas enfim, já tirei da minha cabeça. Coloquei que perdi todo o dinheiro desse leilão, e ainda acrescentei mais 70 mil de prejuízos com condomínios. Logo, se eu apenas reaver o meu dinheiro, já estarei bem contente e meu patrimônio subirá.

Por outro lado, outras demandas que eu tinha num Judiciário Estadual que conheço melhor resolveram-se em questão de meses. Num desses casos, logo depois de eu ter o revés no caso narrado, aconteceu a mesma coisa em outro caso. A diferença é que em um dia eu consegui uma liminar favorável no Tribunal local. Era exatamente o mesmíssimo tipo de situação, mas esse Tribunal já tinha experiência e vários precedentes nessa matéria, e por isso resolvi em um dia um desembargador me deu uma liminar. Vivendo e aprendendo.

IMÓVEIS PARA DELEITE PESSOAL

Comprei duas cotas de uso no empreendimento SURFLAND. Foi a primeira vez que comprei um imóvel, tirando o que moro, para puro deleite. Será um resort cinco estrelas com uma onda incrível, primeiro empreendimento desses no mundo. E ainda perto de casa em Garopaba. Minha filha com certeza irá aproveitar bastante.

Essa vai ser a onda. Vou ter direito de uso de 4 semanas por ano num resortão com uma onda de qualidade internacional. Vai ser bem legal.


START UP

Investi numa startup final do ano passado. Tecnologia. A coisa vai indo bem. Já faturou-se algo próximo de um milhão. A empresa está se tornando cada vez mais robusta, vários contratos novos sendo assinados, e já pensamos em abrir para captação de dinheiro de investidores para a empresa dar um grande salto. Tenho esperanças que em 3-4 anos a empresa possa valer os seus 50-60 milhões.  Ou talvez não vai valer nada, empresa de tecnologia é assim mesmo. Foi uma aposta calculada e o investimento não foi tão alto, então tudo que vier daqui será lucro.

INVESTIMENTOS

A parte líquida do meu patrimônio está tudo em renda fixa, pós-fixada, com liquidez imediata. Cada vez menos acompanho o mundo financeiro. Eu nem sabia quanto estava a SELIC, e nem sei quanto está dando de rendimento os meus investimentos. Sei apenas que o mundo está cada vez mais com focos de tensão política e econômica por todos os lados. Sem falar em nosso país que é pródigo em instabilidade . Assim, eu não tenho receios de juros baixos por alguns anos, e prefiro estar líquido. Posso estar errado? Claro que posso. Porém, se nos próximos 5-7 anos, o que é um período longo, acontecer uma grande instabilidade, estarei pronto para aproveitar. O meu horizonte é de 40-50 anos (se conseguir me manter vivo por esse tempo), logo realmente rentabilidades fracas de alguns anos não me assustam ou preocupam.

  Abraço a todos.

obs: foi um grande prazer conhecer o Viver de Renda e ficar alguns dias hospedado na casa dele. Tomamos cerveja artesanal de Blumenau, comemos pizza, fomos a restaurante japonês e conversamos bastante. Temos opiniões divergentes sobre vários pontos, mas foi extremamente agradável poder conversar com ele pessoalmente. Um grande abraço meu amigo

46 comentários:

  1. Vale aquela máxima: ganha dinheiro quem tem dinheiro.
    Eu tenho um colega no trabalho que ficou bem de vida construindo casa pra vender. Mesmo na crise ele não parou de comprar lotes no litoral e construía as casas. Segundo ele o que caiu foi a margem de lucro, antes uma casa que gastava 400k e vendia a 900k, passou a vender por 700k.
    Fez isso por mais de 20 anos, se aposentou esse ano.
    Há diversas de formas de ganhar dinheiro, de obter uma alta rentabilidade. O mercado financeiro é um bom lugar pra 2 coisas, turbinar a poupança e aplicar quando o patrimônio já é alto e o mercado está em baixa, para receber gordos dividendos.
    Parabéns pelos seus resultados. Graças a seu blog comecei a aplicar em fii's em 2015 e tive um excelente resultado.
    Leilão de imóveis não é para mim. O que tenho aplicado não chega a 500k e jamais aplicaria tudo numa única operação, mas de qualquer forma fico curioso pra ler seu livro. Todo conhecimento é válido e modelos mentais e formas de pensar podem ser aplicadas a outras situações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      Com certeza, construção é um grande filão. Não é algo que quero me meter, só o fiz, pois já tinha o terreno e vislumbrei que esse tipo de construção cairia como uma luva na rua em questão. A rua tem casas de 2.5-3m, eu vou proporcionar uma casa de alto padrão num condomínio pequeno por 50-60% desse valor, o que com certeza poderá pegar um público potencial muito maior.
      Um abs!

      obs: modelos mentais diversos são uma ferramenta poderosa para navegarmos nessa vida

      Excluir
  2. Soul foi ate engraçado ouvir de um ex-procurador federal não ter feito nunca uma sustentação oral em um tribunal, fico impressionado com sua inteligência e o seu lado empreendedor que mesmo podendo ficar com as pernas pra cima você tem ganhando sua grana e feito a vida de algumas pessoas melhor(como por exemplo os funcionários da sua construção). Incrível como dinheiro atrai mais dinheiro e você tem conquistado isso legalmente. Parabens, voce e um exemplo para toda a blogosfera, espero um dia poder ter uma aula contigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Marco.
      Obrigado pelos elogios, mas não sei se mereço. Preciso ainda evoluir muito como ser humano.
      Agora, uma coisa é fato: dinheiro acumulado faz com que seja mais fácil ganhar mais dinheiro. Esse é um dos motivos que desencanei de taxa segura de retirada.
      Tenha dinheiro acumulado, seja frugal, gaste com coisas que adicione valor, saiba viver com pouco, aproveite os momentos de luxo quando eles ocorrem, e a independência financeira é muito mais simples do que eu achava alguns anos atrás.
      Um abs

      Excluir
  3. ÉÉÉ Soul, se eu te conto as minhas andanças nos Tribunais, você não acreditaria. Tudo que é possível dar errado na AF, deu comigo. Aprendi na marra (e isso, sempre com diálogo com o fiduciante....). Aos que desejam leilão, acreditem, não contem com o dinheiro, ao menos, por dois anos. Se voltar nesse tempo, já foi um bom negócio.
    Sempre bom quando você posta algo novo.
    Abraço do black belt aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eita meu amigo, tá enrolado ainda??
      Primeiramente, como você está???
      Rapaz, descobri que um bi campeão mundial de Jiu dá aula na minha rua mesmo, ele treinava o Vanderlei Silva. Chamou-me para fazer umas aulas, estou querendo fazer umas aulas de Jiu.
      Sobre leilões, é isso aí. Eu tive muita sorte no início. O primeiro leilão mesmo. Intimação por edital, vícios que poderiam ser levantados, mas fiz um acordo de meros R$ 4.000,00, consegui tomar posse em 3 semanas, aluguei na temporada e ainda vendi 3 meses depois. A vida é uma mistura de preparo, ousadia, risco, sorte.
      Porém, pode ter certeza que você está com "casca grossa" em leilões hehe
      Abraço!

      Excluir
  4. Parabéns pelo post e blog! Excelente conteúdo e toda vez que leio a frase de alguém dizendo "nem sabia quando estava a SELIC" me sinto inspirado a atingir esse nível de tranquilidade financeira. Sempre digo que a verdadeira independência e tranquilidade financeira vem junto com o desapego por questões que se tornam menores e insignificantes (como rentabilidade) uma vez que seu patrimônio é tão grande e diversificado que não vale o esforço/energia/tempo ficar acompanhando minúcias.. uma fonte de inspiração, espero um dia chegar lá, obrigado por compartilhar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Veja, eu não menosprezo o custo básico da economia, o custo de oportunidade fundamental. É que realmente eu não sabia. Com uma filha pequena, e estando muito mais focado em estudar nutrição-saúde, eu realmente não dou tanto foco como antigamente.
      Eu acredito que a rentabilidade é bem importante, eu apenas não me importo tanto com a rentabilidade atual, e sempre que revejo os meus números de patrimônio dos meus diversos empreendimentos, o que faço a cada 2-3 meses, o número sempre está maior. Então se estou pagando minhas contas e o patrimônio crescendo, minhas preocupações e objetivos principais da vida necessariamente devem ser outros.

      Um abs!

      Excluir
  5. Qual é a previsão para o livro? Não sei se entraria nesse negócio de leilões, mas compraria para obter mais conhecimento.

    Abrs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega. Eu tinha desistido. Aí dois meses atrás um leitor mandou um e-mail, e eu me animei. Comecei a revisar todo o livro, revisei umas 250 páginas em duas semanas, mas outras coisas foram entrando no caminho e está parado de novo. Porém, quero terminar esse projeto sim.
      Um abs

      Excluir
    2. Não desista. Acho até que você deveria levar adiante aquele outro projeto que você flertou: um podcast

      Excluir
    3. Mais um para insistir: não desanime do livro, muitos estão na expectativa de, um dia, poderem lê-lo. Gosto da sua forma de escrita, tenho interesse no tema e confiança de que você certamente tem conhecimento a agregar.

      Abraços

      Jorge Barrios

      Excluir
    4. Vou ser obrigado a fazer um coro e torcer pela futura publicação do livro! E espero que outros dos mais variados temas sejam lançados. Podcast também seria uma boa.

      Excluir
  6. Soul, como você investiu em startup?

    Te acompanho há algum tempo, não lembro se você fez um post aprofundado sobre o assunto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Luis.
      Foi uma oportunidade. Durante um tempo eu visitei um polo de tecnologia (uma incubadora) e vi muitos "Pitch".
      Surgiu essa empresa que já tinha um produto pronto, faturamento potencial, e resolvi entrar como investidor.
      Minha experiência se resume a esse investimento. É uma área bem interessante e vibrante.
      Um abs

      Excluir
  7. E o Surf Soul Surf? Hahaha.
    Vou para Chicana no Peru, preocupação com água gelada.
    Vou te visitar na Surfland, a onda vai ser nível a do Kelly?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Surfista!
      Acho que você quis dizer Chicama, não faça chicanas com essa onda especial:)
      Não, não. A onda do Kelly é diferente. Ela não é muito viável comercialmente, ela é extremamente cara. Tanto que já ouvi falar que um dia na piscina dele custa alguns milhares de dólares.
      Uma onda como a do Slater num resort 5 estrelas aí seria de outro mundo.
      Porém, a tecnologia wavegarden é incrível também, são 150m de onda, um bom surfista consegue tirar umas 12 manobras.

      Abraço!

      Excluir
    2. Fui traído pelo corretor do celular, e isso mesmo Chicama.
      Vou dar uma pesquisada na tecnologia wavegarden.

      Excluir
  8. Bom Dia. Muito bom sempre ler seus relatos. Eu também tenho uma filhota de 2,5 anos e estou vivendo intensamente todos as coisas boas e as trabalhosas, e o que me permitiu isso tudo foi entre outras coisas um leilão de imóveis. Em escala bem menor e foi uma única vez, e deu tudo certo, com muito trabalho é claro. Corria o ano de 2010 e os imóveis subiam cada vez mais, eu vivia com um pé na matrix e outra na cultura digital e fugindo da manada. Queria um imóvel a vista, foi ai que conheci o leilão da CEF por um amigo e fui com tudo em um imóvel, ocupado, foi um misto de sorte e coragem. O cara (que era o cunhado, já que o dono havia perdido o imóvel que era do pai dele (doado) em campanhas políticas e jogos, saiu com uma notificação do cartório, me custou 200 reais a desocupação!!). Entrei e o "dono" tentou imputar violação de domicilio, o que o MP não aceitou, reformei com minhas mãos e aluguei, vendi um ano depois com margem de 100%. Histórias sinistras cercaram esse momento, uma que menina que vivia comigo estava me traindo e eu descobri no dia que seria nossa primeira noite no imóvel kkkk, foi f...mas super importante. Assim vendi o imóvel e despachei ela com metade da grana, na verdade eu não ganhei nada, e dei metade pra ficar em paz e livre. Quando nos desapegamos de algumas coisas o Universo se abre. Resumo do pós imóvel e relacionamento: Minha saúde e alimentação deram um salto, vendi os carros (sim, eu tinha dois e uma moto) e andei de bicicleta por 4 anos. No momento da ruptura e fui morar em uma republica com um colchão no chão. Conheci 16 países (todos no continente americano), aprimorei o inglês, espanhol e aprendi um francês básico, morei em dois (México por 6 meses e Canadá por 3), fiz mestrado e doutorado, conheci a mãe de minha filha uma pessoa que já está muito tempo comigo dividindo essa linda experiência que é viver. Tive filha, sai da metropole, fui morar no interior (quando a bebe nasceu, em um condomínio de chácaras de 30 mil metros), mudei e mudei de novo, sempre aproveitando os bons ventos. Moro em uma casa grande, vou a pé para o trabalho em uma capital pequena. Sou servidor de nível médio, pedi licença, retornei, reduzi para meio período (com redução de salário de trabalho e quero sair, assim que minha nova profissão (professor) for consolidada. Voltando ao imóvel, envolvia 3 agências da CEF, dois cartórios, era toda a minha grana, foi legal, mas nunca mais, pelo fato do que relatou (justiça), sempre olho, tenho vontade, é um vicio, mas por enquanto só olho. Quero escrever um livro sobre as viagens de mochila, mergulhos e cultura latinoamericana. Foi um período muito intenso, e o livro foi ficando, ficando kk. Grande abraço meu irmão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, amigo.
      Seu relato, rico e interessante, fala por si só.
      Obrigado por compartilhar.
      Abs

      Excluir
  9. Para um retorno de R$ 100.000,00 liquido, esse imóvel foi arrematado por quanto? Por uns 330k?
    Espero que vc trate desse tema no seu livro. Antes de entrar num leilão é preciso saber até quanto vale a pena ofertar no lote.
    Por exemplo, apenas para ilustrar: Um imóvel de 100 mil, que é mais fácil vender, parece razoável uma margem mais achatada (suponhamos, 15%), por outro lado, um lote de 200 mil, significa um aporte bem maior e é esperado um retorno maior também (suponhamos, 20%). É isso, Soul? Esta certo esse raciocínio?
    Ainda não arrematei nada pois tenho dificuldade de mensurar a rentabilidade que devo esperar do negócio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, amigo.
      Exatamente. Depois de gastar 60 mil com reformas, deu algo em torno de 330 mil. Vou colocar a venda por 510 mil. A cobertura do lado está a venda por 750 mil, mas deve valer uns 590-600, logo eu acho os 35% factível nesse caso
      Eu não recomendo arrematar um imóvel onde a perspectiva de rentabilidade de uns 35-40% sendo conservador no valor de venda, eventuais despesas inesperadas, e um prazo de pelo menos 18-24 meses (pode ser bem menos, casa um acordo de desocupação).
      Uma margem de 15-20% eu só recomendaria em imóveis desocupados com uma liquidez bem razoável.
      Um abs

      Excluir
  10. Comprar lotes ou imóveis detonados como vc faz eu as vezes penso em fazer. Pra quem conhece o mercado seguramente da um bom lucro. O problema é achar as pechinchas, conhecer o mercado. E esse foi o encontro dos titãs - PF e VR juntos !! Muito legal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, amigo.
      Eu na verdade não faço isso, e não gosto de fazê-lo, especialmente pois quase todos os imóveis que tenho (tive) estão em outros estados da federação, e é chato tocar uma reforma de longe. Além do mais, sempre é uma incógnita o estado do imóvel leiloado.
      Um abs!

      Excluir
  11. Fala Soul! Que beleza, você está se transformando em um empreendedor completo. Diversificado, arguto e experiente. Parabéns e continue sempre compartilhando seus passos por aqui, eles são muito interessantes! Abraço!

    ResponderExcluir
  12. Nunca pensei em ganhar dinheiro em cima da desgraça dos outros(leilões).
    Já o empreendedorismo, isso sim é fascinante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      a) e faz o que quando alguém não paga uma dívida e só conseguiu o empréstimo por causa da garantia? Deixa para lá? Isso vale para carros e conta corrente também?
      b) Há muitos empreendedores humanos que ganham dinheiro na desgraça dos outros: traficantes de drogas ilegais, vendedores de drogas legais, a indústria de alimentos altamente processados, etc, etc. Também é fascinado por esses empreendimentos?

      Nada na vida é simples amigo, geralmente a resposta mais correta está nas nuances.

      Abs

      Excluir
  13. Soul,

    Recebê-lo aqui foi um prazer enorme! Que tenhamos novos encontros, vamos chamar o Frugal também rs.

    Lendo seu texto realmente fica claro pra sim o que conversamos sobre seu desejo de manter-se produtivo! Acho que você não vai parar nunca, mas acho isso positivo e casa perfeitamente com sua personalidade.

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, VR!
      Obrigado por tudo meu amigo.
      Um grande abraço!

      Excluir
  14. Viver de Renda e Pensamentos Financeiros juntos em um podcast. Grandes inspirações. Comprei um livro recentemente na Amazon sobre leilões extrajudiciais. Gostei, mas quero mesmo é comprar o seu. No aguardo. Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Se eu fizer um podcast, com certeza conversarei com ele.
      Um abs

      Excluir
  15. Bom dia Soul, como vai?

    Primeiramente queria registrar aqui meu muito obrigado a você por compartilhar seus conhecimentos e vivências conosco. Leio seu blog há anos e agrega muito valor para mim.

    Um ponto que me chamou a atenção foi sobre o emprendimento Surfland... sei que comprou com o intuito de desfrutar, mas para quem não tem esse objetivo, enxerga um potencial investimento?
    Estava lendo que é possível alugar as cotas por 14 dias. Gostaria de saber sua opnião sobre isso.

    Muito obrigado,

    Julio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Julio.
      Amigo, eu não fiz uma análise de investimento. Eu quando soube que iriam fazer isso, queria entrar como investidor, mas era coisa de dezenas de milhões de reais.
      Eu acho a ideia fantástica, e se tudo der certo com a construção, eu creio que pode se tornar um bom investimento sim. Imagino que se não abrirem outras pelo Brasil, um resort cinco estrelas num lugar maneiro do Brasil com uma onda de qualidade internacional, tem tudo para virar uma atração internacional.
      Além do mais, Florianópolis está de aeroporto novo, creio ser o aeroporto mais moderno do Brasil, quiçá da América do Sul.
      Porém, posso estar errado nas minhas premissas.
      Um abs!

      Excluir
  16. Curioso que eu há alguns anos leio o blog e sempre gostei do tom mais "lifestyle" do que tecnicamente de finanças, apesar do tema ser abordado com grande frequência. Acredito que seja pelo fato de eu ter descoberto o site quando o autor dele já estava nos passos finais da independência financeira (talvez já até estivesse na IF).

    Daí fui ler esse post sobre os investimentos pessoais do autor e meu deu uma certa... tristeza e pesar. Seguida de reflexão dos meus investimentos, da minha trajetória, das minhas escolhas, das minhas ações, planos e sonhos... Considero positivo, pois fui influenciado de maneira a dar mais valor e atenção para aquilo que realmente importa (exemplo objetivo e imediato: ia fazer uma compra de quase R$100 de algo que não preciso e desisti ~ frugalidade!).

    Sendo um concurseiro, talvez o Soul saiba como é. Já tem uns bons anos que estou nessa, antes queria pegar ondas grandes e definitivas, mas recentemente vi que estarei satisfeito com marolinhas. Certo é que acho que nem levo jeito para estudar para concurso público e não me vejo empreendendo ou na iniciativa privada...

    Enfim, só um desabafo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, amigo.
      Há muito tempo sei que nunca pegarei ondas grandes em lugares perigosos. Uma onda de 1-1.5m na Indonésia com mais 4-5 pessoas no lineup já é o paraíso para mim.
      Espero que consiga se achar e ter paz consigo mesmo.
      Um abs

      Excluir
  17. Soul, tudo bem? Em qual área da AGU você trabalhava? Mexeu muito com ações contratuais envolvendo a CEF? Daí que adquiriu conhecimento jurídico que te deu suporte nos leilões? Difícil mensurar, mas o quão espinhosa você acha a área para um advogado que não tem experiência nessa área e você arriscaria dizer a partir de quantos reais vale a pena investir em leilões de imóveis? Valeu, abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega.
      AGU não se imiscui em assuntos da CEF, pois a mesma é uma empresa pública. Meu primeiro interesse por leilão foi em 2006. Depois de estudar uns meses, desisti da ideia de comprar, pois achei que tinham muitos problemas em potencial.
      No final de 2012, porém, resolvi comprar em leilão extrajudicial, e desde então venho comprando e melhorando o meu entendimento.
      Se você tem conhecimento jurídico, nada que uns meses se preparando, e lendo o meu livro (hehe) não te coloque no caminho certo.
      Eu creio que a partir de uns 250-300 mil reais, e que esse dinheiro não represente mais de 50% do seu patrimônio, e você se sinta confortável.
      Um abs

      Excluir
  18. Bom dia, Soul! Apenas por curiosidade, em qual cidade fica o empreendimento de casas de luxo?
    abraços,

    ResponderExcluir
  19. Olá, você pode dizer quais investimentos de renda fixa, pós-fixada, com liquidez imediata tem e mais ou menos qual a taxa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Posso, amigo.
      LCA/LCI banco private BB.
      Não sei ao certo, creio que as novas, pela queda dos juros, estão saindo com 93-94% do CDI. Liquidez imediata a partir de 90 dias.
      Abraço!

      Excluir
    2. Valeu, Soul!

      Abraço!

      Excluir
  20. Fala Soul,

    Vc passa uma tranquilidade muito grande qdo fala sobre seus investimentos e até mesmo qdo dá-la sobre baixa rentabilidade da renda fixa e de perdas financeira. Qual o montante total do seu patrimônio atualmente que te gera essa tranquilidade ?

    ResponderExcluir